Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Perfeito em 7 Passos?

ANÚNCIO

Vivemos em uma sociedade única, nunca antes vista e que se baseia no imediatismo das coisas. Quase que literalmente. Todo mundo quer tudo para agora, o mais rápido possível. É assim que funciona no trânsito, com a alimentação, com os resultados, na empresa ou em casa. Mas, nesse vai-e-vem, fica uma pergunta importante: “Que falta nos faz o Planejamento Financeiro Pessoal”?

Esse é um comportamento totalmente avesso ao corre-corre do dia a dia. Ter Planos para o Dinheiro requer disciplina, foco e, principalmente, tempo. Ninguém consegue se adaptar com um novo salário em apenas 1 semana. E nem com o aumento do preço dos alimentos e um único mês.

ANÚNCIO

É claro que é um exemplo bem desdenhoso, mas o que vale é a intenção de demonstrar como esse cronograma financeiro funciona na prática: Michael Phelps é um dos maiores vencedores da medalha de ouro em jogos olímpicos.

Como vocês acham que ele conseguiu isso? Pulando na piscina de vez em quando ou treinando muito todos os dias?

A resposta parece um tanto boba quanto óbvia, não é? Quando o assunto é o dinheiro, a regra é a mesma – se você tem um planejamento financeiro pessoal e exato há algum tempo, com certeza, está colhendo frutos dourados, como o Phelps.

ANÚNCIO

No caso contrário, o nadador que menos treina ocupa as posições mais baixas, assim como aquele que não tem controle sobre o seu dinheiro, começa a se endividar bem rapidamente. A teoria é praticamente a mesma para os dois casos.

O que é o Planejamento Financeiro Pessoal?

É o básico do básico do básico. Nada mais é do que planejar o seu dinheiro. Claro que não estamos falando de você saber exatamente quanto vai gastar todos os meses, afinal, você nem sabe quantos lanches vai comer na rua, não é? Sem contar com aquela cervejinha com os amigos e o churrasco de domingo.

Mas a grande questão é saber exatamente quanto você tem de dinheiro para gastar e quanto pode gastar desse montante. Ninguém, na história do mundo, conseguiu prosperar na vida financeira sem que tivesse um orçamento mensal dos ganhos e das “perdas”.

Quando se tem um planejamento financeiro em ordem, as chances de tudo começar a ir pelo caminho certo é de 50%. Sendo que a outra metade vai depender do quanto você se dedica para colocar a teoria na prática.

Como Ter um Planejamento Financeiro Pessoal?

Até o final do artigo vamos te mostrar como é possível fazer um planejamento financeiro perfeito sem precisar ficar dependente de profissionais qualificados e que entendem tudo de números.

Aqui, estamos falando em conseguir conciliar os ganhos com os gastos, deixando o saldo sempre positivo no final do mês.

Em qualquer família do mundo, o certo é nunca gastar mais dinheiro do que a renda recebida no mês. A entrada tem que estar acima da linha das despesas. E é assim que a vida acontece.

Isso não é fácil de conseguir, nunca duvide disso. Nós sempre ganhamos muito menos do que merecemos ou do que é necessário para ter uma vida confortável. A alimentação é cara hoje em dia. Os remédios então, mais ainda. Tem ainda transporte, energia, água e muitos outros. Portanto, colocar tudo em um valor mensal é bem difícil.

O lado bom dessa notícia é que qualquer pessoa pode quitar as dívidas ou ficar rica se baseando apenas em um planejamento financeiro simples e rápido. Aquela ideia de ganhar mais do que se gasta é importante e tem que estar na sua mente em toda parte desse texto.

A partir disso, vale pensar em outras questões: Como fazer para ganhar dinheiro?

É aqui que entra uma parte muito importante que muitas pessoas não conseguem levar em consideração observando a sua importância. Tão importante quanto equilibrar as contas é investir dinheiro.

Calma! Investir dinheiro não é coisa só de quem tem dinheiro não! Qualquer pessoa pode investir dinheiro no Brasil.

