Planejamento Financeiro Pessoal – 20 Dicas Poderosas

ANÚNCIO

O Planejamento Financeiro Pessoal – você já fez o seu? Se você ainda não fez o seu… Está na hora de fazer! Neste artigo vamos apresentar um passo a passo completo para que você comece hoje mesmo a criar o seu controle financeiro.

Essas dicas vão facilitar (e muito) a construção do seu planejamento financeiro – você vai gostar muito.

ANÚNCIO

Imagine: como será a sua vida nos próximos cinco, dez, quinze ou até vinte anos?

Pense nos seus principais objetivos para o futuro… Se você é como a maioria das pessoas, tem uma excelente ideia de onde você quer chegar!

Essa ideia pode ter uma visão bem clara ou uma visão pouco mais escura, mas no fundo você sabe o que vice quer construir e o que você quer conquistar no futuro.

ANÚNCIO

Muitos desses planos passam por você estar em uma boa situação financeira.

Para ter uma boa situação financeira no futuro, você precisa de um bom planejamento financeiro hoje.

Com um planejamento detalhado você consegue aumentar consideravelmente as chances de transformar o seu sonho em realidade.

Existe um estudo em Harvard, que foi feito em parceria com o pessoal da Califórnia, que mostra que pessoas com planos formais e documentos por escrito alcançam com 50% a mais a frequência dos seus resultados.

A comparação foi feita com as pessoas que também tinham objetivos e planos em mente, porém não haviam escrito tais informações.

Dicas para um Planejamento Financeiro Pessoal

O problema é quando começar uma tarefa nova… Isso já é difícil por natureza.

Quando a gente não tem segurança de como fazer uma tarefa, tudo fica ainda mais difícil.

Foi pensando nisso que criamos este artigo.

1 – Conheça os benefícios do Planejamento Financeiro

Comece por considerar os benefícios – tenha isso em mente.

O seu planejamento financeiro precisa ter um porquê muito claro e esse porquê será o motivo pelo qual você está parando tudo e começando a se planejar.

Os benefícios do planejamento, além de tudo, devem estar todos no futuro.

Concentre-se naquilo que você pretende conquistar, concentre-se nos seus sonhos e imagine você conquistando seus objetivos no futuro.

Certamente, isso será uma boa dose de motivação para começar o seu planejamento hoje mesmo.

2 – Tenha tempo para as Finanças

Separe um tempo do seu dia para cuidar das suas finanças.

Quantas vezes você parou tudo o que você estava fazendo para planejar a criação de um evento passageiro – como uma festa de aniversário ou uma viagem?

E agora, quantas vezes você fez o mesmo para planejar suas finanças?

Provavelmente, nenhuma né.

Mas, não se preocupe porque a maioria das pessoas é assim.

Agora pense: se você investe seu precioso tempo planejando eventos passageiros, mesmo que eles sejam importantes, por que não investir um pouquinho do seu tempo para planejar as suas finanças?

O planejamento financeiro é muito mais importante do que o planejamento da próxima comemoração de aniversário – você considera isso?

3 – Gaste menos do que você ganha

Jamais gaste seu dinheiro antes de você possui-lo.

Essa frase é de Thomas Jackson – que há alguns séculos já tinha matado essa charada.

Por mais óbvia que essa afirmação seja, no mundo há um número muito grande pessoas que não a cumprem.

Segundo o estudo do HSBC, 38% dos brasileiros não são poupadores regulares!

Acredite: isso não tem nenhuma relação com o que as pessoas ganham.

Existem pessoas que ganham dois mil reais por mês e conseguem poupar todos os messes, assim como há pessoas que ganham 20 mil reais por mês e não conseguem poupar um tostão no final do mês – e até acaba entrando no cheque especial.

O que podemos concluir com isso?

Que gastar menos do que ganha é um hábito e é um hábito que você precisa desenvolver para ter sucesso financeiro.

Como desenvolver esse hábito?

4 – Pague-se Primeiro

Uma boa estratégia seria seguir a regra do pague-se primeiro.

Isto é: assim que você receber seu salário, a renumeração, defina o porcentual desse valor diretamente para o fundo de investimentos ou qualquer aplicação financeira que você esteja usando no momento.

Geralmente, recomenda-se trabalhar (pelo menos) com o porcentual de 15%.

Mas isso vai variar de pessoa para pessoa.

Esta regra do pague-se primeiro deve ser levado ao pé da letra como esse pagamento de porcentual de 15 ou 20, ou seja lá o que você definir, como se você um imposto direto sobre sua receita.

