Previdência Privada para Aposentadoria – vale a pena?

Esse é um artigo bem curtinho, bem objetivo, bem didático… Tudo para responder a questão que é comum: a previdência privada para aposentadoria vale a pena?

E já vamos te adiantar que esse conteúdo foi criado para te ajudar a não cair mais na tentação dos gerentes dos bancos ou de instituições financeiras…

Que tentam te “empurrar” a qualquer custo a tal da previdência privada.

E para isso prometem o mundo né!

Tem muita coisa que até pode ser verdade, mas há informações que ficam omitidas.

O que não é bom para você, consumidor, brasileiro, que paga as contas e tem direitos.

Quer ver só um exemplo?

Vamos supor que você foi ao gerente do seu banco.

Aí você falou que tinha dinheiro parado na conta corrente e não sabia o que fazer com ele.

O que ele te oferece?

Adivinhe só…

Quando não é a poupança é a previdência privada, né.

E aí ele começa a falar aquele monte de sigla que te deixa maluco!

Isso faz parte da estratégia de vendas dele – porque ele quer te impressionar!

PGBL, VGBL, progressivo, regressivo. WTFs?

Você fica confuso e desesperado.

E quando estamos confusos ou desesperados não fazemos nada certo.

E o que queremos aqui?

Que você não fique desesperado da próxima vez que alguém falar em previdência privada.

A sua reposta, da próxima vez, deve ser: “’Me passe a lâmina dessa previdência”.

Aí sim, né – você vai começar a surpreender o seu gerente.

A Lâmina da Previdência Privada

Se você não sabe o que é PGBL, VGBL, tabela progressiva e regressiva…

Saiba que você faz parte de um grupo bem grande brasileiros.

E nem temos como te criticar, afinal, isto é mesmo um pouco confuso.

E aqui começa o problema de saber se a previdência privada para a aposentadoria vale a pena ou não, né.

Mas, vamos a um passo bem simples antes: vamos analisar a lâmina na prática.

Sempre que for escolher uma previdência, você tem que olhar a taxa de administração e de carregamento que são cobradas nesse produto.

Anotou isso? Taxa de Administração e Taxa de Carregamento!

Quanto menor for a conta dessas taxas, melhor para você.

Se elas forem zeradas, ótimo!

Temos aqui uma aleatória previdência privada.

Que vamos usar apenas como base.

Ela é de um grande e tradicional banco – e vai ser útil para vermos as taxas.

Taxa de Administração da Previdência Privada

Nessa tabela podemos entender que quanto mais dinheiro você deposita na previdência privada menor será a taxa de administração paga.

É mais ou menos assim:

  • Até R$ 9.999,99 a taxa de demonstração será de 2,4% de taxa.
  • De R$ 10.000 a 19.999,99 a taxa será de 1,9%.
  • E assim por diante – ela vai diminuindo.

Se você tiver mais de 100 mil reais ela será de 1% ao ano.

Já a taxa de carregamento vai incidir sobre o valor da parcela mensal do seu plano previdenciário.

Vamos olhar como esse plano que escolhemos funciona.

– Lembrando que essa taxa de carregamento é para suprir as despesas administrativas de corretagem que o plano tem.

Taxa de Carregamento da Previdência Privada

Vamos olhar a tabela da taxa de carregamento.

São as taxas aplicadas a contribuições mensais.

Quem deposita todo mês no plano.

Conseguimos ver que a taxa de carregamento varia em relação à taxa de administração.

Até 24 meses, se a taxa de administração for entre 2,4 e 1,9% você terá que pagar 4% de carregamento.

É muita coisa.

Vamos supor que você deposita 100 reais. Não será isso que entrará no seu plano.

Será 100 reais menos 4% que é 96 reais.

Então, logo de cara, você já perdeu 4 reais.

Conseguimos ver também que a taxa de carregamento vai diminuindo ao longo do tempo.

Depois de 5 anos, a taxa é zerada.

Agora que já sabemos quais as taxas, vamos analisar a rentabilidade.

