Descubra Como Sair das Dívidas Usando o Cartão de Crédito – Universidade do Investidor ► AULA #01

Descubra Como Sair das Dívidas Usando o Cartão de Crédito - Universidade do Investidor ► AULA #01

 

Primeiramente quero desejar os parabéns para todo mundo, por estarem aqui, em plena quarta-feira, 8 horas da noite. Poderia estar assistindo uma novelinha, estar assistindo um filminho, mas estão aqui, decididos a aprender. Isso é super importante, tá?

Para quem está vendo a gravação, saiba que a “Universidade do Investidor” é todo dia ao vivo, de segunda à sexta, às 20 horas. Ok? Então, para quem não está sabendo, vai ver a gravação depois e vai conseguir acompanhar a gente ao vivo, que ao vivo é diferente, né? É outra vibe, outra pegada.

O objetivo do projeto aqui, primeiramente, é tentar passar um pouco da minha trajetória, passar um pouco, vamos dizer assim, dos caminhos que todo mundo precisa percorrer para tentar atingir… Até almejar a independência financeira que é o que todo mundo busca.

7 Passos Para Atingir Sua Independência Financeira

Só que para poder chegar lá, primeiro a gente tem que saber em que situação a gente se encontra e esse é um dos pontos que eu vou estar focando bastante hoje.

  • Será que você é uma pessoa que tem o perfil de endividado?
  • Um perfil de acomodado?
  • Um perfil de investidor?
  • Qual o perfil que você está?
  • Qual perfil que você se encontra?
  • Será que você está se enriquecendo ou enriquecendo os bancos?

Isso é uma coisa super importante que vocês tem que estar ciente porque se você tiver enriquecendo o banco, com certeza você está caminhando para a pobreza.

E nessa primeira aula, de hoje, a gente vai falar exatamente sobre isso. Sobre parar de enriquecer banco para começar a enriquecer você, porque você tem que pensar em você, seu futuro, ó… Você piscou o olho, já está velhinho.

E quando você tiver velhinho, você tem que estar com tudo preparado. Não dá para esperar ficar idoso para poder correr atrás das coisas, você não vai ter fôlego mais, não vai ter saúde mais, poucas pessoas vão te ajudar. Então, é importante correr atrás agora, enquanto ainda tem pique.

Vamos lá, vamos conhecer os perfis, o perfil que você pode estar.

A gente, aqui na “Universidade do Investidor”… Vão ser algumas semanas de aulas ao vivo, a gente vai caminhar desde o perfil devedor, dando dicas, até chegar no perfil investidor, tá?

Então, existe uma etapa, uma trajetória, que a gente vai subindo a escadinha até chegar em como abrir conta em corretora, como que a gente faz, que papéis a gente opera, etc, etc.

Mas, para chegar lá, estar investindo mesmo, começar a receber juros, a gente tem que primeiro, fazer sobrar dinheiro no final do mês. E para sobrar dinheiro no final do mês, você não pode estar no perfil devedor.

E como é que você escapa do perfil devedor? Primeiro, eu preciso te conscientizar do que acontece quando você, por exemplo, paga o mínimo da fatura do seu cartão.

Leia Também: Está Atolado até o Pescoço? Respire Fundo e Saiba o que Fazer!

Tem um dado aqui, que é um dado um pouco assustador, mas é importante que vocês vejam. Aqui está o lucro, em bilhões. Bilhões de reais, dos 3 maiores bancos, tá? Do Brasil! Então, a gente tem aqui Santander, Itaú e Banco do Brasil. Vocês podem ver que desde 2015 praticamente, né? A gente está gerando aí em torno de 14 bilhões de reais de lucro para os bancos, esse é um dado assustador. É muita grana.

Sobre o Lucro dos Bancos:

  1. Em ranking de 10 empresas que mais valorizaram em 2016, 5 são bancos!
  2. Empresas de Capital Aberto somam lucro de R$ 25 bilhões e 4 são bancos
  3. 7 Mentiras que os Bancos Contam e Como não Cair nessas Conversas Fiadas
  4. 9 dicas realmente eficazes para renegociar dívidas com os bancos

Por outro lado, hoje, a população economicamente ativa é de 200 e pouco milhões de brasileiros, mas apenas  100 milhões geram receita. Desses 100 milhões, 66 milhões de pessoas estão no perfil devedor, estão endividadas. 66% da população economicamente ativa está endividada. Isso é um absurdo.

E porque que endivida tanto? Porque ainda acreditam que o banco é um amigo.

