Comprar Casa é para Otário! Será mesmo?

Comprar Casa é para Otário! Será mesmo?

 

Olá pessoal, aqui é o Trovó! E esse vídeo eu acredito que seja o mais pedido do canal: será que compensa mais comprar ou alugar um imóvel? E essa semana eu li um artigo e olha o título: “Imóvel é para tonto”. Será mesmo? Muito bem, eu não vou te dar uma resposta, mas eu vou te dar a forma de pensar.

Compensa comprar um imóvel e quando compensa ou compensa alugar?

Para que você possa ter essa resposta, você vai precisar entender algumas coisas, comparar algumas coisas. Já vou pedir aqui, para o nosso editor colocar na tela para vocês, algumas vantagens e desvantagens de ter a casa própria financiada e morar de aluguel.

E, em cima disso, a gente vai criar uma linha de pensamento e no final do vídeo a gente vai comparar, de formas numéricas, o que vale mais a pena: se é comprar um imóvel financiado ou se é o aluguel!

Primeiro: vantagens da casa!

1 – Realização Pessoal

Você compra uma casa própria, é a realização pessoal. Porque, infelizmente, a sociedade mede o seu sucesso de que forma? Ou tendo um carrão ou tendo uma casa própria. Se você tem uma casa própria passa a sensação de bem-estar.

Isso é super importante, tá?

2 – Estabilidade

Outra vantagem de ter a casa própria é a estabilidade, a tranquilidade e saber que a casa é sua. Você não precisa ficar mudando o tempo todo, isso também é super importante.

3 – Valorização

Outra vantagem: existe a possibilidade de valorizar o seu patrimônio. Hoje em dia, estamos aqui no final de 2016, outubro, novembro e logo o ano acaba, ein bonitão… Os imóveis hoje estão muito baratos em comparação a 1 ano e meio atrás. Então, aí pode ser uma oportunidade para a compra, tá?

Desvantagem de ter a casa própria – porque não é só vantagem!

1 – Falta de Liquidez

Falta de liquidez, ou seja, se você precisar do dinheiro, você não consegue vender a casa em num passe de mágica, não.

Historicamente, no nosso país a média para você vender uma casa é em torno de um ano. Então, se você não se planejar e precisar do dinheiro rápido, você não vai conseguir. Vai demorar um pouquinho.

2 – Dificuldades para Mudanças

Outra desvantagem: você vai ficar preso naquele bairro. Você vai falar “Putz, eu não aguento mais. Enjoei. Enjoei da cara do vizinho. Enjoei da praia. Agora montaram um prédio aqui, uma república, está a maior barulheira e, poxa, o que é que eu faço agora”?

E pode acontecer do bairro mudar. Com o tempo hoje é assim. E daqui à 10, 15 anos pode acontecer muita coisa, tá? Então, isso aí também pode ser importantíssimo!

3 – Pagamento das Parcelas

Outro problema de você financiar um imóvel – esse é o pior: corre o risco de você não conseguir honrar com as parcelas do financiamento. Esse é o ponto principal, prestem a atenção no que eu vou falar agora!

O argumento que me falam é o seguinte: “Ah, quando eu estou pagando aluguel, eu estou pagando algo que não é meu e o imóvel eu estou pagando algo que é meu”.

Não senhor, não senhora! Essa não é a justificativa! O imóvel só vai ser seu quando você quitar o financiamento. É como se você estivesse adiantando 30 anos de aluguel. Se, no decorrer do percurso desses 30 anos, que é muito tempo (eu estou colocando a média de tempo de financiamento), você não conseguir pagar alguma parcela, você perde o imóvel e aquilo que você pagou, inclusive.

Então, o imóvel só vai ser seu ao final do financiamento, tá bom?

E agora a gente vai falar sobre o aluguel!

Qual é a vantagem do aluguel?

1 – Gasto Menor

O gasto do aluguel é menor. Para vocês terem uma ideia, um imóvel que custa mais ou menos 300 mil reais, para financiar costuma cobrar 1% do valor do imóvel, então, a parcela seria de 3 mil reais por mês. Para você morar no mesmo imóvel de 300 mil, o aluguel é cobrado 0,5% do valor do imóvel, então, é 1,5 mil reais.

