Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017

ANÚNCIO

Ano novo, vida nova! Essa é a ideia. Como é bom poder recomeçar a vida. Mesmo sabendo que ela é cíclica e nunca para, em cada começo de ano, em cada janeiro, nós fazemos uma listagem de promessas e propostas para os próximos 12 meses. Os objetivos envolvem de tudo: encontrar um grande amor, realizar aquela viagem dos sonhos, se recuperar de um problema de saúde ou, para os mais agradecidos, continuar com uma vida bem vivida.

E para você, que já tem uma família, nada como imaginar os próximos dias do ano ao lado dessas pessoas que você tanto ama. E isso é muito (muito) importante mesmo para conseguir ter uma vida tranquila e equilibrada. A participação da família (e também dos amigos) pode ser uma resultante direta no seu direcionamento pessoal e profissional.

ANÚNCIO

Educação Financeira: o que falta para sairmos das dívidas e sermos bons investidores?

Porém, infelizmente, o que sabemos hoje é que a maioria dos casais (e da família) se desconstrói, na maioria das vezes, por causa do dinheiro. Ou então, da falta dele. E, podemos dizer mais, as vezes nem é a falta dele, e sim, a falta de planejamento. Isso é quase que instintivo para o brasileiro: gastar mais do que se ganha. É a “mania” de viver a vida, viver o hoje, sem se preocupar com o dia de amanhã.

E isto não está errado, de forma alguma. Essa visão faz parte da personalidade de cada pessoa. Assim como uns preferem a lua e outros, o sol. É totalmente aceitável. Mas, precisamos trabalhar em cima de fatos e dados. E o que temos em mão hoje é: o principal motivo dos divórcios é causado por problemas financeiros.

ANÚNCIO
Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017
Reprodução: Google

Então, assim sem querer se meter na sua vida pessoal, mas já querendo ajudar, separamos algumas dicas para você manter um bom relacionamento familiar e ter equilíbrio com os gastos mensais, sem fazer com que isso interfira nas suas noites mal dormidas ou no aperto no coração que dá quando seu filho pede algo e você não tem condições de comprar naquele momento.

Leia com atenção esses tópicos abaixo e tente imaginar qual seria a melhor alternativa para não fazer parte desses números tão atuais. E assustadores.

Como Fazer um Bom Planejamento Financeiro Familiar?

É hora de arregaçar as mangas! Vamos lá: Gastos Supérfluos tem que ser cortados, o Orçamento Financeiro da Família tem que funcionar, as Despesas precisam estar “envelopadas”, o Investimento Financeiro é Fundamental, Ajustes e Corte de gastos domésticos é possível, Prever Situações Futuras é necessário… E tudo isso pode/deve ser feito agora!

É muito informação? É mesmo! Por isso, criamos tópicos! Em cada um vamos falar mais detalhadamente sobre os assuntos em pauta. Vamos explicar tim por tim, combinado? Preste muita atenção, faça escolhas com segurança e saiba por onde caminhar mesmo em dias tempestuosos. Importante Saber: pessoas ricas não são, necessariamente, aquelas que ganham muito dinheiro, mas sim aquelas que sabem fazer um bom orçamento financeiro.

1 – Diálogo

Perguntar não ofende, já dizia um velho ditado. E nem conversar! É muito comum, também no Brasil, os responsáveis pelo planejamento econômico da família não dividir os assuntos com todos os integrantes. No entanto, isso é muito importante, tanto é que é o primeiro passo para mandar bem na organização da família.

E não importa se você é aquela mãe ou aquele pai liberal, que acha que o filho adolescente não precisa ajudar em casa, mesmo assim, a conversa é importante. E outra coisa, ninguém precisa saber qual o salário de ninguém (apesar disso ser uma coisa positiva), desde que todos colaborem com as economias de alguma forma.

Atenção: não estamos falando de ajudar financeiramente, mesmo porque nem sempre é possível, mas a ajuda pode vir de pequenos atos, como usar menos água e economizar energia. Se os seus filhos ou agregados são pequenos, melhor ainda, comece desde a ensinar a educação financeira à eles.