Fuja dos Empréstimos dos Bancos

Poxa, quando eu tiver numa hora difícil, o banco que vai me ajudar, tem onde eu recorrer, inclusive eu converso com muitas pessoas que ainda acham que o rotativo, por exemplo, faz parte do salário, que o consignado faz parte do salário. O pessoal conta com esse dinheiro. Não pode ser assim.

Se não, o que acontece? Vai acontecer esse roubo aqui, ó. Vocês vão enriquecer os bancos.

Hoje, a gente vai ter 3 camisetas aqui na “Universidade do Investidor”, a vermelha que vai ser um sinal de alerta, vai ser o dia que eu vou estar puxando a orelhinha de vocês. Vai ter a branca, que vão ser dicas de investimento e vai ser a verde que vai ser conteúdo.

Então, hoje a gente vai começar inaugurando com a vermelha: puxando a orelha.

Como é que os bancos enriquecem? Quando eles emprestam dinheiro para você. E quando que eles emprestam dinheiro para você? Quando você, por exemplo, usa o seu cartão de crédito e paga o mínimo da fatura.

Sabe o que acontece quando você paga o mínimo da fatura? “Ah, eu pago o mínimo da fatura. Eu pago uma parcela que caiba no seu bolso … que caiba no meu bolso”. Teoricamente é isso. Geralmente, claro que depende de banco para banco, tá? Mas, geralmente, o mínimo da fatura equivale a 15% do valor total da fatura, tá?

Então se a fatura, por exemplo, for 1 mil reais total, o mínimo gira em torno de 150 reais. Aí o que começa a acontecer? Você fala: “Poxa, não tenho o dinheiro para pagar a fatura inteira, vou pagar somente o mínimo, vou pagar esses 15% do total”. E quando você faz isso, automaticamente, você está dizendo para o banco: “Opa, pode cobrar juros de mim”.

Na média… Na média, esses bancos aqui que vocês estão vendo, na média, a soma deles está dando por volta de 14 bilhões por trimestre, e eles cobram na média aí, vou falar bem devagar, 200% ao ano de juros. 200% ao ano de juros.

Para você ter uma ideia, hoje a Melhor Renda Fixa paga em torno de 13% ao ano. (Leia TambémComo Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo!)

Então, impossível você conseguir algo que vai conseguir competir os juros que você paga, não dá. Os juros que você recebe nunca vai ser igual, nunca vai ser igual, aos juros que você paga. É um absurdo.

E agora eu vou mostrar para você um absurdo maior ainda, quando você paga o mínimo da fatura do cartão. Usar cartão de crédito não tem problema nenhum, eu concordo que tem muitas facilidades. Ajuda no controle das finanças, você vai pagar as contas tudo de uma vez só, você vai conseguir ter um controle do que você está gastando, vai acumular milha. Um monte de coisa! O problema é se você vai ter disciplina para pagar o valor total da fatura.

A fatura chega dia 15, por exemplo, você vai lá e quita tudo. E recomeça.Não tem problema nenhum!

Se você paga o mínimo, olha o que acontece: Eu vou simular aqui para vocês um empréstimo de 500 reais, apenas 500 reais, pagando o mínimo da fatura do cartão de crédito. Olha o que acontece ao final de 1 ano, a sua dívida que era de 500 reais, vamos pegar por exemplo o Itaú, que é o que cobra a maior taxa e é o que ganha mais dinheiro, hoje ele é o banco que tem mais faturamento.

Um empréstimo de 500 reais, você está pagando o mínimo do cartão, em um ano, a sua dívida que era de 500 reais vai para 3,6 mil reais. Você praticamente multiplicou a sua dívida por 7. Agora eu vou colocar um exemplo um pouquinho mais pesado.

Se você gastar 10 mil reais no seu cartão de crédito. 10 mil reais no seu cartão de crédito e pagar somente o mínimo todo mês, em 1 ano a sua dívida, que era de 10 mil reais vai passar a ser 70 mil reais.

E aí, dificilmente você sai. E aí você vai fazer parte, infelizmente, da estatística dos 66 milhões de pessoas que estão devendo hoje no nosso Brasil. A dívida média gira em torno de 5 mil reais. É muita coisa, é muita coisa. Então, parem com esse negócio de ter que ficar pagando o mínimo porque cabe no bolso. Não! Vocês estão enriquecendo o banco, não tem condição. Em 1 ano aqui, ó, se você tiver no Itaú, por exemplo, a sua dívida multiplica por 7.

