Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Os brasileiros gostam muito de carros! Essa é uma afirmação muito comum de ouvirmos dos vizinhos, dos estrangeiros que por aqui passam e está também estampada em grande parte do noticiário nacional. Mas, será verdade? Antes de responder, faremos uma reflexão: quando vai escolher um carro, o brasileiro leva em consideração a segurança, confiabilidade e o projeto ou apenas o status que o veículo vai proporcionar?

Provavelmente, mas sem citar pesquisas formais, podemos notar que o brasileiro não é tão apaixonado assim pelos carros, e sim, pelo status e pelo valor que ele fornece. Inclusive, é muito comum vermos alguns endinheirados “quebrando a cara” com a compra de um veículo valioso, mas que, normalmente, apresenta problemas mecânicos ou elétricos. Isso é comum, por mais incrível que pareça.

Por sinal, vai dizer que você nunca se deparou com a seguinte situação: o cara acaba de ser promovido de “chão de fábrica” para “gerente”, então, a primeira coisa que ele pensa é “preciso trocar de carro, não dá para continuar andando nessa lata velha”. Afinal de contas, o carro tem que ser compatível com o cargo que ele vai exercer agora, sem se importar com o orçamento financeiro pessoal e familiar dele.

Leia também: Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017! 

Outra situação muito real é: quando alguém compra um carro novo e mais valioso e o amigo comenta: “Esse sim conseguiu prosperar na vida”. Prosperar é trocar de carro, então? Alguns ideais estão trocados nesse legítimo século que estamos vivendo. Mas, por mais óbvio que pareça, o carro é um bem material que perde valor com o passar do tempo. Isso chama-se depreciação. Agora vem a pergunta-chave desse texto:

“Os verdadeiros investidores e homens de negócios, que visam sempre aumentar de patrimônio, ‘investem’ em carros de luxo que valem milhões de reais”?

Sinceramente e SEM JULGAR AS NOSSAS PERSONALIDADES, é comum vermos a aquisição de uma Ferrari ou um Lamborghini pelos nossos “ídolos” do sertanejo universitário ou pelos nossos atletas futebolísticos, como o Neymar e companhia. Agora, os investidores, os reais milionários, que fazem fortunas atrás de fortunas… Bem, eles não ficam ostentando carro, porque, na real, isso não é sinônimo de riqueza, apenas de Status.

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

Informação para curiosos! Os carros mais caros do mundo são: Aston Martin MA-RB (US$ 3.900.000), Lykan Hypersport (US$ 3.400.000), Pagani Huayra BC (US$ 2.800.000), Bugatti Chiron (US$ 2.700.000), Koenigsegg Regera (US$ 1.900.000), Zenvo TS1 Hybrid (US$ 1.500.000), Arash AF10 Hybrid (US$ 1.500.000), Ferrari LaFerrari Aperta (US$ 1.400.000), Mazzanti Evantra Millecavali (US$ 1.200.000) e Apollo Arrow (US$ 1.100.000).

Verdadeiras Algemas

Vamos falar de mercado, de empresas e brasileiros. E, novamente por incrível que pareça, talvez você também não saiba que as grandes empresas oferecem carros para os funcionários da empresa concorrente para que ele venha para a empresa do lado de cá. Sim, é comum dar esse “benefício” luxuoso ao talento selecionado.

Alguma pesquisa já informou certa vez que, em termos de valores, é mais ou menos assim que funciona: 200 mil reais vão para executivos, 135 mil para diretores e 80 mil reais para gerentes. Esse valor é aplicado a cada 3 anos, a fim de manter o talento na empresa e também com a finalidade de manter o status do funcionário. O que acontece normalmente é que o carro fica no nome da empresa, destinando apenas o status ao funcionário.

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

“Um automóvel funcional como sinal de status. Um veículo significa, para um executivo, um benefício altamente valorizado e exigido, tornando-se hoje um dos itens que entram em negociação de quem está prestes a mudar de empresa. Para muitos, saber se a companhia oferece o carro é mais importante do que o próprio salário”, comenta Rodrigo Redorat, gerente do Hay Group, uma consultoria de negócios.

7 momentos para NÃO tomar decisões financeiras e 13 comportamentos que te afastam da riqueza, segundo Napoleon Hill – O jornalista do New York Times se dedicou à escrever a obra após muitas pesquisas e entrevistas. “Um dos efeitos do hábito é não precisar de lembrança nem racionalidade para repeti-lo. As rotinas fazem parte de outra região do cérebro, os gânglios basais, que não usam a racionalidade do pensamento”. Leia!

