9 Vídeos Para Quem Quer Sair das Dívidas e Não Sabe Por Onde Começar

ANÚNCIO

O número de endividados no Brasil é bastante alto – 60 milhões. Portanto, se você está nessa situação, fique calmo, você é apenas mais um. Porém, saiba que existem formas e jeitos de você sair dessa situação: fazendo o que ninguém faz.

Se você quer nadar contra a correnteza ou ir no sentido oposto dessa manada, vai te que começar a ver o mercado financeiro de forma diferente.

ANÚNCIO

Separamos esses 9 vídeos para você conseguir isso. Acompanhe!

1 – Cartão de Crédito – Ter ou Não Ter?

Tempo 4:07 / Mais de 13 mil visualizações

Falar sobre o Cartão de Crédito é falar, instantaneamente, na facilidade de uso que ele proporciona e, sucessivamente, no alto poder de compra que ele transmite.

ANÚNCIO

Sim, ele nos dá poder e autonomia.

Hoje em dia, com esse tipo de cartão, você pode comprar em qualquer lugar, a qualquer hora, em qualquer momento, situação ou país e, inclusive, através da internet.

E na internet é assim: com um clique, você compra.

Mas toda facilidade, bem como todas as compras parceladas, devem ser feitas com controle financeiro pessoal.

E, caso alguém roube seus pertences, incluindo seu “querido” cartão de crédito, basta você ligar na operadora e bloqueá-lo.

Está tudo resolvido.

Outra vantagem dele é o acúmulo de milhas.

As milhas são importantes para quem viaja muito ou para quem quer viajar muito.

Funciona assim: Em cada passagem aérea que você compra com seu cartão de crédito é disponibilidade uma quantidade de milha.

Essa milha se duplica e gera outra igual em uma conta adjacente.

Com o tempo, as somas dessas milhas podem gerar um novo bilhete para você.

Assim, você ganha uma passagem aérea. Ou, então, pode obter descontos, da mesma forma.

Mas, é claro, não é porque você pode acumular milha que vai usar o cartão de crédito toda hora.

Ele tem que ser apenas uma consequência do seu planejamento financeiro.

Em resumo, listamos três, dos principais pontos positivos. São eles:

1. A facilidade do poder de compra,
2. O acúmulo de milhas e
3. As comprar facilitadas pela internet.

Esses pontos realmente tornam o cartão de crédito o nosso amigo.

Mas, saibam vocês que esse mesmo cartão de crédito é uma das principais causadoras de dívidas do nosso país?

2 – Fuja dos Empréstimos dos Bancos

Tempo 3:55 / Mais de 12 mil visualizações

Sabe qual foi o lucro dos 3 maiores bancos – Bradesco, Itaú e Santander – no último ano?

Chuta! Fala pra mim, quanto? Quase 100 bilhões de reais!

Sabe por que eles tiveram esse lucro?

Pois é pessoal, um lucro de 100 bilhões de reais somando o Bradesco, o Santander e o Itaú!

O que acontece quando você paga juros?

Você enriquece o banco.

Como eu falei aqui, no vídeo anterior, sobre o pensamento das pessoas ricas.

É super importante!

O pior pensamento que tem é o pensamento pobre!

Pensamento pobre é você viver em função do que os outros pensam.

E quando acontece isso, o seu gasto acaba sendo maior do que o seu ganho.

E aí falta dinheiro no final do mês!

E aí você tem que pagar juros!

Se você vai pagar juros, você vai fazer o que? Vai pegar dinheiro emprestado dos bancos.

E quando você pega dinheiro emprestado dos bancos, quem você acha que está enriquecendo?

Você tem 100 bilhões na sua conta? Não tem né?

Então, preste atenção!

Se você quer ficar rico, evite fazer empréstimo financeiro!

