Small Caps 2017 – Como investir dinheiro nas ações mais baratas da bolsa

A ideia de investir dinheiro nas ações mais baratas da bolsa de valores é muito simples: você compra a empresa quando ela está “desvalorizada” e posteriormente tem o poder de vendê-las quando ela “valorizar” – o resultado é ganhar dinheiro.

Só que em se tratando de B3 (Bolsa de Valores do Brasil), a grande dificuldade está em descobrir quais são, exatamente, essas ações baratas e lucrativas de 2017.

Por incrível que pareça, apesar de não ter uma resposta concreta e exata, há indícios de que alguns tipos de ativos da renda variável possuem exatamente essa função: as small caps!

  • Mas, o que são as small caps?
  • Aliás, quais são as melhores small caps?
  • Quais foram as melhores small caps em 2017?

É justamente para responder essas questões que este artigo foi criado!

Se você é uma pessoa que tem preguiça de ler ou que tem pressa para ir direto ao ponto, saiba que este texto pode não ter sido escrito para você. Aqui, criamos muitos tópicos…

Mas isso tem um objetivo – o de te fazer entender porque as small caps são ótimas opções de ações baratas e lucrativas e que precisam ser pensadas no próximo ano!

Por outro lado, se você continuar lendo, terá grandes chances de conseguir aprender um pouco mais sobre a Bolsa de Valores. Nós não vamos te entregar uma fórmula mágica, entenda isso! Mas temos condições de te mostrar como funciona essa clássica ideia de:

Comprar na baixa e vender na alta”!

Leia e se você gostar do conteúdo compartilhe com seus amigos. Vamos crescer juntos, vamos lucrar juntos, a bolsa de valores é muito grande e tem espaço para todo mundo!

O Mercado Financeiro nos dias atuais

Com as recentes notícias das prováveis quedas da Taxa Básica de Juros da Economia, Selic, era de se imaginar que os investidores recuassem um pouco da Bolsa de Valores, deixando as ações de lado, enquanto, a instabilidade termine.

Na verdade, o processo está acontecendo totalmente o contrário!

Com a queda da rentabilidade das aplicações financeiras da renda fixa, cada vez mais os investidores tem buscado conhecimento sobre as empresas que compõe a BM&FBovespa, em busca de melhores rentabilidades para seus investimentos.

Além disso, com algumas grandes empresas anunciando prejuízos e outras sendo julgadas por fatores políticas, criou-se uma situação de oportunidade para a compra de ações baratas na Bolsa de Valores de São Paulo.

Se você não conseguiu enxergar essas oportunidades, que tornou essa uma das melhores épocas para investir dinheiro em ações continue lendo o artigo com bastante atenção.

As ações no Mercado Financeiro Atual

Os retornos financeiros das ações no mercado são muito instáveis porque dependem de muitos fatores.

Por isso, mesmo as ações mais baratas da bolsa superam todas as outras classes de ativos financeiros quando o assunto é investimento no longo prazo.

Historicamente, o mundo passou por várias transformações sociais, políticas e econômicas ao longo dos últimos séculos, o que é possível notar com um mercado extremamente previsível no longo prazo – de alta.

Tivemos duas grandes guerras mundiais e inúmeros conflitos, como depressão, ataque terrorista e desastres naturais… Mesmo assim, o retorno no longo prazo é fornecido pelas ações de grandes empresas, que tem sido consistentes e previsíveis, em certo ponto.

2017, de fato, não foi um dos melhores anos para o brasileiros, mas também está longo de representar o “fim do mundo”. O país, assim como o mundo, vai se recuperar em breve e as ações vão continuar tendo seu caminho exponencial para cima.

Guia Básico sobre as Ações mais Baratas da Bolsa

É muito difícil investir em ações quando todo mundo está vendendo – parece como nada contra a correnteza e, por natureza, somos seres sociais e não queremos nos destacar da multidão. Isso é mais comum do que possa se imaginar.

O fato é que o mercado acionário é temido e entrar nele quando todo mundo parece estar fugindo, soa muito estranho – atem que ter muita coragem para caminhar na direção oposta.

