12 Títulos: Renda Fixa é Considerada Porto Seguro em época de Crise

ANÚNCIO

Em meio a turbulências, a Renda Fixa é a opção segura para investir dinheiro sem correr riscos, dizem os especialistas.

De um lado, as recentes notícias políticas balançaram a bolsa de valores, de outro, a Selic está caindo… Mesmo assim, as Rendas Fixas continuam valendo a pena e ainda são consideradas um “porto seguro” para os investidores.

ANÚNCIO

Sem deixar de lado os tropeços da bolsa de valores ou as dúvidas sobre a queda do juros – Selic, a orientação dos especialistas do dinheiro é para que os investidores continuem com as suas ações. Quem está fora do mercado de ações, deve direcionar seus ativos para a renda fixa.

“Se ancorados na Renda Fixa, melhor”.

Isso tudo deve-se ao fato das incertezas que o cenário político tem trazido, tais como em virtudes da economia do país, principalmente em relação às reformas trabalhistas e da Previdência Social.

A recomendação, portanto, é buscar proteção nas aplicações mais conservadoras, que rendem juros e oferecem baixo risco.

ANÚNCIO

“Temos uma perspectiva com o mercado futuro, mas pode ser que ele não se concretize. Ainda não podemos afirmar se é melhor apostar em investimentos pré-fixado ou pós-fixado”, diz o especialista Christin Lupinacci.

Quais Rendas Fixas Escolher ainda para 2017?

O melhor exemplo disso é o Tesouro Direto, que pode ser comprado pela internet. Nele, o Tesouro Selic é o produto mais indicado, que rende o mesmo que a taxa básica de juro – definida pelo Banco Central – logo, o investidor nunca perde dinheiro para a inflação – a não ser que faça o resgate antecipado.

É o que recomenda Alexandre Cabral, professor de Finanças da FIA, que cita ainda o CDB – Certificado de Depósito Bancário.

Clique Aqui e Saiba tudo o que você sobre o Certificado de Depósito Bancário!

Também tem o Tesouro IPCA, que tem um rendimento mesclado com a correção monetária – pela variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Esse é um título que protege o seu dinheiro contra a inflação assegurando o ganho real.

“Até 5 mil reais, o investimento ideal para o curto prazo, entre 1 e 2 anos, é o Tesouro Selic. Para o médio prazo, entre 5 e 6 anos, é o CDB de bancos. E para o longo prazo, com retirada em 2030 ou mais, o ideal é o Tesouro IPCA. Que tem mais de 5 mil, deveria investir em CDBs”, diz o professor.

Assim, para todos os prazos, vale a pena pensar em papéis que oscilem menos. “Para essas ações, mesmo que o mundo desabe, sua variação é bem menor do que a média. E mesmo quando o mercado sobe, a ação sobe menos que a média. Os investidores que possuem esse tipo de aplicação em sua carteira acabam tendo uma perda menor”, diz Contani, da Fecap – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado.

“Neste momento, não temos que mudar as recomendações, principalmente na renda fixa”, dizem os especialistas.

“O mercado futuro é nervoso, formado por expectativas. Quando há uma indefinição, imediatamente no mercado futuro as taxas sobem”, diz a professora da Fundação Getúlio Vargas, Myriam Lund.

“Mas, mesmo que haja volatilidade, a orientação é carregar o título até o final, para que o investidor ganhe todo o juro contratado. Já para quem quer entrar agora na Renda Fixa, adquirir papéis prefixados ou atrelados à inflação, como Tesouro IPCA+, é uma boa opção”, ela diz.

“Os títulos públicos aumentaram a taxa de juros. Os prefixados, que estavam abaixo de 10% subiram. O momento é de comprar porque tudo na economia é cíclico”, diz Lund.

Conhecimento Financeiro

Engana-se quem pensa que ter conhecimento financeiro é saber tudo sobre as grandes companhias ou sobre investir em ações pelo Home Broker. Isso tudo é importante sim, no entanto, todo mundo que sabe disso precisou começar pelo mais básico.

Pesquise sobre os investimentos a curto e a longo prazo, para descobrir qual é a melhor opção para alcançar seus objetivos.