3 – Controle Financeiro Pessoal de Forma Simples e Eficaz

Tempo 6:14 / Mais de 29 mil visualizações

Então, vamos usar outro método: o método do envelope. É como fazer uma planilha de gastos mensais, só que com envelopes.

Começa assim: vá até uma papelaria e compre envelopes de carta.

Você vai separar um envelope para cada gasto.

E mesmo que cada pessoa tenha um tipo de gasto, eu separei alguns itens que a maioria tem:

– Envelope Educação.

Se você paga faculdade ou escola para seus filhos. Escreva educação nele e coloque o valor que você acha que gasta.

– Envelope Plano de Saúde. 

Escreva Plano de Saúde nele e coloque o valor que você paga no mês.

Estes dois envelopes são bastante simples, já que estamos falando de um valor que, normalmente, não vai mudar. Salvo os ajustes anuais.

O problema são os outros, aqueles não fixos. Como, por exemplo:

– Envelope Supermercado. 

Aqui estão inclusos alimentação, guloseimas, produto de limpeza, outros.

O segredo é você pegar os recibos do mercado e colocar tudo dentro dele. Mas, antes de fazer isso, coloque no envelope o quanto você acha que gastará com o supermercado no mês.

“Trovó, eu acho que eu vou gastar no mercado por mês uns 500 reais”.

Aí, cada vez que você for ao mercado, você guarda os comprovantes e soma.

Você terá uma surpresa que, muito provavelmente, será desagradável, pois o valor que você estimou é menor que o valor que você gastou.

Vamos supor que aqui você achou que gastaria 500 reais, mas gastou 800 reais.

Se você não colocasse os comprovantes de mercado no envelope você não teria esse controle financeiro pessoal.

Faça a mesma coisa para o carro, incluindo financiamento, manutenção, IPVA e seguro.

Enfim, faça para todos os gastos.

Mas, atenção!

Você não pode misturar os comprovantes.

Por exemplo, se você foi comer fora, ao cinema ou viajar, deve colocar esses comprovantes no envelope de Passeio.

Veja essas outras ideias de envelopes:

– Envelope Casa. 

Inclui aluguel, telefone, água, luz, internet, imposto.

– Envelope Compras. 

Inclui celular, roupas, sapatos e outros.

Para ficar fácil aqui é só ver todas as mercadorias que não entram no envelope supermercado.

– Envelope Dívidas.

Se você estiver endividado vai precisar desse envelope e o ideal é que com o tempo esse envelope não exista mais.

Aliás, no mercado financeiro não há nada tão ruim quanto pagar as dívidas.

Resumo da aula

Em cada envelope você vai escrever nele a palavra chave e também o valor que você acha que gastará.

Depois, inserir dentro deles os comprovantes, sem misturar.

“Trovó, eu gastei 300 reais no mecânico do carro e vou colocar no envelope de compras”.

Não! Você vai colocar no envelope Carro.

No final, soma os comprovantes e compara com quanto você achou que gastaria.

É a partir daqui você começa a perceber qual é o seu gargalo e onde você está gastando mais.

Assim, vai ficar fácil de controlar suas finanças.

Vamos supor que nesse mês você perceba que o Supermercado está comendo suas finanças.

Basta focar e começar a controlar especificamente esse envelope.

E assim por diante!

4 – Aprenda a Poupar 10% do Salário – Hora de Receber Juros

Tempo 6:20 / Mais de 21 mil visualizações

Antes, vamos retomar: você aprendeu como sair das dívidas e está conseguindo poupar dinheiro, certo?

Então, agora você vai começar a receber juros!

Ontem recebi um e-mail de uma pessoa que estava inscrita no nosso canal. Ela disse:

“Trovó, está top demais. Estou conseguindo poupar dinheiro e já tenho, mais ou menos, 3 mil reais na Poupança. Estou começando a receber juros. Isso não é legal?”

Pelo amor de Deus, nãããããão! Poupança, não! Essa não é a melhor opção de investimento e não está entre os melhores investimentos do Brasil.

