5 dúvidas sobre a taxa semestral do Tesouro Direto

PROPAGANDA

Ao investir dinheiro no Tesouro Direto muita gente tem dúvidas sobre algumas coisas. A gente está cansado de saber que o Tesouro é melhor do que a caderneta da poupança. Mas, diga aí: você sabe o que é e como funciona essa ideia da taxa semestral do Tesouro Direto?

Na verdade, a gente tem a cobrança de duas taxas.

PROPAGANDA

Sendo elas, uma taxa cobrada pelo agente de custódia, que é a corretora de valores ou banco intermediário que entre a pessoa física e o Tesouro Direto. A boa notícia é que várias instituições são taxa zero, isto é, não cobram por essa taxa.

Agora, a segunda taxa é cobrada pela B3, a Bolsa de Valores do Brasil e é referente aos serviços de guarda dos títulos e a movimentações dos saldos que se tem nesse tipo de investimento.

Até aqui ficou bem fácil entender, não é mesmo? Temos a taxa de custódia e a taxa da B3.

PROPAGANDA

Mas, toda vez que a gente fala da cobrança dessa taxa semestral de 0,25% ao ano paga à B3, nem todo mundo entende o que isso significa de verdade.

Por isso, criamos esse conteúdo, que é bem especial, bem simples e que vai tirar essa dúvida de muita gente. Aliás, nós separamos o assunto em 5 dúvidas comuns sobre a taxa. Acompanhe.

5 dúvidas sobre a taxa semestral do Tesouro Direto

1 – Quando acontece a cobrança da taxa semestral?

Como o nome sugere, dá para ver que ela é cobrada a cada 6 meses.

Mas, entenda que ela é provisionada diariamente, mas a cobrança é semestral.

E esse dia de pagamento acontece sempre no primeiro dia útil de janeiro e no mesmo dia do mês de julho.

2 – Como é que faz o pagamento da taxa semestral?

A primeira coisa sobre essa pergunta é a seguinte: fique tranquilo que você não vai ficar devendo para a Bolsa.

Isso porque você vai receber um e-mail da sua corretora ou do seu banco próximo às datas de pagamento da taxa.

Inclusive, com o valor que deve ser pago.

Aí, o que acontece é o seguinte: você tem que transferir o dinheiro para a conta da corretora e esse valor não é descontando do valor que você tem investido nos títulos.

Portanto, você tem que ter o dinheiro na conta da corretora.

Inclusive, em caso de ter o investimento em bancos, saiba que você pode entrar no cheque especial se tiver sem dinheiro por lá e o banco precisar pagar a taxa à B3.

3 – O que fazer se não receber e-mail para o pagamento?

Fique calmo novamente porque não é preciso criar pânico.

Geralmente, o e-mail vai chegar em algum momento próximo das datas de 1º de janeiro e de 1º julho.

Aí, o que é preciso saber, antes de tudo é que muita gente que acabou de investir (isto é, tem um investimento no Tesouro que é novo) não vai pagar a taxa.

Portanto, para quem é investidor novo não tem taxa, tá?

Isso porque só é cobrada a taxa quando o valor da taxa ultrapassar os R$ 10.

Se você está no começo do investimento e a sua taxa é menor do que isso, você não paga. Mas, vale lembrar que o valor será somado na próxima cobrança, obviamente.

Portanto, fique atento à isso, está bem?

4 – Qual é o valor dessa taxa semestral do Tesouro Direto?

A taxa é cobrada sobre o valor que você investiu mais os rendimentos.

Portanto, não tem um valor fixo. Tudo vai depender do seu investimento, pessoal e individual.

Fazer as contas é simples: 0,25% ao ano do que você tem investido.

5 – Onde estão as informações sobre o valor da taxa?

Você tem que ir no site da sua corretora de investimentos ou mesmo no site do Tesouro Direto.

Por lá vai ter a opção de consultar, que é onde você tem informações como a de agendamentos, protocolos, extrato consolidado e taxa de administração semestral também.

Aí, você seleciona a instituição financeira e o semestre. Tem vários semestres para consultar, desde quando você investe nos títulos do Tesouro.

Sobre o Tesouro Direto

O Tesouro Direto é hoje em dia considerado um dos melhores investimentos que as pessoas podem fazer. Isso ainda mais quando se compara com a caderneta da poupança, que ainda é o investimento mais tradicional do país.

Existem vários meios de comparar os dois investimentos, que são da renda fixa.

Mas, tudo nos leva a crer e ver que o Tesouro é melhor. Primeiro porque tem a mesma garantia, já que estamos falando de Títulos Públicos, isto é, do Governo Federal. Depois, porque tem rendimentos melhores.

Se você não sabe, considere que o Tesouro é um pouco menos fácil de investir do que a poupança. Só que compensa porque os rendimentos são melhores. Mesmo que tem o Imposto de Renda e as taxas, como vimos acima, ele é melhor.

E, além do mais, são várias opções de títulos, o que dá para considerar uma aplicação para o curto prazo, em se pensando em reserva de emergência assim como para o longo prazo, em se tratando de uma aplicação para a aposentadoria, por exemplo.

Por isso é que o Tesouro tem sido a melhore escolha para muita gente e a melhor recomendação para os novos investidores.

Se você está na dúvida, saiba que dá para simular o investimento. O próprio site do Tesouro tem um simulador online e que ainda traz o serviço da comparação com outros investimentos da renda fixa.

PROPAGANDA