Então, você tem que mudar o conceito, você está caminhando… toda vez que você paga juros, você está caminhando para a pobreza.

Quando você recebe juros, independente do valor, está caminhando para a riqueza, está caminhando para a riqueza. Então para começar a enriquecer, o que tem que fazer? Parar de pagar juros e começar a receber. E para parar de pagar juros, primeiro tem que parar de pagar o mínimo da fatura. Esses dados eu sei que são assustadores e revoltantes, né?

Saiba Como Funciona a Pobreza – Genial

Porque quando você pega, por exemplo, é… Um lucro absurdo desses bancos e vê as pessoas hoje todas endividadas, chega a ser uma baita de uma sacanagem, então o que acontece? As pessoas, elas não são orientadas, né? Elas não são orientadas. Então, eu estou aqui para isso, para procurar orientar vocês, tá? Isso que é importante.

Então, tem que se sentir revoltado, tem que se sentir enganado e começar a pensar: “Poxa, será que vale a pena? Será que é isso que eu quero para mim?”. Daí você fala assim: “Não Trovó, o meu perfil é um perfil de investidor”. Aqui vai a primeira dica, a primeira tarefa de casa para vocês, tá?

Aqui é o nosso blog para quem ainda não conhece. Eu vou deixar aqui a descrição abaixo do vídeo: trovoacademy.com/dinheiro. Eu vou deixar o link aqui desse teste, que é um teste gratuito, com algumas perguntinhas, muitas, com alternativas que vai te dizer qual é o seu perfil, se é um perfil acomodado, se é um perfil poupador, se é um perfil de investidor ou se é um perfil devedor.

Descubra o Seu Perfil para Investir: 

Qual é o seu Perfil Para Investir?

Às vezes, a pessoa não tem essa consciência e com algumas respostas aqui, o teste vai conseguir te direcionar. O ideal é que você esteja num perfil investidor, já esteja parando de pagar juros e começando a receber, mas… a dica de hoje, tá?

A gente vai começar subindo escadinha, na última aula vocês vão estar analisando as ações já, analisando gráfico, abrindo conta em corretora, tudo certo. Mas, antes da gente começar é o seguinte, ó. Lição de casa, pegar a sua fatura do cartão de crédito e falar: “Pô, a partir de agora… a partir de agora nunca mais vou pagar o mínimo da fatura”.

Por quê? Eu não quero mais enriquecer o banco, eu quero eu enriquecer. Eu quero parar de pagar juros e quero começar a receber, tá? Então, é obrigatório.

Você está vendo essa “live” aqui, ao vivo, ou quem está vendo a gravação depois, tem entrar aqui no link, está na descrição do vídeo: Trovoacademy.com/dinheiro, fazer esse teste. Vou passar para vocês aqui ó, tem algumas perguntinhas, faça o teste e depois, analise o seu perfil. Pelos pontos que você fez, ele vai te dizer, vai te dar algumas orientações. Perfeito?

A “Universidade do investidor”, qual que é o objetivo? É estar conscientizando as pessoas no mundo dos investimentos. Eu sou de uma família super tradicional, onde desde criança, a gente não teve educação financeira e acho que a grande maioria de vocês que estão assistindo também não tiveram isso.

Então, a gente tem alguns conceitos, né? Por exemplo, casa própria é importante ter, um carro é importante ter. É… Investir na poupança é importante. Então, aos poucos a gente vai desmistificando tudo isso aí, tá? Eu prometo para vocês que eu vou dar a minha parte para fazer o melhor. As aulas vão ser super curtinhas, todo dia um pouquinho, mas super pontual.

Vou fazer igual quando você aprende com o idioma, você aprende pouco, mas com o contato diário, aí quando você soma tudo lá na frente, você vai ver a gama de conhecimento que vocês vão ter. Então para hoje, vocês tem 2 lições de casa:

  1. Fazer o teste no blog: trovoacademy.com/dinheiro, e
  2. Prometer para você mesmoque você vai parar de pagar o mínimo do cartão!

E na “live” de amanhã eu vou explicar para você algumas dicas de como conseguir pagar a fatura do cartão. Porque é muito fácil falar: “Ah Trovó, tem que pagar, mas eu não consigo. Por onde eu começo? Quais contas são mais importantes? Onde que eu consigo cortar gastos?”.