Você acha que está recebendo juros na poupança? Vou mostrar para vocês que não!

Hoje, mais de 100 milhões de brasileiros tem dinheiro guardado na poupança. É muita gente!

Se somar este valor, dá, mais ou menos, 650 bilhões de reais na poupança.

E porque que as pessoas insistem em investir na poupança?

Por falta de conhecimento ou porque não estão assistindo este vídeo aqui e acompanhando este conteúdo.

Também porque não tiveram Educação Financeira Pessoal quando eram crianças ou não souberem fazer adequadamente um planejamento financeiro.

https://youtu.be/tXfddhCV5mA

5 – 3 Comportamentos que Te Levam à Falência

Tempo 3:33 / Mais de 17 mil visualizações

“Fechar no vermelho!”. Essa é a frase que melhor representa a minha primeira dica: o dinheiro que você ganha é menor do que o dinheiro que você gasta?

Então, você está caminhando para a pobreza porque logo vai precisar fazer um empréstimo. É a falta de controle.

Outra dica refere-se ao juro abusivo.

Você já deve ter usado um simulador de poupança para saber quanto o seu dinheiro pode gerar de lucro, mas já se perguntou quanto é o valor de juros do seu tão famoso cartão de crédito?

Os juros que você recebe nunca vão ser maiores que os juros que você paga!

O último comportamento te leva mesmo para as ruínas. Isso porque as maiores dívidas que você acaba fazendo é por viver em função do que os outros pensam.

E aí, quando você estiver com a dívida lá em cima, essas pessoas não vão te ajudar. Aí você vai dizer: “será que valeu a pena?”.

Nesse nosso vídeo eu mostro que para além de buscar conhecimento sobre os fundos de investimentos, saber como aplicar o dinheiro e onde investir, você também precisa estar atento às dicas e, simplesmente, não entrar em estado de falência.

6 – 3 Coisas que São Dívidas e Ninguém Considera

Tempo 5:42 / Mais de 14 mil visualizações

1 – Financiamento de Casa

É dívida ou não?

O critério de dívida é o seguinte: dívida é quando você caminha para a pobreza.

E você caminha para a pobreza quando paga juros.

Você paga juros, normalmente, quando faz um empréstimo.

Então, podemos concluir que o financiamento de uma casa é um pagamento de empréstimo, que gera juros para você, então, sim, é uma dívida.

Fato diferente de quando você faz um investimento, que você recebe juros.

E essa é a melhor dica para ficar rico!

Para ficar rico é preciso saber onde investir.

E temos alternativas para aumentar seu patrimônio: Tesouro Direto, LCI, LCA, etc.

Vamos voltar ao financiamento:

“Mas, quando eu terminar de pagar a minha casa, ela estará super valorizada”.

Essa valorização que você diz, acontecerá daqui a três décadas.

E eu estou falando do agora: você está pagando juros?

Então você tem uma dívida e não um investimento.

“Mas a casa é minha”.

E eu lhes digo: não!

A casa só será sua quando você terminar de pagá-la.

Se em 30 anos, você não conseguir pagar, a casa não será sua!

Enquanto isso, ela é do banco.

“Então, compensa mais eu viver pagando aluguel”?

Esse é um assunto ótimo, mas que reservamos para o próximo vídeo.

Porém, vou adiantar o seguinte: se os juros que você recebe do seu investimento for suficiente para pagar o aluguel, então, a resposta é: compensa pagar o aluguel.

“Mas, a única opção que tenho é financiar uma casa”.

Bom, nesse caso eu tenho uma regrinha de ouro para vocês: saiba qual é o valor da casa que você pode financiar!

Como?

Segue um exemplo: você recebe um salário mensal de 3 mil reais. Ok?

Você vai pegar esses 3 mil reais e multiplicar por 12 meses, o que vai dar em 36 mil reais por ano.