Mas, se falta motivação, vamos lembrar-nos de Warren Buffett – o investidor de sucesso que é conhecido por “ser ganancioso quando os outros investidores estão com medo e fica com medo quando os outros estão gananciosos”.

Obviamente, não estamos falando em comprar ações de empresas que não são sérias ou que estão envolvidas em processos judiciais. Claro que não. Isso seria jogar dinheiro fora, literalmente.

Porém, existem muitas empresas, que têm excelentes registros de rentabilidade e são inovadoras nos seus setores, com bons produtos e que são levadas para baixo quando o mercado está à um preço baixo, muito baixo.

Com certeza, essas ações precisam ser consideradas, vias de fato.

Não estamos falando de forma especifica de cada empresa – apesar de que no final do artigo vamos citar algumas. Mas, a ideia é que você, leitor investidor, entenda que muitas ações podem ser valorizadas no futuro justamente porque estão com valores baixos.

Eis que falamos das ações baratas!

O que considerar na hora de Comprar Ações Baratas?

O primeiro ponto é entender que o mercado de ações não é um jogo de loteria – logo, você não tem que “jogar dinheiro” lá e ficar torcendo para dar certo. Não! As companhias que tem seus nomes listados na Bovespa precisam ser estudadas e analisadas.

Obviamente, se elas forem boas companhias, as ações mais baratas da bolsa serão valorizadas com o tempo. É assim que funciona.

Para ganhar dinheiro com as ações, considerando a valorização delas, o investidor tem que considerar a companhia como um todo, incluindo-se como um participante dela. Para isso, se pergunta sobre o

  • Fluxo de Caixa,
  • Projetos no Longo
  • Prazo, Receitas, etc.

Comprar uma empresa por um preço justo é considerar que ela vai continuar prosperando.

Sabemos que você não tem nenhuma bola de cristal, por isso, separamos algumas análises que podem ser feitas, levando em consideração as características especificas para se fazer um bom investimento acionário.

Empresas que Dominam o Mercado

Algumas empresas dominam o mercado e, obviamente, seus setores de atuação. Isso pode acontecer, por exemplo, se ela estiver por trás de uma marca forte, se for uma grande rede ou se tiver altos custos envolvidos em mudanças de operação.

Com essa disposição, ela dificulta os concorrentes de obterem uma posição e torna mais provável que a empresa vai ficar bem sucedida em termos financeiros.

Retorno do Patrimônio Líquido

É uma medida sobre o quão bem a empresa usa o seu dinheiro investido para gerar crescimento e lucros.

Pagamento de Dividendos

É a consistência e o crescimento de forma constante e regular da companhia, o que é um ótimo sinal de que ela está sempre a ganhar dinheiro e dividir isso com seus acionistas.

Empresas Commodities

Você há de concordar que o Brasil não passa por um bom momento político e econômico há algum tempo. No curto e médio prazo, ainda que tenha a perspectiva de melhora, não se sabe ao certo o tempo para isso acontecer.

Logo, devemos considerar as empresas sólidas que operam também foram do país – as exportadoras de produtos e serviços. Elas costumam ser ótimas fontes para os investimentos financeiros.

Por que vale a pena comprar as ações baratas da bolsa?

Ninguém mais ninguém menos do que Albert Einstein disse que a forma mais poderosa da Terra é o Juro Composto. O poder dele é incrível desde então. E surpreendente.

Na prática, se você investe 100 reais por mês desde os 25 anos de idade e tem 8% de rendimento ao ano, ao chegar nos 65 anos você teria acumulado 337 mil reais.

Se o seu rendimento for um pouco melhor, de 10% ao ano, então, seu patrimônio subiria para quase 600 mil reais no mesmo período.

Essa é a maior prova de que não importa quanto você vai investir agora e sim, por quanto tempo vai conseguir manter essa constância.

E, só para constar, um retorno de 10% ao ano na Bolsa de Valores é baixo, bem abaixo do que é esperado todos os anos, ok? Tem carteiras recomendadas que rendem bem mais do que isso.

Esperamos que tenha ficado claro que operar na bolsa de valores em tempos de crise não é tão medonho quanto dizem por aí.

