Viver de renda no tesouro direto – o guia mais prático de todos os tempos

ANÚNCIO

A questão não é sobre ter dinheiro todos os meses e ficar sem trabalhar. Não. O foco deste artigo é mostrar como é possível, com técnica e sabedoria, conseguir viver de renda no tesouro direto com algumas mudanças de comportamento simples.

Ao escrever essas palavras e fazer muita pesquisa sobre o assunto, nos deparamos com pessoas que vivem diferentes situações: algumas acham que seu salário é pouco demais para pagar as contas e outras acreditam que viver de juros resolveria a sua vida.

ANÚNCIO

Dessa forma, fizemos um texto geral, indicado para todas as pessoas. Então, se você já é um milionário, pode ler e se é um trabalhador brasileiro que sua muito para por a comida na mesa, também deve ler.

A ideia é simples: tirar as amarras sobre o mercado financeiro da sua vida. Mostrar a você uma nova visão sobre esse título do governo. Tudo é muito mais fácil do que você imagina (e se você entende os juros compostos, fica ainda mais simples).

Mas, calma: aqui não tem mágica e nem fórmulas extraterrestres!

ANÚNCIO

Estamos falando em viver de renda, assim como antigamente acontecia com as pessoas que aprenderam a viver de renda de aluguel.

Hoje, essa não é uma opção muito vantajosa e viver de renda no tesouro direto é possível mesmo que você ganhe uma renda mensal mínima.

Para você ter uma compreensão da magnitude deste artigo, veja os tópicos que selecionamos:

  • O que significa viver de renda
  • O que é o  tesouro direto?
  • Tipos de títulos do tesouro direto
  • Ganhar dinheiro no tesouro direto – como?
  • Viver de renda no tesouro direto
  • Investir dinheiro no tesouro direto vale a pena?
  • Passo a passo para quem vai investir dinheiro
  • Viver de renda de aluguel

As pessoas costumam pensar que viver de renda é algo de outro mundo, mas não é. Precisamos desmistificar isso – você topa participar dessa proposta? Leia sem compromisso, mas, se gostar das dicas, deixe-nos um comentário.

O que significa viver de renda

Viver de renda é um nome muito comum nos dias de hoje. Só que nem sempre a sua tradução é bem definida.

Por sinal, você pode ver expressões semelhantes, como viver de juros, viver com uma renda perpétua, fazer o dinheiro trabalhar para você, viver de aplicações financeiras, entre outras.

O grupo todo representa vários ideais, mas o principal deles diz respeito à liberdade financeira. E ter liberdade financeira é você conseguir viver todos os dias com as contas em dia e fazendo o seu patrimônio se acumular em uma constante progressiva e positiva.

Por exemplo: se hoje você tem 10 mil reais acumulados, a liberdade financeira diz que você tem que ter 20 mil amanhã (no sentido literal). Mas, isso deve acontecer sem que você se prejudique ou deixe de pagar as contas e se divertir, tá bom?

É como se você não dependesse de ninguém (nem mesmo do governo), para ter a sua renda mensal garantida – isso é viver de renda!

Era como funcionava a aposentadoria. Após se aposentar, o trabalhador recebia um salário mensal, o que era suficiente para pagar as contas e manter o padrão de vida.

Com a Reforma da Previdência, todos sabem que essa história já não é bem assim. Não sabe o que vai acontecer com a previdência pública? Leia – Invista 10% do seu salário e garanta sua aposentadoria sem depender do INSS

Aliás, viver de juros é mais do que isso porque você pode receber quanto quiser, ou melhor, quanto se dispor a receber.

Da mesma forma, não precisa chegar aos 60 anos para conseguir tal feito – você pode fazer isso com 30, 35 ou 40 anos, dependendo da sua disciplina financeira.

Entenda, portanto, que estamos falando em viver de juros. Se o seu foco é ganhar dinheiro para comprar carros de luxo, iates, jatinhos… Esse artigo, infelizmente, não é para você.

Ao contrário, se você quer ter uma renda todos os meses para custear seus gastos, leia e descubra como conseguir isso no tesouro direto.

O que é o Tesouro Direto?

O programa do Governo Federal foi criado em 2002 e em 2017, exatamente no mês de julho, alcançou a marca inédita de 1,5 milhão de pessoas cadastradas, conforme o Tesouro Nacional.

Quanto aos tipos de títulos, aqueles que estão vinculados à taxa básica de juros da economia, Selic, foram os mais investidos, representando 43% do volume total do Tesouro.

Depois, ficam os títulos indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), assim como o Tesouro IPCA+ e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais.

Eles somaram 37% do total de títulos negociados no período.

Já os títulos prefixados foram responsáveis por 19,7% do total.

