Bolsa de Valores: Proteger Investimentos para Ficar Rico Rapidamente – 4 Dicas

A política brasileira tem passado por várias crises – se fôssemos listar todas aqui, não teríamos espaços suficientes. Mas, o que se sabe é que mesmo assim é possível se proteger dessas variações e oscilações.

Como fazer isso é o grande segredo… E, então, você sabe como se proteger e investir dinheiro em cenários conturbados?

Tudo começa quando levamos em conta uma carteira de aplicações que não sofra com tais efeitos – como das delações premiadas ou quaisquer novos escândalos – que podem surgir a qualquer momento em Brasília ou até mesmo no mundo.

Não vamos nos atentar aos problemas políticos do país – ainda que isso seja muito importante. Mas, como nosso foco é o Mercado Financeiro, então, ficaremos a par deste assunto. Veja como Ficar Rico mesmo em momentos de crise.

A Relação entre o Mercado Financeiro e as Crises Políticas

No Mercado Financeiro, basta ler os números para entender que tudo é uma questão matemática, exata, numérica. Logo, baseado em estratégias é possível ganhar dinheiro neste mercado, desde que sejam dinâmicas e bem-sucedidas.

O Mercado Financeiro não é como Jogar na Loteria, como já falamos em outro artigo.

Porém, também não é apenas matemática e finanças. A economia como um todo sofre com a política, que tem se tornado uma das principais variáveis do mercado, principalmente no Brasil.

Assuntos como impeachment ou delação premiada podem movimentar o mercado drasticamente.

Para se ter uma ideia, recentemente – no dia 18 de maio – o índice Bovespa (indicador de performance do mercado) caiu 10,47% e foi preciso acionar o Circuit Breaker para frear a queda da Bolsa de Valores.

Isso havia acontecido pela última vez em 2008, quando a queda foi de 10,18%.

Se você não entende muito sobre Circuit Breaker ou se não sabe o que fazer com as ações em baixa, leia este artigo até o fim, onde vamos falar um pouco mais sobre essas expressões.

Para concluir esse tópico, é preciso entender, portanto, que todo comportamento político pode mudar em algumas horas.

Já quanto ao tempo da crise, não há um prazo para ela acabar – nunca há. Mas, na opinião de investidores, é possível imaginar uma previsão do final já que em cada nova investigação, novas descobertas são feitas, gerando um processo ainda mais longo – positivo para a sociedade.

Assim sendo, conforme analistas do mercado, teremos um “momento de respiro” na economia no final do próximo ano, 2018. Logo após as novas eleições para presidente.

A grande questão é que você não precisa deixar de investir apenas porque a política não vai bem e nem a economia.

As Variações da Taxa Selic

A Taxa Básica de Juros – Selic – é um índice que mexe com a maioria dos investimentos da Renda Fixa.

“É certo que a taxa de juros deve continuar recuando nas próximas decisões de política monetária do Copom. Atualmente, a Selic está em 10,25% ao ano e ao que tudo indica deveremos encerrar o ano em 8,5%”, disse o especialista Roberto Indech.

Também na opinião de Indech, até a Reforma Previdenciária deve interferir de forma gradual na economia e nos investimentos.

“Se for aprovada, o que é pouco provável que ocorra em 2017, a taxa poderia já recuar para a casa dos 8% e de forma sustentável a médio prazo. Aliás, desde o ano passado, o Copom sinalizava duas condições para o recuo da Selic: a queda da inflação e aprovação das reformas”.

Logo, ao que tudo indicado o cenário forte de queda Selic mostrava que as reformas (trabalhista e previdenciária) seriam aprovadas. Porém, com as delações do atual Presidente Michel Temer, o processo tornou-se mais difícil.

Os Investimentos Financeiros na Crise Política

A melhor recomendação é ter cautela para saber aproveitar as boas oportunidades. No Mercado Acionário, por exemplo, o nervosismo da crise política gera volatilidade e, assim, gera oportunidades de negócios.

