Como quitar dívidas com bancos – 5 passos garantidos

ANÚNCIO

Você não conseguiu adequar sua vida ao orçamento financeiro. Daí, as contas surgiram e os débitos se tornaram cada vez maior. Com o tempo, criou-se o efeito bola de neve. Agora você está desesperado – o que fazer para conseguir quitar dívidas com bancos?

Essa é uma breve historinha muito (mas muito mesmo) comum na vida de vários brasileiros.

ANÚNCIO

Conforme estimativas mais de 59 milhões de brasileiros estão endividados, seja com o SPC Brasil, Serasa Experian, com instituições financeiras ou com os bancos.

Mas, o pior é que com a falta de educação financeira, além de conseguir adquirir vários débitos, essas pessoas não sabem o que fazer para conseguir quitar as dívidas.

É por isso que este artigo foi criado: para auxiliarmos pessoas endividadas a sair dessa situação de forma simples e sem que tenham que recorrer a formas ilegais de ganhar dinheiro.

ANÚNCIO

Portanto, leia com bastante atenção e aprenda o que nenhuma escola foi capaz de te ensinar: você tem que controlar o seu dinheiro para que ele não o controle. Só assim você vai conseguir quitar dívidas, ganhar dinheiro e ter uma vida próspera.

Está preparado para ter esse choque de realidade? Leia cada um dos tópicos abaixo e se torne uma pessoa melhor, ao menos em termos financeiros!

O que temos que pensar sobre o endividamento?

Sempre que falamos em dívidas, porém, é importante estudar uma questão simples, básica e primordial: qual é a origem desses débitos? Porque não adiantarmos falarmos em soluções se esse erro vai ser persistente e voltar a acontecer no curto espaço de tempo.

Entenda que quitar dívidas é possível, só que para isso valer a pena, as novas dívidas não podem aparecer – o erro tem que servir para o aprendizado.

Um fato importante que está comprovado em pesquisas é que a maioria dos problemas financeiros surge pela falta de conhecimento sobre o dinheiro (falta de educação financeira).

Então, vamos há uma pergunta: quanto você precisa para pagar as necessidades de sobrevivência, como moradia, transporte, alimentação e higiene? Quanto isso vai representar em todo o seu orçamento financeiro pessoal? E o que você faz com o restante?

Em geral, usamos para tais gastos apenas 2/3 de todo salário, sendo que o restante (1/3) acaba sendo gasto de forma automática e sem precedentes.

Precisamos considerar esse valor para usar da melhor forma possível e evitar situações urgentes – como a necessidade de quitar as dívidas.

E como fazer isso é que é a grande questão a ser analisada.

Comece por saber quanto você ganha de verdade, controle quanto você gasta com itens que poderia ser cortado e se prepare para os possíveis imprevistos que podem acontecer no futuro. Essa é uma realidade financeira adequada para todas as pessoas do mundo.

Se a gente não assumir esses compromissos, você já sabe: dívidas e mais dívidas!

Fazer empréstimos para quitar dívidas – vale a pena?

Bom, quando os débitos aumentam muito as pessoas começam a procurar formas de sair desse buraco – o que elas se perguntam? Fazer um empréstimo para quitar dívidas vale a pena? E vamos discutir sobre isso agora!

Primeiro, precisamos analisar uma coisa: empréstimo é uma palavra muito ampla e que pode se destinar a vários significados.

Um empréstimo pode ser um financiamento imobiliário onde o banco empresta dinheiro ao comprador, pode ser do tipo pessoal, do cheque especial, do rotativo do cartão de crédito e até a agiotagem é um tipo de empréstimo.

Sabendo disso, compreenda que cada linha de crédito tem seus objetivos e seus custos. Isso envolve burocracias, garantias, juros. Por isso, ainda que fazer um empréstimo seja razoavelmente aceitável, é preciso ter preparação e conhecimento sobre ele.

Se você cogitar a ideia de fazer um empréstimo para quitas dívidas que foram acumuladas, pense no que você vai fazer para quitar esse novo débito, afinal, ele também precisará ser pago. E sem atrasos, tá bom? Se não o efeito bola de neve vai ser surreal.

Leia Também – Qual a diferença entre os empréstimos e os financiamentos?

E, além de pagar esse empréstimo, você ainda vai ter as outras contas fixas, como as prestações do apartamento, do financiamento do carro, da alimentação e várias outras.

O que estamos querendo dizer que é você pode sim fazer um empréstimo para quitar dívidas maiores e acumuladas. Mas não pode esquecer que isso vai solucionar todos os seus problemas porque você ainda vai ter uma conta a ser paga, tá?

Reflita sobre isso e reconheça os seus limites financeiros. Você tem que ter um plano de ação para quitar dívidas e não existe algo que você possa fazer a não ser começar a se reeducar financeiramente.

