Regulamento da mesada dos filhos: como fazer isso do jeito certo?

Muitos pais e mães têm dificuldades com isso… E você, sabe como lidar quando o assunto é a mesada dos filhos?

Tem aqueles que compreendem erradamente e aqueles que não compreendem nada.

A ideia aqui é deixar o assunto um pouco mais claro, afinal, dar mesada é bom ou ruim?

É sobre isso que vamos falar e no final você terá a sua resposta.

Educação Financeira para os Filhos

Falar sobre dinheiro com os filhos é fundamental para que a criança de hoje consiga desenvolver a disciplina necessária para se tornar um adulto independente amanhã!

Aqui não temos nada de frases bonita – é realidade, tá?

As escolas não ensinam educação financeira nos ensinos infantis – nem no fundamental.

Então, para os pais, não existe melhor desculpa do que a mesada para falar de dinheiro e de escolhas assertivas para os seus filhos.

Só que muita gente não consegue elaborar com cuidado essa abordagem!

O resultado são filhos que acabam acreditando que aquele dinheiro que tem à sua disposição é um presente!

Mesada não é presente!

E eles não deveriam usar para o que quiserem!

A mesada do seu filho é, na verdade, uma oportunidade que você dá a ele para cuidar de uma pequena parte do orçamento da família.

Claro que esse não é o dinheiro dele, mas sim um instrumento para que ele desenvolva certa liberdade para tomar pequenas e importantes decisões financeiras.

– Seja para pagar o cinema, uma pipoca ou um brinquedo.

O problema geral é a pouca conversa que é praticada na hora de negociar ou de dar a mesada.

A mesada é entregue – ok.

Só que ninguém explica o motivo disso!

E quando os pais vão falar entre eles sobre o dinheiro ou qualquer problema relacionado aos gastos, eles optam por dizer aos filhos que aquilo é assunto de adulto!

E dinheiro não é assunto apenas de adulto!

Na real, pare de se enganar e achar que eles são muito pequenos para entender isso.

É preciso conversar!

E explicar também.

É preciso discutir com os filhos o porquê da mesada!

E como utiliza-la da melhor forma.

Para que eles tenham referências para começar a tomar suas decisões financeiras de maneira mais assertiva.

Em caso contrário, o número de inadimplentes no Brasil e no mundo vai continuar crescendo.

É essencial entender que o consumo exagerado é resultado de escolhas anteriores erradas.

O ato da compra é uma boa oportunidade de educar os filhos.

E acontece quando os pais saem com os filhos para lugares com muitas opções de compras, como o shopping center.

Se você tem filho, com certeza já viveu algo parecido!

É aquele momento em que a criança arregala os olhos e corre para pedir aos pais algum brinquedo ou produto – fora de hora.

O Consumo Exagerado pode Causar Problemas Futuros

“A família, claro, deve responder pelos cuidados dos filhos, mas existe toda uma gama de ações e programas de ordem pública que podem ser executados para evitar os efeitos nocivos desse processo”, diz o especialista no assunto Luiz Antonio Barbosa.

“Um exemplo disso é a regulamentação da venda de produtos que provocam a obesidade nas cantinas das escolas”.

A opinião dos especialistas, de forma geral, é voltada para um tripé que faz com que as crianças não tenham limites na hora do consumo. Esse consumo é formado por Família, Excessos e Limites.

Isso acontece ainda mais em datas festivas, como Natal e Dia das Crianças.

“As crianças que vivem em centros urbanos são mais consumistas”, diz Adriane Siqueira de Proença Singh.

“A angústia dos pais modernos que por não terem muito tempo disponível para a criança tentam suprir essa falta emocional com objetos materiais. Esse recurso também é usado, em alguns casos, como forma de entret

 

E aí o que fazer quando o filho quer comprar algo?

Esse é um dos papeis da mesada dos filhos.

– É ajudar ele a lidar com essa situação.

A partir do momento que você reparte com os filhos, parte da responsabilidade pelo orçamento da família é dele também.

Portanto, é fundamental que ele use essa medida (essa parte) para que eles tenham liberdade de fazer suas próprias escolhas.

Afinal, se não for nenhuma data comemorativa por que não sugerir a criança que usa a própria mesada para comprar o que quer?

Claro que isso muitas vezes é duro demais.

Uma mãe tomar essa decisão é quase impossível.

Até porque agradar o filhote é uma das formas mais usadas para compensá-los pelos momentos de ausência.

Só que isso pode gerar um custo muito alto lá na frente.

Que será responsável pela formação de um adulto sem qualquer controle dos seus gastos.

Quando seu filho pedir para comprar algo fora de hora, o que você vai fazer?

A melhor atitude a ser tomada é dar a ele a liberdade de fazer isso contanto que seja com o próprio dinheiro.

Com o tempo ele irá criar a disciplina, a responsabilidade necessária para fazer escolhas.

E isso vai ser cada vez melhor para todos, inclusive, para ele mesmo.

Os seus gastos administrados vão ficar mais reais e mais positivos.

Portanto, abraçar essa rotina é melhor forma de evitar que seus filhos se tornem adultos ansiosos para gastar.

No começo, pode machucar um pouco, mas só no começo.

É fundamental ensinar a eles como serem adultos melhores com a real capacidade de fazer boas escolhas.

E, você tem se esforçado para dar uma boa educação financeira a seus filhos?

Bônus: Mesadas para Crianças é a Melhor Forma de Educação Financeira?

Atualmente, vivemos em uma Era onde o consumismo está presente em todo o mundo, em todos os cantos, tornando-se uma das características marcantes da sociedade atual.

Se você tem filhos pequenos tem que ler esse artigo, pois preparamos um assunto muito importante e pouco discutido na atualidade.

Aliás, você conhece alguma criança ou tem um filho que é compulsivo por compras?

Existem crianças consumistas e não são apenas os adultos.

Elas sempre pedem para comprar tudo o que vê nas propagandas ou vive querendo as mesmas coisas de amigos, não é verdade?

Se você se vê nessa situação, prestem atenção nessas características.

Veja os 2 comportamentos abaixo, que acontecem com crianças consumistas e saiba exatamente o que fazer!

Para descobrir, continue lendo – clique aqui.

Da redação