Esse é o seu salário anual, que quando multiplicado por 3, resulta em 100 mil reais, aproximadamente.

Esse é o resultado: 100 mil reais é o valor máximo para você financiar uma casa.

Se for acima disso, você vai caminhar para a pobreza e entrar em ruína financeira.

2 – Financiamento de Carro

Ficou fácil: Você está pagando juros ou recebendo juros?

Então, você já pode considerar esse financiamento como uma dívida.

“Como eu vou comprar um carro à vista”?

Saiba que é possível. E vamos falar disso em uma próxima oportunidade!

3 – Fatura mínima do cartão de crédito

Esse é o grande vilão.

E já vou avisando: seu cartão de crédito não é salário!

E nem complemento do salário.

O cartão de crédito pode até facilitar a sua vida e parcelar as suas compras, mas olhem só: pagando a parcela mínima, você está pagando juros.

Você está falando assim para o banco: “Eu quero pagar juros!”.

Saiba que o cartão de crédito é legal sim, mas só quando você quita o valor integral porque aí você não paga juros!

E por que é bom?

Porque você pode comprar parcelado e ganhar milhas, além de outras bonificações.

Então, é o seguinte:

Se você está pagando juros, você está enriquecendo alguém e se está enriquecendo alguém, você está caminhando para a pobreza.

Se o objetivo é enriquecer você próprio, você tem que receber juros.

A partir de agora, então, vamos focar no jeito certo: com estratégias corretas e agindo com a razão para você ficar buscar equilíbrio financeiro.

7 – Carro Próprio, Uber ou Aluguel de Carro – O que Compensa Mais?

Tempo 6:20 / Mais de 21 mil visualizações

Se o seu trabalho fica acima de 5 quilômetros da sua casa e você mora em uma capital, aí compensa um Uber.

Até, mais ou menos, 20 km de distância, o Uber é mais vantajoso. Por ano, você vai gastar por volta de 16 mil reais.

Se você tiver um carro e tiver que andar menos de 20 quilômetro, vai te custar 19 mil reais por ano, considerando os valores do IPVA, Seguro, Depreciação do carro, etc.

Nessa conta aí eu considerei mais ou menos 10 km por litro, que é o que um carro gasta com combustível.

Entenda como Foram Feitas essas Contas… Tudo está bem explicadinho no vídeo abaixo:

8 – Comprou um Veículo? Saiba Quais são os Gastos

Tempo 4:48 / Mais de 10 mil visualizações

1 – Qual o valor do veículo que será financiado?

A regra é a seguinte: pegue o valor do seu salário mensal e multiplique por 6.

O resultado é o valor máximo do carro que você poderá financiar.

Exemplo: um salário de 3,3 mil reais multiplicado por 6 vai dar um valor médio de 20 mil reais.

“Mas Trovó, quero um carro que custa 50 mil reais”.

Dê um jeito de melhorar o seu salário e aí você poderá comprar um carro de 50 mil reais.

Se você conseguir o equilíbrio financeiro com base nesses valores, você vai financiar o seu carro por pouco tempo e assim pagará menos juros.

2 – Gastos anuais com seu veículo

“Trovó, eu gasto mais ou menos uns 300 reais no mecânico. Pneu quase não precisa trocar mesmo”.

Não é assim que se faz um planejamento.

Aliás, as pessoas se endividam justamente por não contar com aquele gasto extra, o que gera um empréstimo.

E pegou empréstimo, pagou juros.

Pagou juros, caminhou para a pobreza.

Vamos á regra: seu gasto anual com o carro é, em média, 12,5% o valor do automóvel.

Lembre-se que vai entrar IPVA, seguro e manutenção.

No exemplo acima, com uma pessoa que recebe salário de 3,3 mil reais e que tem um carro de 20 mil reais, os 12,5% dará, em média, 2,4 mil reais.

Seu gasto anual com o veículo será de 2,4 mil reais.