Orçamento financeiro pessoal é o primeiro item importante para quem quer quitar dívidas

Tenha uma fotografia da sua vida financeira, isto é, saiba quais são seus recursos financeiros disponíveis e quais os gastos que podem ser cortados, por exemplo.

Só depois disso você deve procurar uma instituição financeira para saber sobre os seus débitos financeiros e verificar se há condições de saber seu crédito disponível (limite, taxa de juros, prazo, valor da parcela).

Em alguns casos, há a chance de parcelar a dívida e isso pode ser vantajoso do ponto de vista financeiro.

Outra etapa importante para quitar dívidas é ir até o seu fluxo de caixa e identificar como está a relação entre receitas e despesas, obviamente, as receitas devem ser maiores.

Se esse saldo não for positivo, o melhor a fazer é começar a rever todos os gastos e cortar o que for possível. Por outro lado, também vale procurar formas de aumentar a renda mensal, como com o trabalho extra.

Se você consegue fazer sobrar dinheiro no fim do mês, então, já está a um passo (do paraíso) de conseguir quitar dívidas que você juntou.

Portanto, nunca se esqueça dessa fórmula mágica:

Vida financeira equilibrada (ganhar mais do que gasta) = aumento da renda mensal (trabalhos extras) + diminuição das despesas (corte de gastos supérfluos).

Observe que é justamente nesses momentos difíceis que se encontram as melhores oportunidades de crescimento e de transformação.

A grande sacada é reverter a situação ruim para uma mediana e boa – e todo mundo pode conseguir isso através de escolhas inteligentes.

Como quitar dívidas com bancos – 5 passos garantidos
Reprodução: Google

Quitar as Dívidas ou Poupar Dinheiro para Investir?

Essa é uma pergunta habitual na vida de qualquer pessoa. Afinal, hoje são mais de 60 milhões de brasileiros endividados.

Mas, desse total muitos querem mudar de vida e isso só acontece, de fato, quando essas pessoas começam a investir dinheiro em aplicações financeiras que rendem bons juros.

No entanto, em meio há tantas dívidas e juros, será que compensa ir pagando-as aos poucos e usar uma parte do dinheiro para investir nessas aplicações financeiras?

Bom, se você quer uma resposta rápida, aqui vai ela: SIM! Vale a pena ir pagando as dívidas aos poucos e começar a investir agora mesmo.

Mas, claro que tudo vai depender de você mesmo, dos seus gastos, da sua disciplina financeira, da sua dedicação, planejamento e objetivos financeiros.

Se você ainda não entendeu como os especialistas financeiros aconselham começar a investir mesmo estando com dívidas.

Juros das Dívidas versus Juros dos Investimentos

É lógico que se você entende o mínimo do mercado financeiro, deve ter se questionado:

“Como essa lógica faz sentido se os juros das dívidas são muito maiores do que os dos investimentos”?

Você está totalmente certo quanto à isso e não há contra argumentos para este caso.

No entanto, se você mudar a direção da sua visão, pode perceber que o endividamento acontece por 2 motivos básicos:

I – quando surge algum gasto imprevisto (ou seja, que não era esperado) ou

II – quando adquirimos algum bem que não tínhamos dinheiro a vista (ao qual acabamos por financiá-lo).

Sendo assim, ainda que opte por quitar essas dívidas, você vai precisar juntar dinheiro, concorda?

Essa ação – de juntar dinheiro – é que é o 1º passo para entrar no mercado de investimentos. Logo, mesmo que opte por quitar as suas dívidas, o ideal é fazer isso investindo dinheiro, ao mesmo tempo.

Se você ficou confuso, observe que, de forma prática, quando conseguimos organizar nossa vida financeira, pensando em investir dinheiro, conseguimos frear o consumo e os hábitos consumistas. E isso faz sobrar dinheiro no final do mês.

Sim, você consegue fazer sobrar dinheiro mesmo estando endividado e esse é o grande segredo!

Por Que Investir Dinheiro

Você tem que ter um motivo para Investir Dinheiro e no caso das pessoas endividadas, o melhor objetivo é pensar em uma Reserva Financeira.

Desse modo, o novo investidor passa a ter o que os analistas chamam de “Segurança Financeira”, onde as possibilidades de você precisar de um novo “empréstimo” vão ser diminuídas.

Isso se soma a sua real necessidade de quitar dívidas.

Em termos emocionais, o sentimento de conseguir economizar dinheiro todos os meses serão tão prazeroso que acaba por incentivar as pessoas não apenas a economizar mais e mais, mas também a estudar e buscar conhecimento sobre o mercado financeiro.

Assim sendo, mesmo quando você tiver um imprevisto, a sua vida financeira não vai precisar virar de cabeças para o ar, sendo que você terá o dinheiro a vista ou, no mínimo, vai conseguir encontrar as melhores alternativas para manter o equilíbrio financeiro.