O Planejamento Financeiro Pessoal e as Dívidas

O que pouquíssimas pessoas percebem é que a dedicação ao planejamento financeiro está totalmente proporcional ao não endividamento.

É muito claro que trocar uma satisfação imediata por um equilíbrio financeiro no futuro é difícil, principalmente em meio a tanta mídia e publicidade. No entanto, junto com isso aumenta-se o número de pessoas endividadas no Brasil.

No ano passado, quase metade da renda das famílias brasileiras estavam destinadas ao pagamento de dívidas, conforme informações do Banco Central.

O Planejamento Financeiro Pessoal está distante da rotina dos Brasileiros, mas ele é necessário.

Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Perfeito em 7 Passos?
reprodução: Google

6 em cada 10 brasileiros não tem Planejamento Financeiro Pessoal

“É necessária uma mudança na maneira como as pessoas encaram as suas vidas financeiras, entendendo que o controle adequado é fundamental para alcançar o equilíbrio”, apontou o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) fizeram uma pesquisa para compreender a relação do consumidor brasileiro com o consumo.

O resultado é mais óbvio do que parece: apesar das pessoas entenderem a importância do planejamento financeiro, mais da metade (51%) afirmaram não fazer nenhum controle sistemática do orçamento mensal.

Dentre os que responderam positivamente, os que fazem uso de cadernos e agendas é a maioria, aproximadamente de 32%. Já os que usam planilhas no computador são de 15% e aplicativo no celular é a menor porcentagem, 4%.

Para entender melhor: 6 em cada 10 entrevistas tem dificuldade para fazer o controle mensal, quase 60% das pessoas, sendo que a maioria dessas pessoas comentaram sobre a dificuldade de recordar os pagamentos.

Outro dado da pesquisa é referente aos gastos considerados “fundamentais”, que são considerados os mais “controlados” pelos entrevistados.

Assim, 95% das pessoas disseram controlar as despesas com mantimentos, higiene, água e luz. Enquanto que 77% afirmaram que registram gastos extras necessários.

48% das pessoas disseram não fazer um controle efetivo dos ganhos e gastos, sendo que 27% afirmaram fazer tudo “de cabeça”, 19% não tem nenhum registro e 2% dizem que outras pessoas fazem por eles.

O Hábito é a porta de entrada para tal deficiência financeira (45%), seguida da desculpa de “não terem renda mensal fixa”, com 19%.

“É necessária uma mudança na maneira como as pessoas encaram as suas vidas financeiras, entendendo que o controle adequado é fundamental para alcançar o equilíbrio”, apontou o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

Já na visão do presidente da entidade, Roque Pelizzaro: “Assim, os consumidores irão entender que honrar compromissos, construir reservas e fazer planos desde cedo são atitudes importantes”.

Quase metade dos entrevistados afirmou pagar todas as contas, ficando, ainda, com sobra do dinheiro

O número exato é de 49%. Essa é a porcentagem das pessoas que disseram pagar todas as contas no final do mês e ainda têm alguma sobra financeira, independente se usam para gasto pessoal (28%) ou investimento (21%).

Detalhe importante: a pesquisa não afirma o que considera investimento, e é de se imaginar que boa parte dessa porcentagem está direcionada à poupança. Aproximadamente 35% pagam todas as contas, porém, sem sobras financeiras.

Quase 90% dos entrevistados confirmaram que tem conhecimento sobre a própria situação financeira, sabendo, inclusive, sobre as parcelas das compras que ainda têm a pagar, e do quanto estão usando para fazer compras parceladas, além de saberem o total da renda mensal para o próximo mês.

E 59% garantiram que sabem calcular os juros que estão pagando com essas compras a prazo.

Ter um Planejamento Financeiro Pessoal para Investir Dinheiro

As informações abaixo são de um estudo feito pela Proteste (Associação dos Consumidores), que mostra quais as melhores formas de aplicar dinheiro.

No geral, a rentabilidade oferecida pelas corretoras é mais atraente do que a dos bancos, porém, a orientação é sempre pesquisar.