Para quem tem uma carteira voltada para o médio e longo prazo, a recomendação é não sair da posição em momentos incertos, como esse.

“Vender quando os papéis estão em baixa por motivos sistêmicos é concretizar o prejuízo. O melhor a fazer é esperar a correção das cotações”.

Já para os investidores que querem construir posições, essa é considerada a hora certa. Inclusive, alguns papéis entram em “liquidação”, ou seja, ficam promocionais quando a política está instável.

Para os investidores da Renda Fixa, nada muda. O investimento é considerado conservador e sofre pouca influencia do cenário no curto prazo.

Para fim de tópico, se você é um day trade ou busca rendimentos altos em fundos no curto prazo, procure recomendações mais atualizadas e diárias.

O Tesouro Direto na Crise Política

Vamos parecer nada modestos ao dizer isso, mas os especialistas, de forma geral, concordam: “Nenhuma Turbulência Política abala o Tesouro Direto”.

Quem tem ativos nesses títulos do governo, podem manter seus investimentos com segurança de que vai receber conforme o acordo e a rentabilidade prevista.

Por exemplo, quem aplica no título do Tesouro Selic e visa o curto prazo, tem perspectiva mantida já que a inflação está caindo junto com a Selic e isso mantém a rentabilidade equilibrada.

Se o investidor busca a rentabilidade que supera a Taxa Selic, será preciso abrir mão da segurança desses investidores conservadores e aplicar, por exemplo, em fundos de Renda Fixa ou Multimercados.

– Vale considerar que os fundos precisam ser ainda mais pesquisados, já que se escolhidos de qualquer forma podem levar o investidor ao prejuízo.

No caso do Tesouro IPCA ou Prefixados, o ideal é seguir o papel até o vencimento final, assim não há riscos de impactos negativos. Como sabemos, a Renda Fixa é um investimento previsível.

A volatilidade nos preços negociados pode levar o preço para baixo, por isso, a recomendação é segurar o vencimento para ter a rentabilidade combinada no momento da compra.

No atual Cenário, Tesouro Direto ou CDB?

Os dois investimentos são considerados os mais populares da Renda Fixa no Brasil. Em termos de segurança, eles são iguais. Enquanto um é garantido pelo governo, o outro tem a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), no valor de até 250 mil reais.

Ambos também são versáteis e vão ter variações de acordo com rendimentos atrelados ao IPCA ou títulos que seguem a taxa Selic, com liquidez diária.

Portanto, para decidir qual o melhor investimento financeiro – se é o Tesouro Direto ou o CDB – você terá que ter definido um Objetivo Financeiro. Se a meta é de curto, médio ou longo prazo, por exemplo. E claro, saber quanto tem disponível para investir.

Só assim será possível saber qual é mais compensador.

Bolsa de Valores: Proteger Investimentos para Ficar Rico Rapidamente – 4 Dicas

Reprodução: Google

O Que NÃO fazer em Cenários Políticos Instáveis

São vários os erros que as pessoas cometem e o 1º deles é deixar de investir dinheiro porque estão com medo do mercado financeiro. Porém, esse não é o melhor comportamento em nenhum dos prazos.

A dica é: nunca deixe de aproveitar as oportunidades financeiras porque elas existem mesmo nas crises políticas.

Outro erro é vender os papéis quando estão em baixa por medo da desvalorização. Esse movimento manda é muito comum, mas errôneo.

Uma dica é acompanhar o noticiário político atual e saber o que está acontecendo no país antes de se aplicar dinheiro. O momento pode ser de incerteza, mas você poderá ter uma visão conservadora ou libertadora, dependendo do seu objetivo final.

A Regra Final é Diversificar Investimentos Financeiros.

Quanto mais instabilidade, mais oscilação e mais oportunidades.

Por exemplo, no dia 18 de maio, com o terror na Bolsa de Valores, quem tinha uma Reserva Financeira conseguiu reforçar suas posições a um preço incrível. Os papéis do Itaú tiveram queda de 12% e variaram 5 reais em menos de 24 horas.