Rentabilidade da Previdência Privada

Temos informações interessantes sobre isso que podem aparecer na lâmina.

Temos a descrição desse fundo com CNPJ, gestão, administrador, benchmarking é CDI.

E por aí vai.

Política de investimento, público-alvo e o mais importante que são os retornos.

Analisando os retornos, conseguimos ver o fundo, porcentagem do CDI e o Ibovespa.

E destacando a linha de porcentagem do CDI que é quantos % de CDI esse fundo rendeu, só tem um mês que esse fundo performou acima do CDI.

Fora isso, sempre abaixo.

Isso na previdência que estamos usando como base, tá bom?

Foco na previdência privada para aposentadoria – vale ou não?

Para que possamos enxergar melhor o que está acontecendo temos que ver gráficos.

O que conseguimos ver no gráfico?

Geralmente, temos uma linha vermelha que é a do CDI e a linha azul é a do fundo de previdência que vamos analisar.

Podemos ver que ela está andando bem abaixo do CDI ou não.

Se estiver abaixo, será bem ruim.

Temos que ter em mente que quanto maior a taxa de administração cobrada pelo fundo maior será o impacto na rentabilidade.

Então, olho vivo!

E o outro gráfico que aparece é o de patrimônio líquido do fundo.

Podemos ver que o patrimônio, ao longo dos anos, está aumentando e deu uma estabilizada nos últimos anos de 2016 e 2017 no nosso caso.

Resumidamente, o que podemos concluir nessa parte do artigo?

Que quanto mais próximo de zero, melhor.

E pede a lâmina do fundo e vai ao gráfico: vVeja se não está muito distante da linha do CDI.

É claro que você também vai ter que ver quais ativos que o fundo está investindo.

Previdência Privada para Aposentadoria

Sua aposentadoria vai custar mais do que você imagina

Agora, vamos focar um pouco mais no planejamento da sua aposentadoria!

Afinal, quanto uma pessoa precisa juntar em reserva se quiser um dia de fato parar de trabalhar?

Mesmo porque já vimos que nem sempre a previdência privada para aposentadoria vai funcionar.

Só que ao mesmo tempo, depender do governo não é uma escolha muito assertiva.

Esse assunto que gera muita divergência entre os especialistas.

É possível ver, por exemplo, que para ter uma aposentadoria tranquila poderemos projetar com segurança uma média de renda de cerca de 70% do que ganhamos aos 45 anos de idade.

Isso porque esse é período em que normalmente ocorre o auge da carreira.

A principal explicação para isso é que o encerramento da carreira concide com a saída dos filhos de casa.

Isso tiraria dos pais o peso de arcar com suas despesa.

E coincidiria também com a eliminação de gastos com programas sociais ligados diretamente ao trabalho, como: almoços, happy hour.

O que acabaria com a necessidade de gastar com roupas mais finas, muitas vezes exigidas no dia a dia corporativo.

Mas, se você acompanha há algum tempo as nossas recomendações deve imaginar que temos fortes ressalvas a respeito desse tipo de visão.

Os gastos vão aumentar, acredite!

Baseado nos casos que acompanhamos ao longo do blog, podemos ver que o curso de vida não diminui com a aposentadoria.

Na real, ele só aumenta.

Por que podemos dizer isso?

Temos argumentos bastante fortes para embasar o assunto.

Afinal, não precisa ser economista para saber que os gastos com saúde aumentam com o passar dos anos – e os números comprovam isso.

Não importa o quão saudável seu estilo de vida que você tenha.

O próprio avanço da idade nos induz a gastar mais tanto com terapia preventivas quanto com terapias corretivas.

E isso é natural o surgimento de novos problemas ao longo do tempo.

Tanto é que os planos de saúde dos quais mais de 30% dos brasileiros são clientes, segundo os dados do IBGE, podem ter suas mensalidades mais do que triplicado em duas ou três décadas.

Portanto, é impossível fugir dessa realidade.

Tempo Livre?

