Simulador de Investimento – R$ 54 mil em 10 anos ganhando um salário mínimo

Se você ganha um salário mínimo, não se desespere! Você pode acumular patrimônio (em mais de 50 mil reais) durante apenas 10 anos poupando simples 30% da sua renda mensal.

No próximo ano você pode ganhar dinheiro – aprenda a usar o simulador de investimento.

A ideia é começar com a Caderneta da Poupança e terminar em um Fundo Multimercado.

Interessou?

Você também acredita que é possível ter um bom planejamento financeiro a partir de alguns cálculos e disposição para juntar dinheiro? Saiba que é possível de forma simples e a partir de um simulador de investimentos porque você saberá quanto terá no futuro.

Bem, esse não será um dos nossos maiores artigos (em termos de tamanho) porque visamos a objetividade, então, você tem que prestar a atenção para não perder nenhum detalhe.

Outra observação importante é que na maior parte do texto estaremos falando em investimentos financeiros da renda fixa, ou seja, que são totalmente conservadores. Logo, você não corre o risco de perder dinheiro se seguir os passos abaixo.

Se você já é um investidor experiente, que conhece tudo sobre os índices e as aplicações financeiras fique sabendo que não vamos fugir dos produtos mais conhecidos e “bancários”, como a poupança, CDBs, LCI/LCA e o Fundo Multimercado.

Como falamos no início, você não precisa ficar ansioso porque seremos breves neste texto, só que não há como entregarmos os números se não falarmos sobre o valor que vamos trabalhar (salário mínimo) e sobre os tipos de investimentos financeiros que vamos usar, tudo bem?

Se você tem curiosidade em saber a história do salário mínimo, leia aqui. Não vamos explicar detalhadamente neste artigo para que ele não fique longo demais!

Leve em conta também que nossa ideia é falar sobre o simulador de investimento e não vamos ter “tempo” para explicar exatamente como funcionam as taxas, como o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) ou a Selic (taxa básica de juros), por exemplo.

Simulador de Investimento – R$ 54 mil em 10 anos ganhando um salário mínimo

Reprodução: Google

Sobre o Salário Mínimo

Quando foi estabelecido, o salário mínimo tinha a ideia de criar um “valor mínimo” para que os trabalhadores recebessem conforme suas horas trabalhadas e que isso não ficasse muito inferior à média dos outros salários.

Portanto, independente da sua profissional, se você segue a cartilha da Carteira de Trabalho e atua durante 44 horas semanais, tem que ser um salário mínimo.

Hoje, esse valor está em 880 reais, com algumas variações e muitos boatos de que pode diminuir nos próximos anos – mas ovamos considerar os 880 para facilitar as contas.

Outro ponto importante é sobre a porcentagem que vamos usar desse salário – nada a mais e nada a menos durante os 10 anos de investimento financeiro.

Optamos por usar 30% do salário para aplicar.

Mas, por que esse valor? É simples!

Um financiamento leva a regra dos 30%. Por exemplo, se você quer financiar uma casa e faz um pedido de crédito, o banco vai calcular tudo com base no seu salário e te dará apenas 30% de crédito para pagar as parcelas mensalmente.

Conforme esses números, o banco acredita que um valor maior do que esse poderia complicar demais a vida do cliente.

Portanto, nós vamos considerar que você não tenha feito um financiamento e que possa usar os 30% para os investimentos, sem que isso aperte o planejamento financeiro.

Portanto, considere esses dois pontos importantes: o salário mínimo (880 reais) e a porcentagem de 30% dessa renda (240 reais). É isso que vamos usar a partir de agora no nosso simulador de investimento!

Dessa forma, você não precisará vender o seu carro ou algum bem para “dar de entrada” no seu investimento – vamos partir do zero, da estaca zero. Isso torna o investimento totalmente possível para qualquer pessoa, inclusive, para você.

Ah, sobre o tempo de investimento, estamos falando em 120 meses, somente. Ou seja, 10 anos. É importante estabelecer prazos, já que alguns investimentos exigem isso e se você “sacar” o dinheiro antes, pode perder rentabilidade.