O que é recomendado, por fim, é nunca investir todo seu potencial financeiro na Bolsa de Valores ou atrelados ao Crescimento da Selic. O lance é diversificar, lembram-se? Somente assim é possível garantir um patrimônio forte e crescente, que resistirá a anos e as crises políticas que ainda estão por vir.

12 Títulos: Renda Fixa é Considerada Porto Seguro em época de Crise

Para auxiliar essa busca pelos melhores produtos na área, a XP selecionou alguns produtos de curto, médio e longo prazo, conciliando ativos de emissão bancária e de crédito privado.

A relação foi sugerida por Henrique Vasconcellos e há, inclusive, CDBs de 5 anos ou alguns com Liquidez Diária. Confira!

CURTO PRAZO

1 – CDB Pan Líq. Diária – Renda Fixa Pós-Fixado em Emissão Bancária

2 – CRI Urbamais – Renda Fixa Pós-Fixado em Crédito Privado

3 – CDB Pan Pré 2 anos – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Emissão Bancária

4 – CRA Raízen (2014) – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Crédito Privado

MÉDIO PRAZO

5 – CDB Pan 3 Anos – Renda Fixa Pós-Fixado em Emissão Bancária

6 – CRA VLI (2017) – Renda Fixa Pós-Fixado em Crédito Privado

7 – CDB BMG IPCA 3 Anos – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Emissão Bancária

8 – Deb. Incent. SPVI12 – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Crédito Privado

LONGO PRAZO

9 – CDB BMG 5 Anos – Renda Fixa Pós-Fixado em Emissão Bancária

10 – CRI Aliansce (2017) – Renda Fixa Pós-Fixado em Crédito Privado

11 – CDB Fibra Pré 5 Anos – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Emissão Bancária

12 – Deb. Incent. CLNG11 – Renda Fixa Pré-Fixado/Inflação em Crédito Privado

Circuit Breaker e Ações em Baixa

Com prometido, aqui está nossa explanação sobre o Circuit Breaker que aconteceu em maio deste ano.

Esse é um mecanismo usado na Bolsa de Valores para proteger os investidores quando o mercado se torna um vendedor, de forma que amortece e rebalancea as ordens de compra e venda.

É uma proteção à volatilidade em excesso, que ocorre em raros momentos.

A porcentagem, normalmente, é de 10%, ou seja, quando as principais ações da Bolsa de Valores recuam 10 pontos percentuais, o pregão é paralisado por, pelo menos, 30 minutos. Após esse tempo, ele reabre e o índice bater 15% negativos, é paralisado por 1 hora.

Se após esse período houver outra queda, de 5%, o que totalizada 20% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, a Bolsa poderá determinar a suspensão dos negócios em todos os mercados.

Nesses momentos acontecem também um desespero por parte de muitos investidores, principalmente aqueles que levam em conta os resultados ruins de 2008. A dica é: não fazer nada precipitado.

Para não perder dinheiro na crise, uma das dicas é ter uma parte do patrimônio em Renda Fixa – como já falamos aqui é a questão da diversificação de investimentos. Além da segurança, o melhor é ter munição para aproveitar as oportunidades da queda.

Principais Dúvidas de quando o Mercado está em Queda

Comprar ou Vender Mini Contratos – Para quem opera em Day Trade, o ideal é entender o mercado e investir nas transações. Para os demais, segurar os investimentos,

Comprar o Vender Ações – A médio e longo prazo, vale a pena investir em ações fortes, mas que sofreram quedas nesse período,

Quanto a Selic – A tendência continua sendo de forte queda,

Tesouro Direto – Esses títulos públicos devem ser mantidos, principalmente aqueles atrelados ao IPCA, que são de longo prazo,

Encerrar Posições – Nunca. Mantenha as posições mesmo em cenários de grande volatilidade. O indica é apenas fazer a manutenção das ações,

Amanhã – Sobre o amanhã o que existem são previsões, portanto, é preciso muito cuidado. Sempre.