Então, a gente vai caminhando, conforme eu falei, em uma escadinha até conseguir chegar lá no perfil de investidor. As aulas vão ser diárias, vão ser aulas curtas, de 20 minutos, mas vão ser de extremo conteúdo prático.

O objetivo aqui, da “Universidade do investidor”, é fazer o conteúdo prático, para vocês estarem absorvendo, estarem crescendo e daqui a algumas semanas, estarem voando. Tá bom?

Então, eu espero que para os próximos você possa convidar a sua família, convidar o esposo, a esposa, os filhos, todo mundo para estarem participando. E a tendência, conforme vocês forem participando, a gente vai começar a interagir mais, tá bom, pessoal? Então, eu espero vocês amanhã às 20 horas para aula número 2.

Lição de casa, então: fazer o teste no nosso blog e conscientizar que não dá mais para pagar o mínimo da fatura porque multiplicar a dívida por 7 realmente não dá, né gente? É um absurdo. Virar a chavinha, parar de empobrecer para começar a enriquecer.

Para você começar a enriquecer tem que começar a receber juros e parar de pagar juros. Para parar de pagar juros o primeiro ponto é controlar o seu cartão de crédito. Tá bom?


Recado do Trovó: Olá pessoal, aqui é o Trovó e nesse vídeo eu quero fazer um convite super especial para você que quer muito aprender do zero e na prática, a investir o seu dinheiro no mercado financeiro ou você que já investe, porém ainda não conseguiu enxergar resultados.

Sabia que existem outros tipos de investimento que geram mais recebimentos de juros do que a tão conhecida poupança?

Então se quiser se juntar a um grupo de pessoas que estão a caminho de alavancar a sua independência financeira e se você quer cuidar melhor do seu dinheiro, eu quero te convidar para participar do meu Workshop gratuito.

Você terá acesso a uma série de vídeos de dicas e técnicas 100% gratuitos.

São conceitos poderosos e que abrirão a sua mente e mudará a sua maneira de enxergar o mercado financeiro. Então aqui nesse vídeo, em algum lugar por aqui, tem um link para você clicar e se inscrever.

Da Redação

Cartão de Crédito – Ter ou não ter

Cartão de Crédito – Ter ou não ter

 

Hoje nós vamos descobrir se o cartão de crédito é realmente amigo ou inimigo.

Falar sobre o Cartão de Crédito é falar, instantaneamente, na facilidade de uso que ele proporciona e, sucessivamente, no alto poder de compra que ele transmite. Sim, ele nos dá poder e autonomia. Ele nos dá facilidades!

Afinal, Mesmo Ganhando pouco não significa que você seja Pobre!

Hoje em dia, com esse tipo de cartão, você pode comprar em qualquer lugar, a qualquer hora, em qualquer momento, situação ou país e, inclusive, através da internet. E na internet é assim: com um clique, você compra.

  1. Caso tenha guardado o cartão, mas não sabe onde e ainda tem o número dele, você compra também.
  2. Precisa abastecer o carro, mas hoje é dia de pagamento e os bancos estão lotados? “Passa no crédito”, você diz ao frentista.
  3. Quer fazer uma compra parcelada? O cartão de crédito te dá essa autonomia, sem precisar correr no banco para buscar folhas de cheques.

Mas todas essas situações acima, bem como todas as compras parceladas, devem ser feitas com controle. Vamos falar disso mais adiante.

Quanto às lojas físicas, praticamente todas, como farmácias e restaurantes, possuem as maquininhas que aceitam esse tipo de cartão. E com isso, você não precisa andar com dinheiro na carteira ou na bolsa. Essa é a maior facilidade.

E, caso alguém roube seus pertences, basta você ligar na operadora e bloquear o cartão. Está tudo resolvido.

Outra vantagem do cartão de crédito é o acúmulo de milhas. As milhas são importantes para quem viaja muito ou para quem quer viajar muito. Funciona mais ou menos assim:

Em cada passagem aérea que você compra com seu cartão de crédito é disponibilidade uma quantidade de milha. Essa milha se duplica e gera outra igual em uma conta adjacente. Com o tempo, as somas dessas milhas podem gerar um novo bilhete para você. Assim, você ganha uma passagem aérea. Ou então, pode obter descontos, da mesma forma.

Então, se você compra muitas passagens aéreas, aí sim, o acumulo de milhas é super importante e, de uma forma ou outra, você tem benefícios.

Mas, é claro, não é porque você pode acumular milha que vai usar o cartão de crédito toda hora. Ele tem que ser apenas uma consequência do que você tem planejado.

