Já pensou em qual é o risco de um fundo de investimento?

Há algum tempo a gente vem recebendo uma dúvida de alguns leitores e investidores. “Eu posso perder dinheiro em fundos de investimentos”? Pensando nisso, a gente resolveu criar essa matéria. No entanto, ela tem um viés que vai explicar sobre o risco de um fundo de investimento do ponto de vista do crédito.

Portanto, de antemão, saiba que dá sim para perder dinheiro em fundos. Por exemplo, no caso dos fundos de ações (FIAs). Isso acontece quando as ações do fundo se desvalorizam, por exemplo. Por outro lado, qual é a segurança do fundo? É isso que vamos responder abaixo.

Então, só para contextualizar essa introdução, saiba que não estamos falando do risco de perder dinheiro no fundo e sim do risco de o fundo falir, entende? Agora ficou mais fácil entender o foco da matéria, não é mesmo? Então, vamos ao que interessa agora mesmo!

Os tipos de fundos

O primeiro tópico que trouxemos aqui é para explicar quais os tipos de fundos que existem hoje. Mas, quando falamos em tipo aqui queremos falar dos fundos abertos e fechados. E não, necessariamente, dos fundos de renda fixa, de ações, internacionais, etc.

Basicamente, os fundos abertos permitem o resgate das cotas conforme o regulamento. Assim como a entrada de novos investidores e até mesmo o aumento da participação de quem já investe nele.

Do outro lado, os fundos fechados só permitem cotas resgatadas ao fim do prazo contratado. Logo, não permite novos investidores e nem a saída de quem já está nele. Por isso, eles possuem um período determinado para a captação de recursos.

Só para concluir a ideia, saiba que um fundo é gerido por uma empresa, geralmente, uma gestora de recursos. Então, para isso, ela pode cobrar alguma taxa, que é a de administração. Além disso, o investidor tem o custo dos impostos, como do imposto de renda.

O fundo tem garantia do FGC?

Agora vamos começar a falar mais diretamente do risco de um fundo de investimento. Assim, a principal dúvida que muita gente tem é sobre a garantia que é dada pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para alguns ativos da renda fixa.

Por exemplo, a caderneta da poupança, a letra de câmbio, o CDB, a LCI e a LCA têm essa garantia. Mas, e os fundos? Não. Os fundos de investimentos não possuem a garantia do FGC. No entanto, mesmo que isso pareça tornar o fundo arriscado, saiba que não é bem assim.

Afinal, ainda que um banco entre em falência, os recursos dos investidores nos fundos não serão afetados. Afinal, o patrimônio não se mistura. Ou seja, o seu dinheiro estará sobre orientação da gestora e não do banco. Mas, e se a gestora falir?

Nesse caso, os recursos do fundo serão transferidos para outra administração. Ou seja, dá para trocar de gestora em um fundo. Obviamente, isso vai depender da decisão dos cotistas, em assembleia geral. Mas, saiba que isso garante que os recursos fiquem garantidos.

Curiosidade!

Uma curiosidade é que os fundos tinham sim a garantia do FGC até alguns anos atrás. Sendo assim, a decisão aconteceu em 2016, quando o Conselho Monetário Nacional, do Banco Central, informou o fato.

O motivo dado é que uma nova resolução foi a de que o FGC deveria proteger apenas os pequenos investidores. Assim, para aplicações acima de R$ 250 mil, o governo entende que elas são feitas por quem já é profissional do mercado, que sabe avaliar os riscos.

Ativos de crédito ou veículos de investimento

Para complementar tudo o que falamos acima e também para entender mais do risco de um fundo de investimento, vamos considerar os ativos e os veículos. Mas, como assim? Calma que é bem fácil entender isso.

Os ativos da renda fixa mais conhecidos são CDBs, LCIs, LCAs. Ou seja, é um papel que sugere que o investidor empreste dinheiro ao banco ou a empresa em troca de rendimentos. Já os fundos de ativos não são ativos em sim e sim veículos de investimentos.

É fácil entender isso. Saiba que ao investir dinheiro no fundo, você não está emprestando dinheiro para o banco ou empresa. E sim você está alocando seus recursos para uma gestora, que fará as escolhas. É ela quem vai comprar os ativos.

Por isso, os ativos são do fundo e não seus. Logo, eles ficam custodiados pelos bancos, mas em contas separadas. Sendo que cada conta é individual, com um CNPJ próprio.

Como escolher os melhores fundos

Sabendo disso, considere que o risco é apenas um dos itens importantes que você deve avaliar em um fundo. Para se ter ideia disso, a gente fez uma matéria citando os 4 pontos importantes para escolher o melhor fundo para você, além do risco de um fundo de investimento.

A matéria está com o título de “As 4 melhores dicas que você vai ler hoje para escolher os melhores fundos DI”. E você poderá ler quando quiser.

Outros riscos que existem nos fundos

risco de um fundo de investimento

Acima, durante todo o texto a gente citou alguns riscos dos fundos de investimentos. Mas, acabamos falando mais do risco de crédito (casos de falências dos bancos ou gestoras) e um pouco mais do risco de mercado (quando dá para perder dinheiro em fundos).

Porém, saiba que também podemos considerar outros riscos. Por exemplo, o risco de liquidez, o risco operacional, o risco legal. Sabendo disso, a gente pensou em criar uma nova matéria falando de todos os riscos que existem ao investir em um fundo.

Aliás, nós criamos uma matéria que fala disso. Inclusive, você pode ficar sabendo mais dos seus investimentos em um canal eletrônico, que é útil para todo investidor. Se você se interessa por esse assunto pode ler aqui mesmo no blog: é a matéria seguinte a essa.