A Associação selecionou e comparou vários tipos de investimentos conservadores (CDBs, LCIs e LCAs), além dos Fundos de Renda Fixa, oferecidos pelos bancos e pelas corretoras.

Todas as aplicações são voltadas para quem não quer assumir riscos e são opções que rendem mais do que a poupança.

A conclusão nos leva a crer que os bancos tem um número maior de fundos conservadores, já as corretoras apresentam resultados mais rentáveis e mais acessíveis.

Em todos os fundos, o melhore entre as corretoras foi o Daycoval Classic FI Renda Fixa Crédito Privado e ModalMais. Já entre os bancos, o mais bem avaliado foi o Caixa Mega FI Renda Fixa Referenciado DI LP.

A Proteste mostrou também que antes de começar a investir dinheiro, todos os investidores precisam ficar atentos a detalhes que podem fazer a diferença.

“Não deixe dinheiro parado na conta da corretora, invista rapidamente. Se você depositar um dinheiro na conta que tem na corretora, sem destino, e ela falir, você pode perder o valor”.

Os 7 Passos para um Planejamento Financeiro Pessoal Perfeito

Enquanto milhões de pessoas ainda acham impossível ter um planejamento financeiro pessoal, outras não apenas conseguem economizar como já estão fazendo o dinheiro trabalhar para elas.

Como investidor e educador financeiro, eu passei a ensinar muitas pessoas a investirem o dinheiro que economizam em ações ou fundos de renda fixa. Mas cada vez mais eu percebo que existem muitas pessoas que não conseguem nem mesmo economizar dinheiro todo mês.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

Gastar menos do que o que você ganha e terminar o mês no azul é o grande segredo, por isso decidi ensinar como se planejar financeiramente.

Então, vou listar todos os passos necessários para ter um planejamento financeiro, economizar pelo menos 10% do salário, e então estar preparado para investir.

Técnica dos 10 Envelopes

“Ok. Entendi tudo sobre a regra de ouro, me identifiquei com as suposições e, definitivamente, vou começar a investir! Mas, no título você diz algo de envelopes, e até agora não falou nada sobre isso”, você pode argumentar.

Reprodução: Google

Vamos, então, falar da cereja do nosso bolo, os tão famosos envelopes! Você vai ver que esses papéis podem fazer toda a diferença na sua planilha mensal de gastos, que vai gerar dívida ou não, e que pode te levar a riqueza ou não.

Como Funciona

É muito simples! Você vai até a papelaria e compra 10 envelopes de carta. Em cada um deles você vai escrever itens dos quais serão destinados o seu dinheiro. Em seguida, você vai escrever, também no envelope, qual o valor você acha que gasta no mês com aquele item. Depois, cada compra ou pagamento que fizer, você vai colocar o comprovante dentro do envelope que for daquele item.

Participe do orkshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos

1 – Separar os gastos em 10 envelopes

Os primeiros passos para conseguir encontrar a independência financeira, e nunca mais precisar pedir dinheiro emprestado, são os mais difíceis! Por isso, você precisa estar realmente estar focado e ter força de vontade.

A forma mais fácil e didática de conseguir reduzir os gastos é por meio do uso de envelopes, como eu ensino aos meus aluno e mesmo hoje após atingir a independência financeira, continuo utilizando.

Para isso, é necessário ter 10 envelopes que representarão os diferentes gastos do mês. É possível trabalhar com um máximo de 13 envelopes, mas não mais que isso.

Escreva em cada um deles o nome dos gastos que serão contabilizados:

  • Carro: mensalidade do seguro, mecânico, IPVA, combustível;
  • Casa: condomínio, contas de água, luz, IPTU, seguro, manutenção do imóvel;
  • Saúde: plano de saúde, remédios, consultas médicas particulares, academia;
  • Compras ou Gastos Diários: tudo que não entrar nos outros itens, como vestuário;
  • Supermercado: alimentos e produtos de limpeza;
  • Lazer: viagens, passeios, cinema;
  • Educação: mensalidades e matrículas escolares, livros, uniformes;
  • Dívidas: tudo o que é pago com juros, como cheque especial ou cartão de crédito;
  • Reserva de emergência: dinheiro que será separado para gastos emergenciais;
  • Investimentos: 10% da renda líquida a ser investida todo mês.

