Tesouro poderá fazer leilões extras e inflação deve permanecer estável

ANÚNCIO

A semana começou agitada no mercado financeiro com a divulgação de previsões e medidas do Tesouro Nacional e do Banco Central. E para você rever o seu planejamento financeiro pessoal com segurança, selecionamos as informações em tópicos.

Banco Central já havia tranquilizado os agentes do mercado financeiro com foco em swaps, mas as publicações de ontem (21) prometem acalmar ainda mais o mercado. Leiam:

ANÚNCIO

Tesouro Nacional

Mais uma notícia referente ao Efeito Trump: O Tesouro Nacional comunicou ontem (21) que continuará monitorando as condições de mercado para garantir o bom funcionamento do mercado de títulos públicos e de outros mercados correlatos.

A instituição ainda disse que, com a volatilidade do mercado, poderá realizar leilões extraordinários de compra de títulos públicos com o objetivo de fornecer suporte ao bom funcionamento do mercado.

Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos

ANÚNCIO

Na semana passada já foi realizada um programa de leilões extraordinários de compras de Notas do Tesouro Nacional – Série F, que um papel prefixado, com correção determinada no momento do leilão, com pagamento de juros semestrais. Ao todo, o governo recomprou 1,05 bilhão de reais em títulos que venceriam entre 2012 e 2027.

Conheça também o Tesouro Direto!

Segundo o site da Fazenda, o Tesouro Direto é a oportunidade que o Tesouro Nacional abre para você ter a rentabilidade de grandes investidores, a partir de 30 reais. Justamente por isso é considerado o ativo com menor risco em uma economia.

Quando você aplica no Tesouro Direto você está emprestando seu dinheiro para o Governo. Em troca, você recebe juros. Portanto, ele é diferente de outros investimentos de Renda Fixa, como o CDB (Certificado de Depósito Bancário), do LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) que são emitidos pelos bancos (Lembrando que você deve Fugir dos Empréstimos dos Bancos).

E, falando em Rendas Fixas, vejam essa notícia quentinha que publicamos ontem (21): Goldman Sachs recomenda o Brasil nas Rendas Fixas e Ações para 2017.

Inflação

Na semana passada o Banco Central coletou as expectativas do mercado com informações de mais de 100 instituições financeiras. E o resultado foi publicado ontem (21) por meio de um relatório, também chamado de Focus. Os resultados são:

Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) deste ano recuou de 6,84% para 6,80% na semana passada. Ainda assim, continua acima do teto de 6,5% do sistema de metas de inflação. E também continua distante do objetivo para 2016, que é de inflação de 4,5%.

Para o próximo ano, a previsão é que a inflação permaneça estável em 4,93%. O índice está abaixo do teto de 6% para o IPCA, fixado para o ano que vem, mas ainda acima da meta central.

No relatório, o BC informou que busca “circunscrever” o IPCA aos limites estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 2016 e fazer convergir a inflação para a meta central de 4,5% em 2017.

PIB (Produto Interno Bruto)

O PIB é a soma dos bens e serviços do país, independente da nacionalidade de quem o produz, e serve para medir o comportamento da economia brasileira.

Ainda para este ano, o mercado prevê um PIB encolhido para 3,40%. Em outra pesquisa, feita na semana retrasada, a previsão era de queda de 3,37%. O que quer dizer que essa é a primeira vez que o país registra 2 anos seguidos de retração no nível da atividade.

Para 2017, os economistas preveem uma alta de 1% no PIB, valor que antes eram de 1,13%.

Taxa Selic

A Taxa Básica de Juros – ou Taxa Selic – é o principal instrumento do Banco Central para conter as pressões inflacionárias. Quanto mais altas as taxas, maior a redução do consumo e do crédito, o que acaba por controlar os preços.

Reprodução: Google
Reprodução: Google

A Taxa de Juros no fim desse ano é de 13,75%. Atualmente, os juros estão em 14% ao ano e com isso, a estimativa do mercado é de mais um corte nos juros.

Para 2017, a estimativa está estável em 10,75% ao ano, o que pressupõe mais corte dos juros no ano que vem.

Câmbio

A projeção do mercado para a taxa de câmbio para este ano subiu de 3,22 reais para 3,3 reais. Já para 2017, a previsão do dólar ficou estável em 3,4 reais.

Para a Balança Comercial, o resultado recuou de US$ 47,6 bilhões para US$ 47,4 bilhões de resultado positivo. Para 2017, a previsão é de superávit em US$ 45 bilhões.

Já quanto aos investimentos estrangeiros, a previsão para 2016 é de US$ 65 bilhões, e para 2017, ficou em US$ 70 bilhões. Esses valores se mantiveram conforme última pesquisa.

Você já ouviu falar em Letra de Câmbio?

A letra de câmbio é uma espécie de título de crédito, ou seja, representa uma obrigação pecuniária, sendo desta autônoma.

A emissão da letra de câmbio é denominada saque; por meio dele, o sacador (quem emite o título), expede uma ordem de pagamento ao sacado (pessoa que deverá paga-la), que fica obrigado, havendo aceite, a pagar ao tomador (um credor específico), o valor determinado no título.

Da Redação

ANÚNCIO