Guia Rápido para Desempregados – Como Manter a Vida Financeira Equilibrada

ANÚNCIO

No início desse ano, a soma de brasileiros desempregados era de quase 13 milhões, conforme informações do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

“Sempre afirmo que é com tomos que aprendemos a andar. Assim, é hora de buscar uma reestruturação financeira para atravessar este período e estar, posteriormente, prevenido para o imprevisto”, diz Reinaldo Domingos, do Dsop Educação Financeira.

ANÚNCIO

No Final do Artigo teremos um Bônus Muito Especial – Dicas para Conseguir Voltar ao Mercado de Trabalho!

“No atual cenário, as empresas estão passando por uma série de dificuldades e reajustando seus custos. Nesse ajuste, os funcionários correm o risco de serem mandados embora”, diz o professor da IBE-FGV e doutor em finanças, Márcio Barros Souza.

Souza afirma que quem tem Carteira de Trabalho tem todos os direitos garantidos por lei, porém, nunca se deve depender apenas da rescisão – o certo é ter muita preparação e organização das finanças pessoais para nunca ser pego de surpreso.

ANÚNCIO

“Conhecer sua Realidade Financeira é Essencial”, lembra Thais Linero, especialista em finanças. “É importante ver o que realmente importa e o que traz qualidade de vida”.

Confira algumas dicas para não se desesperar caso perca o emprego. Lembre-se que o objetivo desse artigo é conseguir mostrar como é possível manter a vida financeira equilibrada.

FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço

Em caso de demissão, todo trabalhador tem direito ao FGTS e mais 40% da multa rescisória paga pela empresa. Isso se soma também ao seguro-desemprego, que varia de tempo conforme o profissional.

Para Souza, o dinheiro pode ser usado para “segurar as pontas” e quitar as dívidas de forma urgente – porém, nada garante a estabilidade por muito tempo.

“O Fundo de Garantia normalmente é equivalente a um ano de trabalho. Se seu salário mensal é de 5 mil reais e você trabalhou por 10 anos, serão 50 mil somados. Somado com os 40% da multa, pode chegar à 70 mil reais, o que equivale a 15 meses de salário”, explica.

Mas, o mesmo especialista alerta – a teoria nem sempre é a mesma que a prática.

“O recomendável é usar a quantia para liquidar as dívidas e, fazendo isso, você se livra das contas, mas já perde alguns meses de vantagem”.

Reserva de Emergência

“Tenha um planejamento financeiro para segurar as pontas por, no mínimo, 12 meses”, diz Souza.

“O máximo que pode acontecer quando essa instabilidade econômica tiver acabado ou caso apareça logo outro emprego é que haverá um dinheiro extra para emergências ou para algum investimento financeiro”.

Ele também fala que o segredo é encontrar um método de controle com o qual se adapte melhor, seja por uma planilha de excel ou um aplicativo para celular que lembre de anotar os gastos.

Mas, para que servirá a Reserva de Emergência?

“É um dinheiro que serve para dar uma tranquilidade até que a pessoa consiga se recolocar num patamar próximo ao do emprego anterior”, afirma Linero.

Para isso, recomenda-se investir dinheiro em ativos como CDBs (certificados de depósitos bancários), Tesouro Selic e Fundos DI – sempre levando em conta a liquidez diária.

Guia Rápido para Desempregados - Como Manter a Vida Financeira Equilibrada
Reprodução: Google

Gastos Excessivos

“Esse é um bom momento para conseguir analisar se está gastando demais” recomenda o especialista, que fala que após começar a criar a Reserva de Emergência já é necessário pensar no corte dos gastos excessivos.

A ideia é anotar todos os gastos e encontrar os excessos em cada mês. A partir daí, passa-se a eliminar cada um, mês a mês.

“A facilidade de uma compra parcelada acaba virando uma dívida para lidar por muitos meses. Assim, o cartão de crédito acaba sendo um veneno para esse planejamento financeiro”.

Ao mesmo tempo, o consumidor vai notar quais são os gastos necessários e fundamentais para a vida e que devem ser constados em “gastos fixos mensais”.

“Planejamento Financeiro não é simplesmente cortar gastos, mas focar em prioridades”, diz Linero.