Ao fazer isso, escreva em cada envelope o quanto você estima gastar todos os meses, e então passe a inserir nos envelopes as notas fiscais, recibos ou até papeis com anotação do gasto de absolutamente tudo o que tiver que pagar ao longo do mês.

Muitas pessoas se surpreendem ao ver que o gasto real é bem diferente do que o estimado, e infelizmente na maioria das vezes o “diferente” é sinônimo de “maior”.

2 – Redefinir os gastos

Após verificar os gastos no primeiro mês, é hora de fazer uma redefinição deles. E a primeira forma de fazer isso é olhando para os maiores “vilões” dos gastos mensais, que são aqueles que podem ser controlados e são percentualmente muito acima do que seria o ideal.

Geralmente os gastos com supermercado, lazer e compras são os mais descontrolados.

Comece a fazer planos de como economizar dinheiro, seja trocando a marca de um produto, reduzindo o consumo de um alimento mais caro, ou trocando o restaurante por um almoço em casa.

O ideal é que 70% de toda a sua renda líquida seja usada para despesas. Assim, 20% vai se tornar sua reserva de emergência e 10% será destinado para investimentos financeiros.

É neste momento que é preciso ter dedicação e força de vontade. Para muitas pessoas, é difícil se controlar e não gastar com as ofertas e promoções.

Por isso, é preciso ter a mentalidade de investidor, que pensa sempre no futuro e no quanto o dinheiro pode render.

Lembre-se sempre: quando você paga juros você caminha para a pobreza, quando você recebe juros caminha para a riqueza!

3 – Renegociar as dívidas

Antes de investir, é preciso acabar com as dívidas existentes. Se você possui dívidas, o passo seguinte é renegociá-las e se dedicar para acabar com elas – e não fazer mais!

Para isso, é preciso definir o que é uma dívida: tudo aquilo que você paga com juros! Acredite: até mesmo o financiamento da sua casa deve ser considerado uma dívida se você tiver a mentalidade de um investidor.

Os pagamentos no cartão de crédito só não são considerados dívidas se você paga todos os meses a fatura completa, e se tornam dívidas quando você passa a pagar a fatura mínima e começa a dever para o banco.

Assim, se a sua dívida tem juros muito altos, é vantajoso pegar um empréstimo com juros menores para quitar esta – como é o caso do cartão de crédito – e então se preocupar com a nova dívida, agora com juros mais baixos.

Mas isso deve ser feito com cuidado. E o mais importante é não deixar de lado o envelope de investimento, pois é possível investir mesmo com uma dívida em andamento.

Sabe por quê? Porque em certo momento, os juros do investimento podem cobrir os juros da dívida.

4 – Definir os objetivos

Neste passo, é necessário definir os verdadeiros objetivos do investimento.

Algumas pessoas investem em um fundo de renda fixa para comprar um carro, outras querem realizar o sonho de uma viagem, e alguns investimentos são feitos visando um conforto para a aposentadoria.

Defina quanto você deseja ter ao fim do investimento, reflita sobre suas metas a curto e longo prazo, e calcule quanto tempo vai demorar para alcançar o que você gostaria de ter.

Os objetivos bem definidos ajudam no controle dos gastos, e servem muito bem para manter a força de vontade. Assim, quando surgir aquele gasto desnecessário ou aquela possibilidade de “torrar” o dinheiro, lembre-se dos seus objetivos.

O seu médico, com certeza, já te falou que o lazer é importante. E isso nós não temos como discordar. De fato, ele é muito importante. O que você tem que fazer é saber medir os seus gastos com o lazer com as suas prioridades financeiras.