Precisamos abrir essas aspas para falar! Temos um artigo muito bom sobre a Educação Financeira para Crianças. Lá tem até uma dinâmica que pode ser feita com crianças de mais de 7 anos e que tem resultados muito positivos. Vale a pena ler: Descubra como você pode fazer o seu filho se tornar um empreendedor rico e de sucesso!

Mas, voltando ao assunto, é importante que exista diálogo entre as pessoas da família. Independente de quantas pessoas são e de quais as idades. Nessas conversas, que podem ser mensais, por exemplo, é possível, inclusive, fazer os planos em conjunto seja sobre uma viagem de final de ano ou a troca do carro por um de modelo mais novo. Quando todos sabem as prioridades, o trabalho em conjunto tem resultados mais exponenciais. Faça e comprove!

2 – Organização

Outra coisa que não importa é quem vai ser o responsável pelo dinheiro, desde que essa pessoa seja organizada. É preciso encarar a realidade de frente, ser racional, podemos dizer. Entenda que organização aqui quer dizer: colocar na ponta do lápis os gastos e as receitas.

Para isso, temos um artigo muito bem explicadinho, que tem sido usado e aprovado, é sobre a Técnica dos Envelopes. Leia: Planejamento Financeiro Pessoal Eficaz Usando a Técnica dos Envelopes!

Ainda nesse tópico, é preciso saber também sobre a importância de registrar as entradas do dinheiro e as saídas. Você pode trabalhar informalmente ou com salário fixo, pode ter pagamentos mensais ou semanais, pode ter rendimentos extras ou não, mas vai precisar saber exatamente quanto tem para gastar. Então, separe tudo o que for entrada de salários líquidos, ou seja, aqueles que já estão descontando os juros e impostos.

Leia Também: Maioria das famílias brasileiras está endividada e Renda Extra é opção para sair das dívidas

Para quem trabalha de forma informal, é essencial que exista um valor mínimo, e é esse valor que será usado para registrar a entrada do dinheiro. Exemplo: se eu tenho um renda mensal variável com uma média de 2 mil reais por mês eu NÃO vou usar essa média. Eu preciso usar o menor valor que eu ganho em algum mês. Por exemplo, se a minha média é 2 mil, pode ser que o mês que eu menos ganho é de um valor de 1,3 mil reais. Então, é o valor de 1,3 mil reais que tem que estar na entrada.

Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017
Reprodução: Google

As saídas, bem, as saídas não são tão complicada assim: basta você anotar tudo o que sai. O churros, o sorvete, o seguro do carro, o mercado, a internet, tudo. Fazendo isso, você vai levar um susto. Porque é comum que as pessoas gastem mais do que imaginam que gasta. Depois, um dos próximos passos é adequar o seu orçamento familiar dentro de uma porcentagem especifica.

Quer saber qual é essa porcentagem? Continue lendo o passo a passo, a resposta virá em breve.

Observação: para não correr o risco de esquecer, faça sempre as anotações dos gastos DIARIAMENTE. Ou seja, todos os dias. Pode ser até no período da noite, mas tem que anotar tudo, combinado?

3 – Planejamento

Agora sim! Chegou a hora do vamos ver! Se você seguiu corretamente o passo 2, já viu que está gastando mais do que ganha. Então, para se ter um bom planejamento isso não pode acontecer. O que deve ser feito? Trabalhar em cima de números, oras!

A regra disseminada pela Trovó Academy funciona assim: em cima do orçamento familiar, você vai pegar 70% da receita líquida e usar para gastos (sim, todos os gastos), 20% vai para quitar as dívidas ou fundos de reserva e 10% para investimentos. Esses são os valores que você deve estipular e se os gastos ultrapassam os 70%, o que normalmente, acontece, então, é hora de economizar.

Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017
Reprodução: Google

Antes de continuar, vamos às algumas explicações simples sobre o porque essas porcentagens e essa regra funciona!