Sobre os investimentos financeiros usados

A nossa ideia não é falar de algo que nunca ninguém ouviu falar – ao contrário!

Queremos apresentar alguns nomes que já são ouvidos cotidianamente e que devem fazer parte da vida dos novos investidores.

Atentem-se, todos os investimentos citados aqui são seguros e estão no banco.

Isso não quer dizer que as aplicações dos bancos são as melhores, só que é senso comum que o investidor se sinta mais seguro nessas instituições, por isso, optamos por esses títulos.

Bem, optamos pelos nomes: poupança, CDB, LCI/LCA e multimercado. Vamos explicar – resumidamente – cada uma dessas aplicações financeiras.

É importante entende-las para que você saiba o que está acontecendo no nosso simulador de investimento, beleza?

A Caderneta Poupança

A poupança é um produto dos bancos dos mais antigos do mundo.

Quando criada, a ideia era simples: a de guardar dinheiro. Com o tempo, ela ganhou o benefício de trazer rendimentos para o investidor. Hoje, ela funciona exatamente dessa forma.

Só que se comparada a outros investimentos, a caderneta da poupança tem um rendimento baixo.

Oras, se rende pouco, por que nós vamos usar a poupança? Vamos explicar!

O primeiro motivo é pela facilidade de se guardar dinheiro na poupança. Por exemplo, se você tem uma conta em um banco, qualquer que seja, você pode ter uma conta poupança sem ter nenhum gasto para isso – é gratuita, não cobra imposto e não tem burocracia.

Até quem está com o nome sujo pode ter uma poupança.

Dessa forma, quando começarmos a falar do nosso simulador de investimento, considere que a poupança não será usada para rentabilizar o seu dinheiro, mas sim para acumular patrimônio. Na prática, estamos falando em juntar dinheiro!

E, além de tudo, para a poupança o investidor não precisará buscar muito conhecimento sobre o mercado financeiro – as poupanças funcionam de formas iguais e rendimentos iguais independente do banco. Logo, uma poupança é sempre uma poupança.

Os CDBs (Certificado de Depósitos Bancários)

Os CDBs são produtos bancários que são totalmente voltados para os investimentos financeiros. A teoria é simples: o investidor empresta dinheiro ao banco e recebe juros por isso.

Existem algumas variáveis, por exemplo, o tempo de investimento e o valor de aplicação, que normalmente não é tão baixo quanto da poupança. O lado bom, em comparação com a caderneta, é que a rentabilidade anual é bem maior.

Geralmente, o CDB é o primeiro passo para a pessoa que quer sair da poupança (que tem pouco rendimento) e que, ao mesmo tempo, não quer sair do banco (como ir para os títulos públicos do governo federal – Tesouro Direto).

Os CDBs têm rentabilidades diferentes conforme os títulos e os bancos. Portanto, nem toda LCI é vantajosa… Isso vai ser importante para você escolher o seu produto – alguns pagam 70% do CDI e outros 110% do CDI para você ter uma ideia.

Na maior parte das vezes, os CDBs exigem um capital inicial de 5 mil reais e um prazo de, ao menos, 36 meses para resgate. Baseamo-nos nessa informação para compor nosso simulador de investimento, ok?

LCI/LCA (Letras de Crédito Imobiliário e Letras de Crédito do Agronegócio)

Nessa opção, temos uma igualdade parecida com a dos CDBs. Só que algumas diferenças.

Por exemplo, o valor inicial para investimento, normalmente, é maior de 20 mil reais.

Por isso, a rentabilidade também costuma ser maior.

O que vai variar também é a rentabilidade, que costuma ser menor do que o CDB. Mas, calma!

Isso não quer dizer que esse investimento seja pior. Sabe por quê? Porque esse título do banco não cobra o Imposto de Renda.

Outra diferença é que o banco vai usar o valor emprestado para fins específicos nesse caso. Na LCI, o dinheiro para o setor imobiliário; já na LCA, o dinheiro vai para o agronegócio.

Fundo Multimercado

Para explicar o fundo multimercado vamos precisar de um pouco mais tempo. Mas, é fácil entender, confira.