Sem deixar de ter lazer, é possível limitar as saídas com os amigos e os gastos na noitada.

É nesse ponto, também, que o seu Controle Financeiro precisa estar alinhado com os seus objetivos.

Se você tem uma renda mediana, tem que saber que não será possível fazer aquela viagem de fim de ano, se você jantar fora todos os dias da semana e também do final de semana. Apesar de você poder multiplicar seu dinheiro, precisa saber que ele não dá em árvore.

Ah, uma dica muito boa é ter o lazer com atividades que não são caras. Vamos dar algumas dicas abaixo, não deixe de ler.

No entanto, antes de listar essas opções, queremos finalizar essa parte do texto falando que o Controle Financeiro, até mesmo para você que não tem Renda Fixa, é necessário, principalmente, no que chamamos de longo prazo.

E, pensando no longo prazo, separamos 3 dicas sobre os seus possíveis sonhos, confira:

Você, provavelmente, não vai ter aquele abono salarial todos os anos e nem os 13º salários da vida… As suas férias, apesar de poder acontecer em qualquer época do ano, tem que ser bem pensadas.

Com tudo isso em vista, a Reserva Financeira é primordial nos seus objetivos financeiros. E é sobre isso que vamos falar agora!

5 – Criar um “colchão de emergência”

Com o valor do envelope para as reservas de emergência, é preciso criar as reservas necessárias para as situações inesperadas.

Elas acontecem cedo ou tarde, e não é do envelope dos investimentos que o dinheiro deve sair. Assim, se a sua geladeira quebrar, se seu celular for roubado ou se você ficar doente e precisar gastar com remédios e tratamento, terá de onde retirar o dinheiro.

Gosto de chamar de “colchão de emergência” porque ele amortece as quedas que são impossíveis de evitar. Ter esse tipo de reserva financeira também ajuda muito a dormir com tranquilidade, o que é ótimo para ter mais qualidade de vida.

Mas atenção: nada de usar o dinheiro da reserva para comprar coisas desnecessárias. Se você perceber que o dinheiro da reserva está indo para cobrir gastos do mês, é sinal de que precisa reduzir os gastos mensais.

E lembre-se: a revisão programada do carro é um gasto que precisa ser previsto dentro do orçamento, mas o gasto com o mecânico devido a um acidente ou imprevisto pode vir da reserva!

Bem, muito já falamos aqui, mas vamos reforçar. É claro que é apenas uma média e tudo vai depender de como você se comporta com o dinheiro e também qual a sua renda anual.

Mas, para uma pessoa que tem um salário mediano e que não tenha emprego fixo, o ideal é que a reserva financeira seja de, pelo menos, 12 meses o valor médio do mês. Ou seja, a sua Reserva Financeira tem que ser o valor da sua renda anual, ao menos, em média.

Ficou fácil? Se você, mesmo não tendo um salário fixo, tem uma Renda Mensal Média de 2 mil reais. Então, você precisa ter uma Reserva Financeira de 24 mil reais.

Sim, exageramos um pouco na proporção, mas pensando a longo prazo, esse valor será suficiente para te sustentar durante 1 ano, caso algum imprevisto, como uma doença séria, aconteça.

FELICIDADE GARANTIDA: COMO FICAR RICO EM 2017 E VIVER DE JUROS

Então, como visto, você precisa ter uma bom dinheiro guardado para ocorrências inesperadas. O que precisa fazer a partir de agora, sem dúvidas, é começar a poupar dinheiro.

Está mais do que na hora de você mudar de hábitos e valorizar, com inteligência, o seu dinheiro. Muito mais do que resultados, você precisa ter conhecimento.

6 – Fugir da poupança

Quando se fala em guardar dinheiro para emergências, muitas pessoas pensam na hora em uma conta poupança. Só que é preciso fugir da conta poupança como o diabo foge da cruz! O ideal mesmo é ter um fundo de investimento de onde se possa tirar o dinheiro facilmente.

Geralmente o chamado CDB é o suficiente, já que rende mais do que a inflação.