Não existe nada de errado se você é um profissional bem-sucedido e não está “uniformizado” de um profissional bem sucedido. Importa quem você é, e não o que tem! É nesse momento que a Educação Financeira torna-se essencial na vida das pessoas, para atentá-las sobre as encenações da vida.

Quanto custa manter um carro?

Com base em uma pesquisa feita pelo Clube dos Poupadores, um carro que vale 27 mil reais hoje, vai dar um gasto de mais de 32 mil reais em 3 anos, ou seja, no final de 36 meses, a soma será de mais de 59 mil reais, somando o valor do carro mais as despesas. Ah, isso se pensarmos que você comprou o carro a vista e não por meio do financiamento.

E, apenas para fins comparativos, se você tivesse investido esse valor à uma taxa de 0,5% ao mês, você teria ganho mais de 11,5 mil reais de juros. Entendeu a diferença?

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

3 coisas que são dívidas e ninguém considera: Financiamento de Carro! Você está pagando juros ou recebendo juros? Então, você já pode considerar esse financiamento como uma dívida. Por sinal, eu gravei um vídeo mostrando como perder 28 mil reais em 5 anos. Porque é exatamente isso que você perderá, se financiar um carro 2009, como usei de exemplo. Veja agora esse vídeo. “Como eu vou comprar um carro à vista”? Tenha Resposta! 

Para se ter uma ideia mais clara, selecionamos alguns carros mais populares e fizemos uma tabela com a seguinte ordem: o valor dele com pagamento à vista, depreciação (o valor que ele perderá com o tempo), uma previsão do seguro e os gastos mensais que você, provavelmente, terá com ele. Deem uma olhada nisso:

  • Fiat Palio Fire 1.0             25 mil reais         4,4 mil reais        4,6 mil reais        790 reais
  • Fiat Mille 1.0                     23 mil reais         5,6 mil reais        5,2 mil reais        810 reais
  • Ford Fiesta 1.0                 29 mil reais         4,6 mil reais        4,2 mil reais        840 reais
  • VW Fox 1.0                      33 mil reais         5,7 mil reais        3,9 mil reais        860 reais
  • Chevrolet Ônix 1.0           31 mil reais         6,3 mil reais        3,7 mil reais        880 reais
  • Hyundai HB20 1.0            35 mil reais         7 mil reais           4,1 mil reais        890 reais

Os valores acima foram feitos para gastos em uma cidade como São Paulo, super populosa e com grandes congestionamentos, os valores, obviamente, devem ser usados apenas para um conhecimento imediato sobre os gastos, referentes aos valores de compra.

Ah, apenas para informarmos que nem sempre o mais barato é o mais econômico, ok? Vocês, que já conhecem tudo de carro, devem saber disso. Os mais populares, por exemplo, são os que têm os seguros mais altos também. Sobre isso vamos falar no decorrer do texto.

E, apenas para confirmar que os valores acima foram atualizados há cerca de 2 anos, em 2016 saiu uma lista com os carros zeros mais baratos do Brasil, conforme informações do G1. São eles: Chery QQ (31 mil reais), Fiat MobiEasy (33 mil reais), VW Take Up 2 portas (35,5 mil reais), VW Gol Trendline 2 portas (36,5 mil reais), Jac J2 (37 mil reais), Lifan 530 (38 mil reais), Chery Celer Hatch (38,5 mil reais), Chery Celer Sedan (39,5 mil reais), Jac J3S (40 mil reais) e Nissan March 1.0 Conforto (40 mil reais).

Comprou um veículo? Saiba quais são os gastos reais

A regra é a seguinte: pegue o valor do seu salário mensal e multiplique por 6. O resultado é o valor máximo do carro que você poderá financiar. Exemplo: um salário de 3,3 mil reais multiplicado por 6 vai dar um valor médio de 20  mil reais. “Mas Trovó, quero um carro que custa 50 mil reais”.

Ok. Dê um jeito de melhorar o seu salário e aí você poderá comprar um carro de 50 mil reais. Preste atenção! E pare de viver em função do que os outros pensam, já falamos sobre isso. Ostentar é jogar dinheiro fora!

Leia a matéria na íntegra:

Comprou um veículo? Saiba quais são os gastos

Por que não vale a pena, DE JEITO NENHUM, financiar um carro?

Os motivos são vários, mas vamos falar só de alguns. Quanto maior o seu comprometimento com o financiamento, maior é o risco de descontrole financeiro e inadimplência. Como visto acima, além das parcelas do financiamento, o carro também trará custos mensais, que normalmente, são mais altos do que muitas pessoas imaginam, mesmo porque isso acontece de forma oculta, nas entrelinhas.