Se você analisar as empresas do mercado e acompanhar constantemente os momentos exatos de compra e venda, o sucesso é questão de tempo, verdadeiramente.

Em tempos de crise, as ações tendem a cair, o que é ótimo para o bom investidor, que encontra ações baratas para investir naquela hora. Logo, elas vão subir e ele vai lucrar. O jogo é de paciência e atenção, além de uma pitada de dedicação diária.

Como as emoções influenciam na compra de ações baratas na bolsa?

É importante conter a ansiedade e não se precipitar em apenas considerar o valor de mercado dos papeis, alguns pontos chaves são necessários e importantes, especialmente para os novatos que ainda não tem muita experiência com o mercado de ações.

Saiba que nem sempre as ações mais baratas das empresas são as melhores, porém chamam atenção por oferecer melhores oportunidades para a compra.

Você já sabe quase tudo na hora de analisar uma companhia na Bolsa de Valores. Mas, conhecimento nunca é demais, confira mais algumas orientações para não falhar.

Para começar, é um dos pontos principais é verificar o lucro líquido da empresa analisando a consistência da margem de lucro nos últimos anos.

A segunda dica é selecionar empresas com tempo de existência com média de 10 anos, pode ser um pouco menos, mas para isso é preciso considerar os fatores que envolvem a capacidade de administração de dívida.

Uma empresa estável e bem administrada quando adquiri dívida, ainda assim consegue se manter controlada diante da situação, significa que ao analisar uma empresa para comprar ações.

Caso ele tenha dívidas é muito importante avaliar o lucro líquido em relação ao patrimônio líquido da empresa para melhor avaliar se a empresa consegue e como se comporta diante da dívida que contraiu.

Parece muito extensa essa análise, mas não é se considerar que se trata do seu dinheiro, então a cautela é sempre uma boa opção independente do tipo de investidor, seja conservador ou moderado.

Sobre a avaliação entre o valor de mercado e o valor do patrimônio que também é designado como múltiplo preço versos valor. Para melhor entendimento, quanto menos o valor quanto a análise apresentada, o preço da ação na Bolsa de Valores estará mais baixo.

As ações mais baratas da bolsa durante o ano de 2017

A citação das companhias que vamos fazer não é para beneficiar algumas compras ou outras. Na real, é um mero exemplo de tudo que falamos até aqui – são exemplos. Reais e verdadeiros, mas exemplos.

Além dessas opções, existem muitas outras empresas que estão com suas ações baratas, abaixo do que é considerado justo e, portanto, são totalmente indicadas para a compra.

As 3 ações baratas que vamos citar agora vieram de alguns comentários feitos por João Paulo Reis, que é da Venture Investe outros de Marco Saravalle, que é da XP Investimentos.

A opinião em concordância deles diz que a Marcopolo (POMO4)Mahle Metal Leve (LEVE3) e a Indústrias Romi (ROMI3) estão com ações baratas devido à desvalorização criada pelo atual cenário na bolsa de valores.

Na opinião deles, elas foram desvalorizadas pela piora da economia.

“Acho que já vamos ter uma sinalização muito forte de recuperação nesse trimestre da Marcopolo e, por isso, é um dos papéis para ficarmos mais otimistas no 2º semestre. Precisamos antecipar o movimento. Os sinais ainda não são muito claros, mas mostram que provavelmente o pior já passou”, diz Saravalle.

Small Caps 2017 – Como investir dinheiro nas ações mais baratas da bolsa

Reprodução: Google

Onde entram as Small Caps nessa história toda?

Continuamos preferindo as Small Caps”.

Foi essa a resposta dos analistas do Bradesco BBI, que citaram ainda 3 pontos positivos das ações Small Caps 2017: melhores expectativas para os lucros em 2018, apostas de quedas de juros e surpresas positivas que podem vir do lado do crescimento.

A resposta foi dada após o Infomoney questionar sobre as 10 melhores ações do ano, sendo 5 de empresas de grande porte e 5 de pequeno porte (Small Caps), sobre quais eram mais atrativas na Bolsa de Valores.