O grande problema da conta poupança é que ela rende apenas 75% da taxa SELIC, que é a taxa básica de juros. Isso significa que uma conta poupança rende menos de 10% ao ano, quando a inflação está acima de 10%.

Isso significa que o dinheiro da poupança não rende o suficiente para acompanhar a inflação, e por isso ele apenas se desvaloriza.

7 – Investir em renda fixa

Se a ideia é fugir da poupança, o segredo é investir em renda fixa. Muitas pessoas querem começar a investir na bolsa assim que conseguem guardar um pouco de dinheiro.

No entanto, para se tornar um investidor de ações é necessário ter quantias mais altas, enquanto que um investimento em fundos de renda fixa é possível começar com apenas R$ 30.

Por isso, o último passo para conquistar a independência financeira é dar foco para aquilo que realmente dá resultado. Não se preocupe em investir em ações enquanto não tiver acumulado a quantia necessária. Tudo tem seu tempo!

Bônus: Como Fazer um Bom Planejamento Financeiro Familiar?

É hora de arregaçar as mangas! Vamos lá: Gastos Supérfluos tem que ser cortados, o Orçamento Financeiro da Família tem que funcionar, as Despesas precisam estar “envelopadas”, o Investimento Financeiro é Fundamental, Ajustes e Corte de gastos domésticos é possível, Prever Situações Futuras é necessário…

E tudo isso pode/deve ser feito agora!

É muito informação? É mesmo! Por isso, criamos tópicos! Em cada um vamos falar mais detalhadamente sobre os assuntos em pauta. Vamos explicar tim por tim, combinado? Preste muita atenção, faça escolhas com segurança e saiba por onde caminhar mesmo em dias tempestuosos.

Importante Saber:pessoas ricas não são, necessariamente, aquelas que ganham muito dinheiro, mas sim aquelas que sabem fazer um bom orçamento financeiro.

Diálogo

Perguntar não ofende, já dizia um velho ditado. E nem conversar! É muito comum, também no Brasil, os responsáveis pelo planejamento econômico da família não dividir os assuntos com todos os integrantes. No entanto, isso é muito importante, tanto é que é o primeiro passo para mandar bem na organização da família.

E não importa se você é aquela mãe ou aquele pai liberal, que acha que o filho adolescente não precisa ajudar em casa, mesmo assim, a conversa é importante. E outra coisa, ninguém precisa saber qual o salário de ninguém (apesar disso ser uma coisa positiva), desde que todos colaborem com as economias de alguma forma.

Atenção: não estamos falando de ajudar financeiramente, mesmo porque nem sempre é possível, mas a ajuda pode vir de pequenos atos, como usar menos água e economizar energia. Se os seus filhos ou agregados são pequenos, melhor ainda, comece desde a ensinar a educação financeira à eles.

É importante que exista diálogo entre as pessoas da família. Independente de quantas pessoas são e de quais as idades. Nessas conversas, que podem ser mensais, por exemplo, é possível, inclusive, fazer os planos em conjunto seja sobre uma viagem de final de ano ou a troca do carro por um de modelo mais novo.

Quando todos sabem as prioridades, o trabalho em conjunto tem resultados mais exponenciais. Faça e comprove!

Organização

Outra coisa que não importa é quem vai ser o responsável pelo dinheiro, desde que essa pessoa seja organizada. É preciso encarar a realidade de frente, ser racional, podemos dizer. Entenda que organização aqui quer dizer: colocar na ponta do lápis os gastos e as receitas.

Ainda nesse tópico, é preciso saber também sobre a importância de registrar as entradas do dinheiro e as saídas. Você pode trabalhar informalmente ou com salário fixo, pode ter pagamentos mensais ou semanais, pode ter rendimentos extras ou não, mas vai precisar saber exatamente quanto tem para gastar.

Então, separe tudo o que for entrada de salários líquidos, ou seja, aqueles que já estão descontando os juros e impostos.