5 passos garantidos para quitar dívidas

A ideia aqui é bastante simples: sintetizar tudo que foi dito neste artigo. Confira cada um dos itens e memorize-os – eles são importantes para você conseguir quitar dívidas com os bancos ou qualquer outro credor.

1 – Anotar tudo

Esse é um hábito que precisa ser criado a partir de hoje.

As pessoas não costumam anotar os gastos simplesmente porque acham que vão se lembrar de todos eles no final do mês, mas isso realmente não acontece. Ninguém tem uma memória infalível assim.

É só a partir disso que será possível reconhecer quanto é possível economizar e para onde está indo o dinheiro. Lembre-se: uma vida financeira equilibrada é tudo que você precisa em 2018.

Se você não sabe o quanto gasta e o quanto ganha, vai ser muito difícil encontrar formas de quitar dívidas.

Uma ideia é usar a técnica dos envelopes, já citada aqui no blog, ou usar aplicativos de celular ou ainda as planilhas de excel de gatos mensais. Essas técnicas ajudam durante a organização das finanças durante toda a vida.

2 – Poupar dinheiro

Poupar dinheiro é outro hábito que tem a ver com quitar as dívidas.

Oras, se você for fazer um empréstimo para quitar as dívidas que tem juros maiores, ainda assim terá que ter dinheiro para pagar essas novas parcelas, não é? Então, você tem que poupar dinheiro para isso.

Entenda que mesmo quando estamos endividados precisamos poupar dinheiro.

A dica é criar uma meta para essa poupança – neste ano, vou poupar 5 mil reais. É um bom valor para quem está começando. Portanto, todos os meses, você deposita 500 reais na sua poupança e pronto, a mágica está feita.

Com uma reserva lá, sua vida fica mais dinâmica e os débitos deixam de existir.

3 – Negociar as compras

Outro passo é sobre negociar as compras para quaisquer produtos que sejam – do sorvete no restaurante à máquina de lavar na loja do shopping. Entenda que tudo é negociável.

Isso tem a ver, por exemplo, com a forma de pagamento. Se você conseguiu poupar dinheiro durante algum tempo vai ter mais chance de comprar itens indispensáveis por valores mais justos (os descontos chegam a ultrapassar os 20%, em alguns casos).

Isso tem a ver com não apenas quitar dívidas, mas evitar as futuras dívidas. Lembra que falamos disso no início do texto?

Então, é o seguinte: se você se endividou porque usou muito o limite do cartão de crédito, agora, a regra é evitar esse uso. Opte por outras formas de pagamento, como o pagamento a vista (esse é o melhor de todos, vale dizer).

Observe que ainda que você precise de algum produto, quem tem que vender é a loja e você não tem que se “arreganhar” para conseguir efetuar a transação. Tenha dinheiro e mãos e consiga negociar todas as suas NECESSÁRIAS compras.

4 – Exponha seu objetivo

Muitas pessoas optam por não compartilhar com outras os seus objetivos, mas isso é um erro. A orientação dos analistas e psicólogos é compartilhar os ideias com as pessoas de confiança e isso vai te ajudar a conseguir chegar mais facilmente ao seu objetivo.

Se o seu objetivo é quitar dívidas, então, informa a esposa, os filhos, os pais. Com certeza, além de tudo, eles vão colaborar com você e começar a remar na mesma direção que você.

Pesquisas indicam que a falta de diálogo é o que mais causa problemas em uma família. Isso tem a ver com o dinheiro também. Não tenha vergonha de se expor e compartilhar ideias.

5 – Nunca deixe de aprender

Dedique uma parte do seu dia a aprender algo novo. Especialmente sobre as finanças.

O aprendizado é o que pode nos levar ao sucesso. Como falamos: se o seu cartão te fez juntar muitas dívidas, então, pare de usar. Se o seu limite cobra muito juros, não use. Comece a fazer coisas que realmente te beneficiem e nada mais.

Quer ver um assunto muito polêmico? Emprestar dinheiro para parentes!

Se você tem esse hábito, saiba que dificilmente vai conseguir se livrar das dívidas. É sério isso. Vários estudos já provaram que muitas vezes os endividados estão nessa situação porque emprestaram dinheiro (ou cartão de crédito) para amigos e parentes.

Logo, se isso não te faz bem, não compartilhe dessa ideia. Você é livre para fazer suas escolhas!

Como renegociar uma dívida

“Priorizar os pagamentos de acordo com suas necessidades é uma boa dica, considerando que normalmente as dívidas mais caras, como cheque especial e rotativo do cartão de crédito, possuem uma maior taxa de juros”, diz Raphael Salmi, que é gerente de recuperação de Crédito da Serasa Experian.

