Vilão Financeiro: Novas Regras passam a valer para o Cartão de Crédito, entenda como elas funcionam!

O Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu um limite de 30 dias para o uso rotativo do Cartão de Crédito, com a finalidade de baixar os juros cobrados nessa modalidade de crédito, considerada uma das mais caras do mundo. Segundo o conselho isso vai “tornar o uso do cartão de crédito mais eficiente e barato para o usuário e, ao mesmo tempo, ajudar as instituições financeiras a aprimorar o gerenciamento de risco do crédito”.

O comunicado aconteceu na última quinta-feira do mês de janeiro, no dia 26, e os bancos vão ter o prazo de até o dia 3 de abril para se adequarem à essa nova regra. O valor total da fatura do Cartão de Crédito poderá ser pago até a fatura do mês seguinte, ou seja, isso significa que o rotativo terá um prazo de 30 dias e, depois disso, o banco poderá apresentar ao cliente uma nova proposta mais vantajosa para o pagamento, em parcelas.

Vilão Financeiro: Novas Regras passam a valer para o Cartão de Crédito, entenda como elas funcionam!

Reprodução: Google

Para entender a mudança, atualmente acontece o seguinte: caso o consumidor não pague o valor total da fatura mensal, a dívida é jogada para o mês seguinte, com a cobrança dos juros do rotativo. Isso acontece todos os meses, sucessivamente, e vai acontecendo à cobrança de juros sobre juros. Com isso, em números, uma dívida de 5 mil reais pode se tornar um montante de 27 mil reais. É o que pessoal chama de “bola de neve”.

O valor é exorbitante e, em dezembro de 2016, chegou à uma taxa de 484,6% ao ano, segundo dados do Banco Central. Para ter uma medida comparativa, os juros do cartão de crédito consignado foram de 29,3% ao ano, no mesmo mês.

Juros médios do Cartão de Crédito Brasileiro são de 436% ao ano, 10 vezes maior que o segundo colocado da pesquisa

O portal UOL fez uma lista com as melhores dicas sobre o que fazer para não cair nessa cilada do Cartão de Crédito Rotativo e, o que fazer, caso isso aconteça. Veja!

  1. Pagar a Fatura Integral – Essa é a opção número 1. Para quem está com as contas em dias e ainda utiliza o Cartão para pagamentos parcelados, a dica fundamental é quitar a fatura até a data do vencimento. Essa é a melhor vantagem para evitar o pagamento de juros.
  2. Não aceitar a primeira Oferta – A alternativa oferecida pelo banco, quando não há o pagamento integral da fatura, nem sempre á melhor para você. A recomendação é pesquisar outras opções dentro do próprio banco e, por que não, em outras instituições.
    “A concorrência, ainda que seja pequena, tende a aumentar com as mudanças, por isso, o consumidor deve ficar mais atento e pesquisar, se for o caso. Nossa expectativa é que os clientes troquem o rotativo do cartão (450% de juros) por uma modalidade com juros menor”, afirma Roberto Vertamatti, da Anefac (Associação dos Profissionais de Finanças).
  3. Empréstimo Pessoal – O empréstimo pessoal, apesar de ter altas taxas também, pode ser uma alternativa “menos pior”. A simulação feita pelo UOL mostrou que com uma dívida de 1 mil reais no cartão de crédito, o consumidor poderá pagar mais de 2,2 mil reais no rotativo do cartão 12 meses depois. Já com a nova regra, as parcelas podem somar pouco mais de 1,7 mil reais. E, no caso dos Empréstimos Pessoais, o valor cairia para menos de 1,4 mil reais.
  4. Limite do Cartão de Crédito – Na nova regra não há nada explicitado sobre o limite do cartão de crédito, assim sendo, é o banco quem vai definir o critério para reestabelecer o limite original ou considerar que aquele novo empréstimo será restringido. É preciso muita atenção, então, para não ultrapassar o limite oferecido pelo banco.
  5. Migração do rotativo para financiamento alternativo – Isso não está claro se vai acontecer automaticamente, então, o cliente precisa entrar em contato com a sua agência bancária e expressar a escolha.

O que os bancos dizem

No geral, os bancos disseram ser a favor da decisão, mas poucos detalhes sobre as estratégias foram divulgadas. Veja algumas opiniões!