Percebam que estamos falando de um imóvel do mesmo valor, 300 mil, para alugar e, 300 mil, para comprar? Se você for financiar esse valor por causa dos juros, você vai pagar 1% todo mês. Então, 3 mil reais por mês para financiar. Se você for alugar esse mesmo imóvel, o valor já cai para metade, então, 0,5% dá 1,5 mil reais, metade do valor do financiamento, tá?

2 – Liquidez

Outra vantagem de morar de aluguel: você ter dinheiro em mãos se você precisar do seu dinheiro. Ele não vai estar empatado no imóvel. Você tem liquidez!

3 – Facilidade para Mudanças

Outra vantagem: você fala: “Meu Deus do Céu, subiram um prédio. O vizinho que mora aqui do lado é barraqueiro, barulhento, Rock and Roll, sei lá o que”. Você enjoou, então, você muda. Você não precisa ficar preso naquele lugar, você muda. Assim, como num passe de mágica.

Só que também tem desvantagens, tá?

Quais são as desvantagens do aluguel?

1 – Algo que não é seu

Você está pagando por algo que não é seu. Financiamento também só vai ser seu ao final dos 30 anos. Você vai reformar a casa que você está alugando? Você está reformando uma casa que não é sua!

2 – Reajuste anual

Outra desvantagem: aluguel tem reajuste anual. Geralmente é pelo IGPM e vai acompanhar uma taxa de inflação, tudo bem?

3 – Instabilidade

Outro motivo: tem instabilidade! Se o dono da casa falar assim, por algum motivo: “Ah Trovó, estou precisando da minha casa”. Aí você precisa cair fora. Ele praticamente chuta a minha bunda. Você tem que trocar de casa!

4 – Fiança

Outra desvantagem: se você não tiver um fiador, vai precisar de um auxílio fiança. Vai precisar desembolsar mais para que a imobiliária possa liberar para você, tá?

Essas são as vantagens de morar na casa e a desvantagens de morar na casa própria. As vantagens de morar de aluguel e desvantagens de morar de aluguel.

Conhecendo isso, agora vamos para os números, levando em consideração que eu já posso adiantar para vocês: se você é solteiro e não tem filhos, não compensa, nesse momento, você entrar em um financiamento, tá? Não compensa, o que compensa é você estar alugando!

Agora, a conta que eu quero fazer para vocês é a seguinte – o que compensa mais: eu alugar ou eu morar numa casa própria financiada?

Vamos imaginar, então, um financiamento de uma casa de 300 mil reais. Então são 3 mil reais por mês. Se você vai alugar ao invés de financiar, pensa comigo, se você está disposto a financiar um imóvel de 300 mil, a conta serve para qualquer valor, você está disposto a pagar 1,5 mil reais e vai te sobrar 1,5 mil reais, você concorda?

O que você faz com esse 1,5 mil reais que sobrar? Você investe! Ao invés de você botar esses 3 mil na parcela do financiamento, você pega 1,5 mil bota no aluguel e os outros 1,5 mil você investe. Um aumento de juros de 1% ao mês, sendo uma Renda Fixa e uma inflação calculada aí em 7% ao ano. Em 14 anos, você consegue juntar os 300 mil, aí você vai lá e pum! Compra o imóvel à vista, mesmo morando de aluguel.

6 Dicas para Entender Como Calcular os Juros Compostos. 

As pessoas falam assim “Trovó, mas se eu morar de aluguel não vai sobrar dinheiro”.

Sobra sim! Sobra metade do valor do aluguel porque o financiamento é 1% do valor do imóvel e o aluguel e 0,5%. O problema é que você vai ter que pegar os mesmos 3 mil que você gastaria no financiamento e investe 1,5 mil e os outros 1,5 mil paga o aluguel. E, ao final de 14 ou 15 anos, você vai ter os mesmos 300 mil e vai conseguir comprar o imóvel à vista, mesmo pagando aluguel por 14 anos.

Se você for financiar o mesmo imóvel, que hoje vale 300 mil, ao final do financiamento você pagou 500 mil por causa dos juros e não vai levar 15 anos vai levar 20 ou às vezes 30 anos para pagar. Então, essa é a conta que é super importante que vocês saibam fazer.

Então, eu Trovó, hoje não tenho mais imóvel próprio. Eu comparei as vantagens e desvantagens e para mim, na situação que eu estou hoje, não compensa. Então, eu moro de aluguel. Vamos dizer assim: eu posso morar em uma casa que vale o dobro do valor, tá? E o restante eu pago de aluguel.