Um fundo, qualquer que seja, funciona assim: um gestor organizado vários ativos dentro de uma carteira de investimento. Depois, o valor total da carteira é dividido entre vários cotistas, que são os investidores dos fundos.

Por exemplo, um fundo de renda fixa aplica em ativos da renda fixa (CDB, LCI, LCA, Poupança). E a porcentagem de cada ativo fica por conta do gestor do negócio, que normalmente é o banco.

Para o investidor, isso pode parecer ótimo porque minimiza a chance de risco de perda. E, além de tudo, vai ter alguém que fará todo “trabalho sujo” de acompanhar o mercado e escolher as melhores opções que vão compor a carteira.

Só que não é bem assim, não.

Apesar disso tudo, os fundos tem a cobrança extra da taxa de administração.

O que um fundo precisa para ser bom? Precisa ter um bom gestor, que fará a rentabilidade aumentar e ser significativa. Mas precisa também ter uma baixa taxa de administração porque isso pode corroer o investimento total.

Logo, na hora de usar um simulador de investimento considere as taxas de administração.

Mas, e o fundo multimercado?

Muito bem, chegamos ao ponto x do tópico!

Um fundo multimercado é aquele que é um pouco mais agressivo do que os da renda fixa.

Isso acontece porque ele aplica dinheiro em vários ativos, tanto da renda fixa quanto da variável. Ou seja, pode ter porcentagens em CDBs da mesma forma que tem em ações.

Aqui é preciso muita atenção, muita mesma!

Se em um único CDB você quase não tem risco, no fundo multimercado pode ficar no zero a zero.

Ah, então, por que devemos aplicar nessa opção de investimento? Justamente porque ele é mais agressivo – se você souber escolher pode ter uma rentabilidade muito maior do que na renda fixa.

Para se ter uma ideia, vamos trabalhar com uma poupança que rende 8% ao ano. Já no fundo multimercado, a média do mercado, fala em valores de 20% ao ano. E um CDB teria um rendimento de 10,5% ao ano.

Entenda que essas médias são do mercado e podem sim variar. O segredo é escolher conforme o histórico do título, do banco, dos valores, considerando as taxas. Tudo isso é importante, portanto não vá pegando qualquer CDB ou qualquer fundo que ver pela frente.

Você vai precisar estudar o mercado e saber o que está comprando.

Bom, deu para entender o Fundo Multimercado, certo? – qualquer dúvida, pode nos deixar um comentário abaixo.

Simulador de Investimento – R$ 54 mil em 10 anos ganhando um salário mínimo

Reprodução: Google

R$ 54 mil em 10 anos ganhando um salário mínimo – COMO?

Enfim, chegamos ao nosso resultado final.

Você já sabe com os valores que vamos trabalhar e também conhece um pouco mais sobre cada opção de investimento financeiro. Resta saber como conseguir fazer tudo isso se transformar em resultados financeiros positivos!

Observe que a nossa recomendação abaixo é apenas uma ideia de estratégia e você, se estudar firmemente, vai conseguir montar sua própria carteira, baseado nos seus próprios objetivos financeiros.

A ideia deste artigo é mostrar que é possível acumular patrimônio em pouco tempo e mesmo ganhando um salário baixo – tudo a partir de um simulador de investimento.

Separamos os próximos em tópicos em números apenas para facilitar o seu entendimento e ter uma ordem numeral cronológica, ok?

1 – Juntar Dinheiro na Poupança por 2 anos

Já falamos que a poupança não foi feita para rentabilizar o dinheiro e sim para acumular patrimônio.

Além disso, falamos em 240 reais por mês, que devem ser aplicados todos os meses SEM FALTA. Se você ficar 1 ou mais meses sem aplicar o dinheiro, o nosso simulador de investimento não fará sentido, ok?

240 reais aplicados durante 24 meses vai te dar um patrimônio de 6.207,00.

Consideramos uma rentabilidade de 8% na poupança (sim, aqui estamos sendo otimistas demais) e com as quedas da Selic esse valor pode variar… Leve em conta isso, tudo bem?