Para quem trabalha de forma informal, é essencial que exista um valor mínimo, e é esse valor que será usado para registrar a entrada do dinheiro.

Exemplo: se eu tenho um renda mensal variável com uma média de 2 mil reais por mês eu NÃO vou usar essa média. Eu preciso usar o menor valor que eu ganho em algum mês. Por exemplo, se a minha média é 2 mil, pode ser que o mês que eu menos ganho é de um valor de 1,3 mil reais. Então, é o valor de 1,3 mil reais que tem que estar na entrada.

As saídas, bem, as saídas não são tão complicada assim: basta você anotar tudo o que sai. O churros, o sorvete, o seguro do carro, o mercado, a internet, tudo. Fazendo isso, você vai levar um susto.

Porque é comum que as pessoas gastem mais do que imaginam que gasta. Depois, um dos próximos passos é adequar o seu orçamento familiar dentro de uma porcentagem especifica.

Quer saber qual é essa porcentagem? Continue lendo o passo a passo, a resposta virá em breve.

Observação: para não correr o risco de esquecer, faça sempre as anotações dos gastos DIARIAMENTE. Ou seja, todos os dias. Pode ser até no período da noite, mas tem que anotar tudo, combinado?

Planejamento

Agora sim! Chegou a hora do vamos ver! Se você seguiu corretamente o passo 2, já viu que está gastando mais do que ganha. Então, para se ter um bom planejamento isso não pode acontecer. O que deve ser feito? Trabalhar em cima de números, oras!

A regra disseminada pela Trovó Academy funciona assim: em cima do orçamento familiar, você vai pegar 70% da receita líquida e usar para gastos (sim, todos os gastos), 20% vai para quitar as dívidas ou fundos de reserva e 10% para investimentos.

Esses são os valores que você deve estipular e se os gastos ultrapassam os 70%, o que normalmente, acontece, então, é hora de economizar.

Antes de continuar, vamos às algumas explicações simples sobre o porque essas porcentagens e essa regra funciona!

Dívidas ou Reserva Financeira

A maioria das famílias brasileiras tem dividas e se elas não forem pagas, o valor se acumula, já que os juros são altos. A bola de neve pode te levar para a falência. Resultado: pagar as dívidas é fundamentalmente importante.

Agora, se você não está com esse problema, pegue o valor e guarde, afinal, você nunca sabe quando um imprevisto pode acontecer.

Investimento Financeiro

Essa é a cereja do bolo, é o que muita gente não sabe ou, se sabe, não se importa. Então, fiquem sabendo que investir dinheiro não é coisa só de gente rica.

Qualquer família deve fazer isso porque o investimento é a única opção que vai realmente te fazer enriquecer. Diferente da dívida, aqui, você recebe juros.

Ou seja, ganha sem fazer muito esforço. Por favor, não deixem essa porcentagem de lado, ela é muito importante.

Gastos 

Bom, gastos são gastos, né! Alguns impossíveis de serem cortados como alimentação e transporte, mas outros podem ser diminuídos, tais como serviços não utilizados.

Porém, muita gente diz que não tem como usar apenas 70% para gerir os gastos, então, a notícia não é boa: você está levando uma vida acima do que você pode sustentar.

Troque de carro, mude de casa, faça o que for precisar para viver em cima do seu patamar. Mas, não deixe de seguir as duas dicas anteriores.

Ainda ficou com dúvidas de como isso pode dar certo? Então, veja o vídeo:

https://youtu.be/tXfddhCV5mA

Dicas Simples de Warren Buffett

Sinceramente, Warren Buffett não gasta dinheiro como alguns dos outros bilionários fazem. Ele mantém hábitos muito simples e, totalmente, SURPREENDENTES. Saber administrar as finanças é crucial para qualquer pessoa que quer ficar rica rapidamente, mesmo que elas sejam pobres na atualidade.

Gastar com consciência talvez seja o passo número 1.

