Vale a pena solicitar cartão de loja pela internet? [17 verdades nunca ditas]

ANÚNCIO

Você já deve ter visto por aí muitos cartões de lojas famosas, como Renner, Riachuelo, C&A, Walmart, Carrefour, entre tantas outras, né. Mas, você já se questionou se vale a pena solicitar cartão de loja pela internet?

E por que pela internet? Porque é bem mais fácil.

ANÚNCIO

Com alguns cliques você faz a solicitação e em poucos dias, ele pode chegar até a sua casa.

Só que o artigo de hoje não é para falar apenas em como pedir um cartão desses e sim para estudarmos se, de fato, isso vai ser vantajoso para você ou não.

Bora fazer a cuca funcionar?

ANÚNCIO

Os cartões de lojas

Em praticamente todas as grandes lojas, especialmente as de departamento, quando você compra um produto, o vendedor já avisa:

– “Com o cartão da loja você tem vantagens, vai querer fazer o seu”?

Se você tem o hábito de comprar em lojas, sabe do que estamos falando!

As vantagens você mesmo já está sabendo, tudo na ponta da língua:

  • Gratuidade na adesão,
  • Descontos em todas as lojas do grupo,
  • Maior possibilidade de parcelamentos,
  • Frete grátis para as compras feitas online,
  • Promoções exclusivas,
  • Consultoria virtual sem custo,
  • Descontos em shows e eventos,
  • E o melhor: você pode solicitar cartão de loja pela internet quando quiser.

Caraca, com tantas vantagens assim dá até vontade de ter um né. Um não, vários!

Só que por trás dessa máscara de benefícios, o que os vendedores esquecem de te dizer é que existem as taxas de juros que são cobradas ou os serviços adicionais.

Ou você estava pensando que esses cartões eram apenas maravilhas?

Nós não queremos fazer jabá para uma empresa ou outra e muito menos criticá-las.

Só que vamos usar um exemplo, que foi citado pelo site Dinheirama e tem a ver com o cartão de crédito da Magazine Luiza. Veja aí o relato.

Cartão do Magazine Luiza

A financeira da Magazine Luiza é a LuizaCred, uma associação que foi feita com o Itaú Unibanco.

O cartão é da bandeira Mastercard e em 2015 lucrou 3,8 bilhões a mais que os anos anteriores.

Para solicitar um desses é bem fácil, afinal, estamos falando em solicitar cartão de loja pela internet, também.

No entanto, as exigências são: ter uma renda mínima mensal e comprovada de 800 reais e pagar a anuidade de 81 reais por ano, sendo que o valor pode ser dividido em algumas parcelas.

Para quem é cliente “ouro”, não se cobra a anuidade.

E as principais vantagens são: limite maior para o parcelamento, ofertas exclusivas, cartões adicionais e parcelamento da fatura.

Aliás, o parcelamento pode ser feito em até 24 meses, mas não sem a cobra de juros e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Por sinal, há recomendações durante o seu contrato, confira algumas:

– Se você pagar uma quantia inferior ao pagamento mínimo ou não realizar o pagamento até a data do vencimento da fatura, estará em atraso e deverá pagar encargos.

– Os principais encargos são: juros e IOF sobre o valor não pago.

– Esses valores ainda serão acrescidos de uma multa de 2% e os juros moratórios de 1% ao mês.

Como você já deve imaginar, não “há almoço grátis”, não é?

Controle financeiro?

Se você já tentou solicitar cartão de loja pela internet, especialmente do Magazine Luiza, deve ter visto que a chamada é: “Contrate agora e dê uma força para seu orçamento”.

Só que a possiblidade de parcelamento não garante nada ao seu orçamento e pode te levar, inclusive, ao descontrole financeiro – e, futuramente, inadimplência.

O Banco Central (BC) tem uma tabela onde informa as taxa mensais e anuais cobradas das pessoas físicas no cartão de crédito parcelado e a LuizaCred é a 7ª mais cara do Brasil.