Esse aumento significativo do interesse pelo título público tem a ver com a perda de rentabilidade da poupança e obviamente dos juros básicos da economia, que chegou ao menor nível nos últimos 4 anos.

O investimento no Tesouro Direto é uma boa opção para quem não tem muito dinheiro inicialmente para aplicar, mas que, ao mesmo tempo, busca uma opção mais rentável do que a poupança, seja para o médio ou longo prazo.

Quando se opta pelos títulos públicos, a pessoa se torna credora do governo e recebe juros por isso. Esses juros são bem melhores do que os pagos pelos bancos, na caso da poupança.

Esse é apenas um dos motivos que mostram porque é possível viver de renda no tesouro direto – e vamos contar como conseguir isso no decorrer do texto, acompanhe!

No tesouro direto, assim como nos fundos de investimento, existe a cobrança do imposto de renda, que segue uma alíquota regressiva, onde quanto mais tempo investido o dinheiro fica, menor é a incidência.

Além disso, existem outras taxas. Mas, quando tudo é feito com planejamento, isso não se torna um impedimento para você conseguir viver de juros!

O que precisa ser considerado é que o tesouro é mais vantajoso do que a poupança.

Bem rapidamente, entenda isso em números.

Investimento de 300 reais mensais na poupança renderia algo em torno de 108 mil reais na poupança. Já no Tesouro IPCA 2035 (5,98 + inflação no período), daria algo em torno de 270 mil reais. Sim, 162 mil reais A MAIS. – no mesmo período!

É bem diferente no longo prazo né? E você achando que a poupança é a melhor opção…

Tipos de títulos do tesouro direto

Esse também é um tópico bastante resumido, mas é para você ter uma ideia do tanto de opções que há no tesouro direto, principalmente se pensado nos prazos de investimentos: curto, médio ou longo.

Tesouro Prefixado (antigo LTN) 

É quando o investidor vai receber o valor acrescido da rentabilidade na data de vencimento. Se resgatar antes, pode ter um preço variado negativamente.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antigo NTN-F) 

É indicada como renda complementar porque a cada 6 meses a categoria faz o pagamento de juros ao investidor, como uma antecipação da rentabilidade final.

Tesouro Selic (antigo LFT) 

É pós-fixados e muito contratado por quem busca realizar lucros com alta taxa de juros e sempre mantendo o poder de compra.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (antigo NTN-B)

Oferece rentabilidade acima da inflação porque é composta por uma taxa de juros prefixada e pela variação da inflação IPCA. Com isso, há a garantia de uma rentabilidade total do título sempre acima da inflação.

Tesouro IPCA+ (antigo NTN-B) 

Tem vencimento mais longo, por isso, é super indicado para quem está pensando na aposentadoria ou na faculdade dos filhos, por exemplo. Também tem rentabilidade acima da inflação.

Já falamos aqui algumas vezes, mas vale repetir: o ideal é ter uma reserva de emergência, depois que já estiver com um bom valor para investir, vale pensar na diversificação dos investimentos, mesmo dentro do tesouro direto.

É aí que o dinheiro começa a trabalhar por você, vias de fato.

Viver de renda no tesouro direto – o guia mais prático de todos os tempos
Reprodução: Google

Ganhar dinheiro no tesouro direto – como?

Existem dois grandes fatores que são importantes para responder essa pergunta: frequência da aplicação e o tempo na qual o dinheiro será investido.

Logo, quanto mais dinheiro investido e mais frequência até o tempo de resgate, maior será o retorno financeiro para os investidores.

O que fica óbvio é que ganhar dinheiro investindo 100 reais é possível especialmente se você tem condições de manter a aplicação durante os vários meses do ano.

Em tempos de crise, poupar 100 reais é uma medida maleável e possível – portanto, começar é o ponto mais importante. E escolher a melhor opção é o diferencial.

Observe que investir pouco dinheiro é melhor do que não investir.

E, conforme seu patrimônio acumulado, seus 100 reais poderão estar rendendo outros 100 reais sem que você faça mais esforços.

Ricardo Almeida é professor de Finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA) e cedeu uma entrevista à Revista Época Negócios e disse que:

“o título público federal é o mais indicado para este momento porque é difícil encontrar uma alternativa mais segura”.

“Em Renda Fixa, o crédito privado, que são títulos emitidos pelo banco, até pagam a mais, porém a incerteza na política pode levar o país a crescer menos, e aí aumenta o risco de crédito dessas empresas emissoras, já que elas tendem a vender menos também”.

Em tese, os títulos públicos já são considerados os investimentos mais seguros do país porque são garantidos pelo governo.

Além disso, o investir no tesouro direto é fácil e ele está disponível para qualquer pessoa que tenha, ao menos, 30 reais.

Tudo pode ser feito em uma plataforma online pelo Site do Tesouro Nacional. Inclusive, lá é possível você se responder a pergunta: é possível viver de juros no tesouro direto? Basta fazer a simulação e chegar a conclusão!