Se você busca esses conhecimentos, temos duas opções gratuitas:

  1. E-book Gratuito – Guia Definitivo sobre as Rendas Fixas
  2. Workshop Gratuito – Como Investir em Ações com Risco Zero

Os 12 Títulos Recomendados pela XP Investimentos

Para auxiliar essa busca pelos melhores produtos na área, a XP selecionou alguns produtos de curto, médio e longo prazo, conciliando ativos de emissão bancária e de crédito privado.

A relação foi sugerida por Henrique Vasconcellos e há, inclusive, CDBs de 5 anos ou alguns com Liquidez Diária. Confira!

Curto Prazo

1 – CDB Pan Líq. Diária – Renda Fixa Pós-Fixado em Emissão Bancária

2 – CRI Urbamais – Renda Fixa Pós-Fixado em Crédito Privado

3 – CDB Pan Pré 2 anos – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Emissão Bancária

4 – CRA Raízen (2014) – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Crédito Privado

Médio Prazo

5 – CDB Pan 3 Anos – Renda Fixa Pós-Fixado em Emissão Bancária

6 – CRA VLI (2017) – Renda Fixa Pós-Fixado em Crédito Privado

7 – CDB BMG IPCA 3 Anos – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Emissão Bancária

8 – Deb. Incent. SPVI12 – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Crédito Privado

Longo Prazo

9 – CDB BMG 5 Anos – Renda Fixa Pós-Fixado em Emissão Bancária

10 – CRI Aliansce (2017) – Renda Fixa Pós-Fixado em Crédito Privado

11 – CDB Fibra Pré 5 Anos – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Emissão Bancária

12 – Deb. Incent. CLNG11 – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Crédito Privado

Como um Motorista pode ser Mais Rico do que um Médico

Esse é o título de artigo que foi publicado no site financaspessoais e o artigo fala, sem desvalorizar uma profissão ou outra, como é possível Ficar Rico mesmo ganhando Pouco Dinheiro por Mês.

A narrativa começa com o caso de um médico que ganhava mais de 25 mil reais por mês. Ele tinha uma vida financeira tranquila, em um mar de rosas. No entanto, sem Controle Financeiro, o médico tinha gastos que passavam dos 30 mil reais mensais.

Logo, a dívida do médico aumentava 5 mil reais em cada mês, o que, em pouco tempo, tornava-se uma enorme bola de neve, que ultrapassava os 60 mil reais no ano, sem contar os juros.

erro financeiro foi fatal e levou o médico a perder todo o patrimônio para os bancos e para as financiadoras.

Do outro lado da história havia um motorista particular, que tinha uma pequena meta: a de viver abaixo dos seus ganhos. Assim, ele guardava parte do salário todos os meses e usava esses valores para construir casas, que no futuro seriam alugadas.

Aos poucos, ele criou novas fontes de rendas, ao invés de dívidas.

A conclusão é a de que o médico, mesmo ganhando muito mais, acumulou dívidas; enquanto que o motorista, com uma receita bem mais baixa, conseguiu caminhar para a riqueza.

“Você pode ganhar muito dinheiro, mas se não desenvolver uma mentalidade financeira e não planejar suas finanças, vai continuar sendo pobre. Riqueza não é uma questão de nível salarial, mas de mentalidade e planejamento financeiro eficiente”, finalizou o texto.

E a Renda Variável?

“Depende muito do perfil. Quem conhece bem a dinâmica, porém, sabe que pode ser um momento interessante de entrar, mas de forma gradual”, diz Sandra, que é da Órama.

“Para investimentos de maior risco, tem de ter disciplina, para não se deixar levar pelo movimento de manda”, avisa Caio Sasaki, analista técnico do Portal do Trader.

“Alguns papéis se deram bem com solavancos, como Fibria, Embraer, Vale e outras empresas que exportam. Em um eventual cenário em que juros não caiam tanto, bancos são instituições mais sólidas e devem conseguir um bom desempenho. Já as estatais, como Petrobrás e Banco do Brasil, num cenário indefinido, são as que mais podem sofrer”, garante.

Bolsa de Valores: Setor Elétrico em Alta e de Aviação em Baixa

Para Myriam, quem não tem conhecimento ou capital, o melhor é procurar fundos de ações.