Isso nos leva a crer que a maior parte das varejistas que tem cartões de crédito de fácil adesão e baixa exigência de renda acaba ganhando dinheiro em troca dos descontos.

A dica, portanto, é: antes de adquirir um desses cartões, analise as condições, os custos e saiba se realmente isso vai ajudar você com o seu orçamento financeiro pessoal.

E dividir a compra em dois cartões de crédito?

É cilada, Bino. Essa flexibilidade de pagamento que existe em lojas físicas permite dividir o valor de uma compra em dois cartões de crédito diferentes.

Assim, também é possível parcelar em opções diferentes.

Tudo conforme o desejo do consumidor.

Mas, na prática, amiguinhos, isso faz com que o consumidor aumente o limite de crédito dele.

E aí, aumenta o risco de super endividamento.

“Muito se fala em uso consciente do cartão de crédito. Mas deveríamos também falar sobre responsabilidade na concessão”.

“Ainda mais em um momento no qual o cartão de crédito é alvo de medidas como a que deve reduzir os juros pagos no crédito rotativo, cobrados quando o consumidor atrasa ou não quita o valor da fatura”.

A frase acima é de Ione Amorim, economista do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec).

Então, a dica que fica é: não se deve utilizar dois cartões no mesmo pagamento.

“Como o consumidor está comprometendo mais do que 30% da renda, qualquer imprevisto pode provocar um grande descontrolo no orçamento”.

“Ainda que não haja imprevistos, é necessária muita disciplina para acompanhar gastos em mais de um cartão, ainda mais se forem parceladas”.

O ideal – e super indicado – é quitar as compras já existentes no cartão para aumentar o limite de crédito disponível até que o valor seja suficiente para realizar a aquisição.

Ter ou Não Ter Cartão de Crédito: Eis a Questão!

Se você viu o vídeo, você notou que existem 3 pontos positivos do Cartão de Crédito, tais como:

  • A facilidade do poder de compra,
  • O acúmulo de milhas (para quem viaja) e
  • A facilidade de compra, que pode ser feita, por exemplo, pela internet.

Mas, atente-se ao fato do pagamento da Parcela Mínima!

É ele que vai fazer você pagar juros, entrar em dívidas e chegar à falência.

Considere as taxas do cartão da loja

Listamos as taxas cobradas que fazem parte de uma nova regulamentação criada pelo Banco Central, a partir de 2011.

E isso aconteceu porque, até então, haviam mais de 80 tarifas diferentes que era cobradas para a utilização do cartão.

Sim, OI-TEN-TA tarifas! Agora são só 5, confira aí

Anuidade do Cartão de Crédito

Ou para parecer mais “aceitável”, chamam de Taxa de Manutenção.

Ela é cobrada pelos bancos para custear os gastos do cartão de crédito.

Assim sendo, cada instituição financeira pode cobrar um valor diferente para essa taxa e para cada tipo de cartão de crédito.

A regra é mais ou menos assim: quanto mais benefícios você tem, maior será a sua taxa. Então, cuidado com todas essas vantagens que os bancos te oferecem através desse cartão!

O seu Cartão de Crédito com certeza tem um limite, que nada mais é do que um empréstimo que o banco te faz para você pagar no mês seguinte (com juros, claro).

A questão é que, em se tratando de empréstimo, esses juros são muito altos.

O que são juros muito altos?

No caso do saque dos cartões de créditos, são algo em torno de 17% ao mês. Um absurdo!

Mas não é só isso, o saque do dinheiro no cartão de crédito ainda te cobra o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que é automaticamente.

O valor também é variável, mas fica na média entre 8 reais e 25 reais CADA SAQUE!

Emissão da Segunda Via do Cartão de Crédito

Na verdade, não é nada incomum de acontecer o fato do seu cartão de crédito ser roubado.

Aliás, mesmo que você perca-o e esteja precisando com urgência, o que fazer?

