Aprenda o passo a passo para se recuperar financeiramente após as crises

ANÚNCIO

A gente pode ter passado por uma crise global ou pessoal. Isso não importa. Mas, o fato é que toda crise gera ensinamentos e aprendizados. A ideia deste conteúdo é mostrar como a gente pode se recuperar financeiramente após uma crise, independente de qual ela seja.

Sendo assim e um tanto quanto óbvio, o primeiro passo é você saber que pode e deve aprender com os erros. Por exemplo, se a crise aconteceu e você não tinha reserva de emergência, com certeza, essa foi uma lição e tanto, não é mesmo?

ANÚNCIO

No entanto, não é apenas sobre montar uma reserva de emergências que esse texto se trata. A gente trouxe aqui uma espécie de passo a passo que você pode considerar para conseguir vencer as dívidas, quitar os débitos e se restabelecer, de novo, no mercado. Saiba tudo.

O controle dos gastos

Saber controlar os gastos é fundamental para quem quer estar preparado para uma crise ou para quem quer começar a enriquecer. Se você não fazia isso antes, é bem provável que tenha aprendido na crise o valor dessa anotação de gastos.

Basicamente, o que você tem que fazer é criar uma planilha do Excel ou usar um aplicativo de finanças no celular que seja confiável. Após isso, você tem que anotar todo dinheiro que entra e todo dinheiro que sai.

ANÚNCIO

Mas, todo dinheiro mesmo, até aqueles R$ 2 do café da padaria que você tomou, ok? No começo pode até parecer difícil. Porém, com o tempo isso se tornará um hábito e um hábito muito saudável para as suas finanças.

A avaliação das despesas

Se você conseguir anotar mesmo todos os gastos que tem no mês, saiba que ainda não vai conseguir se recuperar financeiramente. No entanto, terá dado um dos passos mais importantes para isso acontecer daqui há algum tempo.

Logo, agora você tem que avaliar as suas despesas. E isso se torna muito mais simples quando você tem tudo anotado na planilha financeira, né. É muito comum que você note que você está gastando demais em uma área – sem que percebesse isso.

E a gente nem está falando, ainda, sobre diminuir gastos essenciais, com de energia elétrica. Por enquanto estamos falando apenas de cortar o que é desnecessário. Talvez seja aquela assinatura de TV ou revista. Mas, pode ser também as saídas aos finais de semana, pizzas, etc.

As compras à vista

É óbvio que nem sempre vai dar para comprar à vista. Porém, para se recuperar financeiramente pode ser que você tenha que começar a fazer isso. “E se eu não tiver dinheiro”? Então, o ideal é você deixar de comprar naquele momento.

O seu cartão de crédito poderá ser um aliado na sua vida. Só que isso pode lhe causar problemas no futuro. Então, se não tiver jeito algum, use o cartão. Mas, somente quando isso for totalmente imprescindível e necessário.

Em outros casos, faça apenas compras à vista – até mesmo porque a gente nunca sabe quanto outra crise vai acontecer e se vamos ter condições para quitar as contas no futuro. Ter muitas compras parceladas é um grande erro que muita gente comete.

A reserva financeira

Agora sim vamos falar da reserva financeira ou da reserva de emergência ou do colchão financeiro. Tudo isso é o mesmo nome para aquele montante de dinheiro que você tem que começar a guardar para se precaver de momentos tão ruins como são as crises.

Obviamente, você não precisa esperar receber uma herança ou ter que vender o carro para montar a sua reserva. Na verdade, o ideal é que você faça isso mensalmente, aos poucos, com valores baixos, sem ter que comprometer muito o seu orçamento.

E para sermos bastante objetivos, saiba que hoje em dia a melhor opção para isso é guardar dinheiro no Tesouro Selic. Ele garante que você não perca rentabilidade porque está sempre acima da taxa Selic. No site do Tesouro você pode simular esse investimento de graça.

O hábito de investir

Para terminar e complementar o tópico anterior, saiba que o seu hábito de investir não deve ser pensado apenas na reserva de emergência. Porque quando você conseguir somar 6 vezes a sua renda mensal atual você vai ter conseguido alcançar esse objetivo.

Assim, após isso, uma boa ideia é a de que você continue sempre investindo uma parte do seu salário, que pode ser a partir de 2% de tudo o que ganha. E isso vai ser ainda mais representativo quando você investir 20%.

O mais legal é que dá para escolher diversos ativos para cada objetivo. Agora que você tem a sua reserva, com certeza você conseguiu se recuperar financeiramente, então, um próximo passo pode ser pensar no futuro, como na aposentadoria.

se recuperar financeiramente

Bônus – estude finanças sempre

Agora sim, como último tópico deste conteúdo, com certeza você aprendeu a lição de que as finanças é um assunto que está sempre em mudança. Enquanto temos o Tesouro Selic como opção de reserva hoje, pode ser que amanhã ou depois isso mude.

Da mesma forma, pode ser que você se veja na capacidade de entrar na renda variável, com a bolsa de valores. E assim por diante. O que não vai mudar é o fato de que você sempre deve estar estudando sobre o assunto das finanças.

E isso não é apenas para escolher o melhor investimento financeiro para você, mas também para aprender dicas de como economizar dinheiro em casa, por exemplo. Ou como montar uma reserva financeira de forma simples e até mesmo como comprar um ativo do Tesouro.

ANÚNCIO