“E, quanto antes pagar este tipo de dívida, melhor”, completa.

Pensando nisso, separamos um passo a passo breve, confira!

O Crédito

O consumidor precisa verificar as condições do crédito – incluindo os juros, as multas e a inadimplência.

Para sair do vermelho é preciso saber a real situação: coloque no papel o que você está devendo, se há tempo para pagá-las ou não. Mesmo os pequenos débitos precisam ser diagnosticados.

Exclusão Automática

O nome do consumidor deverá ser excluído dos cadastros de inadimplentes, no máximo por 5 dias após o pagamento da conta ou a renegociação da dívida.

Para isso, não é preciso contratar empresas para fazer esse serviço de limpeza de nome.

Pagamento Antecipado

Quando renegocia a dívida, os juros futuros embutidos devem ser descontados. Os órgãos de defesa do consumidor podem fazer cálculo desse desconto.

Orçamento Financeiro Pessoal

Tenha uma noção exata do seu orçamento financeiro e dedique um tempo para traçar um plano exato para quitar as pendências.

Liste tudo: salário, aluguel, dinheiro, entre outros. Coloque também as despesas fixas, como condomínio, contas de água e de luz, etc. Com as informações, tenha a possiblidade de descobrir onde é possível cortar os gastos para quitar as dívidas e sair do vermelho.

A Negociação

O consumidor precisa procurar o credor e negociar a dívida. Se tiver uma boa proposta, ele pode aceitar. Em caso contrário, vale oferecer uma contraproposta.

Priorize as dívidas mais altas

As dívidas do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito têm os juros mais caros do mercado e, por isso, precisam ser eliminadas primeiro. Isso ajuda a evitar o famoso efeito bola de neve.

Uma dívida de 2 mil reais pode chegar a 10 mil reais em poucos meses – aja rápido.

Fuja dos Parcelamentos no Futuro

Como é sabido não se deve errar novamente os mesmos erros, portanto, a partir de agora evite os parcelamentos muito longos. Quando as parcelas se acumulam o impacto das finanças é consideravelmente grande.

O melhor hábito é juntar dinheiro para comprar algo ou, pelo menos, dar uma boa entrada.

A ação na Justiça

Se você não conseguiu negociar a dívida com o cartão de crédito, por exemplo, uma saída é entrar com uma ação na justiça: Ação Revisional de Contrato, para que os juros cobrados sejam revistos.

É possível conseguir um acordo amigável, mas alguns clientes tem que entrar na justiça, mesmo que isso demore mais tempo para ser solucionado. Nesse caso, a ajuda de um advogado é imprescindível.

Bônus – Canal do Youtube ensina pessoas como quitar as dívidas

O problema ainda sobre com um problema que vai muito além da Crise Financeira – a falta de Educação Financeira.

As pessoas não seguem uma cartilha recomendada para quando começam a ganhar o primeiro salário – quando ganham muito, gastam muito e quando ganham pouco, acabam entrando em dívidas.

O assunto, por sinal, ainda é tabu para muitas pessoas, mulheres, famílias, jovens. Dificilmente fala-se sobre dinheiro em rodas de conversas, mesas de bar, encontro de amigos. Isso é um erro fatal.

Na contramão, os bancos são as empresas que mais lucram todos os anos. A poupança é o investimento mais tradicional e mais usado. Os títulos de capitalização têm grandes apostadores. O cartão de crédito é uma das formas de pagamento mais usadas.

Obviamente, é possível concluir que a falta de educação financeira gera um comportamento incorreto nos brasileiros e, não a toa, hoje são mais de 60 milhões de endividados por aqui.

Com este cenário em vista, Robinson Trovó criou uma escola de educação financeira – A Trovó Academy.

Trovó Academy no Youtube

Trovó Academy é uma instituição educacional que tem o foco voltado para o mercado financeiro– a ideia é chegar ao aprendizado de assuntos como dinheiro, finanças e investimentos financeiros que é tão raro hoje em dia.

No Youtube, o canal tem quase 30 mil inscritos que assistem vídeos periódicos sobre a educação financeira e a importância de buscar conhecimento sobre o assunto.

Separamos alguns deles, confira agora!

GANHAR POUCO NÃO SIGNIFICA SER POBRE

Tempo: 7 minutos / Visualizações: mais de 32 mil

https://youtu.be/4mx17ZrIS6I

ATOLADO ATÉ O PESCOÇO? RESPIRE E SAIA DA DÍVIDA

Tempo: 11 minutos / Visualizações: mais de 31 mil

https://youtu.be/CnRA9FXNp-E

CONTROLE FINANCEIRO SIMPLES E EFICAZ

Tempo: 6 minutos / Visualizações: mais de 29 mil

Da redação com informações do globo

ANÚNCIO