Acostume-se a Volatilidade do Mercado

Quem está no mercado da Renda Variável precisa se acostumar com a volatilidade porque todas as variações podem acontecer – tanto as mais radicais quanto as raras e imprevisíveis. Isso faz parte do jogo, como dizem os analistas.

Se você tem dúvidas sobre a Bolsa de Valores, vale a pena pensar sobre estudar a história do mercado acionário – que pode refletir em cada tipo de acontecimento. O cenário macro nacional e mundial pode trazer diversas mudanças que podem abalar radicalmente à Bolsa.

Situações como essa do dia 18 de maio são raras, é verdade. O que prova que, ainda que seja diferente da opinião de muitos especialistas, o Mercado Acionário pode ser considerado “um tanto quanto previsível”. Pelo menos se você tiver noção do mercado e experiência.

A lógica é minimizar os riscos – quer saber como, clique aqui.

Ficar Rico Investindo Dinheiro

Talvez nem precisaríamos ter este tópico neste artigo porque se você leu ele integralmente até aqui, já deve ser uma daquelas pessoas que investem dinheiro ou que tenham a intenção de o fazer.

Mas, levando em conta que o brasileiro ainda tem muitas dúvidas sobre o mercado financeiro, adicionamos este tópico.

O sonho da maior parte das pessoas é ficar ricos. Claro que todos tem esse sonho, mas nem todos tem a aspiração para tal. Aspiração, nesse caso, nada mais é do que ficar rico investindo dinheiro – essa é a forma mais certa para conseguir tal êxito.

Cada pessoa que já conseguiu esse feito tem a sua particular história – como o Trovó que foi um dos primeiros brasileiros a conseguir ficar milionário na Bolsa de Valores antes de 30 anos de idade.

Mas, entre todas essas pessoas, há semelhanças – que valem para todas as outras pessoas do mundo que querem chegar ao mesmo objetivo.

Regra Número 1 – Poupar Dinheiro para estabelecer um Padrão de Vida onde seja possível ter porcentagens para Investir em Aplicações Financeiras. Já investir significa encontrar um destino ideal para o dinheiro poupado, de modo que se multiplique ao longo do tempo.

Como Conseguir Poupar Dinheiro para Investir

Para Poupar Dinheiro, você precisará fazer uma revisão das expectativas da sua família – dentro do planejamento financeiro familiar e notar se eles estão alinhados com a realidade financeira. Depois, refaça o orçamento a partir do zero, elencando aquilo que é prioridade.

Comece por notar os “Ralos Financeiros” que são todas as fontes de desperdício do dinheiro. Aqui, enquadra-se a palavra “Supérfluo”, que são gastos que podem ser evitados a partir de agora.

Esses ralos financeiros pode ser aquela assinatura de revistas que você nunca lê ou o pacote com muitos canais de TV sendo que você assiste apenas ao Futebol. O mesmo vale para planos de telefonia, transporte, entre outros.

Depois disso, economize dinheiro de forma intencional. Se você separa o dinheiro para pagar a conta de luz ou água, precisa começar a fazer isso com os investimentos também.

Entenda, apesar de tudo, que você não vai ficar rico da noite para o dia. A não ser que tenha muito dinheiro para investir todos os meses. Em caso contrário, o trabalho é de formiguinha, passo a passo, com tempo e paciência.

Para prosseguir, com o dinheiro economizado você precisa escolher os melhores investimentos financeiros, ou seja, aqueles que melhor condizem com a sua realidade – a poupança, por exemplo, não costuma ser uma boa alternativa, para nenhum caso.

Investir Dinheiro entendendo os Números e as Taxas

A única fórmula mágica que existe para ficar rico chama-se juros compostos – o que faz com que seja importante investir dinheiro sempre, de forma regular e constante.

O tempo, nesse caso, é o maior aliado e em longo período pode te fazer ter um patrimônio representável, a partir do investimento inicial.