Com o valor de mais de 6 mil reais, você já deve pular fora da poupança.

2 – Começar a Ganhar Dinheiro no CDB por 3,5 anos

Usamos esse prazo porque normalmente os CDBs são de 3 anos e, além disso, precisamos chegar aos 20 mil reais para ir para o próximo investimento.

Então, por mais 42 meses continue aplicando 240 reais só que agora em um CDB, que tenha, ao mínimo, 10,5 de rendimento anual.

Se conseguir fazer isso – o que não é muito difícil – você vai acumular patrimônio em 20.819,00.

3 – Acumular Patrimônio na LCI/LCA por 3 anos

Investindo um capital inicial de mais de 20 mil reais em uma LCI ou LCA e aplicando mensalmente os 240 reais por 36 meses, você conseguir somar 40 mil reais em 3 anos.

A ideia dessa Letra de Crédito vale muito a pena e é considerável. Só que leve em conta o prazo de investimento… Nem toda opção é só de 3 anos e algumas podem ser de 5 ou mais. Pesquise!

Nós consideramos uma LCI com uma taxa de 12% ao ano – é uma boa rentabilidade.

4 – Dividir o Investimento entre a aplicação conservadora e a agressiva por 1,5 anos

Depois de juntar os 40 mil reais, o ideal é que você divida o seu investimento, mantendo uma parte mais segura, para render os valores da renda fixa, como tem feito até agora.

Outra parte você pode optar por uma opção mais agressiva, que renderá mais.

Dessa forma, você equilibra o seu investimento financeiro – é o que os analistas gostam de chamar de diversificar os investimentos, sendo uma parte dedicada para ganhar dinheiro e outra para assegurar os investimentos.

Temos a seguinte sugestão:

Os primeiros 20 mil reais podem ficar na própria LCI/LCA.

Em 18 meses (1,5 anos), sem precisar aplicar nada mensalmente, e pensando em uma rentabilidade de 12,5% ao ano… Você teria 23.500,00.

No mesmo período, só que adicionando os mesmos 240 reais mensais – como você fez até agora – você conseguiria ter 31.200,00 em um fundo multimercado que renda ao menos 20% ao ano.

Observe que na renda fixa, você poderia trabalhar sempre com os 20 mil reais, tendo-a como margem de segurança. Toda vez que você dobrar o valor, você pega metade e investe em alguma opção mais rentável, para ganhar dinheiro, vias de fato.

Já na renda mais agressiva, como o fundo multimercado, o ideal é você ficar atento ao mercado e analisar qual a melhor opção para o momento. Como falamos, os fundos de investimentos têm altas taxas de administração, e isso é ruim.

Se você se dedicar algum tempo a estudar o mercado de ações, poderá começar a investir nessa modalidade financeira no decorrer dos anos – mas apenas quando tiver conhecimento técnico para isso.

Resumo da Ópera – 50 mil reais em 10 anos investindo apenas 240 reais… É possível!

Dessa forma, confirme como teremos acumulado em 10 anos – sempre com aportes mensais de 240 meses (que é 30% de um salário mínimo).

  • 2 anos na poupança – 6.207,00
  • 3,5 anos no CDB – 20.819,00
  • 3 anos na LCI/LCA – 40.000,00
  • 1,5 anos na LCI/LCA e Multimercado – 54.700,00

Agora, você pode até achar esse valor pouco demais e aí, tudo bem, você pode até ter razão. Mas, considere que fizemos os cálculos para alguém que ganhe um salário mínimo.

Se você tem a sorte (ou a competência) de ganhar mais do que isso, aumente esses aportes mensais.

Você pode investir o dobro? 500 reais todos os meses? Então, faça isso e chegará mais rápido aos 50 mil reais ou em 10 anos terá muito mais do que esse valor.

A ideia é entender que é possível ganhar dinheiro mesmo ganhando pouco. Você precisará, porém, ter controle financeiro e muita dedicação. Mas, entenda que é totalmente possível.

Para finalizar, trouxemos um último tópico para falar sobre o planejamento financeiro… Confira!

