Sobre Viajar em 2017: “ou você tem dinheiro ou vai se endividar”

Conforme o site do Governo Federal, em 2017 haverá 9 Feriados Nacionais e mais 5 considerados Pontos Facultativos, ou seja, são aqueles que devem ser observados pelos órgãos e entidades da Administração Pública Federal para que não afete a prestação dos serviços considerados essenciais.

“A Portaria 369 também ressalva que é vedada a antecipação de ponto facultativo. Em dias de guarda dos credos e religiões não relacionados poderão ser compensados, desde que previamente autorizado pelo responsável pela unidade administrativa de exercício do servidor”.

Em ordem cronológica, a lista dos feriados e dos pontos facultativos é a seguinte:

  • 1 de janeiro – Confraternização Universal
  • 27 e 28 de fevereiro – Carnaval
  • 1 de março – Quarta-feira de Cinzes
  • 14 de abril: Paixão de Cristo
  • 21 de abril: Tiradentes
  • 1 de maio: Dia Mundial do Trabalho
  • 15 de junho: Corpus Christi
  • 7 de setembro: Independência do Brasil
  • 12 de outubro: Nossa Senhora Aparecida
  • 28 de outubro: Dia do Servidor Público
  • 2 de novembro: Finados
  • 15 de novembro: Proclamação da República
  • 25 de dezembro: Natal

Aí, você pode estar refletindo: “Mas isso é não significa nada demais, afinal, são praticamente as mesmas datas dos anos anteriores”.

E você tem razão, mas o que ainda não sabe é que desse montante, vários feriados serão prolongados, ou seja, aqueles que incidem com o final de semana. Em abril, por exemplo, os dois feriados caem em sextas-feiras. Já em maio, o feriado é na segunda-feira.

E, para quem gosta de viajar e turistar, é um prato cheio. Eis, então, que chegamos ao nosso assunto principal: o planejamento financeiro com foco nessas viagens, com base nos feriados prolongados. Curte aí as nossas dicas.

Como começar 2017 sem dívidas? 10 dicas para economizar dinheiro com viagens

Edmar Bull é presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav) e afirma que mais do que os anos anteriores, em 2017, o turista não poderá deixar para comprar a passagem na última hora. Esse é o 1º ponto a ser pensado.

Para ele, em 2016 muitas companhias deram o desconto relâmpago, o que não deve acontecer neste ano, já que será um período com ofertas menor de passagens aéreas por causa da diminuição da malha das companhias.

Sendo assim, o turista tem que escolher os trajetos mais curtos e que seja, preferencialmente, os nacionais. Isso é constatado pela despesa do brasileiro com viagens internacionais, que em 11 meses do ano passado somou mais de 13,1 bilhões de reais, ou seja, uma queda de quase 20% referente à 2015.

Outra especialista é Lavínia Martins, da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros, ela afirma que quem está pensando em viajar tem que se encaixar em uma dessas 2 opções: ou já tem dinheiro ou vai se endividar. Ela comenta isso reafirmando o mau uso, com as compras excessivas, do Cartão de Crédito.

Já pensando no turista que vai ao exterior, também há medidas que devem ser tomadas. “Ao fazer uma viagem internacional, as pessoas perdem de 15 a 20% do valor total da viagem com taxas e ágios das casas de câmbio e bancos nas transações de troca de moeda”, explica Maurício Pires.

Sobre Viajar em 2017: “ou você tem dinheiro ou vai se endividar”

Reprodução: Google

4 Dicas para quem vai viajar em 2017

Se você tem o plano de viajar este ano, veja aí alguns conselhos:

1 – Temporadas: Como visto, serão muitos feriados prolongados, o óbvio então é que, nessa época os valores das pousadas ou das passagens aumentem. Com isso, o que já não é novidade para ninguém é que as baixas temporadas se tornam as melhores opções, com valores mais atrativos, além de evitar a perca de tempo nas filas.

Então, nesse caso, se você tem a disposição e disponibilidade para viajar na baixa temporada, faça isso! Seu dinheiro agradece!