Lá, estão disponíveis títulos que são corrigidos pela Selic, por exemplo, ou seja, eles sempre vão render de acordo com uma variação da taxa, o que garante o poder de compra do investidor.

Assim, o investidor que tem uma conta em uma corretora de investimentos consegue investir o seu dinheiro sem correr grandes riscos.

Além desses títulos que usam a Selic, existe a opção dos prefixados também, que pagam uma determinada taxa, de modo que quem compra de forma antecipadamente sabe quanto vai conseguir resgatar no futuro.

Viver de renda no Tesouro Direto

Não vamos nos atentar muito a explicar o que é o tesouro direto, levando em conta que você já conheça. Se não conhece, leia nosso livro gratuito que explica.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

A ideia é a de explicar como é possível viver de renda no tesouro direto, portanto, sem mais delongas, vamos lá!

Assim, especificamente levamos em consideração o Tesouro IPCA+ (antigo NTN-B, Nota do Tesouro Nacional Série B).

A projeção que fizemos foi baseada no título Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e vencimento para 2050, que no dia desses cálculos estava rendendo 5,25%.

A alíquota do imposto de renda calculado foi de 15%, incidente sobre aplicações de mais de 2 anos.

A justificativa para o uso do Tesouro IPCA+ é que ele é um título público, tornando-o totalmente seguro, já que o risco de calote da dívida pública é sempre menor do que da dívida privada – bancos, instituições financeiras.

Depois, também devemos nos atentar ao fato de que esse ativo se remunera sempre acima da inflação, o que é importante para que um investimento financeiro seja vantajoso.

Na prática é assim: se o Tesouro IPCA+ 2050 com Juros Semestrais rende 5,24% acima da inflação, isso quer dizer que se no próximo ano a inflação for de 10%, então o papel vai render os 10% mais os 5,24%.

Isso é Suficiente para Viver de Juros?

O rendimento de 5,24% é semestral, obviamente, e feito em dinheiro. Isso quer dizer que se você tem 1 milhão de reais investidos nesses títulos, a cada 6 meses você receberá cerca de 22,3 mil reais, descontados o IR.

Aí, seu investimento continua lá, intacto, como título público e você pode resgatar o valor, corrigido pela inflação, na data vencimento.

Se resgatar antes do vencimento, você pode ter perda, sem que seja possível prever de imediato.

Agora sim, para conseguir viver de juros no Tesouro IPCA+ 2050 com Juros Semestrais, veja quanto é preciso ter:

Renda Mensal                  Investimento Financeiro
  • 2 mil reais                               538.841 reais
  • 5 mil reais                            1.347.104 reais
  • 10 mil reais                          2.694.207 reais
  • 15 mil reais                          4.041.311 reais

Ficar Rico no Tesouro Direto é mesmo Possível?

É claro que é! Ainda que leve um bom tempo. Se ficar rico no tesouro é possível, obviamente, viver de juros no tesouro direto também é… A questão é como você se organiza para isso.

Vamos supor que você encontre um título que te renda 11% ao ano, então, vai precisar ter uma grande quantia para investir ou esperar bastante tempo, mas possível é.

Então, o que é recomendável?

O ideal, conforme vários analistas financeiros, é fazer um aporte inicial de um valor que não seja tão baixo, apesar de o Tesouro permitir isso.

Então, periodicamente fazer novos aportes representativos. Contando ainda com aportes menores, mensais, em algo que fique em torno de 10% do salário.

Investir dinheiro no tesouro direto vale a pena?

Está mais do que provado que viver de renda no tesouro direto é possível. E logo mais vamos falar sobre viver de renda com os aluguéis dos imóveis. Mas, para o momento, vamos considerar a vantagem desse título público na atualidade.

No cenário atual, o rendimento de um investimento em Tesouro IPCA+2024 será superior ao de uma LCI ou LCA (Letra de Crédito Imobiliário e do Agronegócio) que paguem 90% do CDI.

Isso mesmo com o recuo da inflação no ano, já que o rendimento do Tesouro Direto é em parte composto pelo resultado do IPCA (antigas NTN-B) que devem, portanto, continuar atraentes em relação aos seus concorrentes financeiros.

Espera-se que até o fim do ano, o IPCA esteja em 3,46%, conforme economistas consultados pelo Banco Central.

Assim, conforme o prazo do título e da perspectiva de melhora da economia, o rendimento pode superar as LCA e LCI, que são as queridinhas do mercado – já que tem a isenção do Imposto de Renda e são garantidas pelo FGC em um limite de até 250 mil reais.

O professor de finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA), Alexandre Cabral, mostrou que, como o atual cenário, o rendimento pode ser maior.