“Sempre há um reajuste que pode ser feito. Desde o descarte daquele produto desnecessário que compra no supermercado até a escolha da escola com mensalidade mais barata que tem a mesma qualidade de ensino para o filho”.

Como Separar os Tipos de Gastos?

“Em momentos como esse, tudo o que puder economizar, melhor”, garante outro especialista, Erasmo Vieira, da Planilhar.

Assim, você pode separar os seus gastos da seguinte forma… Leia.

Básicos

São as despesas primordiais para a sobrevivência e a segurança.

Exemplos: supermercado, luz, água, aluguel, condomínio…

São aquelas despesas que aparecem todos os meses e ainda que podem ser reduzidas, dificilmente poderá ser cortada.

Conforto

São aquelas despesas que possuem alternativas mais baratas e podemos escolher essas opções para reduzir custos.

Exemplos: TV a cabo, Carro, Convênio Médico, Escola do Filho…

A ideia principal é diminuir as despesas que refletem em uma queda direta no padrão de vida, mas trazem conforto imediato.

Luxo

São aqueles gastos que podemos fazer de formas pontual para trazer uma satisfação imediata.

Por exemplo: viagens, jantar fora, presentes, compras pessoais, lazer… outros.

O objetivo tem que ser cortar os custos que não trazem conforto imediato e podem ser facilmente suportado por um período, como esse.

Quite as Dívidas Financeiras

Quitar todas as dívidas é o grande segredo, apesar de ser uma decisão muito difícil, diz Souza. Essa é a melhor forma de aproveitar a rescisão do contrato trabalhista.

“Enquanto existirem dívidas pendentes, o dinheiro que está entrando por seus meses de trabalho deve ser direcionado para os gastos necessários e os pagamentos das contas, começando pelas mais caras”.

A partir daí, em um momento de instabilidade, não é propício fazer novas compras, com prestações altas, caras e no longo prazo, principalmente quando falamos em financiamentos ou empréstimos.

Para outro consultor, Domingos, sobre quitar as dívidas, é preciso ter muito cuidado para “que isso não seja um erro”. Ele diz que se as parcelas forem muitas ou muito altas, a pessoa ficará sob risco de ficar sem receita para cobrir gastos futuros.

“O ideal é buscar o planejamento financeiro adequado à sua situação em relação ao dinheiro que será liberado antes de adotar qualquer medida”.

Cuidado com Exploradores

A ideia de buscar os credores para renegociar as dívidas é importante, diz Domingos. “É importante mostrar que não quer se tornar inadimplente, mas que também não tem condições de pagamento imediato”.

Mas, ele mesmo diz que é preciso tomar muito cuidado com oportunidades e exploradores do mercado financeiro.

“Não permita abusos. Muitos tentarão tirar proveito da sua fraqueza para tentar obter vantagens. Evite promessas e garantias descabidas”.

Guia Rápido para Desempregados

Se você foi demitido, portanto, precisa levar em conta os seguintes pontos, confira!

Para quem Está Endividado…

Use o Dinheiro da indenização para quitar as dívidas com juros mais altos, como o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito.

Para quem Não tem Dívidas…

Com base nos meses anteriores, liste todas as despesas pessoas e familiares e faça uma fotografia detalhada dos gastos planejando a nova fase – a dica é usar planilhas ou envelopes.

Sobre Despesas…

Avalie o cancelamento de serviços e produtos. Substitua despesas que não afetem a qualidade de vida. Refaça a lista de despesas e o orçamento terá que ser mais enxuto para a nova realidade financeira.

Sobre a Indenização e o Seguro-Desemprego…

Se você não tem reserva de emergência, comece com uma. Invista dinheiro em aplicações financeiras pós-fixadas que possam ser resgatadas a qualquer momento – liquidez diária. O ideal é ter o equivalente entre 6 e 12 meses de renda mensal atual.

Se você já tem uma Reserva de Emergência…

Mas não acumulou o suficiente para um ano de gastos, engorde o seu colchão financeiro. Enquanto isso encontre novas fontes de renda.

Sobre Usar os Recursos Poupados…

O resgate tem que ser que mensal com a quantia necessária para as despejas já planejadas. Evite fazer saques diários para não extrapolar o orçamento financeiro. Sempre faça compras à vistas e evite os parcelamentos.

