Por que o Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro do país mesmo na Crise?

ANÚNCIO

Com o caos político acentuado nos últimos dias, provenientes principalmente das delações premiadas da Operação Lava-Jato, muitos investidores tem nota que alguns investimentos tiveram queda na renda, como, por exemplo, os fundos de investimentos. Para esse caso, a recomendação é não aplicar em fundos com altas taxas de administração.

Por outro lado, os títulos do Tesouro Nacional continuam sendo ótimas opções para resguardar os seus recursos e conseguir, até mesmo, aumentar o patrimônio. Mas, o que será que é o mais aconselhável a ser feito: investir tudo nesses títulos, diversificar, resgatar?

ANÚNCIO

Se você quer mesmo saber Como Ficam os Títulos Públicos nesse caos político e se vale ou não investir dinheiro neles… Vai precisar ler o artigo até o final.

Antes confira alguns…

Resultados recentes do Tesouro Direto

As emissões de novos títulos do Tesouro Direto somaram mais de 1,49 bilhão de reais em abril, enquanto os resgates foram de 871,4 milhões, conforme informação do Tesouro Nacional, divulgada no último dia 23.

ANÚNCIO

Os títulos mais requeridos no mês foram os indexados à inflação, como Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais, que tiveram participação de 46%.

Já o título indexado à Selic (o Tesouro Selic) correspondeu à 36,6% do total e os prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) representou 17,4% do todo.

No mês foram realizadas 109.633 operações de investimento no programa. “O valor médio por operação de investimento foi de 13.602,59 reais, sendo que a maior parte é relativa à aplicações de até 5 mil reais”.

Tesouro Direto volta a ser atraente para quem quer Ficar Rico sem Correr Riscos

Porém, por conta da volatilidade do mercado, as operações do Tesouro Direto ficaram suspensas por algumas horas, como aconteceu na sexta-feira (19) e segunda-feira (23).

Com isso, o estoque de títulos alcançou 44,6 bilhões de reais em abril, aumento de mais de 2% em relação à março e mais de 45% se comparado com abril do último ano.

  • Você sabe qual é a melhor Corretora para Investir Dinheiro no Tesouro Direto? É sério, quase ninguém sabe isso! A resposta você encontra no último tópico deste artigo!

Mas, como funciona o Tesouro Direto?

“O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BMF&FBovespa para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet.”

Investir no Tesouro Direto é uma boa opção para quem não tem muito dinheiro e para quem não correr riscos no mercado financeiro. Só que a recomendação é que os investidores façam isso apenas se estiver pensando no médio e longo prazo.

Quando opta por investir em títulos públicos, o investidor torna-se um credor, já que empresta dinheiro para o governo. Em troca, recebe juros.

Para fazer isso é muito simples: basta ter cadastro em uma instituição financeira (principalmente corretoras de investimentos) e no site do Tesouro Direto. Assim, o investidor recebe uma senha no e-mail e poderá começar a investir dinheiro no tesouro.

Como quase todos os fundos de investimentos, no Tesouro Direto também há a incidência do Imposto de Renda, que trabalha em um alíquota regressiva. Logo, quanto maior o período de aplicação, menor será o desconto no IR.

  • Saiba Mais: Em dezembro do último ano, o governo federal lançou um aplicativo oficial do Tesouro Direto, pelo qual é possível realizar as principais transações, como investimentos, resgates, agendamentos ou consultas de extratos.

Por que o Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro do país?

De forma história, a poupança é considerada o investimento mais seguro do país. Mas isso acontece devido à sua popularidade, simplicidade e visibilidade de retorno. No entanto, em época de crises, o investimento não é rentável.

Se você não entendeu, lembre-se do bloqueio que houve em março de 1990, quando o então presidente Fernando Collor utilizou uma estratégia heterodoxa para controlar a inflação que só crescia no Brasil e retirou de circulação todos os recursos da poupança.

A repercussão foi enorme e a estratégia não funcionou. Na verdade, isso só prejudicou a economia e gerou total insegurança de quem havia guardado suas economias no que era o investimento mais seguro do país.

Isso não vai mais acontecer, claro. Agora, temos na nossa constituição uma emenda que veda a edição de medidas provisórias que viabilizem o confisco da poupança, desde 2001.

Se não haverá mais congelamento das poupanças, ela volta a ser o investimento mais seguro do país? Não é bem assim!

O risco de crédito também existe e deve ser levado em consideração. Quando alocamos recursos na poupança, o risco de a instituição quebrar tem que ser levado em conta. Aí, o FGC entra e ação e garante um valor de até 250 mil reais para cada investidor.