Fuja dos Empréstimos dos Bancos!

A minha diferença de hoje é estar em uma situação super confortável. Por quê? Quem paga o meu aluguel não é o meu dinheiro é o juros que rende!

Eu pego o meu capital invisto e então eu pago meu aluguel. Eu não estou descapitalizando, meu próprio capital paga esse aluguel. Agora, para chegar nesse nível tem que ter um planejamento e começar a subir.

Então, para vocês concluírem: compensa comprar uma casa própria? Compensa se você pensam em constituir uma família, comprar uma casa próximo ao seu emprego, mas financiar por 30 anos compensa? Não.

Morar de aluguel compensa? Se for para você pegar metade do dinheiro que você ia pagar na parcela do financiamento e investir, tiver disciplina, dai você mora de aluguel por 14 anos e aí você vai e bum, compra seu imóvel à vista. Você não vai ficar preso 30 anos com o banco. É como eu falei: enquanto você não terminar de pagar o financiamento, o imóvel não é seu!

Leia Também: 3 Motivos para “Pixar Fora” de Financiamento de Carro

Eu peguei aqui um exemplo real de um financiamento de carro de 2009 que fala de uma pequena entrada de R$ 7.000,00. Então fui na tabela FIP e pesquisei o valor do carro.

A vista, o Captiva 2009 vale R$ 36.000,00. Eu peguei o valor das 48 parcelas de
R$ 890,00 mais os R$ 7.000,00 de entrada e a soma dos valores foi para
R$ 49.720,00.

A diferença é absurda entre o valor que vale e o que você vai pagar no carro. E ainda tem outro problema, o carro sofre depreciação.

As 6 melhores dicas para ter mais dinheiro em 2017

“O que significa isso, Trovó?”

Ao contrário de um investimento em que a tendência é você ganhar juros e aumentar o valor, no carro tende a perder valor com o passar do tempo e esse valor médio é na casa dos 10% ao ano .

Então a cada ano que passa, o seu carro desvaloriza 10% e, ao final de 5 anos
mais ou menos, o valor do carro que custava R$ 36.000,00 a vista, passa a ser
R$ 21.200,00.

O problema é que o carro valia R$ 36.000,00 mas você pagou ao final do tempo
R$ 49.720,00. Como daqui há 5 anos seu carro estará valendo R$ 21.200,00 a sua perda financeira será de R$ 28.500,00.

Eu estou dizendo que você acabou de perder R$ 28.500,00 em 5 anos. Por isso eu digo para você “Pixar Fora” de Financiamento de Carro, nada de pagar juros, pois é hora de começar a receber juros.

Workshop Gratuito e Online

Oi, aqui é o Trovó!

E eu sei que você acompanhou nosso vídeo e ficou pensando nisso!

Eu resolvi criar um curso de 4 vídeos, gratuitos – ou um minicurso como você queira chamar. Sobre os 5 segredos que a maioria dos investidores não sabem como aplicar no mercado financeiro.

Para participar é muito simples: basta clicar nesse link aqui abaixo, cadastrar seu e-mail e fazer parte deste minicurso, tá bom?

E não se esqueça de curtir este vídeo e compartilhar com os amigos!

Um abraço e até o minicurso, tchau.

3 coisas que são dívidas e ninguém considera

3 coisas que são dívidas e ninguém considera

 

Hoje vamos falar sobre 3 coisas que são dívidas e ninguém as consideram como tal.

1 – Financiamento de Casa

É dívida ou não é dívida?

O critério de dívida é o seguinte: dívida é quando você caminha para a pobreza. E você caminha para a pobreza quando paga juros. Você paga juros, normalmente, quando faz um empréstimo.

SAIBA COMO FUNCIONA A POBREZA.

Então, podemos concluir que o financiamento de uma casa é um pagamento de empréstimo, que gera juros para você, então, sim, é uma dívida.

Fato diferente de quando você faz um investimento, que você recebe juros. É quando você está caminhando para a riqueza.

Ah, oras oras, você ainda tem medo de investir ou não faz ideia por onde começar? Bem, nesse caso, você tem uma ótima opção: ler esse texto que publiquei mostrando de onde vem esse medo de investir.