Sobre o Mercado de Trabalho…

O objetivo deve ser buscar, o mais rápido possível, a recolocação no mercado de trabalho. “Lembre-se que as oportunidades geralmente aparecem para quem está atrás dela. Esqueça o desânimo, levante a cabeça e olhe para o futuro”, diz Domingos.

Guia Rápido para Desempregados - Como Manter a Vida Financeira Equilibrada
Reprodução: Google

Bônus Especial: Dicas para Conseguir Voltar ao Mercado de Trabalho

Roberto Shinyashiki é autor de livros e especialista no assunto de recolocação no mercado de trabalho. Ele listou algumas dicas muito simples para conseguir voltar ao mercado profissional – focado nas pessoas que perderam o emprego devido à crise econômica.

Humidade

É fundamental ter humildade, ele diz.

“Nesse mundo onde vivemos, com tantos amigos desempregados, a tendência é cuidar dos que precisam voltar ao mercado de trabalho. A minha dica é: peça ajuda com humildade e fale que realmente precisa da indicação”.

Foco no Futuro

Um dos erros é fazer o currículo focado no futuro. “Prepare algo bem diferenciado, estude a empresa para a qual vai enviar o currículo e mostre que tem todas as competências para preencher a vaga que está em aberto”.

O importante é conseguir mostrar a capacidade em contribuir com a evolução da empresa e de realizar metas, esquecendo os próprios problemas, quando necessário.

Seja Digital

“Na minha visão, os profissionais mais experientes, na maioria das vezes, cometem uma falha que eu considero crucial quando falam que os mais jovens não tem conteúdo, tampouco atitudes. Isso não é verdade”, diz o especialista.

Para ele, o analfabetismo digital é um grande fator de exclusão e os profissionais mais experientes precisam assumir uma postura mais digital. “Não dá para ser analógico. Crie alternativas que superam os obstáculos. Chegue aonde você quer chegar”.

O Fim da Carteira Assinada

Com esse viés citado acima, vamos nos voltar agora à outra notícia. A Virgin América Inc. é uma indústria de aviação americana que entrega muito serviços, tais como entrega de bagagens, manutenção pesada, reservas e serviços de alimentação à bordo à prestadores de serviços e não aos seus funcionários, como é de praxe.

“Vamos terceirizar todos os trabalhos possíveis que não sejam voltados para o cliente”, disse David Cush, diretor da companhia aérea.

EMPREENDEDORISMO: 8 TENDÊNCIAS DO MERCADO E 3 HISTÓRIAS SURPREENDENTES DE COMO GANHAR DINHEIRO

Esse é só um reflexo de como as empresas americanas estão fazendo de tudo para empregar menos pessoas possíveis. E esse modelo de prestador de serviço é tão prevalente que a Alphabet Inc, controladora do Google, é considerada como o melhor lugar para se trabalhar nos EUA há 7 anos pela revista Fortune.

“Eu ainda não conheci um presidente de empresa que não se surpreenda com o número de pessoas que tocam seus produtos e não são seus próprios funcionários”, afirma Carl Camden, da agência de recrutamento Kelly Services.

Steven Berkenfeld, do banco de investimento, afirma que as empresas de todos os tipos e tamanhos estão cada vez mais pensando assim:

“Posso automatizar? Se não, posso terceirizar? Se não, posso passar a tarefa a um prestador de serviços ou freelancer?”. A contratação de um funcionário é o último recurso, diz Berkenfeld.

A Ascensão das Franquias

Novos empreendedores têm optado, cada vez mais, por franquias, já que elas se tornaram boas alternativas de investimento em ramos que tem muitas variedades de negócios.

Assim, é possível ir em paralelo com o que dizemos no início do texto, sobre trabalhar com otimismo.

Por exemplo, mesmo com a crise financeira, existem setores que são resistentes e aparecem como favoritos no ramo das franquias. Tal qual pode ser comentada é o setor de beleza e estética, que tem apresentado crescimento elevado nos últimos anos.

O mesmo vale para o setor de serviços, o qual falamos no tópico acima, que tem baixo investimento inicial e oferece diversas opções de trabalho.

HOME OFFICE: UMA NOVA FORMA DE FAZER NEGÓCIOS

O setor de PET está mais em alta do que nunca. As franquias virtuais, tais como as focadas em Marketing Digital, também. São setores com grandes potenciais.

Com informações do G1, Folha S. Paulo

ANÚNCIO