Entenda todos os segmentos de listagem da B3 – do Novo Mercado ao Bovespa Mais

ANÚNCIO

Atualmente, muito se fala sobre as empresas listadas no Novo Mercado. Mas, você sabe o que isso significa na prática? O Novo Mercado é um exemplo entre os segmentos de listagem da B3. Porém, além dele existem outros também.

De antemão, saiba que esses segmentos são importantes para falar sobre a gestão das empresas que possuem ações na bolsa de valores. Logo, esse é um indicativo para o investidor que quer comprar uma ação dela. Afinal, ter uma boa gestão é um ótimo fundamento.

ANÚNCIO

No entanto, essa questão da gestão não tem a ver apenas com a sociedade da empresa, ok? Há diversos outros fatores que possuem peso importante nessa questão. Bom, vamos explicar um pouco mais disso nos próximos tópicos.

No Brasil, a ideia de governança corporativa começou a ganhar força mesmo em 1994, quando nasceu o IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa). A ideia dele era a de melhorar a qualidade da gestão das empresas brasileiras.

Os segmentos de listagem da B3

Antes de citarmos todas as opções é importante que você saiba que esses segmentos são focados em governança corporativa. Ou seja, é um sistema que envolve todas as partes da empresa, como gestão, sociedade, conselhos, fiscalização, etc.

ANÚNCIO

O resultado é a criação de um sistema que foca nas boas práticas para a manutenção do negócio. No caso da B3, a lista possui exigências para que as empresas se posicionem em cada um dos segmentos, que são referências dentro da bolsa de valores.

Inclusive, só para contextualizarmos a importância dessa governança, saiba que ela pode resultar em redução de risco em várias áreas. Por exemplo, no abuso de poder, na prevenção de erros estratégicos e até mesmo de fraudes.

O Novo Mercado

O primeiro dos segmentos de listagem da B3 é também o mais importante de todos, o Novo Mercado. A gente fez uma matéria hoje mais cedo para falar sobre ele. Inclusive, na matéria, a gente cita tanto os benefícios como os requisitos de estar listado nesse benchmark.

Do lado dos requisitos, nós temos o tag along, o free float, o conselho de administração e até mesmo a oferta pública de aquisição de ações. Para terminar a matéria, a gente deixa a seguinte reflexão: será que vale a pena ter empresas listadas no Novo Mercado na carteira?

Se você quer ver mais detalhes dessa primeira opção de segmentos, leia a matéria toda.

O Nível 2

O Nível 2 é outro dos segmentos de governança que existe. Inclusive, ele é o mais próximo do Novo Mercado. Porém, tem algumas mudanças. Uma delas é no direito de que as companhias listadas mantenham as ações preferenciais também. No Novo Mercado, todas são ordinárias.

Outra diferença importante é que no caso da venda da companhia, os acionistas das ações ordinárias e preferenciais devem ser assegurados em um mesmo “tratamento”. Logo, o tag along é de 100%  do preço pago por ações ordinárias.

Nível 1

Um pouco abaixo, nós temos o Nível 1. Basicamente, são empresas que adotam práticas de transparência e que focam em mecanismos de acesso às informações para os investidores. Logo, também possuem calendário anual de eventos corporativos importantes.

Bovespa Mais

Está um pouco mais longe do Novo Mercado. Ainda assim, tem algumas vantagens, como o fato de ter o objetivo de selecionar pequenas e médias empresas dentro do mercado de capitais. Então, é como se fosse uma vitrine para elas.

Assim, a B3 permite captações menores, que são destinadas a poucos investidores e com expectativas de retorno ao longo do tempo.

Bovespa Mais Nível 2

Para terminar os segmentos de listagem da B3, nós temos o Bovespa Mais Nível 2. Logo, ele tem a mesma relação que o Bovespa Mais. No entanto, em caso de venda da companhia, tanto os acionistas dos papéis ordinários como preferenciais possuem o mesmo “tratamento”.

Assim, o resultado é uma tag along de 100% do preço pago por ação ordinária.

Resumo da ópera toda

Se você ficou um pouco confuso com tanta informação, saiba que a gente encontrou na internet uma tabela que mostra as exigências em cada um dos segmentos. Veja abaixo.

segmentos de listagem da B3

Desse modo, fica mais fácil você entender aonde a sua empresa está localizada. Obviamente, as companhias listadas no Novo Mercado costumam ter referência dentro do mercado acionário.

Assim, a gente termina a matéria. No entanto, como é habitual, a gente sempre faz questão de deixar alguma parte mais reflexiva ou complementar no final do artigo. Dessa vez, não será diferente e é para falar sobre o índice de governa corporativa.

Os índices de governança corporativa na B3

Atualmente, existem alguns índices que são focados nesses segmentos de listagem da B3. Na verdade, ao todo são 4 deles que consideram tais empresas. Vamos explicar, brevemente, cada um deles para você conhecer.

segmentos de listagem da B3

IGC (Índice de Ações com Governança Corporativa) – tem o foco de medir o desempenho das empresas com bons níveis de governança. Exemplo: Bradesco, CPFL, Embraer.

IGCT (Índice de Governança Corporativa Trade) – é composto por empresas com bons níveis de governança, mas que tenham critérios de alta liquidez também. Por exemplo: CEMIG, Vale, BR Brokers.

IGC-NM (Índice de Governança Corporativa do Novo Mercado) – o nome é bastante simples e indica as ações listadas no Novo Mercado. Exemplo: Arezzo, CCR, Direcional, Grendene, Kroton, Natura.

ITAG (Índice de Ações com Tag Along Diferenciada) – nessa opção final, a ideia é medir o desempenho de uma carteira teórica de ações de empresas com melhores condições para acionistas minoritários. Exemplo: Cielo, Even, Fleury, Grendene.

ANÚNCIO