Esses juros compostos são o mesmo aplicado pelos bancos. A diferença é que quando você investe, você recebe uma média de 12% de lucro ao ano e quando paga empréstimos ou cartões de crédito, pode pagar até 470% por ano. No caso, muito melhor recebe r do que pagar, não é?

Por isso, o ideal é começar a investir agora, o quanto antes para que os juros compostos tenha tempo suficiente de fazer o seu dinheiro se multiplicar.

Por que a Renda Fixa é Muito Melhor do que a Poupança?

Para economistas, vale a pena investir em Renda Fixa mesmo que o país enfrente um cenário de crise econômica – como o brasileiro já está ficando habituado.

O professor de MBA da Fundação Getúlio Vagas (FGV), Sérgio Bessa, deu uma entrevista à internet falando sobre isso. As opiniões são compartilhadas também por Michael Viriato, que é coordenador do laboratório de finanças do Insper.

Eles afirmam que a comodidade da poupança é o principal fator para que ela seja a mais tradicional na hora de investir dinheiro. Porém, quanto mais acessível um tipo de investimento, maior a chance dele render menos juros do que as outras opções.

“Os investimentos populares tendem a ser aqueles com os piores retornos”.

Para o professor do Insper, o desconhecimento sobre os outros tipos de Renda Fixa, como o CDB, é que faz com que as pessoas deixam dinheiro na poupança.

“A poupança é o instrumento de um banco e, por isso, tem o mesmo risco que um CDB, por exemplo, que possui a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Crédito”.

Logo, há de se pensar ainda que investir dinheiro no Mercado Financeiro Brasileiro é seguro, ainda mais porque a Renda Fixa é considerada uma aplicação conservadora.

Na opinião de Bessa, dificilmente um investidor que aplica dinheiro em títulos deste tipo irá perder dinheiro.

“A escolha da melhor opção de investimento vai depender do perfil de cada um. Porém, eu acho que o mais seguro que existe é você fazer um investimento atrelado à taxa de juros. Você não vai perder nunca, mesmo que ganhe pouco em alguns momentos”.

“Nossa taxa de juros ainda é alta e isso faz com que valha a pena o investidor ser conservador no Brasil. Os títulos atrelados à Selic são boas opções para quem não entende sobre a volatilidade do mercado”, diz Viriato.

“Se ficarmos atentos às recomendações de classificação de riscos, podem ser encontradas boas oportunidades em corretoras, bem melhores do que os bancos de varejo tradicionais”, diz Bessa.

Quais Rendas Fixas Escolher ainda para 2017?

O melhor exemplo disso é o Tesouro Direto, que pode ser comprado pela internet. Nele, o Tesouro Selic é o produto mais indicado, que rende o mesmo que a taxa básica de juro – definida pelo Banco Central – logo, o investidor nunca perde dinheiro para a inflação – a não ser que faça o resgate antecipado.

É o que recomenda Alexandre Cabral, professor de Finanças da FIA, que cita ainda o CDB – Certificado de Depósito Bancário.

Clique Aqui e Saiba tudo o que você sobre o Certificado de Depósito Bancário!

Também tem o Tesouro IPCA, que tem um rendimento mesclado com a correção monetária – pela variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Esse é um título que protege o seu dinheiro contra a inflação assegurando o ganho real.

“Até 5 mil reais, o investimento ideal para o curto prazo, entre 1 e 2 anos, é o Tesouro Selic. Para o médio prazo, entre 5 e 6 anos, é o CDB de bancos. E para o longo prazo, com retirada em 2030 ou mais, o ideal é o Tesouro IPCA. Que tem mais de 5 mil, deveria investir em CDBs”, diz o professor.

Assim, para todos os prazos, vale a pena pensar em papéis que oscilem menos. “Para essas ações, mesmo que o mundo desabe, sua variação é bem menor do que a média. E mesmo quando o mercado sobe, a ação sobe menos que a média. Os investidores que possuem esse tipo de aplicação em sua carteira acabam tendo uma perda menor”, diz Contani, da Fecap – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado.