Voltando ao assunto da sua nova habitação, vamos imaginar que você queira me dizer: “Mas, quando eu terminar de pagar a minha casa, ela estará super valorizada”.

A resposta é: não, não e não!

Essa valorização que você diz, acontecerá daqui a três décadas. E eu estou falando do agora: você está pagando juros? Então você tem uma dívida e não um investimento.

“Mas a casa é minha”, você pode querer retrucar.

E eu lhes digo: não! A casa só será sua quando você terminar de pagá-la. Se em 30 anos, você não conseguir pagar, a casa não será sua! Enquanto isso, ela é do banco.

Você vai querer me perguntar o seguinte:

“Trovó, então o que compensa mais: financiar uma casa ou viver pagando mensalidades de aluguel”?

Esse é um assunto ótimo, mas que reservamos para o próximo vídeo. Porém, vou adiantar o seguinte: se os juros que você recebe do seu investimento for suficiente para pagar o aluguel, então, a resposta é: compensa pagar o aluguel.

Por quê?

Eu não estou utilizando o meu capital para pagar o aluguel! Eu estou utilizando os juros que rendeu desse capital para pagar o aluguel. Isso faz toda diferença.

“Mas, a única opção que tenho é financiar uma casa”, você afirma.

Bom, nesse caso eu tenho uma regrinha de ouro para vocês: saiba qual é o valor da casa que você pode financiar!

Como fazer isso?

Segue um exemplo: você recebe um salário mensal de 3 mil reais. Ok?

Você vai pegar esses 3 mil reais e multiplicar por 12 meses, o que vai dar em 36 mil reais por ano.

Esse é o seu salário anual, que quando multiplicado por 3, resulta em 100 mil reais, aproximadamente.

Esse é o resultado. 100 mil reais é o valor máximo para você financiar uma casa, se for acima disso, você vai caminhar para a pobreza e entrar em ruína financeira.

Falando de ruína financeira, eu selecionei um texto muito bom para você com as melhores dicas para você não entrar em estado de falência.

3 comportamentos que podem te levar à falência”.

Vai chegar uma hora que seu orçamento ficará muito apertado com o valor da parcela e isso vai te comprometer.

Ah, e antes que eu me esqueça, saiba que “Mesmo ganhando pouco não significa que você seja pobre”. Dúvida? Leia esse post.

2 – Financiamento de Carro

Ficou fácil: Você está pagando juros ou recebendo juros?

Então, você já pode considerar esse financiamento como uma dívida.

Por sinal, eu gravei um vídeo mostrando como perder 28 mil reais em 5 anos. Porque é exatamente isso que você perderá, se financiar um carro 2009, como usei de exemplo. Veja agora esse vídeo.

“Como eu vou comprar um carro à vista”?

Saiba que é possível. E vamos falar disso em uma próxima oportunidade!

3 – Fatura mínima do cartão de crédito

Esse é o grande vilão.

E já vou avisando: seu cartão de crédito não é salário! E nem complemento do salário. Ele é como a kriptonita do superman: terrível, destruidora.

O cartão de crédito pode até facilitar a sua vida e parcelar as suas compras, mas olhem só: pagando a parcela mínima, você está pagando juros.

Você está falando assim para o banco: “Eu quero pagar juros!”.

Saibam que o cartão de crédito é legal sim, mas só quando você quita o valor integral porque aí você não paga juros!

E por que é bom? Porque você pode comprar parcelado e ganhar milhas, além de outras bonificações.

Temos vários vídeos explicando tudo isso – Cartão de Crédito: Ter ou não Ter – mas vou adiantar a regra para você saber se está caminhando para pobreza ou para riqueza. É a seguinte:

Se você está pagando juros, você está enriquecendo alguém e se está enriquecendo alguém, você está caminhando para a pobreza. Se o objetivo é enriquecer você próprio, você tem que receber juros.

A partir de agora, então, vamos focar no jeito certo: com estratégias corretas e agindo com a razão para você ficar buscar equilíbrio financeiro.

Aproveite e veja nosso vídeo sobre Controle Financeiro Simples e Eficaz.

Se você gostou desse vídeo quer aprender um pouco mais se inscreva gratuitamente no nosso curso Risco Zero de Investimentos.

Um abraço e até o próximo vídeo.