Conheça esse jeito de proteger os seus investimentos!

Tem um assunto que preocupa muita gente, especialmente quem está começando a montar uma carteira de investimentos: a segurança do seu dinheiro.

Vai dizer que você nunca ficou com medo de investir dinheiro? Ou por achar que era difícil, arriscado, inseguro… É normal, é comum. Ainda mais aqui no Brasil, onde se fala muito pouco sobre finanças.

Mas, se você já viu que dá para investir de forma segura, ótimo. Está no caminho certo.

A ideia deste conteúdo é te mostrar uma das maneiras que se tem na atualidade para proteger os investimentos financeiros.

E, para criar o conteúdo, fizemos a seguinte pergunta:

– Qual a garantia que você tem de suas aplicações caso seu banco ou corretora venha a falir?

Antes de mais nada, vamos enfatizar um ponto muito importante sobre o mercado de investimentos. Acompanhe aí porque esse é só o começo.

Mundo Moderno

Conheça esse jeito de proteger os seus investimentos!

Muitas pessoas, baseadas em experiências sofridas por seus pais e avós, evitam investir por receios de grandes perdas.

Que, na real, são perdas que realmente aconteceram, como as que sofreram na caderneta de poupança, em um fundo de previdência pouco estruturado, em um fundo de pensão pouco regulado e por aí vai.

O ponto em comum é que todos esses investimentos tiveram problemas, que podem ser evitados.

É importante que você entenda que esses produtos, que no passado proporcionaram perdas significativas para a economia, impulsionaram um processo de revisão também.

E hoje estamos em um mundo moderno, com essa nova atualização do mercado.

E a organização, coordenação e regulação do mercado é o que tem tornado tudo mais seguro!

Por isso, hoje todo investidor possui garantias e segurança que anos atrás eram inexistentes. Logo, não dá para ter medo do passado se hoje temos um presente bem melhor quando o assunto é investir dinheiro.

As Criptomoedas

Um exemplo que ilustra bem o que eu digo são as criptomoedas.

Por que a maioria dos especialistas não recomenda comprá-las?

Porque elas não são reguladas pelo mercado financeiro brasileiro!

Isso significa que caso aconteça qualquer problema, você simplesmente não terá a quem recorrer para recuperar os recursos, o que é bem diferente da realidade dos investimentos estruturados existentes hoje no país.

Somos contra as criptomoedas? Não importa. O fato é que ela ainda não é regulamentada e isso é ruim quando se fala em investir de forma segura.

Se o seu dinheiro estiver aplicado em caderneta de poupança, em letras de câmbio, letras imobiliárias, letras hipotecárias, LCIs, LCAs,  entre outros investimentos de recursos a instituições financeiras…

Pode ficar tranquilo porque ele está garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito – o FGC.

O Fundo Garantidor de Crédito

Conheça esse jeito de proteger os seus investimentos!

O Fundo Garantidor de Crédito, é, basicamente, um fundo criado a partir da união de todos os bancos do mercado.

E o que ele faz? Ele garante a proteção de seus investimentos em caso de intervenção judicial, quebra ou congelamento dos ativos da instituição financeira em que você aplica o seu dinheiro.

Ele faz o papel de avalista ou fiador do seu empréstimo, garantido a restituição de até R$ 250 mil por CPF em cada banco, caso aconteçam problemas citados.

É uma garantia para o investidor que busca multiplicar seus recursos sem arriscar grandes perdas.

Claro nem todos  os produtos conservadores contam com a proteção do FGC, mas possuem garantidas equivalentes, por exemplo, cooperativas de crédito.

Tem o FGCOOP, o fundo garantidor de cooperativas que também assegura o ressarcimento de até R$ 250 mil – tornando os investimentos desse grupo seguros.

O Tesouro Direto, por sua vez,  conta com a garantia do Tesouro Nacional, ou seja, a não ser que o próprio país quebre e não há nenhum sinal horizonte em que isso venha acontecer.

Resultado: o seu dinheiro está totalmente assegurado nessa modalidade de investimento.

Até o Nubank é seguro!

Uma novidade que surgiu no mercado recentemente é que o Nubank, assim como o banco Inter, recebeu o aval do FGC e agora está assegurado também.

Isso porque a empresa lançou a NuConta, que não é um investimento, mas uma conta que tem rendimentos diários com base no CDI.

Na Pior das Hipóteses…

Agora, pensando na possibilidade, totalmente no cenário que vivemos hoje: e se o país quebrar e der calote na sua dívida? O que acontece com o seu dinheiro?

Por mais que seus recursos sejam garantidos pelo FGC, por fundos semelhantes e pelo próprio Tesouro Nacional é bastante claro que se houvesse uma tragédia como essa economia seria impossível ressarcir todos os investidores da forma prevista. Correto?

Por isso, é sempre bom manter uma estratégia ativa de análise econômica para evitar essas perdas.

A saúde financeira do país é a medida, principalmente, pela Taxa Selic, que define os juros da economia.

Quando a equipe econômica estabelece uma nova referência de taxa do mercado para o financeiro e investidores aceitam receber a taxa proposta, a situação é positiva.

Quando a saúde do Tesouro Nacional não é mais a mesma e o país deixa de ser visto como confiável, o Tesouro, automaticamente, eleva a taxa de juros na tentativa de atrair novos investidores.

Isso quer dizer que o melhor sinal que você pode ter que o governo estaria planejando um colote lá na frente seria um crescimento totalmente fora da curva dos rendimentos dos títulos públicos.

E essa é uma informação que com certeza virá com muita antecedência já que será alardeada pela mídia e por especialistas quando estiver para acontecer.