“Neste momento, não temos que mudar as recomendações, principalmente na renda fixa”, dizem os especialistas.

“O mercado futuro é nervoso, formado por expectativas. Quando há uma indefinição, imediatamente no mercado futuro as taxas sobem”, diz a professora da Fundação Getúlio Vargas, Myriam Lund.

“Mas, mesmo que haja volatilidade, a orientação é carregar o título até o final, para que o investidor ganhe todo o juro contratado. Já para quem quer entrar agora na Renda Fixa, adquirir papéis prefixados ou atrelados à inflação, como Tesouro IPCA+, é uma boa opção”, ela diz.

“Os títulos públicos aumentaram a taxa de juros. Os prefixados, que estavam abaixo de 10% subiram. O momento é de comprar porque tudo na economia é cíclico”, diz Lund.

Estudar para Investir Dinheiro da Forma Certa

Para o coordenador do laboratório de finanças do Insper, o dinheiro é um investimento que funciona como abrir uma empresa.

“O primeiro passo é estudar, avaliar com cuidado todas as alternativas de investimentos e criar um plano para ela. A pessoa tem que entender quais os resultados que cada um dessas alternativas para escolher a mais adequada para ela”.

Para ele, uma boa opção é estudar sobre o mercado financeiro recorrendo á vários tipos de fontes de conteúdo.

“O investidor deve pesquisar em casa, procurar algum tipo de ajuda de especialistas, perguntar a amigos. Também pode ir a um banco, mas não somente nele”.

Engana-se quem pensa que ter conhecimento financeiro é saber tudo sobre as grandes companhias ou sobre investir em ações pelo Home Broker. Isso tudo é importante sim, no entanto, todo mundo que sabe disso precisou começar pelo mais básico.

Pesquise sobre os investimentos a curto e a longo prazo, para descobrir qual é a melhor opção para alcançar seus objetivos.

Se você busca esses conhecimentos, temos duas opções gratuitas:

  1. E-book Gratuito – Guia Definitivo sobre as Rendas Fixas
  2. Workshop Gratuito – Como Investir em Ações com Risco Zero

Como Ter Motivação em Tempos de Crise Financeira? O Segredo para Prosperar

É muito comum que existam dias que acordamos com nível zero de paciência. É verdade: por mais que tenhamos dormido e descansado, já levantamos com o “pé esquerdo”. Na maior parte das vezes, isso se deve ao dinheiro, à falta dele e aos problemas causados por ele, por isso, o tema: Como Ter Motivação em Tempos de Crise Financeira?

Daí que você que nos acompanha aqui no Blog, está cansado de tanto ler notícias sobre COMO INVESTIR DINHEIRO ou COMO FICAR RICO INVESTINDO ou qualquer outra matéria que nos leve a pensar a vida como uma relação intrínseca entre CONSUMIR MENOS, POUPAR MAIS e INVESTIR SEMPRE.

Só que nesse dia, no dia em que você acordou totalmente irritado, você fica se questionando e dizendo que é muito fácil falar disso ou daquilo quando se tem dinheiro. O difícil mesmo é levantar e saber que as contas estão vencendo e você está sem emprego ou com recebendo um salário menor do que merecia.

Acredite você: esse sentimento é muito comum e VERDADEIRO na vida de grande parte dos brasileiros.

E, quer saber, você tem toda razão para ficar P da vida. Os políticos roubam, outras pessoas passam a perna, os serviços públicos são ruins e os que são bons são caros e assim vai. O Brasil é o país que mais cobra impostos. Só essa notícia já nos faz ficar de cabelo em pé.

Só que tem uma coisa que ninguém pode te dar ou tirar de você: A MOTIVAÇÃO.

É verdade, segundo o filósofo Mario Sergio Cortella, nem mesmo uma empresa ou a família pode te dar motivação. Eles podem te dar estímulos, mas não a motivação porque ela é individual, interior, sua.