O imposto que vai financiar sua vida melhor no futuro.

https://youtu.be/tXfddhCV5mA

5 – Reserva Financeira

Monte sua reserva de emergência ou reserva financeira.

Essa é uma reserva que é um monstro que deve ser separado exclusivamente para que você possa cobrir gastos de emergência que não estejam previstos no seu orçamento!

Ela serve para auxiliar na reorganização da sua vida, caso alguma coisa errada ou imprevista aconteça.

Ela é muito usada em casos de perda de emprego, emergências médicas, reparos da casa do carro ou dificuldades com o negócio próprio.

O tamanho da sua reserva de emergência deve ser baseado nas suas despesas médias mensais. A sugestão é que esse valor tenha pelo menos o equivalente a três meses de despesas ou, no máximo, 12 meses de despesas.

O montante deve ser investido em títulos de renda fixa com rentabilidade pós fixada e, se possível, com liquidez diária – para que você passa resgatar quando quiser.

6 – Orçamento Financeiro Pessoal

O orçamento financeiro é diferente do planejamento financeiro.

Outro passo muito importante do seu planejamento é a criação do seu orçamento pessoal.

Como cria-lo?

Comece anotando absolutamente toda a entrada e saída financeira da sua conta corrente.

Assim você vai conseguir enxergar com clareza a onde seu dinheiro está indo – e de onde ele vem (se você tiver várias fontes de entradas).

Muitas pessoas dizem saber onde gasta dinheiro, mas só descobrem isso de verdade quando fazem o orçamento pessoal.

A partir desse ponto (anotar as despesas e receitas) você estará apto a criar o orçamento que nada mais é do que um plano para onde gastar o dinheiro – não se esqueça da terceira dica desse vídeo e preveja gastar menos do que você ganha.

7 – Técnica dos Envelopes

É impossível chegar a independência se não souber poupar dinheiro. Para o educador financeiro, para isso basta usar alguns envelopes e separar os gastos mensais.

Assim, saberá quais são seus gastos e quais podem ser cortados para que se economize dinheiro.

É muito simples!

Você vai até a papelaria e compra 10 envelopes de carta. Em cada um deles você vai escrever itens dos quais serão destinados o seu dinheiro. Em seguida, você vai escrever, também no envelope, qual o valor você acha que gasta no mês com aquele item.

Depois, cada compra ou pagamento que fizer, você vai colocar o comprovante dentro do envelope que for daquele item.

Se quiser conhecer a Técnica dos Envelopes, clique aqui. 

8 – Aumentar o valor do investimento para si mesmo

Depois de criado o orçamento financeiro, analise seu orçamento e se questione: “há algo que eu possa fazer para aumentar o valor poupado mensalmente”?

Claro que o nome desse jogo chama-se equilíbrio.

Não quero que você se torne alguém que queira poupar em tudo, todas as horas e ganhe o apelido de “pão duro” – apesar disso nem ser tão ruim assim.

Mas, é importante poupar dinheiro, certo valor para o seu futuro financeiro.

E eu tenho certeza de que você vai encontrar boas alternativas de maximizar o valor poupado.

9 – Liste todos os seus sonhos, objetivos e desejos de vida

Lembra-te do estudo que comentamos – pois chegou a hora de você entrar para a estatísticas do lado que tem um objetivo claro e por escritos.

Sente-se de maneira confortável e abra um documento do Word ou pegue uma folha em branco e comece a listar os planos.

Pense absolutamente em tudo que você quer conquistar e coloca tudo isso em uma lista e para a criação dessa lista pensa em tudo que é verdadeiramente importante para você.

Não apenas liste os seus sonhos como também coloque em ordem de prioridade principal para você mesmo.

O que é mais importante?

Conseguir contribuir com a educação de seus filhos ou comprar o carro de seus sonhos?

E aqui eu sugiro que você siga a dica do livro The One Different Plane ou o Plano Financeiro De Uma Página que diz o seguinte CHEN NO BLEND, ou seja, NÃO SE ENVERGONHE DE TER SONHOS.

Objetivo como ter o carro dos sonhos, acima de ter uma vida confortável no futuro, pode ser o seu planejamento financeiro. Isso só depende do que é importante para você.

Talvez você não consiga atingir todos os objetivos listados, mas é bom ter uma ordem de prioridade porque todo mundo sabe que o dinheiro não é infinito.

10 – Determine um prazo para cada item da sua lista

Depois de iniciar seus objetivos e agora chegou a hora de definir um prazo para cada item dessa lista.

