Qual a renda mínima para financiar um imóvel hoje em dia?

ANÚNCIO

Com a queda da taxa de juros básica da economia no nosso país, muito tem se falado sobre as possibilidades de comprar imóveis no financiamento. Porém, você sabe qual a renda mínima para financiar um imóvel hoje em dia e qualquer banco do Brasil? A gente foi atrás da resposta.

E antes de qualquer coisa é importante saber que alguns dados mostram que esse tipo de financiamento tem crescido muito por aqui. Inclusive, acompanhando essa queda da Selic. Para se ter uma ideia, desde 2018 quando a Selic estava em 6,5%, o crédito imobiliário cresceu mais de 12%.

ANÚNCIO

O resultado disso tudo é que o financiamento de imóveis tem sido alternativo para quem quer ter a casa própria, mas não tem todo dinheiro para fazer a compra à vista. No entanto, ele também pode ser um problema quanto a parcela mensal, chamada de mensalidade, é alta demais.

Por isso é importante saber qual é esse custo mensal que você terá todos os meses, a se considerar que além da parcela do financiamento, você também deverá arcar com gastos diversos do seu imóvel, como com a construção, manutenção, etc.

Os fatores mais importantes

Somente para contextualizar esse artigo sobre qual a renda mínima para financiar de um imóvel no Brasil, vamos estudar aqui que há 3 fatores que são muito importantes nesse processo. A própria renda mínima é uma delas. Mas, há também a idade e a fonte de renda.

ANÚNCIO

Calma que a gente vai explicar cada um dos pontos.

A renda mínima é como uma soma de rendimentos de todos os integrantes da mesma família que vai comprar o imóvel. Geralmente, entra marido e mulher. Mas, também dá para incluir filhos se forem maiores de 18 anos. Tudo isso é decisivo para a aprovação do crédito.

A idade tem a ver com o responsável pela contratação do crédito imobiliário com o banco. Assim, recomenda-se que o mais velho seja essa pessoa porque quanto mais jovem, menor será o seguro e maior será a chance de ter um prazo mais longo para quitar o empréstimo.

A fonte de renda, por fim, é importante porque significa, para o banco, o quão estável é o trabalho dos participantes. E isso também tem peso na segurança do crédito. Ou seja, quanto mais estável é a fonte pagadora de rendimento, menor o risco de calote para o banco.

E qual é a renda mínima?

Chegamos ao meio da matéria, que é o ponto chave. Agora vamos responder à pergunta do título. Mas, vale lembrar que é preciso avaliar muito cuidadosamente vários outros pontos. Calma que a gente vai explicar tudo isso com vários exemplos.

E vamos começar com a pergunta sobre qual a renda mínima para financiar um imóvel pensando em uma pessoa de 20 anos, um imóvel de R$ 400 mil e um valor financiável de R$ 320 mil, com prazo de pagamento de 360 meses (30 anos).

Assim, a gente vai ter uma primeira parcela de mais de R$ 3 mil no BB e mais de R$ 2,7 mil no Bradesco, na Caixa, no Itaú, no Santander. Portanto, a gente tem que saber que há uma regra: a parcela jamais deve ser maior do que 30% da renda.

Então, supondo que temos uma parcela de R$ 3 mil, a gente vai precisar ter uma renda mínima comprovada de, ao menos, R$ 10 mil nesse caso. Agora, se você quer saber de outros exemplos, considere que a UOL fez uma tabela completa onde mostra várias situações.

Leia aqui a tabela da UOL.

É legal a leitura porque lá tem situações diferentes como para a idade do participante, que pode ser de 20 anos, 30 anos, 45 anos no exemplo. Ou podemos pensar em imóveis de R$ 400 mil, R$ 500 mil, R$ 750 mil ou até R$ 1 milhão. E assim por diante.

Os custos do financiamento

Também é legal a gente citar aqui que nesse tipo de contrato de crédito é preciso avaliar os juros e as taxas e todos os custos envolvidos. Isso vai ser importante para o interessado que quer saber qual a renda mínima para financiar um imóvel e escolher um banco.

Logo, temos a taxa de juros, que é o principal custo. Nesse caso, é preciso considerar que para cada mensalidade a ser paga, o banco vai incluir os juros e outras taxas também, além do valor a ser abatido do empréstimo. Tem taxa de manutenção da conta, por exemplo.

Qual a renda mínima para financiar um imóvel

Então, a gente deve fazer uma análise do Custo Efetivo Total, que é uma taxa que vai definir, portanto, o valor cheio da parcela mensal a ser paga. Esse é o principal indicador a ser estudado em todos os bancos para saber qual é o melhor.

E para fechar, saiba que é legal a gente falar do relacionamento do banco com cliente. Isso porque em qualquer financiamento de imóveis, onde temos empréstimos por longa data, o cliente acaba tendo que criar uma relação com o banco e poderá acessar outros produtos.

Aprenda o que fazer para diminuir os juros do financiamento imobiliário

Os especialistas citados pela UOL garantem que a taxa de juros é importante. Porém, o mais importante é analisar o custo efetivo total da operação.

ANÚNCIO