Isso porque o IR pode ser de 17,5% sobre o rendimento se manter um bom prazo de aplicação. Mas, se você quer viver de juros por um bom tempo, também terá que investir em um bom prazo.

Na simulação do especialista, em um investimento de 10 mil reais o ganho líquido – já descontando o IR – seria de 784,17 para o Tesouro IPCA com vencimento em 2024 e de 767,21 para LCI ou LCA de 90% do CDI, após 1 ano de aplicação.

Para um CDB (Certificado de Depósito Bancário) que pague até 100% do CDI, o ganho líquido seria de 706,20 reais no mesmo prazo.

Sendo que a maior parte das LCs estão atreladas ao CDI, esse indexador acompanha a taxa de juros, sendo o que o rendimento deve ser menor à medida que a Selic cair.

Passo a passo para quem vai investir dinheiro

Uma das regras de quem quer viver de renda é ter a ideia de que a disciplina na hora de investir é primordial – assim, não adianta fazer um investimento com esse objetivo e com o tempo usar tal recurso para resolver eventualidades.

O ponto de partida é reconhecer o mercado e analisar sobre ele o seu objetivo financeiro de viver de juros no tesouro direto.

Se você tem a segurança de conhecer o assunto, isso ajuda na hora de definir o valor que é preciso acumular e os investimentos periódicos.

Quando se tem uma estratégia bem montada, é possível atingir o objetivo. Porque não importa qual seja o seu salário… Se você investir uma porcentagem do salário vai ter sucesso!

E o sucesso é simples: viver de renda no tesouro direto (não esqueça disso).

O conselho de Sandra é sempre fazer revisões das estratégias, priorizando aquilo que pode mudar conforme o projeto inicial.

Também é importante não subestimar a capacidade de investimento – o futuro financeiro trabalha com a questão dos juros compostos.

Esqueça a ideia de que é possível investir dinheiro apenas quando já se tem muito dinheiro inicial. Existem títulos que pagam bons rendimentos com aplicações a partir de 1 mil reais.

Viver de renda de aluguel

Achou que tínhamos esquecido dessa parte, né? Mas não.

Só que fique tranquilo que é muito simples entender também. E temos um vídeo para auxiliar a compreensão, caso seja necessário.

Dá uma conferida nessas palavras que publicamos em outro artigo:

Uma casa não gera lucros! Pronto, esse seria um motivo suficiente para você não fazer essa bobagem.

Por que não gera lucros? Oras, porque só gera gastos. Pega o lápis e o papel aí…

Vamos lá: Valor do Condomínio, IPTU, Água, Luz, Reformas… Bom, melhor parar né, porque em uma dessa vai que o chuveiro queima.

A valorização, ela realmente existe? Não! Sabe por quê? Bem, esse é um assunto para mais tarde, no fim do texto, mas vamos te contar bem rapidinho para você não ficar muito curioso.

É assim ó: você compra um apartamento hoje de 200 mil reais. Até aí tudo bem, né? Então, daqui há um tempo ele valoriza e vai para 300 mil reais. Aí você vai cair matando e dizer que lucrou 100 mil reais.

E você está certo.

Ainda não entendeu por que investir em imóveis para alugar já não é uma boa recomendação financeira para os dias atuais? Veja esse vídeo!

Bônus – conheça os 7 passos imprescindíveis para viver de renda

Abaixo, separamos um bônus (e você nem precisa ver se você quiser). Mas, a dica é para quem quer realmente aprender a viver de renda – será que existem comportamentos que podem alavancar esse ideal? Com certeza, sim!

São 7 passos que podem ser realizados por qualquer pessoa, como o controle financeiro pessoal, o estudo do mercado financeiro, o planejamento para investir, entre outros. Veja agora:

Por fim, você tem que saber quanto precisa para viver de juros. Nós fizemos alguns cálculos MUITO SIMPLES na parte superior deste artigo, mas a ideia era apenas de mostrar como é possível ter um horizonte a seguir.

Com 430 mil reais já dá para ter uma renda de 2 mil reais por mês, por exemplo. E assim por diante, quanto mais dinheiro investido, maior a mensalidade que você tem direito.

O importante é buscar formas de fazer essas contas e encontrar o seu valor.

Pode parecer muito juntar dinheiro desse tanto, mas verdadeiramente não é. Ainda mais se você considerar que vai conseguir viver de renda para o resto da vida.

Por exemplo, você consegue dispor de 100 reais por mês? Então, se você faz isso por 30 anos em uma aplicação que tenha um rendimento mediano, com certeza, já fica milionário. Se o valor for maior, o tempo pode ser menor.

É assim que funciona. É a mágica dos juros compostos.

Você só tem que aprender a trabalhar com o tempo e saber economizar dinheiro. Seguindo esse guia corretamente você consegue isso muito facilmente. Bora viver de renda?

Da Redação

ANÚNCIO