Portanto, ainda que não seja dos maiores, há um risco em se investir na poupança.

Por outro lado, os títulos públicos aparecem como principal concorrente direto dela.

Eles são emitidos pelo Governo Federal, logo há garantias especiais, no que é chamado “Risco Soberano”, ou seja, o risco de um país quebrar é sempre muito pequeno. Logo, esse risco público é sempre muito menor do que o risco de crédito de uma instituição privada.

Por quê?

  1. O governo tem controle sobre a sua receita e pode aumentar os impostos, por exemplo;
  2. O governo pode emitir moeda para pagar a dívida, o que garante os pagamentos.

Logo, é notável que investir no tesouro direto é um investimento com risco muito baixo e eficaz, por isso, considerado o mais seguro do país.

Além do Tesouro Direto, existem outros investimentos em Renda Fixa que são considerados seguros e tem rentabilidades melhores do que a poupança. Entre eles, os CDBs, as Letras de Crédito, entre outros.

Fizemos um Guia Completo para você conhecer todo tipo de renda fixa, onde é possível ganhar dinheiro de forma segura. Baixe, é gratuito!

Como Não Perder Dinheiro Investimento em Títulos Públicos: Taxas e Custos

Se você leu um ou dois artigos aqui do Blog ou se viu algum vídeo do Trovó, já deve ter notado que não somos adeptos aos investimentos feitos pelos bancos.

Você não precisa confiar cegamente em nós, basta fazer uma breve pesquisa para ver como as taxas cobradas por eles são bem maiores do que as cobradas pelas corretoras, como mostramos no exemplo acima: entre o Banco do Brasil e XPi.

Isso, no entanto, é considerado “normal” já que os bancos, na verdade, não tem o interesse em estimular o seu investimento, vias de fato. Ainda mais no Tesouro Direto.

Porque eles querem lucrar com os fundos de investimentos, as previdências privadas e os planos de capitalização, que são mais vantajosos para eles.

Oras, se eles começarem a cobrar valores baixos para o Tesouro Direto, todos os clientes vão migrar desses fundos para o Tesouro, obviamente. Quer fazer um teste: Vá até o seu gerente e pergunte qual o melhor investimento para você… Ele nunca vai dizer que é o Tesouro Direto, mesmo que seja.

Por outro lado, ele vai te indicar os Fundos DI, Previdências e Capitalização. Nunca se esqueça que o seu gerente tem que bater metas, o que estimula a venda de produtos próprios, que, por fim, gera mais lucro para o banco.

Bom, visto isso, vamos às corretoras. Elas são totalmente diferentes dos bancos. Não vão te dar cartões de crédito, nem folhas de cheque. A sua conta corrente vai servir apenas para depositar o dinheiro que será utilizado para investimentos em quaisquer títulos.

Para finalizar esse assunto, fique atento às taxas: ambas vão cobrar e tem que especificar os valores dos serviços que são oferecidos. Um dos primeiros custos é quanto a transferência do dinheiro. Normalmente, isso acontece através de um DOC ou um TED bancário e os valores podem variar de 8,90 até 20 reais.

Obs. Viu como observar apenas a taxa de corretagem não é interessante. Oras, não adianta a corretora não cobrar, mas subir o preço nessa transferência, por exemplo.

Imagine você que toda vez que você que fazer um investimento de 1 mil reais, ter que pagar 0 reais de transferência. Logo, você já perdeu 1% do todo. Agora, se o seu investimento for baixo, por exemplo, 100 reais, então, essa taxa pode até torna-lo desvantajoso do ponto de vista financeiro.

No fim das contas, todo banco ou corretora que dá alguma vantagem de um lado, acaba tirando-a de outro. O importante é que você note isso e tenha atenção aos custos, levando em consideração, principalmente, os investimentos de pequenos valores.

Como Conseguir Acumular 270 mil reais no Tesouro Direto para a aposentadoria?

Imagina que a Pessoa 1 resolva fazer um investimento de 300 reais mensais na poupança durante os próximos 30 anos, pensando na aposentadoria. Agora, imagina que a pessoa 2 resolva fazer o mesmo, só que opta pelo Tesouro IPCA.

Ao final do período, o que temos?

  • A Pessoa 1 acumulou 108 mil reais, e
  • A Pessoa 2 tem 270 mil reais!

Com um mesmo valor investido e no mesmo prazo, uma pessoa tem 162 mil reais a mais do que a outra. É mais que o dobro. Isso é possível? É possível e acontece muito. No curto prazo, nem prestamos atenção porque, normalmente, os valores são baixos, mas, no longo prazo, tudo se torna mais visível, não é?