  • Dívidas ou Reserva Financeira – A maioria das famílias brasileiras tem dividas e se elas não forem pagas, o valor se acumula, já que os juros são altos. A bola de neve pode te levar para a falência. Resultado: pagar as dívidas é fundamentalmente importante. Agora, se você não está com esse problema, pegue o valor e guarde, afinal, você nunca sabe quando um imprevisto pode acontecer.
  • Investimento – Essa é a cereja do bolo, é o que muita gente não sabe ou, se sabe, não se importa. Então, fiquem sabendo que investir dinheiro não é coisa só de gente rica. Qualquer família deve fazer isso porque o investimento é a única opção que vai realmente te fazer enriquecer. Diferente da dívida, aqui, você recebe juros. Ou seja, ganha sem fazer muito esforço. Por favor, não deixem essa porcentagem de lado, ela é muito importante.
  • Gastos – Bom, gastos são gastos, né! Alguns impossíveis de serem cortados como alimentação e transporte, mas outros podem ser diminuídos, tais como serviços não utilizados. Porém, muita gente diz que não tem como usar apenas 70% para gerir os gastos, então, a notícia não é boa: você está levando uma vida acima do que você pode sustentar. Troque de carro, mude de casa, faça o que for precisar para viver em cima do seu patamar. Mas, não deixe de seguir as duas dicas anteriores.

Ainda ficou com dúvidas de como isso pode dar certo? Então, veja o vídeo:

https://youtu.be/tXfddhCV5mA

Educação Financeira

Para seguir qualquer dos passos citados acima, você e sua família, vão precisar quebrar alguns paradigmas sobre o mercado financeiro. Aquilo que aprendes com os nossos pais, por mais sinceros que eles sejam, já não se aplica, em grande parte, nos dias de hoje.

Quer um exemplo? Guardar Dinheiro na poupança já não é o mais indicado, comprar imóveis para alugar também não é uma coisa muito sensata a se fazer (Alugar Imóvel ou Comprar Casa) e, por fim, a previdência privada já não tem os mesmos méritos de antes (7 Mentiras que os Bancos Contam).

A Educação Financeira não é uma teoria matemática que usa fórmulas fixas, ao contrário, ela está mais para uma ciência humana que se modifica com o tempo. E, por isso, você deve sempre estar antenado para buscar as melhores maneiras de deixar a sua família equilibrada economicamente.

Se você ficou com dúvida sobre os investimentos, temos duas opções para você ler e saber mais. O primeiro é um Guia Completo Sobre a Renda Fixa, que tão segura quanto a poupança, tem maior rentabilidade (talvez você já tenha ouvida falar sobre Tesouro Direto, CDB e Fundos). O segundo é sobre um curso para investir com Risco Zero, aqui, a questão é voltada para os mais arrojados que gostam do mercado de ações.

Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017
Reprodução: Google

Inclusive, em se tratando de dinheiro, vocês notaram que o impechment do ano passado e a eleição do novo presidente dos Estados Unidos, movimentaram essa área aqui no Brasil? Pois é, como dissemos, você precisa estar atento à todo tipo de informação e saber o que é mais correto fazer para, ao invés de perder dinheiro, começa a enriquecer, e dormir mais tranquilamente todas as noites.

Ah, sim, sobre esses assuntos citados, temos também 2 dicas. Os melhores investimentos para 2017 e como fica o mundo após eleição de Donald Trump. Leia e entenda mais sobre essa fascinante mercado do dinheiro.

Por fim, um resumão, para você não se esquecer de como ter um bom planejamento financeiro familiar: conversar com a família, ser organizar, verificar receitas e despesas, cortar gastos, pagar dívidas e investir. Essa é a fórmula do sucesso para botar um sorriso em cada um dos integrantes da sua família e não fazer parte da grande maioria que chega ao triste divórcio.

Para Saber Mais: Se você gostou desse texto e quer todas as informações na palma da sua mão, baixe o aplicativo SR Invest. Lá tem informações diárias e, além disso, é possível simular investimentos para ver qual te mais rentabilidade. Sobre esse aplicativo, fizemos uma matéria recentemente explicando como usar e quais os benefícios. Leia.

Com informações do InvestidorDeSucesso e Exame

ANÚNCIO