Simulador de Investimento – R$ 54 mil em 10 anos ganhando um salário mínimo

Reprodução: Google

O que é o Planejamento Financeiro Pessoal?

É o básico do básico do básico. Nada mais é do que planejar o seu dinheiro. Claro que não estamos falando de você saber exatamente quanto vai gastar todos os meses, afinal, você nem sabe quantos lanches vai comer na rua, não é?

Sem contar com aquela cervejinha com os amigos e o churrasco de domingo.

Mas a grande questão é saber exatamente quanto você tem de dinheiro para gastar e quanto pode gastar desse montante.

Ninguém, na história do mundo, conseguiu prosperar na vida financeira sem que tivesse um orçamento mensal dos ganhos e das “perdas”.

Quando se tem um planejamento financeiro em ordem, as chances de tudo começar a ir pelo caminho certo é de 50%. Sendo que a outra metade vai depender do quanto você se dedica para colocar a teoria na prática.

A importância do Planejamento Financeiro

Diante de todas as reformas políticas anunciadas nos últimos meses e a eleição do próximo ano, não resta dúvida de que as pessoas que tem planejamento financeiro serão as que terão os melhores amparos se pensarmos em uma nova crise econômica.

A começar por essas reformas, podemos falar da previdência, que se destaca como sendo uma das que mais vão mexer com o futuro dos trabalhadores.

“Nos momentos mais críticos, ter uma reserva de emergência garante o padrão de vida e seus benefícios”, diz Silas Devai Júnior, especialista em dinheiro.

Pensando nisso, separamos as principais dúvidas das pessoas quanto ao planejamento, a fim de garantir a segurança financeira e sem ficar totalmente dependente do Governo Federal.

Guia Rápido para um Planejamento Financeiro ideal

“É necessária uma mudança na maneira como as pessoas encaram as suas vidas financeiras, entendendo que o controle adequado é fundamental para alcançar o equilíbrio”, apontou o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) fizeram uma pesquisa para compreender a relação do consumidor brasileiro com o consumo.

O resultado é mais óbvio do que parece: apesar das pessoas entenderem a importância do planejamento financeiro, mais da metade (51%) afirmaram não fazer nenhum controle sistemática do orçamento mensal.

Dentre os que responderam positivamente, os que fazem uso de cadernos e agendas é a maioria, aproximadamente de 32%. Já os que usam planilhas no computador são de 15% e aplicativo no celular é a menor porcentagem, 4%.

Para entender melhor: 6 em cada 10 entrevistas tem dificuldade para fazer o controle mensal, quase 60% das pessoas, sendo que a maioria dessas pessoas comentaram sobre a dificuldade de recordar os pagamentos.

Viver de renda sem sofrer com as despesas fixas

Esse tópico é especialmente para os trabalhadores informais, ou seja, aqueles que não têm salário fixo – a melhor forma de resolver é tendo disciplina financeira e construindo um bom orçamento doméstico anual.

A dica é ter uma avaliação dos gastos mensais, incluindo as contas fixas e as variáveis, estimando as possíveis receitas, ainda que seja apenas uma estimativa.

A solução é encontrar um equilíbrio entre o dinheiro que entra e o que sai – isso te ajuda a não comprometer os seus compromissos, mesmo em épocas onde as receitas são menores.

Investimentos melhores do que a poupança

Com as várias quedas da Selic, algumas opções da renda fixa vão perdendo rentabilidade, a começar pela poupança.

Existem algumas aplicações financeiras que sofrem menos com essa exposição, como os fundos multimercados, que são compostos pela Renda Fixa e também pela Renda Variável, o que aumenta a rentabilidade.

A dica para investir em fundos multimercados é escolher um produto que não tenha taxa superior a 2% e que a rentabilidade fique acima dos 110% do CDI.

O recomendado para tanto é encontrar uma Corretora de Valores confiável.

“Portanto, quando receber seu salário, reserve a quantia necessária para seus objetivos e remodele o seu padrão de vida. Assim você abandonará hábitos de consumo exagerados e inconscientes e passará a ser alguém que realizará sonhos constantemente”, diz Reinaldo Domingos.