Ah, e antes que você diga algo, deixamos a pessoa 1 com 108 mil reais, que é o valor que ela gastou para investir porque, como sabemos, até o ano passado a poupança perdia para a inflação, logo, não houve rendimento nenhum. Então, vale comentar também que os valores aqui são ilustrativos, para que você tenha uma ideia geral do todo.

Mas, se quiser aprender como fazer a conta com exatidão, contando os centavos, faça o nosso curso online e gratuito. Lá, você vai aprender muito mais do que meras ilustrações!

WORKSHOP 100% ONLINE E GRATUITO: RISCO ZERO NOS INVESTIMENTOS

Como Ficam os Títulos Públicos nesse caos político?

“Quem já tem título, melhor manter. Vai sofrer um pouco, mas o ideal é não antecipar o resgate. Quem não tem, essa pode ser uma oportunidade de entrada”, diz Alexandre Cabral, economista e professor da FIA (Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo) e da Anbima (Associação Brasileira dos Mercados Financeiros e de Capitais).

Mesmo porque, como foi visto, a bolsa de valores precisou acionar o circuit breaker – que é quando o Ibovespa atinge 10% de queda e os negócios ficam suspensos por 30 minutos.

Isso aconteceu logo nos primeiros minutos de negociação após o áudio que foi divulgado entre o atual presidente, Michel Temer, em conversa com o presidente do Grupo JBS, Joesley Batista.

Assim, é totalmente compreensível a amostragem do receio dos investimentos quanto ao futuro das suas aplicações financeiras já feitas e ao questionamento sobre novos aportes, especialmente sobre o Tesouro Direto.

Assim, sendo o tesouro títulos que são oferecidos ao mercado para o financiamento da dívida pública brasileira, a taxa de retorno (rentabilidade) acompanha o seu risco. E, em épocas de instabilidade e incertezas econômicas esse risco aumenta.

Por que o Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro do país mesmo na Crise?

Para se ter uma ideia, no último dia 18, uma avaliação do Risco-Brasil, que é medida pelo CDS (Credit Default Swap) elevou-se em 33%.

“Quando compramos um título, estamos comprando um risco-país. No curto prazo tende a ter oscilação grande, o que é completamente diferente do cenário de longo prazo. Em 20 anos o Brasil vai continuar existindo. Não estamos em uma crise sem retorno, não somos a Grécia”, garantiu o sócio da Taiga Investimentos, Ricardo de Graaf.

Vale ou não investir dinheiro nos títulos públicos brasileiros?

Para a maior parte dos especialistas, não vale a pena investir em nenhuma renda fixa neste momento porque isso pode complicar ainda mais o processo de recuperação. Assim, que tinha títulos comprados, perderia o dinheiro se vendesse em algum desses últimos dias.

“O melhor é carregar esses títulos por um prazo maior, apesar da turbulência política e do atraso na recuperação econômica”, diz Juliano Custódio, assessor financeiro.

“Os títulos ligados a inflação e prefixados enxergamos como janela de oportunidade”, garante Ricardo Maia. “Eu não iria para os longos, como 2035 e 2055, que são mais arriscados”.

Você também pode investir com segurança, independente do investimento que escolha, mesmo no mercado de ações. O grande segredo é como você investe. Se você tem o interesse em saber como fazer isso, temos um workshop, inteiramente gratuito. Você pode acessar através do link ou fazer o envio do formulário ao final deste artigo.

Para Custódio, a redução na exposição de títulos prefixados e compra de títulos pós-fixados é recomendável. “Até uma semana atrás eu tinha 80% em IPCA+ e prefixados e estava reduzindo para 50%. Agora vamos reduzir essa exposição para 30% da carteira”.

Uma oportunidade que surge no horizonte, segundo Cabral, é quanto aos CDBs (Certificados de Depósito Bancários), de bancos médios, que também devem estar com boas rentabilidades.

“Vale o risco, considerando que ele tem FGC [Fundo Garantidor de Crédito]”, diz.

“Tem notícias como essa que não cabem em nenhum cálculo econométrico ou econômico. É por isso que falamos tanto sobre a importância da alocação de investimentos, de variar. Os clientes que estavam super felizes com bolsa estão vendo seu patrimônio derreter”, lamenta Juliano Custódio.

“Estamos literalmente no mesmo ambiente do impeachment da Dilma Rousseff, quando cada dia era um dia diferente”, lembra Cabral.

A recomendação final é de Ricardo Maia: “CDI é papel para dormir tranquilo para quem quer colocar a cabeça no travesseiro e nem quer saber do que está acontecendo”.