Em resumo, listamos três, dos principais pontos positivos. São eles:

  1. A facilidade do poder de compra,
  2. O acúmulo de milhas e
  3. As comprar facilitadas pela internet.

Esses pontos realmente tornam o cartão de crédito o nosso amigo, o nosso herói.

Mas saibam vocês que esse mesmo cartão de crédito é uma das principais causas de dívidas do nosso país. São 59 milhões de brasileiros que estão endividados por comprar por impulso, devido, obviamente, à facilidade do uso do cartão de crédito.

Eis, então, que surgem os problemas. O contraponto dos pontos positivos. É quando o cartão de crédito vira inimigo. Um vilão.

E tudo começa com os juros abusivos e absurdamente altos. Vejam só o que eu tenho ouvido constantemente:

“Trovó, eu gasto aproximadamente R$ 1 mil por mês no cartão de crédito e isso não pesa muito para mim porque eu pago a fatura mínima, que, via de regra, é 15% do valor da fatura”.

Não faça isso!

Quando você paga a fatura mínima me lembro daquela isca que é usada durante a pesca, que você joga a linha para atrair o peixe.

A fatura mínima é exatamente isso porque você está dizendo o seguinte para o seu banco: “Eu quero pagar juros”.

É como financiar um automóvel. Fizemos até uma simulação com um financiamento real, já viram? 3 Motivos para “Pixar Fora” de Financiamento de Carro.

Mas você quer mesmo pagar juros? É claro que não!

Por que isso acontece? Porque o pagamento da parcela mínima é um financiamento da sua dívida. Se você gastou R$ 1 mil no mês e vai pagar só R$ 100, os outros R$ 900 será financiado pelo banco.

E cada vez que você paga a parcela mínima, o valor financiado aumento e o juros também. Consequentemente você paga mais e mais e mais e mais.

Então, a dica é: se for para usar o cartão de crédito, quite a fatura integral.

Se você não tem condição de quitar, você está tendo um descontrole financeiro, que é quando você não tem noção do quanto está gastando. Em outras palavras, você está gastando mais do que ganha e logo vai ficar endividado.  

Você voltou a fazer dívidas? Isto não é brincadeira!

Temos, na contramão, outros três pontos, agora, negativos:

  1. Os juros abusivos cobrados pelos bancos,
  2. A armadilha da fatura mínima e
  3. A perda de controle financeiro.
É por isso que 59 milhões de brasileiros estão em endividados.

Afinal, como visto aqui, nem tudo são flores. Mas, olhem só, se você tiver controle sobre as suas finanças não há problemas. Você pode fazer as compras normalmente usando o seu belo cartão de crédito, desde que tenha controle.

Mas e, então, Trovó, voltando ao questionamento inicial do texto:

É melhor ter ou não ter cartão de crédito, eis a questão?

Essa dúvida eu vou deixar para vocês responderem. Respondam aqui embaixo, nos comentários. Eu quero saber a sua opinião.

Se você gostou desse vídeo e quer aprender um pouquinho mais, clique no banner, cadastre seu e-mail e se inscreva gratuitamente no nosso curso: Risco Zero de Investimentos.

Poupança? Tô fora

Poupança? Tô fora

Se você é como eu e ama os animais de estimação, então, definitivamente os porquinhos não são pra vocês. Hasta la vista presuntinho!

Hoje vou fazer um programa “Bê-a-Bá: dicas de ouro” para falar um pouco sobre uma das alternativas paralelas – e mais eficazes – à poupança: a LCI.

Aliás, como todos nós já sabemos, o rendimento da poupança está tomando uma goleada da inflação. E mesmo assim, boa parte dos brasileiros usam a poupança como meio de economizar dinheiro. 

Saiba quantos brasileiros tem dinheiro parado na poupança?

Bem, não sei se todos vocês sabem, mas, vou repassar aqui uma informação super importante sobre o fato de “guardar” as economias na poupança.

Vamos supor que você tenha disponibilizado na poupança um valor acima de 1 milhão de reais e o seu banco vá à falência.

Sabe quanto você receberá, por direito?

Apenas 250 mil reais. Em poucas palavras, apenas um quarto do valor total ali “investido”.

Eis, então, que vocês podem estar refletindo: “Mas Trovó, é muito difícil um banco ir à falência”.

E eu lhes pergunto: “Será que é tão difícil assim”?

Vou relembrar uma história real: em 2008, o Lehman Brothers, um banco 3 vezes maior que o Bradesco e que contava com mais de 10 mil funcionários, simplesmente, quebrou.