Para quem ainda não conhece muito sobre as Small Caps, é preciso saber que muitos investidores veem nelas uma boa oportunidade de externar o lado especulador, investindo dinheiro em ações com uma estratégia que visa acreditar no potencial de crescimento do que, propriamente, nos seus fundamentos.

Tem também aqueles investidores que investem nas Small Caps porque veem uma alternativa de mostrar posições de empresas cujo crescimento ainda não foi precificado e tem potencial especulativo, logo, valorização. É o chamado Buy and Hold.

Por sinal, para a maioria dos analistas, o mais indicado é justamente o Buy and Hold e não as especulações.

“Empresas Small Caps com fundamentos ruins acabam passando por períodos de forte especulação, o que acaba distorcendo os preços dessas empresas. Isto pode te trazer muitas alegrias, mas também pode trazer muitas tristezas”, diz Adriano D’ercole, adviser de renda variável do private bankingdo Banco Fator.

“Se você quer especular, fazer day trade, tem muitos papéis com muito mais liquidez e que mesmo assim registram fortes variações diárias, como por exemplo os do setor imobiliário”, complementa o especialista.

O que são Small Caps?

São ações de empresas de baixa capitalização, ou, de maneira informal, também chamadas de ações de segunda ou terceira linha.

Mas, não vá pensando que são empresas que devem ser deixadas de lado.

As Small Caps podem ser ações que não possuem a mesma liquidez das grandes empresas da Bolsa de Valores. Tudo é uma questão de comparação.

Para que não fique dúvidas, vamos recorrer à senhora do mercado de ações, a Bovespa, que diz o seguinte:

Blue Chips (Empresas de 1ª linha)

São ações de grande liquidez (negócios) e procura no mercado por parte dos investidores. Em geral, são empresas tradicionais, de grande porte e excelente reputação.

De 2ª Linha

São ações pouco menos líquidas, mas que tem boa qualidade. Em geral, são empresas de grande e médio porte.

De 3ª Linha

São ações com pouca liquidez e, em geral, são empresas de médio e pequenos portes. Porém, isso não significa que tenham menor qualidade.

Resumidamente, as Small Caps são empresas que tem menor volume de negociação na Bolsa de Valores, portanto, há menor liquidez e maiores riscos (tanto de ganho quanto de perda).

Além disso, elas costumam ter gráficos difíceis de serem analisados.

O que deve ser observado na hora de apostar em Small Caps?

O primeiro passo é notar a liquidez da empresa. Se os volumes de negociação estão muito baixos ou se a empresa é muito nova, por exemplo. Se isso acontecer, vai existir um risco de você comprar e depois não conseguir vender.

E, isso pode ser acentuada pela dificuldade de análise mercadológica, já que, na maior parte das vezes, as ações são novas na Bolsa de Valores, o que não torna possível estabelecer dados confiáveis.

Outra questão que precisa de atenção é a precificação das ações, que, como regra, deve estar compatível com as operações da marca. Se não, ela pode oscilar fortemente, de maneira negativa.

Por fim, note sempre se o capital está sendo bem investido ou se há questões sobre falência e recuperação judicial, isso pode ser muito importante na sua tomada de decisão.

Índice SMLL

O índice SMLL é sempre destaque da bolsa de valores.

Bom, como todos sabem, a BM&FBovespa tem o Ibovespa como principal índice, que lista as empresas mais negociadas.

Já o Índice Small Caps é uma carteira de ações composto pelas empresas de menor capitalização. Ele é muito usado, pelos investidores, como indicador de desempenho médio das ações.

Atualmente, o Índice Small Cap da BM&FBovespa é formado por 60 companhias e, entre elas, podemos destacar a Bradespar, que tem participação de 3,7%, a Fleury com 4,8%, a Qualicorp com 3,1%, a Sanepar com 3,5% e a Sulamerica com 3,4%.

Qual o Valor de Mercado das Small Caps

As categorias mudam com o tempo, assim como os índices. Para se ter uma ideia, no anos 80 uma ação Big Cap tinha um limite de US$ 1 bilhão, hoje, o esse tamanho representa apenas uma Small Cap.