Portanto, hoje nossa equipe de Redação acordou meio assim: P da vida, também. E pensamos em como a vida parece ser injusta para muitas pessoas.

Mas calma lá, só lamentar não funciona. Isso se chama PROCRASTINAR. O que não é nada bom. Sendo assim, resolvemos fazer um artigo diferenciado.

E já vamos dar os devidos créditos: não é bem um artigo, é uma reprodução.

Selecionamos um capítulo do livro de Mario Sergio Cortella que fala justamente sobre Como Ter Motivação em Tempos de Crise.

É uma verdadeira aula e talvez tudo que você precise para acordar amanhã com o pé direito, mesmo que a situação global não tenha melhorado, afinal, é você quem precisa ver tudo de outra forma.

Para ver trechos do livro, clique aqui!

4 Dicas para Proteger os Investimentos e Ficar Rico

O assunto aqui também tem a ver com o Circuit Breaker, que aconteceu em 18 de maio, após delação premiada do presidente da JBS, Joesley Batista. Aos poucos, o mercado se recompôs, mas o assunto trouxe de volta os investidores.

Conforme pesquisa da BlackRock, feita com investidores norte-americanos, apenas metade acredita que terá dinheiro suficiente para se aposentar. Abaixo, listamos 4 dicas que foram publicadas pelo CNN Money e que tem o foco de proteger seus investimentos focados na aposentadoria.

1 – Investimentos Alinhados à Aversão ao Risco

A pior coisa que o investidor pode fazer quando há um colapso do mercado é colocar todo o seu dinheiro em ações de alto risco e de retorno alto, também. As ações voláteis já são bastante arriscadas.

É preciso diversificar e reequilibrar o portfólio de investimentos para garantir os seus investimentos, que devem estar alinhados à sua aversão ao risco. Em caso contrário, poderá perder muito dinheiro.

2 – Não invista se não pensar nos Próximos Cinco Anos

Este sempre foi considerado um bom argumento e é aconselhável veemente em todo mundo. Quando se trata de queda de mercado, ele é acentuado – investidores devem evitar investir seu dinheiro no mercado pensando no curto prazo.

Se o mercado falhar, você vai precisar pilotar a tempestade ao invés de vender tudo em um momento de pânico. Ao investir dinheiro em curto tempo, será mais difícil conseguir recuperar as economias, em caso de perda.

3 – Eliminar Todas as Dívidas

Se você está próximo á idade da aposentadoria, suas economias não devem estar no vermelho. Você tem que aprender a viver abaixo do seu padrão atual e economizar o tanto de dinheiro que conseguir.

O dinheiro investido deve ser aquele que você não precisará por pelo menos os 5 próximos anos, por isso, o mais sábio é pagar todas as dívidas possíveis que puder para ter certeza de que não vai precisar do dinheiro mesmo quando os problemas financeiros aparecer.

4 – Esteja Preparado para o Pior

Embora seja impossível ter uma estratégia de investimento que nunca vá falhar, especialmente para os momentos de crise, há algo que o investidor poderá fazer e que o tornará mais preparado – estar preparado para o pior.

Quando você assume o seu portfólio, você consegue cortar algumas ações ou trabalhar mais para garantir que suas economias sejam suficientes para resistir à crise.

Isso também é positivo para evitar pânico e a tomada de decisões.

Crise Impulsiona Negócios para Ganhar Dinheiro Extra

Mas falamos das startups apenas para mostrar que a inovação está acontecendo e surgiu em um momento de crise. Portanto, se você está passando por dificuldades financeiras, pode encontrar, também, uma forma de organizar as suas finanças.

Seja para complementar a renda ou combater à fase de desempregos, a consistência dessa renda é importante e exige planejamento.

“O bico não é um passatempo ou uma brincadeira, alguns cuidados são essenciais para que seja possível expandir a base de clientes e ter faturamento recorrente com o trabalho”, afirma Kleber Costa, que é CEO do Bicos.com.br, uma plataforma que conecta profissionais autônomos e pessoas que buscam tais serviços.

