Conheça 5 riscos de um fundo de investimento de renda fixa ou qualquer outro

Quando começa a estudar o mercado financeiro, você fica sabendo que a renda fixa é bem segura, certo? Isso é verdade. Porém, há riscos de um fundo de investimento de renda fixa que precisam ser considerados. Aliás, todo fundo tem esses riscos, como veremos abaixo.

Porém, antes que você se preocupe saiba que eles são minimizados e até mesmo zerados em alguns casos. Logo, o mais importante de tudo é entender quais são, como funcionam e como evitar esses riscos. E é justamente isso que vamos mostrar nos próximos tópicos.

E só para terminar a introdução, saiba que atualmente há mais de 18 mil fundos de investimentos no Brasil, sendo a maioria de renda fixa. Mas, também se encontra de ações, multimercados, câmbio, entre outros. Então, vamos lá, conheça os 5 riscos de um fundo.

1 – O risco de crédito

O mais conhecido de todos é o risco de crédito. O que ele é? A possibilidade de o emissor do crédito quebrar ou entrar em falência. Afinal, você já ouviu dizer que um banco quebrou certa vez e aí os investidores conseguiram receber o investimento de volta, certo?

Sim, isso é verdade. Geralmente, acontece quando um banco quebra e as pessoas têm investimentos em ativos da renda fixa, como CDBs, LCIs, LCAs. A regra é a cobertura do FGC de até R$ 250 mil para cada investidor por banco. Porém, a regra não se aplica aos fundos.

E já até falamos disso em um artigo anterior.

O motivo é que eles são veículos de investimentos e não ativos propriamente ditos. Mas, isso não quer dizer que o investidor não tenha garantias. O motivo é simples: o recurso dele está sobre custódia da corretora ou gestora. Então, se o banco falir não vai interferir nele.

Mas, e quando a gestora entra em falência, o que fazer? Esse é assunto para o próximo tópico.

2 – O risco da gestora

Tudo bem, você entendeu que o se o banco quebrar, o seu dinheiro vai continuar no fundo, no patrimônio do fundo. Porém, e quando a gestora quebra, o que acontece? Saiba que esse também não é um risco tão grande porque tem saídas.

Assim sendo, a falência de uma gestora, que representa um próximo dos riscos de um fundo de investimento de renda fixa, não afeta o dinheiro investido, também. Uai, como assim? O motivo é que a empresa se limita a gerir o capital. Ou seja, faz a gestão.

Assim, o dinheiro fica no fundo. E mesmo que a gestora quebre, outra instituição será responsável por continuar esse trabalho de gestão. Ou seja, basta trocar a gestora, sendo que o patrimônio do fundo se mantém intacto. Ok?

3 – O risco do mercado

Nesse caso, a gente não tem muito o que dizer. Afinal, realmente dá para perder dinheiro em fundos de investimentos. Porém, isso acontece em fundos mais arriscados, como os fundos de ações. Logo, o preço do ativo pode desvalorizar e fazer o fundo desvalorizar também.

Dessa forma, se há uma boa dica é sobre escolher um bom fundo. Inclusive, pensando na diversificação dos papéis e que seja um fundo compatível com o seu objetivo. Aliás, saber sobre o gestor é importante para evitar esse risco de mercado.

Aqui a gente ainda pode citar um próximo risco, que complementa o de mercado. É o risco de liquidez. Ou seja, ele está relacionado à facilidade ou dificuldade em vender os ativos, o que pode demorar alguns dias devido a burocracia ou outros fatores.

Por isso, a importância de saber sobre a política do fundo. Inclusive, saiba que os fundos DI possuem alta liquidez e, por isso, são indicados até mesmo para a reserva de emergência.

4 – O risco operacional

O próximo dos riscos de um fundo de investimento de renda fixa é de operações. Ou seja, ele é comum em todos os setores da economia. Assim, podem existir falhas como em caso de fraudes, desrespeito ao código de ética, demandas de trabalho, administração, etc.

Sendo assim, a dica nesse caso é observar muito bem a gestora, administradores e custodiante do seu fundo. Basicamente, uma coloca em prática a política do fundo, a outra administra o fundo e a última registra as ordens de compra e venda.

De fato, erros podem acontecer. No entanto, a negligência é algo que nenhum investidor pode aceitar. Por isso, conhecer essas empresas ajuda a evitar ou minimizar o risco operacional.

5 – O risco legal

Para terminar, vamos falar do risco legal. Nesse caso, saiba que quem investe também está sujeito aos riscos de fraudadores. Sendo assim, tem alguns que oferecem rendimentos milagrosos ou com agentes não autorizados a trabalhar, por exemplo.

Nesse caso, o único jeito de evitar o problema é ficar de olho nas instituições autorizadas a funcionar e atuar no mercado. Dá para saber disso através da Comissão de Valores Mobiliários.

Como saber se os seus fundos estão seguros?

riscos de um fundo de investimento de renda fixa

Para terminar a matéria sobre os riscos de um fundo de investimento de renda fixa, considere que todo dinheiro aplicado em fundos e ativos estão associados a CPFs ou CNPJs. Logo, devem ser registrados na bolsa de valores.

Para saber o que você tem no seu nome, a dica é entrar no Canal Eletrônico do Investidor, o famoso CEI. Ele permite uma consulta rápida, mostrando as aplicações que você tem no seu CPF. A checagem é online, gratuita e simples de ser feita.

Mas, tem um detalhe: saiba que somente empresas com o selo Cetip Certifica é que possuem informações no CEI. Logo, a ideia é aumentar a segurança das aplicações. Por isso, é legal ter investimentos apenas nas empresas que possuem esse selo.