Para esses casos, a melhor solução é pedir uma segunda via, que é cobrada.

O único caso onde não é cobrado o valor é quando a perda do cartão ocorrer por responsabilidade do banco.

Nesse caso, os valores também variam muito. De qualquer forma, é um gasto que pode ser evitado!

Pagamento de Contas pela Cartão de Crédito

A maior parte dos bancos permite que os pagamentos gerais (como boletos) sejam feitos via cartão de crédito.

Sim, parece ótimo poder pagar a sua conta de água, de luz ou do celular pelo cartão de crédito, não é? #SQN!

Avaliação Emergencial do Limite do Crédito

Esse é um dos serviços menos conhecidos pelas pessoas.

Imagine que você tenha que fazer uma compra com um valor que seja acima do seu limite, então, você pode solicitar esse aumento de crédito no banco.

Até aí tudo bem, mesmo porque o banco pedirá um tempo para reavaliar tal pedido.

O fato é que você também pode fazer isso de forma automática, sem pedir tal autorização. E acontece quando você realiza compras acima do seu limite de crédito.

Isso é considerado uma avaliação emergencial, que, obviamente, é cobrada pela instituição financeira.

Novamente, o valor varia conforme o banco e o cartão usado.

solicitar cartão de loja pela internet

17 verdades não ditas

Separamos esse tópico para fazer várias abordagens rápidas, mas totalmente verdadeiras sobre os cartões de crédito das lojas.

São dúvidas comuns dos consumidores, questionamentos corriqueiros e tudo mais que você sempre quis saber e nunca te contaram. Confere aí!

1 – Os limites de crédito são mais baixos

Você pode até solicitar cartão de loja pela internet, mas saiba que, de forma geral, os limites serão mais baixos do que um cartão de crédito comum, como os de bancos tradicionais ou digitais.

Então, definitivamente, você tem que saber para que vai precisar desse cartão.

Se for para compras altas, não vai adiantar muito.

Por sinal, nem adianta pegar vários cartões para somar, isso seria um erro gigantesco.

2 – Planos de financiamento de produtos

As lojas também costumam oferecer cartões que tem a função de “financiamento” para as compras maiores e mais caras.

Eles parcelam a compra acima do valor do seu limite, só que você tem que se atentar à taxa de juros e outros custos que podem estar envolvidos.

Afinal, toda compra de longo prazo precisa ser muito bem planejada.

3 – O pagamento integral da fatura

Pagar as faturas sempre em dia é o melhor comportamento para quem tem cartão de crédito.

Isso porque quando esse pagamento não acontece o banco compra juros por emprestar um dinheiro a você e você tem a chance de parcelar a sua compra.

“A taxa de juros usada na rolagem de dívidas do cartão de crédito é uma das mais elevadas. Se perceber que não vai conseguir quitar o valor, procure o banco e negocie um empréstimo no montante da dívida”, diz o economista Samy.

“Pague a fatura e passe a dever em outra modalidade, que provavelmente cobrará juros mais baixos”, completa.

4 – Os benefícios não são eternos

De uma maneira geral, os cartões de lojas não têm benefícios eternos.

Isso quer dizer que se você fica 3 meses ou mais sem usar o cartão, pode ser que a empresa limite os seus benefícios ou simplesmente os corte.

O ideal, nesse caso, é colocar tudo em uma balança: será que vale a pena comprar apenas para manter os benefícios?

5 – Cartão de crédito internacional

Outro cuidado é para com os cartões internacionais.

A facilidade aparece quando os clientes vão para outros países.

Nesses lugares, eles podem usar o cartão como forma de pagamento.

O que eles não sabem é que a fatura do cartão de crédito é feita em um dia diferente da compra. Logo, o valor final pode ser diferente e você vai acabar gastando mais.

Nessas compras também há a incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

6 – Comodidade é tudo?