O especialista listou 5 Passos, confira!

Crise Impulsiona Negócios para Ganhar Dinheiro Extra: 5 Passos para Ter Sucesso

Viver de Renda em 4 Passos

Para Viver de Renda, qualquer pessoa precisa investir dinheiro. Pode ser em imóveis, como mostrado no exemplo acima. No entanto, os especialistas recomenda que seja em aplicações financeiras que tenham boas rentabilidades e não gerem tanta dor de cabeça, como alugar imóveis.

O 1º passo é ter alguma receita, a partir daí, basta gastar menos do que se ganha e com o restante, investe-se em aplicações financeiras. Para tanto, é preciso observar as taxas de administração e outros gastos que vão aparecer.

Se a sua intenção é viver apenas com o rendimento dos investimentos, veja como fazer isso com esses 5 passos a seguir!

1 – Ganhar Dinheiro

Como já adiantado, o 1º passo é ganhar dinheiro de alguma forma: ter uma renda financeira.

Conforme analistas, o melhor jeito de fazer isso é agregando valor aos serviços rentáveis. Logo, se você tem um negócio próprio, pense em melhorar a qualidade dos produtos e dos serviços prestados, o resultado pode ser mais clientes e maior faturamento.

Para trabalhadores assalariados, o melhor a se fazer é apostar na qualidade, ser proativo e dedicar um bom tempo à empresa, que podem vir acompanhado de bonificações.

Ao mesmo tempo, para qualquer um dos casos, vale a pena pensar em trabalhos freelancers, que são adjacentes ao compromisso habitual. Se você tem dotes culinários, invista na venda de bolos em pote; se gosta de costurar, faça alguns serviços de remendas de roupas; e assim por diante.

Claro que além de ganhar dinheiro é preciso poupar, que é o próximo passo.

Bolsa de Valores: Proteger Investimentos para Ficar Rico Rapidamente – 4 Dicas
Reprodução: Google

2 – Poupar Dinheiro

Saber poupar dinheiro é tão importante quanto saber ganhar ele. Claro que isso só vai ser possível se você tiver um bom planejamento financeiro e for muito disciplinado. Entenda que sempre vão existir despesas desnecessárias, que podem ser cortadas. Elimine os gastos supérfluos.

Se você tem dificuldades para poupar dinheiro, reveja seus objetivos financeiros. Note que você não tem que viver de ostentação e aparências para agradar os outros e nem precisa adquirir bens dos quais não vai usufruir.

Os investimentos financeiros são as melhores alternativas para quem quer enriquecer e manter o equilíbrio das finanças.

3 – Objetivos Financeiros

Rever objetivos financeiros não quer dizer que você vai precisar deixar de viver a sua vida de forma agradável. O que é preciso é se organizar e ter disciplina. Logo, esses objetivos tem que ser concisos e cuidadosos, reais e praticáveis.

Em longo período, um desses objetivos pode ser o fato de viver de renda. Para que isso aconteça tenha uma planilha de anotações e siga a risca o seu plano financeiro, sem perder o controle do dinheiro.

Agora tudo está ficando claro: ter dinheiro, poupar dinheiro e ter objetivos!

4 – Aplicação Financeira

A fórmula para enriquecer você já tem, porque foi dita acima. No entanto, falta fazer acontecer e isso tem que ser feito investindo dinheiro. Aplique seus recursos para que eles rendam lucros e se multiplique.

Mas isso não deve ser feito assim, em um piscar de olhos. Tenha sabedoria para fazer aplicações financeiras e estude a fundo todas as opções do mercado. Saiba quanto o seu dinheiro pode render durante todo o tempo que for aplicado.

Tenha uma ideia de quanto será necessário investir, de quanto tempo, com qual rentabilidade, em qual aplicação financeira… Entre tantas informações necessárias para ganhar dinheiro.

Com informações da Rico, R7 e Infomoney