Banco do Brasil – Lançou uma campanha de Educação Financeira para quem usa o rotativo e está orientando os consumidores a usar para uma linha especial de parcelamento, com custo menor, mas não informou quais as taxas. “Os clientes podem ficar tranquilos porque tudo será comunicado previamente. Esse período de transição é justamente para definirmos as condições mais adequadas aos diferentes perfis dos nossos clientes”, disse Marcelo Labuto, vice-presidente de negócios de varejo da instituição.

7 Mentiras que os Bancos Contam e Como não Cair nessas Conversas Fiadas

Itaú Unibanco – Disse que desde 2012 adota o ItauCard 2.0, um modelo alternativo que tem juros menores. “De forma geral, acreditamos que ainda há espaço para redesenhar o sistema de cartão de crédito no Brasil, com um balanceamento dos custos dos vários tipos de pagamento e financiamento. As medidas do governo são um passo importante nessa direção”, disse Marcos Magalhães, diretor executivo da área de cartões.

Bradesco – Apenas disse, em nota, que é “um avanço que trará eficiência nas relações com os consumidores”.

Santander – “Existe uma complexidade operacional, que vamos superar para oferecer um crédito parcelado condizente com a capacidade de pagamento do cliente”. Foi o que disse o presidente do banco, Sério Rial.

Vilão Financeiro: Novas Regras passam a valer para o Cartão de Crédito, entenda como elas funcionam!

Reprodução: Google

Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal são os bancos mais reclamados dos últimos 2 meses: O Banco Central divulgou um levantamento com os bancos mais reclamados nos últimos 2 meses de 2016: Bradesco é o vencedor seguindo do Santander entre os grandes e o Safra, entre os médios. O ranking inclui apenas reclamações procedentes que são analisadas pelo BC, com o objetivo de saber se o banco descumpriu normas do Conselho Monetário Nacional (CMN). Leia Mais!

Desconto para pagamentos à vista

Uma mudança já havia sido anunciada no início do mês: a autorização para que os lojistas pudessem cobrar preços diferentes para um mesmo produto de acordo com a forma de pagamento. Ou seja, quando a compra é parcela, no caso do cartão de crédito, o produto, com certeza, terá um valor mais alto. Na prática, isso já funciona, é apenas uma “legalização” para a prática dos famosos “descontos para pagamentos à vista”.

Para o Proteste, entidade de defesa do consumidor, a medida não vai beneficiar o consumidor que já paga uma anuidade pelo cartão de crédito, enquanto o lojista economiza ao ser dispensado de fazer a análise do crédito do cliente.

Leia MaisCartão de Crédito já tem juros altos e agora ainda terá o preço diferenciado… Entenda essa história!

Recomendação: evitar fazer dívidas no Cartão de Crédito

O cartão de crédito é, como está no título, o vilão financeiro, sendo o principal responsável pelo endividamento das pessoas, dos casais e das famílias, como um todo. Para Everton Lima da unidade Alto Tietê, ele pode ser usado como um aliado para organizar o orçamento familiar, no entanto, é preciso muito cuidado.

Vilão Financeiro: Novas Regras passam a valer para o Cartão de Crédito, entenda como elas funcionam!

Reprodução: Google

“O cartão só se torna um vilão quando não se sabe como usá-lo. Normalmente, os bancos dão um limite acima da capacidade de pagamento do cliente”, afirma. Para complementar a ideia, Flávio Calife, economista da Boa Vista SCPC, diz que “O grande problema é quando ele vira uma extensão da renda. Antes de usar qualquer uma das modalidades de crédito, é preciso saber sobre os custos elevados”.

9 dicas realmente eficazes para renegociar dívidas com os bancos: Já falamos acima de uma regra, na qual, você deve usar apenas 20% do seu salário para quitar as dívidas. E é isso que você deve dizer ao seu banco, quando entrar em contato com ele. Afinal, não adianta negociar a dívida se você for aceitar qualquer valor estipulado por essas instituições financeiras, mesmo porque pode ser que você não tenha condição de efetuar tais pagamentos mensais.

O Blog Finanças Femininas, considera o cartão de crédito como um mau hábito, tanto é que desencadeia nas pessoas o efeito Avestruz, ou seja, dá vontade de enfiar a cabeça em um buraco, quando a fatura chega. No entanto, isso pode ser evitado, com o acompanhamento dos gastos ao longo do mês. “Se você sabe exatamente como estão suas despesas, então, não tem porque ter pavor quando a fatura chegar, afinal, você vai saber exatamente o tamanho dela”.