2 – Cartão de Crédito: Ele parece o Kinder Ovo, já comeu? Traz sempre uma surpresa. Só que, normalmente, a surpresa é ruim. Isso é importante porque o câmbio só é sabido no fechamento da fatura, então, pode ser que o dólar esteja um valor hoje, mas outro quando sua fatura for fechada. O conselho então é usá-lo apenas nas compras que não aceitam outra forma de pagamento.

Se puder, dê preferencia à compra de moeda do destino para evitar sustos.

3 – Guias: Se seu foco é viajar mas sem gastar muito, você pode buscar a alternativa de passear foram da recomendação do seu guia turístico. Para quem gosta de viver o dia a dia e conhecer a cultura local, sair do circuito turístico pode ser uma boa opção para o gosto, para o bolso e para a bagagem cultura.

No entanto, não faça isso se não conhecer alguns detalhes do local e se não tiver um bom senso de direção. Sair da correnteza do guia, requer astúcia.

4 – Período: Se você vai viajar por um período longo de tempo ou está com o dinheiro contadinho, pode se tornar um novo morador ao invés de ser apenas um turista. Atualmente, existem muitos aplicativos que fazem essa ponte entre você e o locador e ter uma acomodação que tenha cozinha, pode sair mais barato do que ter que almoçar em restaurantes.

Bom, visto isso e conforme orientações citadas acima, viajar nacionalmente pode ser uma boa opção para quem quer gastar pouco, mas não quer abrir mão do passeio anual. Então, separamos alguns lugares que podem ser boas opções.

Atenção: São apenas opções e o viajante tem que estudar e pesquisar sobre tais lugares porque, se não fizer isso, o barato pode sair caro! Leia e se interesse!

7 Passos para economizar dinheiro e realizar a viagem dos sonhos, incluindo os 10 melhores aplicativos

Pronto: as pesquisas apontaram. Mas, convenhamos que nem precisa, não é? Quem não gosta de viajar? Fora esses dados, sabemos dos efeitos psicológicos das viagens, são maravilhosos. Sair da rotina, tomar um café da manhã diferente, respirar um ar diferente e não ter que enfrentar aquele monte de ligações telefônicas no trabalho… Ah, é difícil encontrar alguém que não goste de viajar! Continue Lendo…

2 Opções de Lugares Nacionais para Viajar em 2017

1 – Chapada dos Veadeiros (Goiás) – É considerado um paraíso natural que tem, por exemplo, o Vale da Lua, formado por uma geologia de mais de 1 bilhão de anos e animais raros, além das cachoeiras e cataratas.

O casal Karla e Fred foram para lá em 2016 em um roteiro que durou 4 dias e a vista em vários atrativos da região do Parque Nacional, que é declarado Patrimônio Mundial Natural pela Unesco.

O principal acesso é o Aeroporto de Brasília. “É um destino que todo brasileiro deve conhecer”, disse o casal.

Sobre Viajar em 2017: “ou você tem dinheiro ou vai se endividar”

Reprodução: Google

Segundo eles, quem ai à Chapada, tem 3 opções de onde ficar: Alto Paraíso de Goiás (Recomendado pelo Conforto e pelas opções de Pousadas), São Jorge (É uma opção roots que oferece alternativa como campings e hostels) e Cavalcante (Que, apesar de ser boa indicação, costuma ter menos opção de hospedagem).

No Parque, são várias opções de lazer, uma delas é uma pequena trilha que parte de Alto Paraíso e passa pelos seguintes pontos: Cachoeira dos Cristais, Almécegas II, Cachoeira Loquinhas, Flor d’Ouro, Cachoeira São Bento, Vale Dourado, Águas Termais e Poço Encantado.

2 – Paraty (Rio de Janeiro): Como dizem, é uma cidade acolhedora e histórica. Murilo Pagani foi turistar lá no ano passado e conta que as praias, as trilhas e cachoeiras tornam o lugar único. Sendo que os aeroportos de Galeão e Guarulhos são os principais meios de chegar até o local.

“Paraty é uma cidade para conhecer sem pressa”, ela diz, quando fala sobre as construções antigas e cheias de detalhe. Sobre as belezas naturais, ele conta que a cidade não deixa a desejar.

As principais atrações são o Centro Histórico de Paraty, a vila de Trindade, as praias do Sono, Antigos e Antiguinhos e os passeios a barcos.

Com informações do Estadão e Terra