O que se sabe é que as pessoas que mais fazem cartões de loja são aquelas que dizem ter esse comportamento devido à comodidade dos benefícios e facilidades nas compras.

Mas, na real, sempre há verdades ocultas, como estamos mostrando neste artigo.

O ideal é levar em conta se a comodidade não está custando caro demais, mesmo porque nem todos os cartões de lojas são aceitos em todos os lugares.

Além das taxas e impostos, né.

7 – Cartão de loja x cartão de crédito comum

Não há muitas diferenças entre um e outro.

Você pode solicitar cartão de loja pela internet assim como um cartão de crédito tradicional.

Além disso, os usos são parecidos também.

Até grandes bancos podem oferecer cartões sem anuidade, dependendo do seu relacionamento com a empresa.

8 – Os produtos são mais caros no crédito

Talvez você nunca tenha notado, mas as compras feitas com cartão de crédito sempre são mais caras porque essa forma de pagamento inclui juros.

Aliás, você já viveu a situação onde um vendedor oferece um desconto para quem pagar o produto a vista, não é?

Portanto, o contrário também vale: compras a crédito são mais caras.

Em resumo, ainda que possa ser uma boa opção para parcelar compras, o cartão de crédito pode te fazer gastar mais por um produto que custaria menos se fosse pago no dinheiro em espécie.

9 – Os juros do cartão de crédito são altos

Mesmo com a medida do atual presidente, Michel Temer, no final do ano passado, na qual reduziu os juros cobrados no cartão a partir do primeiro trimestre desse ano.

A taxa chegava à 475% ao ano, de acordo com o Banco Central.

Esse número representa um percentual de 200 pontos de aumento nos últimos 5 anos.

E para se ter uma ideia comparativa, outros países cobram valores bem mais baixos:

  • Peru (43,7%),
  • Argentina (43,29%),
  • Colômbia (30,45%),
  • Venezuela (29%),
  • Chile (24%),
  • México (23%).

Guia Completo sobre as Novas Regras do Cartão de Crédito: Quando Usar e Como Economizar Dinheiro!

Já comparando com outras opções, o cartão de crédito também é campeão:

  • Cheque Especial (329%),
  • Empréstimo Pessoal (161%),
  • Juros do Comércio (99%),
  • Crédito Automotivo (31%).

“Aqui no Brasil é praticamente impossível pagar o rotativo do Cartão. Mesmo sendo um crédito pré-aprovado, não deveria haver taxas tão abusivas”, afirma a economista da Proteste, Renata Pedro.

Portanto, aqui também não tem segredos: entrou em dívidas, esconde o Cartão de Crédito em um lugar que não vá achar tão cedo.

É verdade! Faça isso imediatamente.

10 – O cartão de crédito impulsiona os consumidores

Está provado em pesquisas que o comércio oferece muitas oportunidades (através da estratégias de marketing) para estimular as compras que, tantas vezes, são desnecessárias.

Quando você está com um cartão de crédito na mão, a impressão que tem é a de que tem dinheiro para comprar o que quiser.

Mas não é assim que funciona porque o crédito só vai jogar para frente seu débito, mas ainda assim você terá que pagá-lo.

Se você tem algum instinto consumista, o ideal é evitar sair com o cartão de crédito na bolsa.

Em caso contrário, corre um risco desenfreado de gastar mais do que deve.

11 – Cartão de lojas – como solicitar?

São muitos os cartões de loja hoje em dia, como de supermercados, lojas de roupas, farmácias, concessionárias, livrarias, etc.

E, para conseguir pedir o seu basta ir até a loja física ou simplesmente entrar no site oficial da companhia.

Meus caros, solicitar cartão de loja pela internet nunca foi tão fácil: você pode fazer isso com alguns cliques e descrição de informações pessoais.

12 – Venda casada

Agora, cuidado.

Ninguém é obrigado a fazer um cartão da loja para comprar algum produto, está bem?