Uma alternativa para quem gosta da Renda Fixa é alongar os investimentos, como a compra de títulos da dívida pública, feita pelo programa do Tesouro Direto.

Evitar gastos desnecessários

O principal motivo para as pessoas não conseguirem se organizar financeiramente é a questão comportamental e a maneira como encaram o consumo, o valor dado ao dinheiro, dentre outras, são importantes para desenvolver os problemas financeiros.

Para quebrar a barreira, o melhor caminho é estabelecer os sonhos e se conectar com eles, mas definindo quanto é preciso se esforçar para transformar o sonho em objetivos financeiros.

A partir disso, é possível encontrar a forma ideal de poupar dinheiro – portanto, crie os melhores hábitos de poupança.

Converse com a família sobre dinheiro

Poupar dinheiro tem a ver com fazer com que a família toda participe.

“Será preciso que todos na família, inclusive as crianças, mudem o comportamento no que diz respeito ao desperdício e aos gastos extras”, diz Reinaldo Domingos.

O mais indicado é marcar uma conversa com todos em que o assunto não seja a redução de gastos, mas sobre sonhos a ser realizados – “fale abertamente e estabeleça ao menos um sonho em comum, algo que todos desejem, como uma viagem ou uma reforma”.

Cuidado com o consumo desenfreado

O melhor hábito para economizar dinheiro é tomar cuidado com o consumo desenfreado de produtos ou serviços. As compras na internet facilitaram tudo isso, mas aumentaram o número de inadimplentes no Brasil.

A dica é pesquisar preços sempre que for fazer uma compra.

E sobre fazer uma compra, leve em conta comprar apenas o que for necessário. Pense em reutilizar produtos, reaproveitar alimentos e comprar usados – isso também tem a ver com manter um planeta mais sustentável.

A dica é fazer listas e listas sobre as necessidades diárias.

Como Ter um Planejamento Financeiro Pessoal Perfeito?

Até o final do artigo vamos te mostrar como é possível fazer um planejamento financeiro perfeito sem precisar ficar dependente de profissionais qualificados e que entendem tudo de números.

Aqui, estamos falando em conseguir conciliar os ganhos com os gastos, deixando o saldo sempre positivo no final do mês.

Em qualquer família do mundo, o certo é nunca gastar mais dinheiro do que a renda recebida no mês. A entrada tem que estar acima da linha das despesas. E é assim que a vida acontece.

Isso não é fácil de conseguir, nunca duvide disso. Nós sempre ganhamos muito menos do que merecemos ou do que é necessário para ter uma vida confortável. A alimentação é cara hoje em dia. Os remédios então, mais ainda.

Tem ainda transporte, energia, água e muitos outros. Portanto, colocar tudo em um valor mensal é bem difícil.

O lado bom dessa notícia é que qualquer pessoa pode quitar as dívidas ou ficar rica se baseando apenas em um planejamento financeiro simples e rápido.

Aquela ideia de ganhar mais do que se gasta é importante e tem que estar na sua mente em toda parte desse texto.

A partir disso, vale pensar em outras questões: Como fazer para ganhar dinheiro?

É aqui que entra uma parte muito importante que muitas pessoas não conseguem levar em consideração observando a sua importância. Tão importante quanto equilibrar as contas é investir dinheiro.

Calma! Investir dinheiro não é coisa só de quem tem dinheiro não! Qualquer pessoa pode investir dinheiro no Brasil.

O Planejamento Financeiro Pessoal e as Dívidas

O que pouquíssimas pessoas percebem é que a dedicação ao planejamento financeiro está totalmente proporcional ao não endividamento.

É muito claro que trocar uma satisfação imediata por um equilíbrio financeiro no futuro é difícil, principalmente em meio a tanta mídia e publicidade. No entanto, junto com isso aumenta-se o número de pessoas endividadas no Brasil.

No ano passado, quase metade da renda das famílias brasileiras estavam destinadas ao pagamento de dívidas, conforme informações do Banco Central.

O Planejamento Financeiro Pessoal está distante da rotina dos Brasileiros, mas ele é necessário.

Da Redação