Então, pegue esse valor e já deixa reservado para não ter surpresas.

3 – Depreciação

Esse é o mais importante!

Vamos relembrar o que é a depreciação: a cada ano que passa, o seu carro desvaloriza em média 10%.

Então, olha que interessante, se você comprar um carro que esteja em um valor muito acima dos 6 meses de salário e você não considerar os gastos anuais, você vai entrar em um ciclo vicioso de dívidas.

9 – Comprar Casa é para Otário?

Tempo 10:21 / Mais de 109 mil visualizações

Para que você possa ter essa resposta, você vai precisar entender algumas coisas, comparar algumas coisas. A gente vai criar uma linha de pensamento e no final do vídeo a gente vai comparar, de formas numéricas, o que vale mais a pena.

Primeiro: vantagens da casa!

Você compra uma casa própria, é a realização pessoal. Porque se você tem uma casa própria passa a sensação de bem-estar.

Outra vantagem é a estabilidade, a tranquilidade e saber que a casa é sua.

Outra vantagem: existe a possibilidade de valorizar o seu patrimônio.

Outra vantagem: hoje em dia, os imóveis hoje estão muito baratos em comparação a 1 ano e meio atrás.

Desvantagem de ter a casa: falta de liquidez, ou seja, se você precisar do dinheiro, você não consegue vender a casa em num passe de mágica, não.

Outra desvantagem: você vai ficar preso naquele bairro.

Outro problema: corre o risco de você não conseguir honrar com as parcelas do financiamento. “Ah, quando eu estou pagando aluguel, eu estou pagando algo que não é meu e o imóvel eu estou pagando algo que é meu”. O imóvel só vai ser seu quando você quitar o financiamento.

E agora a gente vai falar sobre o aluguel! Qual é a vantagem do aluguel? 

Primeiro: o gasto do aluguel é menor. Para vocês terem uma ideia, um imóvel que custa mais ou menos 300 mil reais, para financiar costuma cobrar 1% do valor do imóvel, então, a parcela seria de 3 mil reais por mês.

Para você morar no mesmo imóvel de 300 mil, o aluguel é cobrado 0,5% do valor do imóvel, então, é 1,5 mil reais.

Outra vantagem: você ter dinheiro em mãos se você precisar do seu dinheiro. Ele não vai estar empatado no imóvel. Você tem liquidez!

Outra vantagem: você fala: “Meu Deus do Céu, subiram um prédio. O vizinho que mora aqui do lado é barraqueiro, barulhento, Rock and Roll, sei lá o que”. Você enjoou, então, você muda.

Só que também tem desvantagens, tá?

Primeiro: você está pagando por algo que não é seu. Financiamento também só vai ser seu ao final dos 30 anos. Você vai reformar a casa que você está alugando? Você está reformando uma casa que não é sua!

Outra desvantagem: aluguel tem reajuste anual. Geralmente é pelo IGPM e vai acompanhar uma taxa de inflação, tudo bem?

Outro motivo: tem instabilidade! Se o dono da casa falar assim, por algum motivo: “Ah Trovó, estou precisando da minha casa”.

Aí você precisa cair fora. Ele praticamente chuta a minha bunda. Você tem que trocar de casa!

Outra desvantagem: se você não tiver um fiador, vai precisar de um auxílio fiança. Vai precisar desembolsar mais para que a imobiliária possa liberar para você, tá?

Essas são as vantagens de morar na casa e a desvantagens de morar na casa própria. As vantagens de morar de aluguel e desvantagens de morar de aluguel.

Conhecendo isso, agora vamos para os números, levando em consideração que eu já posso adiantar para vocês: se você é solteiro e não tem filhos, não compensa, nesse momento, você entrar em um financiamento, tá? Não compensa, o que compensa é você estar alugando!

Assista na Íntegra para Saber Mais:

Da Redação

ANÚNCIO