“Hoje há gestores independentes que são excelentes. O importante é analisar bem o desempenho do fundo, que para valer a pena, deve ter rentabilidade sempre acima do Ibovespa”, ela garante.

“Os fundos multimercados, que misturam em um mesmo pacote renda fixa, ações ou moedas, podem ser uma boa opção para diversificar – desde que entreguem boa rentabilidade. O fundo só vale a pena se, historicamente, render acima de 130% do CDI”, ela aconselha.

“Abaixo disso, compensa procurar Renda Fixa que tem risco menor”.

Viver de Renda em 4 Passos

Para Viver de Renda, qualquer pessoa precisa investir dinheiro. Pode ser em imóveis, como mostrado no exemplo acima. No entanto, os especialistas recomenda que seja em aplicações financeiras que tenham boas rentabilidades e não gerem tanta dor de cabeça, como alugar imóveis.

O 1º passo é ter alguma receita, a partir daí, basta gastar menos do que se ganha e com o restante, investe-se em aplicações financeiras. Para tanto, é preciso observar as taxas de administração e outros gastos que vão aparecer.

Se a sua intenção é viver apenas com o rendimento dos investimentos, veja como fazer isso com esses 5 passos a seguir!

1 – Ganhar Dinheiro

Como já adiantado, o 1º passo é ganhar dinheiro de alguma forma: ter uma renda financeira.

Conforme analistas, o melhor jeito de fazer isso é agregando valor aos serviços rentáveis. Logo, se você tem um negócio próprio, pense em melhorar a qualidade dos produtos e dos serviços prestados, o resultado pode ser mais clientes e maior faturamento.

Para trabalhadores assalariados, o melhor a se fazer é apostar na qualidade, ser proativo e dedicar um bom tempo à empresa, que podem vir acompanhado de bonificações.

Ao mesmo tempo, para qualquer um dos casos, vale a pena pensar em trabalhos freelancers, que são adjacentes ao compromisso habitual. Se você tem dotes culinários, invista na venda de bolos em pote; se gosta de costurar, faça alguns serviços de remendas de roupas; e assim por diante.

Claro que além de ganhar dinheiro é preciso poupar, que é o próximo passo.

12 Títulos: Renda Fixa é Considerada Porto Seguro em época de Crise
Reprodução: Google

2 – Poupar Dinheiro

Saber poupar dinheiro é tão importante quanto saber ganhar ele. Claro que isso só vai ser possível se você tiver um bom planejamento financeiro e for muito disciplinado. Entenda que sempre vão existir despesas desnecessárias, que podem ser cortadas. Elimine os gastos supérfluos.

Se você tem dificuldades para poupar dinheiro, reveja seus objetivos financeiros. Note que você não tem que viver de ostentação e aparências para agradar os outros e nem precisa adquirir bens dos quais não vai usufruir.

Os investimentos financeiros são as melhores alternativas para quem quer enriquecer e manter o equilíbrio das finanças.

3 – Objetivos Financeiros

Rever objetivos financeiros não quer dizer que você vai precisar deixar de viver a sua vida de forma agradável. O que é preciso é se organizar e ter disciplina. Logo, esses objetivos tem que ser concisos e cuidadosos, reais e praticáveis.

Em longo período, um desses objetivos pode ser o fato de viver de renda. Para que isso aconteça tenha uma planilha de anotações e siga a risca o seu plano financeiro, sem perder o controle do dinheiro.

Agora tudo está ficando claro: ter dinheiro, poupar dinheiro e ter objetivos!

4 – Aplicação Financeira

A fórmula para enriquecer você já tem, porque foi dita acima. No entanto, falta fazer acontecer e isso tem que ser feito investindo dinheiro. Aplique seus recursos para que eles rendam lucros e se multiplique.

Mas isso não deve ser feito assim, em um piscar de olhos. Tenha sabedoria para fazer aplicações financeiras e estude a fundo todas as opções do mercado. Saiba quanto o seu dinheiro pode render durante todo o tempo que for aplicado.

Tenha uma ideia de quanto será necessário investir, de quanto tempo, com qual rentabilidade, em qual aplicação financeira… Entre tantas informações necessárias para ganhar dinheiro.

Com informações do odiario, atarde e infomoney

ANÚNCIO