Outro ponto que muita gente ignora quando pensa em aposentadoria é a abundância de tempo livre.

Todo mundo sabe que a aposentadoria proporciona esse grande prêmio.

Que é, inclusive, o que leva tanta gente a buscar a conquista da independência financeira o quanto antes.

Mas, boa parte das pessoas esquece que tempo livre é um convite ao lazer e lazer não custa pouco.

Se você gosta, por exemplo, de frequentar programas culturais, de viajar de praticar, de algum esporte ou de sair com os amigos quando tiver mais tempo livre com certeza vai querer usufruir essas atividades possivelmente ainda mais do que faz hoje. Não é?

Já que são elas que dão sentido á sua vida e ter recursos disponíveis são a única forma de garantir que você usa esse tempo com mais prazer, criatividade e produtividade.

Aposentadoria sem Dor de Cabeça

Outro argumento mostra como a aposentadoria pode ser muito mais gostosa do que a maioria das pessoas imagina.

O aumento da família pode parecer bobagem, mas temos mais uma rápida observação!

Quanto mais o tempo passa, maior fica a lista de filhos, netos, enteados, afilhados, primos, bisnetos.

E o que isso significa?

Que você receberá mais convites para aniversários, formaturas, casamentos, chá de cozinha, chás de bebê e com certeza precisará de um bom orçamento à disposição.

Se quiser aproveitar ao máximo as celebrações para poder presentear e ter boas roupas para cumprir o seu papel social.

Claro, que nem toda a aposentadoria vai ser assim!

Quem não planeja para ter uma velhice com mais gastos do que nos anos da ativa, costuma simplesmente abandonar aquelas atividades que lhe proporcionaria um prazer.

Mas, aí o que nos resta não é nada bom.

É por isso que se você quer ter um futuro ainda mais rico do que no seu presente, então, precisa se planejar para isso.

Adote uma vida mais simples, uma vida sustentável, faça melhores escolhas, não seja modesto com a sua poupança, seja otimista com a vida que deseja ter age o quanto antes.

Se você chegar à aposentadoria perceber que não alcançou seus objetivos, infelizmente não terá mais opções de verdade para mudar essa realidade!

Previdência Privada para Aposentadoria

Bônus: 10 opções de onde aplicar para a aposentadoria

Tá bem… Não vamos alongar o texto porque você já sabe que ter um dinheiro a mais na hora de se aposentar vai fazer um bem danado. Só que antes de citar essas 10 opções de aplicações financeiras, vamos citar um breve exemplo.

Imaginamos um investimento financeiro que rende 1% ao mês – é um valor médio, está bem? Agora, pensamos em um investimento mensal de 100 reais – que é bastante baixo, tudo bem?

Quanto seria que isso renderia no longo prazo?

Por exemplo, se você juntar 100 reais por mês durante 20 anos… Sabe quanto teria acumulado? Quase 100 mil reais, cara! Entendeu? É disso que estamos falando.

E esse mesmo no decorrer de 30 anos… Sabe qual o valor total? 350 mil reais. Está bom para você? É sério isso.. É só fazer as contas que você vai comprovar.

Bom, sem mais demandas ou enrolações, vamos ao que interessa.

Fizemos uma breve lista com 10 opções de investimentos que você pode fazer pensando na sua aposentadoria complementar, na sua previdência que vai se somar ao do governo (INSS)… Confira aí.

1 – Poupança

É uma aplicação cujos recursos financeiros podem ajudar qualquer setor, a ser escolhido pelo banco.

A principal vantagem é que não há uma aplicação mínima para investir e basta ter uma conta em um banco que a mágica acontece rapidamente. O resgate também é simples e a garantia é feita pelo FGC, para valores até 250 mil reais.

Além disso, não há a incidência do imposto de renda.

O lado ruim é que a vantagem é super baixa, uma das menores do mercado financeiro.

Para conhecer as outras 9 aplicações que rendem mais do que a poupança, clique aqui e leia o artigo na íntegra!

Da redação