Mas, como estamos falando de 2017, fizemos uma pequena lista com os valores de mercado, seguindo a divisão por ordem:

  • Mega Cap – US$ 200 bilhões ou mais
  • Big Cap – US$ 10 bilhões ou mais
  • Mid Cap – US$ US$ 2 bilhões à US$ 10 bilhões
  • Small Cap – US$ 300 milhões à US$ 2 bilhões
  • Cap Micro – US$ 50 milhões à US$ 300 milhões
  • Cap Nano – Abaixo de US$ 50 milhões

É importante saber também que as ações das maiores empresas captam mais atenção da Bolsa por serem mais lucrativas, no entanto, elas representam a minoria das ações.

Para você entender melhor: a Mega Cap representa apenas 0,1%, enquanto que a Micro Cap fica com 18,8% e a Small Cap 17,6%.

Fundos de ações Small Caps

“Os fundos de ações Small Caps mitigam o risco da diversificação. O investidor deve avaliar a taxa de administração, taxa de performance, características do gestor e o desempenho histórico do fundo para avaliar a consistência da gestão”, diz Bolivar Godinho, que é professor de Finanças da Unifesp.

Ele também cita o ETF Small 11, um fundo que replica o Índice Small Caps e é negociado na BM&FBovespa, que pode ser uma alternativa aos investidores que preferem os fundos do que investir diretamente em ações.

Porém, ele aconselha: “Recomendo a aplicação direta apenas para investidores com domínio dos conceitos de avaliação de empresas e horizonte de investimentos de longo prazo”.

Small Cap, como toda ação, é feita de boas histórias e más histórias, não há regra nem receita de bolo para investir nelas. O que existe é trabalho, pesquisa, coragem para acreditar em uma história que pode ou não dar certo e muita expertise envolvida”, diz Adriano D’ercole, adviser de renda variável do private banking do Banco Fator.

“É importante você ter paciência, pois as vezes o papel vai ficar muito tempo sem andar, podendo até oscilar para baixo até que o negócio mature”, diz o especialista.

Dica para iniciantes sobre as Small Caps

Normalmente, essas empresas têm ações de valores baixos. Assim, um investidor iniciante pode pensar na seguinte situação:

“Se eu comprar 10 mil reais em ações que vale 50 centavos, terei 20 mil ações”. Isso é verdade, de fato. Porém, se essas ações caem 10 centavos, então, mesmo com as mesmas 20 mil ações, o investidor terá apenas 8 mil reais.

Ou seja, nem tudo que parece bom, é, de fato, bom. Esses truques e muitos outros mais, são ensinados no Curso do Trovó, que é indicado para iniciantes assim como para quem já conhece um pouco do Mercado Financeiro. Faça-o e aproveite, porque ele é gratuito.

Indicações das Small Caps 

Para os analistas, enquanto o índice MSCI Brazil Small Cap precifica apenas 4 trimestres de crescimento de lucros, o MSCI Brazil larg cap precifica 8 trimestres, mesmo sabendo que o primeiro grupo (das Small Caps) supera em 12% o desempenho do segundo (das Larges Caps), no acumulado do ano.

“Nesse sentido, o MSCI small cap pode subir 37% apenas para precificar a expectativa do consenso do mercado sobre o crescimento de lucro em 2018”, diz o relatório do analista.

E nesse relatório eles divulgaram as 5 melhores Small Caps com suas contrapartes large caps no mesmo setor. De todas, as 5 empresas de menor porte foram vistas como mais atrativas pelos analistas do Bradesco BBI.

Confira abaixo parte do relatório, onde estão indicadas das melhores Small Caps 2017 e as possíveis expectativas por serem consideradas as mais interessantes para o momento.

Levando em conta que o Bradesco, Cesp e o Iguatemi são enquadrados como Small Caps, frente aos seus pares, Engie e BR Malls.

Cesp (CESP6) versus Engie (ENGI3)

“Preferimos a Cesp dado o valuation mais atrativo e potencial de valorização, relacionado à potencial privatização, que pode implicar em um ganho de 37% a 71%, dependendo dos cenários de extensão de concessão”.