E isso aconteceu em um país considerado de primeiro mundo, em uma cidade nada menos do que Nova Iorque, possuidora de uma das maiores economias globais.

Leia também: Se o seu banco falir?  Tá tranquilo, tá favorável?

Então, acredite quando eu falo que um banco pode, realmente, falir.

É válido saber também que, para evitar essas incômodas surpresas, foi criado um órgão chamado Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que funciona como se fosse o seu seguro. Ou seja, caso o banco não puder reaver o seu dinheiro, o FGC atua na sua proteção.

É ele quem administra o mecanismo de proteção aos correntistas, poupadores e investidores, permitindo a recuperação de créditos, caso a instituição financeira venha à falência, como é o nosso exemplo.

E aí que você vai receber aqueles 250 mil reais, lembra?  O Fundo Garantidor de Crédito te garante, por direito, até 250 mil reais por CPF (Cadastro de Pessoa Física), por instituição financeira.

Então, está mais do que provado que a poupança também é um investimento de risco.

Mas, vamos continuar supondo que você tenha 1 milhão de reais e quer, de todas as formas, deixa-lo na poupança. Nesse caso, o ideal seria distribuir o valor em 4 fatias de 250 mil reais em instituições financeiras diferentes, uma fatia para cada banco.

Mas, como dito lá no início, demos adeus ao nosso querido porquinho, o símbolo da poupança.

E agora vamos falar de um modelo de investimento conhecido como LCI (Letras de Crédito Imobiliário).

O LCI nada mais é do que uma renda fixa, na qual você empresta dinheiro ao banco e ajuda-o a financiar vários projetos imobiliários.

Veja Quais são os Tipos de Renda Fixa?

O que você ganha em troca? Juros! Como qualquer investimento de renda fixa, você recebe remuneração paga em intervalos e condições preestabelecidas.

E isso é muito bom, diga-se de passagem.

E, por que, LCI é mais vantajoso do que a poupança? Vou responder em tópicos. São três grandes vantagens, vejam:

1 – Se você for uma pessoa física, você fica isento de Imposto de Renda (IR).

Essa talvez seja a maior vantagem, já que, comparado com outros investimentos, como CDB (Certificado de Depósito Bancário) e título públicos, o LCI é o único que isenta o famoso IR.

as Ações do Mercado Financeiro Nacional que tiveram alta de mais de 100% em 2016 na Bolsa de Valores

2 – Se o seu banco da renda fixa quebrar, você tem a mesma garantia da poupança.

Ou seja, o risco é exatamente o mesmo da poupança. Ambos são considerados baixos. Se mantivermos o mesmo exemplo, na qual você tem 1 milhão de reais, e sua instituição financeira quebre, você será ressarcido em 250 mil reais. Valor esse que também é garantido pelo FGC.  

3 – Os juros que você recebe são muitos mais atrativos do que a da poupança.

Comparado especificamente à poupança esse é o melhor benefício, com certeza. Vamos lá, apenas para efeito de comparação:

Hoje a nossa inflação está por volta de 11% ao ano e a poupança rende na média 9,5% ao ano. Ou seja, estamos perdendo 1,5% de todo o nosso patrimônio, ao ano.

No LCI, se você deixar um valor investido durante 6 meses (que é considerada uma LCI mediana), você terá um retorno de 14% ao ano, contra 11% da inflação. Com isso, o nosso capital estaria aumentado em 3% ao ano.

Lembrando que isso tudo com a mesma segurança e garantia da poupança.

Vamos voltar ao exemplo da poupança. Já sabemos que investindo
nela, você perde 1,5% ao ano, então, nos próximos 30 anos você teria corroído
metade do seu patrimônio.

Enquanto que, na LCI, nos mesmos 30 anos, você teria dobrado o seu capital.

E agora, interessou pelo assunto, não é?

Então se quer saber quais são as melhores rendas fixas que existe hoje em dia no mercado, deixe aqui embaixo o seu comentário. Existem outras opções, tão bem como a LCI, que são mais vantajosas do que a poupança.

E se você gostou do tema de hoje e quer continuar aprender sobre investimentos de uma forma muito simples, bem humorada e de fácil entendimento, clique no nosso banner e se inscreva no nosso curso “Risco Zero de Investimentos”.

O curso é totalmente online e gratuito, basta se inscrever e juntar-se ao time do Trovó Academy.  

Até o próximo vídeo, tchau!