Não precisa ser um prazo exato, mas você precisa saber em quantos anos você vai atingir cada objetivo – é para te uma ideia é claro e isso é importantíssimo para determinar como você vai investir seu dinheiro.

“Quero ser rico”, essa pode ser uma meta. Mas, dizer “quero acumular um patrimônio de 1 milhão de reais daqui há 25 anos”, é um objetivo muito bem definido e fácil de ser cumprido.

11 – Determine um valor financeiro para cada item da sua lista

Após criar uma lista de objetivos e desejos em definir um prazo para a conquista deles, chegou o momento de atribuir um valor aproximado para cada item da lista.

Aqui você precisa encontrar o valor financeiro para cada sonho ou desejo abstrato, ao final dessa lista você saberá aonde quer chegar, quanto tempo você quer chegar e quanto você precisa acumular pata tal.

Planejamento Financeiro Pessoal – 20 Dicas Poderosas
Reprodução: Google

12 – Invista seu dinheiro considerando cada objetivo listado com a sua lista de desejos

Com os objetivos e a reserva financeira devidamente criados, chegou a hora de começar a investir os ganhos, para isso você precisa estar atento com diferentes prazos de cada objetivo financeiro você acabou de traçar.

Isso porque os objetivos com prazo diferentes requerem investimentos em produtos financeiros diferentes e você não pode investir em ações, por exemplo, que você pretende utilizar ano que vem.

Como as ações são voláteis, voláteis eu digo por que elas fazem muitos ziguezagues e caem e sobem de forma imprevisível no curto prazo – e última chance considerado esse valor você parou cair.

Esse é mais um motivo pelo qual você deve ter não os objetivos financeiros, mas também o prazo necessário para alcançá-lo.

Para ajudar a você ainda mais aqui vai algumas dicas rápidas:

  • Planos com prazo inferior a 1 ano  – títulos de renda fixa pós fixado.
  • Planos com prazo entre 2 e 5 anos – títulos de renda fixa (inflação e pré-fixados).
  • Planos com prazo superior a 5 anos – diversificada carteira de investimento.

13 – Descubra o seu número para independência financeira

Provavelmente, um dos seus objetivos da lista é tornar financeiramente independente – aquela ideia inapta de viver de juros, sabe?

A INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA É AQUELE MOMENTO EM QUE VOCÊ CONSEGUE viver exclusivamente com a renda passiva gerada pela sua carteira de investimentos.

Muitas pessoas perguntam: “Como eu faço para acumular patrimônio para chegar nessa situação – de independência financeira”?

E a resposta mais sensata é: “Depende do quanto você quer de renda mensal no futuro do seu horizonte e o tempo de investimento e do retorno a sua carteira de investimentos”.

Ué, se você tiver esses dados em mente, nesse ponto você deve ter uma boa ideia do horizonte de tempo e da renda mensal necessária para atingir seu objetivo no futuro.

Pode fazer esses cálculos de maneira muito simples, principalmente se você realizar o download da planilha para cálculo de dependência financeira.

Com essa planilha, você descobrirá quanto você precisa acumular para viver exclusivamente da renda gerada pela sua carteira de investimento.

14 – Contrate um seguro de vida com cobertura para invalidez

É claro que essa dica não vale para todos e, na verdade, são raras as pessoas que poderão considerar. De qualquer forma, vamos citar.

Só vale no caso exista uma pessoa que dependa financeiramente da sua renda para viver ou manter o padrão de vida.

Isto é se você tem uma esposa que depende de uma certa renda, o marido dependa da sua renda, um filho pequeno que dependa da sua renda assim por diante.

Você só precisa avaliar se existe alguém que depende da renda do meu trabalho hoje, para viver uma vida de um padrão de vida que ela segue.

Se sim, nesse caso você precisa calcular o impacto financeiro da sua ausência ou morte para a sua família e contratar um seguro para cobrir esse rombo financeiro sua eventual morte ou incapacidade.

15 – Entenda a importância do tempo para investimentos

Faça do tempo seu amigo no mundo dos investimentos!

Existe um conceito chave que é de juros compostos, ele disse que quanto maior for o horizonte temporal ou horizonte temporal dos investimentos maiores serão os efeitos dos juros compostos.

O tempo é muito importante, então quanto antes você começar a investir melhor.

16 – Entenda como funcionam os juros compostos

Juros Compostos é o famoso Juros sobre Juros.

Nos Juros Compostos, a cada período é acrescentado um valor de juros proporcional ao valor que você já acumulou.