Como Investir Dinheiro no Tesouro Direto pensando na Aposentadoria

Pensar na Aposentadoria é o 1º passo para ter uma noite de sono tranquila. Ainda mais se notarmos o cenário atual, com as mudanças na Previdência. Depois, é preciso notar quais são as melhores opções de aplicações financeiras para esse fim.

E, acreditem, não são as previdências privadas e muito menos os títulos de capitalização dos bancos. Com isso, aparece o Tesouro Direto, que, sem dúvidas, é o melhor investimento para a aposentadoria para quem tem o perfil conservador.

Antes de falar do Tesouro, vamos só dizer alguns motivos pelos quais você NÃO deve apostar nas previdências privadas e nos fundos de pensão.

Essas opções são feitas pelos bancos que cobram altas taxas. Pronto, esta aí a resposta. É claro que você tem muita facilidade: basta colocar tudo no “piloto” automático que o próprio banco faz tudo.

Ele tira o seu dinheiro da conta corrente todos os meses e aplica na previdência. Ele faz a soma da rentabilidade, descontando as taxas. E pronto: você garante o seu futuro! Será?

É claro que não é bem assim que funciona. Tudo está certo aí em cima. Só que a principal questão é que você poderia ter um futuro muito melhor garantido, com muito mais dinheiro, se não precisasse pagar tantas taxas ao banco.

Como Fazer Isso?

Oras, o Tesouro Direto cobra APENAS 0,30% de taxa! E os bancos, variam, mas essas taxas podem chegar à 5%. Muita coisa, não? Acha que não faz diferença? Então, procure uma simulação aí, de 100 reais mensais, no prazo de 30 anos… Vai ver que tem muita diferença sim, senhor!

Ah, e tem um detalhe aqui… Ninguém gosta de falar disso e o assunto nem é divulgado. Trata-se, então, de um comentário informal, ok? Essas previdências injetam dinheiro ao banco e o banco, por sua vez, aplica o dinheiro nos títulos públicos.

Ou seja, em termos, ele apenas terceiriza o serviço. Sendo assim, por que você não investe dinheiro direto no Tesouro Direto?

Bom, se fizer isso pelos bancos, não vai compensar mesmo porque os bancos cobram taxas altas para isso. Ou seja, você já tem que pagar uma porcentagem de 0,30% à Bovespa e aí, o banco vem e te cobra mais 0,50%. Acha pouco? As corretoras costumam cobrar apenas 0,20%.

Então, se você optar por investir nos títulos públicos, que é uma das opções mais vantajosas que tem você tem que levar em conta a opção de conhecer o investimento via corretoras de investimentos.

Bom, para encerrar esse lado negativo, proporcionado pelos fundos de pensão, vamos dizer apenas que ao final da matéria teremos 3 notícias que mostram o grande problema que está sendo causado à essas pessoas, incluindo trabalhadores da Caixa Econômica Federal, Correios e Petrobras. Leia lá e entenda!

Como Investir Dinheiro no Tesouro Direto pensando na Aposentadoria

Qual a Melhor Corretora para Investir Dinheiro no Tesouro Direto? É sério, quase ninguém sabe isso!

Essa questão é bastante pessoal, já vamos dizendo. É como perguntarmos, qual o melhor banco para movimentar o seu dinheiro? Muitas pessoas vão dizer que é um, enquanto outras vão dizer que é outro.

O fato é que todos têm os seus benefícios e as suas desvantagens, então, caberá ao investidor escolher aquele que melhor lhe representa! Então, como saber qual é a Melhor Corretora de Investimentos para mim?

Bom, além do mais, focamos no Tesouro Direto porque, como você já sabe, se quiser comprar ou vender títulos públicos como o Tesouro Prefixado (LTN), o Tesouro Selic (LFT) ou o Tesouro IPCA+ (NTN-B), assim como qualquer outro, vai precisar abrir conta em uma Corretora, afinal, ela será a intermediária, chamada também de agente de custódia.

Se você ainda não notou, essas Corretoras de Investimentos são as mesmas que os investidores usam para investir na Bolsa de Valores!

Leia o texto até o final, vamos falar também sobre quais as melhores corretoras de investimentos conforme um relatório feito pela Proteste, a associação dos consumidores, que mostrou as que têm o melhor custo-benefício para investir online.

Qual a Melhor Corretora para Investir Dinheiro no Tesouro Direto? É sério, quase ninguém sabe isso!

Com informações do infomoney, G1 e finanças pessoais

ANÚNCIO