Conheça as 12 principais empresas de alimentos da B3

ANÚNCIO

Você já parou para notar que a área de alimentos é importante em todos os momentos? Até mesmo na crise, não é verdade? Por isso, tem muita gente estudando as principais empresas de alimentos da B3.

Se você quer fazer o mesmo, comece por conhecer as empresas listadas na B3 que são desse segmento. Bora lá? A lista está completa conforme o site da Bolsa de Valores do Brasil.

ANÚNCIO

A pesquisa pelo segmento de alimentos

Antes de tudo é muito importante que a gente explique como fizemos essa pesquisa. Na página da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, há um lugar onde é possível encontrar todos os papéis listados. Assim, a divisão é feita por segmento, subsegmento e categoria.

Para chegar nessa listagem que trouxemos abaixo, o nosso caminho percorrido foi a escolha da categoria de Consumo não Cíclico. Depois, nós selecionamos os segmentos de: alimentos, alimentos diversos, carnes e derivados, cervejas e refrigerantes.

Logo, dentro de consumo não cíclico, apenas deixamos de fora o segmento de agricultura, açúcar e álcool, produtos de limpeza e produtos de uso pessoal. ok? Se você quiser fazer essa pesquisa ou outra pode ir direto ao site da B3.

ANÚNCIO

Sendo assim, vamos direto ao que importa para essa matéria: conhecer as principais empresas de alimentos da B3. O que também inclui de bebidas e carnes, por exemplo, como acabamos de explicar aqui.

1 – Atacadão

A primeira empresa de alimentos que temos aqui é o Atacadão. Ele teve o seu IPO em 2017 a R$ 15. Se manteve nesse patamar até 2019, quando começou a valorizar. O máximo foi de R$ 24,55 em 2020, no comecinho do ano. Hoje está em R$ 20. A queda é por conta da pandemia.

2 – Pão de Açúcar

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) é um dos mais conhecidos do país todo. No mercado de ações, também. O IPO dele aconteceu em 2015, quando a ação foi levantada a um preço de R$ 73. O máximo foi de R$ 130 em 2017. A partir disso foi caindo.

A maior queda foi na pandemia desse ano, ficando a R$ 55. Hoje, está em R$ 68.

3 – Camil

A Camil é uma das empresas mais novas na Bolsa, sendo que está listada desde 2017. Inclusive, é a primeira das principais empresas de alimentos da B3 desse texto que é realmente focada na produção e comercialização de alimentos, exclusivamente.

No IPO, o preço da ação foi de R$ 9. Ela se manteve assim, com mais baixos do que altos. Mas, em 2020 teve uma valorização muito significativa. No entanto, mesmo com a queda da pandemia, hoje está em R$ 13,9.

4 – M. Dias Branco

Agora, vem o M. Dias Branco. É uma das empresas de alimentos mais antigas da B3. Em 2006, a sua ação estava em R$ 7. Alcançou o ponto máximo em 208, com mais de R$ 60 por ação. Desde então foi caindo. Hoje está com preço de R$ 35,7.

5 – Josapar

A Josapar participações está na bolsa desde 2007. Na época, o preço da ação foi lançado em R$ 26. Mas, em 2009 teve uma forte queda para menos de R$ 15. Desde então tem oscilado muito em um gráfico bastante confuso. Hoje, o preço é de R$ 31,62.

6 – Minupar

Atualmente, essa é uma das principais empresas de alimentos da B3 que tem o preço mais baixo. Ou seja, é uma ação barata, de fato. Assim, o valor atual é de R$ 6. E o IPO, em 2007, realmente começou baixo, em R$ 3. Mas, ela já chegou em R$ 97 no ano de 2008.

7 – BRF

A BRF, conhecida pelo nome de Perdigão, é bem mais conhecida do que as últimas que foram citadas aqui. Ela é de carnes, como você bem deve saber. A empresa também está listada na bolsa há bastante tempo, desde 2000. Na época, o preço da ação era de R$ 2,50.

principais empresas de alimentos da B3

E desde esse ano ela vem valorizando. Assim, chegou a mais de R$ 70 em 2015. Mas, após isso, teve queda. Com a pandemia, foi um tombo maior ainda. Hoje, o preço é de R$ 18.

8 – Excelsior Alimentos

Agora temos uma das ações mais caras da bolsa, diga-se de passagem. O IPO foi em 2006 com um preço de R$ 1,5. E isso se manteve regular até 2019. De lá para cá ouve crescente assustadora. Assim, o preço chegou a R$ 101. Hoje, está em R$ 88.

9 – JBS

Você conhece a JBS, né? Tanto é que ela é uma das principais empresas de alimentos da B3. Então, é também uma ação a ser estudada. O IPO foi em 2007, com R$ 7,5. Atualmente, o preço da ação está em R$ 20. Mas, ela já chegou a R$ 32, no ano de 2019.

10 – Marfrig

Agora, a empresa número 10 dessa lista. A Marfrig. Curiosamente, ela foi uma das mais lembradas durante esse tempo de pandemia. O motivo é que se tornou uma ação barata. Em 2007 valia R$ 18 por ação. No começo do ano, R$ 12. Na pandemia, R$ 7. Hoje, R$ 14.

11 – Minerva

Também do setor de carnes, a Minerva é uma ação interessante. Ela sempre é falada entre os analistas. Logo, no IPO o valor era próximo dos R$ 20. Isso em 2007. Logo, caiu muito em 2009. Mas, voltou a valorizar. Dessa forma, chegou em acima dos R$ 13. Caiu na pandemia. Hoje está em R$ 11.

Conheça o índice ICB e saiba quais são as empresas de commodities na Bolsa

12 – Ambev

Para fechar, a Ambev, que é de bebidas. A única de bebidas. Ela também tem um histórico que precisa ser bem analisado. Vamos lá. O IPO foi em 2013, a um preço de R$ 17. Depois, oscilou, mas acabou tendo resultado positivo. Tanto que chegou a R$ 24 em 2018.

Aí caiu muito depois disso. Com a pandemia, caiu mais ainda. Hoje, o preço está em R$ 13.

ANÚNCIO