O investidor – também chamado de Oráculo de Omaha é CEO da Berskshire Hathaway. O patrimônio é grandioso e aumenta a cada dia, mas é bem mais do que 77 bilhões de reais, conforme a Forbes – o que o deixa na posição de 2º homem mais rico do mundo, ficando atrás apenas de Bill Gates.

Nessas dicas você, no mínimo, vai se surpreender em como Buffett leva uma vida simples, sem luxos e praticando a filantropia. O que ele se denomina? “Um Homem com Gostos Simples”.

“Eu compro tudo que quero na vida. Dez casas me deixariam feliz? Ter muitas posses consome você em certo ponto”, ele disse, certa vez, ao Business Insider.

A Mesma Casa Desde 1958

Warren Buffett mora na mesma casa desde que a comprou, em 1958. Ela fica em Ohama, no Nebraska e na época foi adquirida por algo em torno de 31,5 mil dólares, o que equivaleria hoje à 270 mil dólares ou 894 mil reais.

Você acha que ele vai coloca-la a venda? Não tão cedo…

Café da Manhã de Pobre

Todos os dias Warren Buffett começa o dia com um café da manhã barato, que NÃO inclui pagamento de preços altos para torradas francesas gourmet diariamente preparadas por uma equipe da casa.

Quando o assunto é alimentos, o megainvestidor se torna uma piada viva ao ser lembrado por economizar dinheiro tomando café no McDonald’s.

Ah, vamos ser sinceros, sabe o que inclui no café da manhã do bilionário? Um pacote de Oreo, conforme diz o seu amigo íntimo Bill Gates.

“Uma coisa surpreendente que descobri sobre Warren é que ele basicamente comia o que gostava quando tinha 6 anos”, disse. E continuou com o humor sobre a DIETA BIZARRA E BARATA:

“Verifiquei os dados e menor taxa de mortalidade está durante os 6 anos de idade. Então, decido comer como um jovem de 6 anos. É o curso mais seguro que posso tomar”.

O Mesmo Carro por Muito Tempo

Você quase que impossivelmente encontrará Buffett dirigindo um modelo algo superior ao que chamados de “modesto”. Conforme a própria filha, o bilionário anda com o mesmo carro até que pode.

“A verdade é que eu dirijo pouco durante o ano, então compro carro novo com pouca frequência”, ele afirma.

Aliás, carros nada mais são do que gastos. E, se o assunto é controle financeiro, manter o carro em dia, com revisões periódicas e pelo maior tempo possível pode significar uma boa economia de dinheiro. Optar pelo semi ao invés do novo também é um ótimo negócio.

Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Perfeito em 7 Passos?
Reprodução: Google

Passatempos Acessíveis e Gratuitos

Se comparado à outros CEOs, investidores ou empresários famosos, os momentos de lazer de Buffett são muito mais acessíveis e alguns gratuitos.

Por exemplo, Bridge é um jogo de baralho jogado em duplas. Buffett é viciado no jogo e já chegou a passar 12 horas por semana jogando.

“Eu não me importaria em ir para a prisão se eu tivesse os três companheiros certos para que jogarmos bridge o tempo todo”, ele já chegou a afirmar.

Quando não está no baralho ou com investimentos, pode ser que você o encontre tocando seu ukulele e cantando.

Trata os Amigos sem Extravagâncias

Você já pensou em ser amigo de Buffett para usufruir de suas economias? Então, está enganado porque isso possivelmente não vai acontecer. A amizade dele com Gates, por exemplo, é lendária e veja o que o fundador da Microsoft diz sobre isso:

“Aprendi muitas coisas com o Warren nos últimos 25 anos, mas talvez o mais importante é o que é a amizade. É sobre ser o tipo de amigo que você gostaria de ter. Todos devem ter a sorte de ter um amigo tão amável quanto Warren”.

E, definitivamente, ter um bom amigo não significa incluir presentes caros. Buffett é o time de pessoa que vai buscar Gates no aeroporto quando ele vai para Ohama e liga com frequência para o amigo, a fim de manter contato.

Com informações do GazetaNews, Globo, UOL

ANÚNCIO