Ou seja, você recebe uma taxa de juros sobre o valor que tem acumulado. Isso vai aumentando a cada período. Algumas pessoas os chamam de Capitalização Acumulativa.

Esse nome é derivado do fato de que o seu valor deixa de ser apenas uma taxa e se torna um capital, é o lucro sobre juros.

Ele é aplicado tanto para dívidas quanto para investimentos, sendo assim, o banco também utiliza essa mesma matemática tanto na cobrança quanto na remuneração de investimentos.

Aqui, então, é preciso entender que seja em ganhos ou perdas, o crescimento é exponencial e geométrico.

Geralmente, o melhor modo de calcular os juros é usando uma calculadora financeira ou em planilhas do excel. Existe ainda quem prefira fazer com o lápis e o papel. Por isso, não importante a forma porque a fórmula é uma só.

Por sinal, como já vimos, o Juros Compostos é calculado sobre o montante obtido no período anterior. Então, agora sim, segue a fórmula universal:

M = C. (1+i)  ͭ

Sendo M o montante, C o capital, i a taxa e t o período de tempo.

Já para encontrar apenas o valor dos juros, basta que façamos a subtração do capital inicial do montante encontrado. Da seguinte forma: J = M – C.

17 – Sempre analise o retorno real dos seus investimentos

Por exemplo: um retorno de 10% no ano é bom ou ruim?

Depende, o retorno total ferido em 2015, você poderia considerar um retorno negativo, eu digo isso porque a inflação no Brasil neste mesmo período foi de 10.77%.

Ou seja, o seu retorno de 10 por cento foi inferior à inflação ao final do ano seu dinheiro valeria no mínimo o que no início do ano, seu poder de compra seria diminuído.

Um ganho de 10% chamado de ganho nominal não foi o suficiente neste caso para esperar o aumento dos preços.

Por isso, você sempre deve considerar no seu planejamento financeiro, o retorno obtido acima da inflação.

18 – Faça o rebalanceamento da sua carteira de investimento de forma regular

Quantas vezes você já ouviu a frase: “O segredo do sucesso do investimento é contar na baixa e vender na alta”?

Essa frase foi tão repetida que se tornou um grande clichê do mercado financeiro.

Pode parecer lógico que se você comprar na baixa e vender na alta você vai ter grande sucesso investindo dinheiro no mercado de ações.

A grande questão é como fazer isso?

É ai que entra a estratégia do rebalanceamento da carteira de investimento.

O rebalanceamento de ativos consiste em você ver alterações na composição da carteira de investimento para trazê-la a composição original.

Isso tem a ver com a alocação de ativos que você definiu como a ideal para seu perfil de investidor.

19 – Revise seu planejamento financeiro pelo menos uma vez por ano

Porque você precisa definir prazos para promover a revisão do planejamento e o rebalanceamento da sua carteira.

O ideal é trabalhar com prazo de três meses, seis meses ou um ano.

Nem mais do que isso e nem menos.

Teste esses prazos defina qual se encaixa melhor para você!

O importante é que você não fique fissurado pelo dia a dia do mercado financeiro acompanhando cada alta e cada queda de ativos perante um tempo precioso gastos com as ações, mas também não deixa de lado a sua carteira de investimentos.

20 – Doe mais

Essa é, provavelmente, a melhor coisa que você pode fazer com seu dinheiro!

Muitos estudos mostram que há uma clara relação entre o dinheiro gasto com outras pessoas e felicidade, então planeja realizar doações para a cidade quando você se tornar financeiramente independente.

Além disso, dê presentes para as pessoas que você mais gosta – isso quando você tiver um bom planejamento financeiro e ótimas condições financeiras para manter um bom padrão de vida.

Você se surpreenderá com o efeito positivo que estará proporcionando por essa atitude.

Resumo da ópera – Tenha planejamento financeiro e viva intensamente

Enfim, chegamos ao fim com as melhores dicas para você começar hoje mesmo seu planejamento financeiro, espero que agora fique muito mais muito mais fácil para você organizar suas finanças pessoais.

Com as finanças em dia, mesmo que você ganhe apelidos xucros como de “mão de vaca” ou “pão duro”, saiba que você terá uma vida mais prospera, com melhor organização e mais poder de comprar.

Definitivamente, você será livre para fazer o que quiser. Para tanto, você precisará se empenhar, lutar, se dedicar e buscar o conhecimento financeiro a cada dia.

Da Redação com informações do Youtube

ANÚNCIO