Como fazer uma planilha de gastos mensais [Passo a Passo]

Para manter o controle financeiro pessoal existem várias formas. Hoje, vamos falar sobre uma delas e mais do que isso, vamos te ajudar a fazer uma planilha de gastos mensais.

E antes que você pergunte se isso é realmente importante, já vamos explicar: elas são essenciais para quem quer registrar as finanças.

Agora, se você não sabe por que registrar as finanças é importante, então, melhor começar a analisar sua vida financeira de forma mais acentuada: conferindo os débitos e as dívidas, por exemplo.

Neste texto não vamos entrar no mérito de dizer se você tem problemas com o dinheiro ou não.

Nós vamos considerar que você saiba que ter uma planilha de gastos mensais é importante.

E ponto.

Ah, e antes de começar, vamos usar uma definição um pouco mais objetiva:

Planilhas de gastos mensais são usadas para o controle de gastos e registro de despesas.

Analistas dizem que ter esse controle pode te ajudar a economizar até 20% de todo gasto mensal.

Economia e crise combinam.

Então, descubra como fazer uma planilha de gastos mensais e economizar dinheiro em 2018.

O passo a passo para fazer uma planilha de gastos mensais

Agora, nesta parte do artigo, não vamos nos importar em dizer o quanto você gasta e sim em como fazer uma planilha, está bem?

Além disso, vamos considerar que você esteja usando alguma planilha como o Excel ou o Google Documentos – isso é importante: escolher a sua ferramenta.

Categorias

O 1º ponto é categorizar os gastos que estarão na planilha.

Lembre-se que eles serão mensais.

Então, assim, comece pelos fixos, que são aqueles que não mudam mês a mês.

Entre os fixos, podemos destacar os aluguéis, as mensalidades da faculdade, o valor do condomínio, entre outros.

Depois, você pode listar os gastos variáveis, mas que são essenciais: como a água, luz, gás, telefone, internet.

E ainda dá para criar outras opções, como os gastos que tem relação com o seu estilo de vida: lazer, cuidados pessoais, higiene.

Criar as categorias é importante porque vai te ajudar a analisar exatamente para onde está indo o seu dinheiro.

E será a partir disso que você vai conseguir rever seus conceitos financeiros, cortando despesas.

Portanto, criar categorias é um ponto importante para fazer uma planilha de gastos mensais.

Dívidas ou reserva de emergência

Aqui é um ponto importante que deve ser pensado durante a montagem de uma planilha financeira.

É ideal que você tenha considerado os investimentos financeiros ou a quitação das dívidas.

Porque, se você for analisar, eles não se encaixam em nenhum dos gastos acima, né.

Então, direcione uma quantia mensal para isso – algo como 10 ou 20% da sua renda toda.

A reserva tem que ser pensada como uma conta, um gasto. Porque se você deixar para investir apenas quando sobrar, saiba que nunca vai sobrar, está bem?

Datas

Esse também é um passo bastante simples.

Se a sua é uma planilha de gastos mensais, então, o ideal é criar os dias para anotações.

E, usar cada aba para ser um mês – isso seria um bom começo.

Despesas

Depois disso, liste as suas despesas, que já estão categorizadas, né.

A ideia é que cada coluna seja de um tipo e cada linha um gasto, ok?

E use as fórmulas disponíveis para inserir a soma das despesas.

Você pode somar os gastos do carro, depois os domésticos e, por fim, fazer uma soma toda.

Se você estiver usando o excel, deixe-o trabalhar por você, está bem? Use as fórmulas.

Também dá para criar fórmulas para comparar os gastos e criar gráficos, está bem?

Modelos

Apoie-se em modelos prontos para criar a sua própria planilha, caso sinta a necessidade.

O próprio excel tem opções já prontas que podem ser usadas como base.

O ideal é você conseguir se concentrar em um modelo que seja ideal para você.

Usar cores, gráficos e fontes pode te ajudar com isso.

Hoje em dia também dá para usar aplicativos de celular, que facilita a marcação dos gastos.

No Google Drive também há opções.

E o que fazer depois de fazer uma planilha de gastos mensais?

Não vai adiantar muito você ter uma planilha tão bem feita se não souber usar isso corretamente.

Separamos alguns pontos que vão te ajudar a ter uma vida financeiramente equilibrada.

Analisar os gastos supérfluos

Se você já teve aquela sensação de estar gastando demais, vai poder comprovar isso com sua mais nova amiga para todas as horas: a planilha de gastos mensais.

Esses gastos chamados de supérfluos quase sempre corroem o orçamento financeiro das pessoas.

E, se for abusivo, pode resultar em dívidas financeiras também.

E aí vira um efeito bola de neve, né.

Para conseguir ver esses gastos, a planilha é ideal porque ela vai mostrar onde você está gastando mais do que deveria e onde pode cortar gastos.

Por exemplo, se você gasta mais com lazer do que com educação, se gasta mais com saúde do que alimentos, se gasta mais com o carro do que com a casa…

Isso tudo pode mudar – para melhor.

É como se elas tivessem o poder de dar clareza às suas contas e tornar visíveis seus excessos financeiros.

Bom, um ponto importante da planilha de gastos mensais é que ela te dá a chance de analisar os seus gastos e a partir disso você pode melhorar a sua vida.

Estabelecer metas para a vida toda

Esse controle também vai te ajudar a conseguir realizar suas metas e seus sonhos.

Porque se você sabe que tem que juntar dinheiro, como uns 200 reais por mês, então, com a planilha saberá que esse mês está sem crédito para compras.

Claro que para isso você tem que ter criado algumas metas, né.

E elas podem ser as mais variadas – educação, viagens, carro, casa.

Crie prioridades

A partir disso, crie suas prioridades.

Se você tem metas a serem cumpridas, saiba que não vai conseguir fazer tudo que quer.

Em uma boa parte das vezes, terá que abrir mão de algumas coisas.

Precisa trocar de celular, comprar um tênis novo, ir a um show que sempre quis?

Escolha qual é prioridade para esse momento – e dê um tempo para conseguir comprar os outros também.

E é nesse momento que os gastos supérfluos vão começar a ficar para trás, afinal, com tanto consumo, as prioridades devem sempre ser de gastos essenciais.

Acompanhe o seu desempenho

Se você fez a análise e estabeleceu metas, resta agora acompanhar o seu desempenho financeiro – será que está conseguindo cumprir os objetivos?

Á medida que forem passando os dias e os meses, use os valores planejados e os gastos e descubra o seu resultado.

O seu desempenho tem que ser positivo e nem sempre isso vai significar gastar menos e sim saber equilibrar melhor a sua conta.

Tenha um planejamento financeiro

A última coisa a se fazer (que também deve ser a primeira) é criar um planejamento financeiro.

Comece a destinar partes da sua renda para fins específicos, através das metas e use as planilhas para conseguir cumpri-las.

Você pode ter uma parte para gastar com o consumo diário, lazer, cultura – só que nunca deve deixar que isso te domine.

O segredo do planejamento é justamente o controle dos gastos e por isso as planilhas são tão importantes na vida de qualquer pessoa.

Com informações do isopasse, guia bolso