Energisa (ENGI11) versus Equatorial (EQTL3)

“Preferimos Energisa também pelo valuation, embora ambas se beneficiem de retomada do PIB (Produto Interno Bruto) e tenham drivers semelhantes, como oportunidades de fusões e aquisições, por exemplo”.

Iguatemi (IGTA3) versus BR Malls (BRML3)

“Preferimos Iguatemi, que deve se beneficiar mais do mundo atual ciclo monetário e recuperação de PIB, além de já estar apresentando números operacionais melhores e mais consistentes comparado à BR Malls, o que justificaria um prêmio a BR Malls”.

Iochpe-Maxion (MYPK3) versus Weg (WEGE3)

“Preferimos a Iochpe, dado que ela deve se beneficiar mais rápido do crescimento doméstico (duráveis/auto devem se recuperar mais rápido do que bens de capitais), além de ter valuation mais barato (P/L está 52% abaixo da média histórica) e se beneficiar do processo de desalavancagem”.

Magazine Luiza (MGLU3) versus Pão de Açúcar (PCAR4)

“Preferimos Magazine Luiza, uma vez que ela tem maior exposição a duráveis (100% contra 35% do Pão de Açúcar) e maior alavancagem operacional, que deve ser um driver importante para melhor performance relativa em um cenário de recuperação doméstica”.

A indicação do BTG Pactual é para maio, que está nos seus últimos dias, mas a carteira de junho ainda não saiu. Portanto, nota-se que o papéis serão citados ainda mais durante este artigo.

Para quem é cliente do banco, as indicações foram: Iguatemi (20%), CVC (20%), Magazine Luiza (20%), Linx (20%) e Tupy (20%).

“Com uma carteira composta principalmente de ativos AAA, acreditamos que a Iguatemi pode oferecer um crescimento sólido, enquanto que qualquer nova queda nas taxas de juros deve beneficiar muito a empresa”, disseram os analistas.

Small Caps 2017 – Como investir dinheiro nas ações mais baratas da bolsa

Reprodução: Google

Sobre Ficar Rico investindo em ações baratas na bolsa

O lado bom dessa história é que, como já foi dito aqui nesse texto, você pode se beneficiar desses juros compostos.

Como?

Emprestando seu dinheiro, ao invés de pegar emprestado. É o que eu sempre digo: você tem que caminhar para a riqueza, e fazemos isso emprestando dinheiro, seja com Rendas Fixas ou na Bolsa de Valores.

Sendo assim, quanto maior o tempo que tivermos nosso dinheiro investido maior será o valor final. Essa é, sem duvida, a melhor estratégia de investimento para ficar rico.

Oras, em um calcula rápido e simples, podemos dizer que uma pessoa aplicar 22 mil reais à um juros de 11% ao ano e continuar depositando todos os meses mais 200 reais… Em 30 anos, o investidor terá chego aos 7 dígitos. Sim, será o mais novo milionário.

E se você é uma pessoa que pensa no futuro – nos filhos e nos netos – saiba que se você investir apenas 1 mil reais hoje, fixando uma taxa de 12% ao ano, em 60 anos você terá uma herança de mais de 1,3 milhões de reais.

O importante para esse caso, e para todos os outros, é que você entenda que é preciso ter disciplina e tempo, além de conhecer os riscos da sua aplicação.

Conclusão: ninguém fica rico porque tem um ótimo salário, mas porque gasta menos do que ganha e sabe fazer o dinheiro que sobrou render juros.

É como uma sequoia – sabe, aquelas árvores gigantescas?

– Pois bem, elas precisam de uma média de 100 mil litros de água para sobreviver durante a vida toda.

Mas, o detalhe é que eu não posso despejar um caminhão pipa com essa quantidade de água em cima dela, de uma só vez. Porque não vai funcionar e ela não vai sobreviver.

No mercado financeiro é a mesma teoria: eu preciso regar dia a dia.

Dar um passo de cada vez e o primeiro passo é eu fazer com que sobre dinheiro no final do mês. Além disso, eu preciso ser transparente com a minha família e saber exatamente aonde eu quero chegar. Enfim, leia os 7 passos aqui.

Da Redação