Pensando nisso, e com foco no perigo do parcelamento, listamos os 5 motivos para evitar a compra parcelada. Veja.

Vilão Financeiro: Novas Regras passam a valer para o Cartão de Crédito, entenda como elas funcionam!

Reprodução: Google

1 – Juros Embutidos – Não existe compra parcela sem juros, mesmo se você ler “Em 10 vezes sem juros”. A verdade é que os comércios embutem essa taxa no valor da compra. O que costuma funcionar muito bem é o parcelamento invertido, que funciona assim: se você quer comprar um celular de 2 mil reais, ao invés de fazer 10 pagamentos de 200 reais, você pode juntar o dinheiro necessário pelos 10 meses, e então, negociar por um valor à vista.

2 – Pagamentos à vista – Tenha concentração nos pagamentos à vista, assim, você vai saber quanto está gastando exatamente com aquele sapato luxuoso ou com aquela bolsa da Tommy. Usar o dinheiro à vista, vai te impedir de fazer muitas compras, que, no cartão, no parcelamento, parecem mais baratos do que realmente significam para o seu orçamento mensal.

3 – Pagamentos Longos – O pior de tudo é que você vai continuar pagando, por um bom tempo, por algo que já nem está tão novo assim. Quer história melhor do que a do Celular? Tem gente que ainda está no começo das parcelas e já deixar o bendito cair e espatifar-se no chão. Que dó! E roupa, então… Se for usada constantemente, a blusinha já vai estar bem velhinha quando você ainda estiver pagando as parcelas.

4 – Controle Financeiro – Uma compra aqui e outra acolá, no fim do mês, a soma vai ser assustadora. Com o Cartão de Crédito, é muito fácil perdermos o controle financeiro, o que pode agravar a situação financeira. Assim, você se tornará um grande candidato à tornar-se um endividado. E não esqueçam do famosinho “Bola de Neve”.

5 – Sem limites – O valor total das compras é contabilizado no seu cartão de crédito, assim, se continuar gastando muito e sem freio, uma hora que precisar, você pode estar sem limite para parcelar alguma compra mais urgente.

“O risco é a forma de utilização. Use-o com moderação e bom-senso, afinal, não existe almoço grátis. Tenha cuidado com fraudes. Se fizer compras pela internet, veja se o site é confiável. Não use o rotativo em hipótese alguma e se a fatura não estiver de acordo com o orçamento, você terá problemas”, conclui Alcidney Sentallin, professor de Finanças do IBE-FGV.

Vilão Financeiro: Novas Regras passam a valer para o Cartão de Crédito, entenda como elas funcionam!

Reprodução: Google

O que fazer? Caso você já esteja usando desenfreadamente o cartão, não crie pânico. A dica é “Encarar o Problema” e ter consciência de que é possível reverter a situação. Respire fundo e aceite a situação. Você precisa fazer algo à respeito. Agora, identifique a origem dos gastos e corte o que for necessário. Esqueça o cartão de crédito e pague à vista. Só assim sua vida vai começar a andar para frente.

3 notícias quentinhas sobre o “Cartão de Crédito”

  1. Cartão de Crédito poderá ser cancelado pela internet – O projeto de lei 1.327 de 2015, prevê que o fornecedor do serviço bancário, disponibilize o cancelamento de contratos em vigor através de caixa eletrônico, internet ou telefone. “Todas as empresas já utilizam meios tecnológicos para oferecer esse serviços”, afirma Andrés Soares, autor do projeto.
  2. Caixa Econômica Federal lança aplicativo para Cartão de Crédito – A ferramenta chama-se Cartões Caixa e permite que o cliente desbloqueie ou bloqueie o cartão, além disso, é possível liberar o uso no exterior e emitir faturas. O banco afirma que o serviço trará mais comodidade e segurança para os usuários, além de agilidade e conforto.
  3. Itaú e Multiplus lançam cartão conjunto – O ItáuCard Multiplus permite o acúmulo de 1,3 até 2,5 pontos por dólar gasto. “O objetivo é potencializar o acúmulo de pontos”, afirmou Marcos Magalhães. A parceria também prevê que os clientes selecionados receberão um prêmio de 100 mil pontos na adesão.

Por fim, vamos deixar uma reflexão, assistam o vídeo e respondam: Cartão de Crédito, ter ou não ter?

Com informações da UOL, FinançasFemininas e Exame