Isso seria uma venda casada, que é crime, conforme Lei.

Você, como consumidor, é livre para escolher a forma de pagamento que quiser, podendo ser outro cartão de crédito ou mesmo o pagamento à vista, em dinheiro.

A própria Proteste é “contra” esses cartões, mas recomenda que você só faça se realmente for útil para melhorar a sua vida financeira e, claro, sempre mantendo os cuidados necessários.

13 – Contrato do cartão de crédito

Aqui talvez seja o tópico mais importante porque é onde tudo tem que estar escrito.

Sua segurança estará toda no contrato, principalmente com questões sobre juros, pagamentos, prazos, compras.

Para o Procon, o contrato firmado é um contrato de adesão, logo, as clausulas são todas expostas apenas pela administradora do cartão (o banco).

Por isso, é tão importante ler.

14 – O cancelamento do cartão de crédito

Esse é um ponto que costuma causar muita dor de cabeça em vários clientes.

O importante é saber que, conforme o Procon, o contrato pode ser rescindido de acordo em comum com ambas as partes.

A administradora do cartão tem que disponibilizar um telefone para contato, com ligação gratuita e a opção de solicitar informações sobre o cancelamento.

Após a solicitação, a administradora tem que tomar as providências, como não emitir mais as faturas e nem mesmo com a cobrança de anuidade ou outro serviço atrelado.

Além disso, tem que disponibilizar um comprovante (por correspondência ou telefone).

15 – O recebimento da fatura

O recebimento da fatura do cartão de crédito também é importante e vamos explicar por que.

De maneira geral, no Brasil, todas as faturas dos cartões de crédito são enviadas mensalmente aos consumidores e tem que demonstrar a movimentação financeira dele no período.

Nele também tem que estar a data de vencimento, valor total a pagar, valor para pagamento mínimo, encargos contratuais e o limite do crédito.

Hoje em dia, com o avanço da tecnologia, esse recebimento pode ser feito via online – por e-mail, celular ou outros meios.

O que não pode acontecer é a falta dessa fatura porque o atraso no pagamento acarreta em multa.

Logo, o consumidor tem o direito de pedir o ressarcimento da dívida.

Se a falta de envio permanecer por longos meses, o ideal é procurar o órgão de defesa ao consumidor.

16 – Cartão de crédito sem a solicitação

Outro ponto que dá muita dor de cabeça é o envio do cartão de crédito sem que o cliente tenha solicitado ao banco.

Essa é uma prática totalmente abusiva e tem que ser informada ao Procon.

O mesmo vale para quando o cartão múltiplo é imposto. Esse cartão é um que tem as duas funções: crédito e débito.

Descubra Como Sair das Dívidas Usando o Cartão de Crédito 

O consumidor não é obrigado a aceitar esse tipo de cartão e o banco não pode se negar a atender a solicitação de desmembramento dos cartões – sendo que a escolha é do cliente.

17 – Renegociar as dívidas

Com a alta tecnologia do mundo moderno, existe um turbilhão de opções de renegociar dívidas.

Mas, o telefone ainda é o mais usado.

No entanto, o melhor conselho é aquele que diz para fazer isso pessoalmente.

O telefone, neste caso, torna-se totalmente impessoal, sem que o atendimento leve em conta as argumentações claras do consumidor assim como do gerente do banco ou de quem estiver renegociando.

Além do mais, por telefone, a atendente tem a VERDADEIRA função de insistir no pagamento do valor mínimo da sua fatura, o que é péssimo para você, já que só vai aumentar o problema.

A saída mais viável é ir até o banco pessoalmente e abrir o jogo.

Revele sua dificuldade, mas nunca sem deixar transparecer o seu medo. Imponha-se diante do atendente.

Mostre que você sabe dos seus direitos e que sabe também que o banco precisa ajustar a dívida com a sua necessidade.

Com informações da Dinheirama, Crédito ou Débito e Juros Baixos

ANÚNCIO