Para se ter uma ideia, fizemos uma simulação real, no Bradesco. Um carro de 27,5 mil reais pode ser financiado em 60 meses, com parcelas de 979 reais. Daí, é só pegar esse valor e somar com os 890 reais dos custos mensais dela. Com essa soma, para você não comprometer mais do que 30% do salário, o seu salário deve ser de, pelo menos, 4 mil reais por mês, feito?

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

Logicamente, o Brasil não pode (e não deve) ser comparado diretamente com outros países, mas como comparar é sempre bom, sabemos que muitas cidades da Europa usam a bicicleta como meio de transporte. Pensando nisso, fizemos uma lista de 13 motivos explicando o porquê de as “magrelas” serem mais vantajosas do que os veículos. Vejam:

  1. São mais Baratas,
  2. Não tem Juros no Financiamento,
  3. Não tem impostos anuais,
  4. Não usa combustível,
  5. Não necessita de grandes gastos em oficinas mecânicas,
  6. Não precisa de gastar com lava-jatos,
  7. Não precisa pagar estacionamento,
  8. Não perde tempo procurando vaga para estacionar,
  9. Não precisa gastar com seguros,
  10. Não precisa pagar com academia,
  11. Não precisa gastar com alimentos saudáveis e mais caros,
  12. Não precisa comprar tantos medicamentos,
  13. Não precisa perder tempo no engarrafamento.

Se você ainda tem dúvida sobre o financiamento de carro, leia isto:

À vista, o Captiva 2009 vale R$ 36 mil. Eu peguei o valor das 48 parcelas de R$ 890,00 mais os R$ 7 mil de entrada e a soma dos valores foi para R$ 49,7 mil. Então a cada ano que passa, o seu carro desvaloriza 10% e, ao final de 5 anos mais ou menos, o valor do carro que custava R$ 36 mil à vista, passa a ser R$ 21,2 mil. Ao final do tempo R$ 49,7 mil. Como daqui há 5 anos seu carro estará valendo R$ 21,2 mil a sua perda financeira será de R$ 28,5 mil.

Quer saber como chegamos à esses números e quais valores você pode estar perdendo quando financia um veículo por muito tempo? Veja o vídeo:

Quais foram os 10 carros mais difíceis e mais caros para consertar em 2016

Aproveitando o gancho e já que falamos sobre os gastos (exorbitantes) com a mecânica do carro, vamos mostrar quais foram os carros mais caros para consertar no ano que passou. A pesquisa foi feita pela Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), com dados do prêmio Car Group, que analisaram o reparo de 33 caros ao longo dos últimos 12 meses.

Para conhecimento: o índice é feito a partir da reparabilidade, com indicadores que variaram entre 10 e 60. Os carros foram analisados por solicitações das montadoras e o estudo contempla veículos fabricados no Brasil, Mercosul ou importados. Fora do ranking ficaram os carros que já não são mais produzidos, esportivos e picapes (utilitários também).

Confira, abaixo, os modelos com piores notas, a partir do índice feito pelo ranking!

  1. Citroên C4 Louge
  2. Fiat Novo Palio
  3. Peugeot 308
  4. Fiat Linea
  5. Fiat Bravo
  6. Fiat Palio Fire
  7. Fiat Grand Siena
  8. Fiat Novo Uno
  9. Ford Ecosport
  10. Peugeot 408

Nova Regra vai deixar transferência do carro usado mais cara

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) afirmou, através de uma nova resolução, que o Registro Nacional de Veículos em Estoque (Renave) está assustando os vendedores de carros seminovos. Isso porque a partir de julho, ao comprar um carro, as lojas terá que emitir uma nota fiscal eletrônica de entrada em que consiste o número de Renavam do veículo, e outra nota quando ele for revendido.

O procedimento, segundo o Contran, dará mais segurança ao consumidor. Já para os lojistas, a necessidade da nota, juntamente com os tributos (IPI, ICMS e ISS) deverá impactar no valor dos custos dos carros usados. “Ou o preço de venda do usado vai subir ou ele será super desvalorizado”, disse o vendedor Bruno Teixeira.

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

Fora isso, com a transferência sendo necessária, a emissão das notas eletrônicas de compra e venda vai representar um custo extra para os lojistas. “Infelizmente vamos ter de repassar os novos tributos cobrados ao consumidor que vende e compra carros usados”, explicou um lojista paulista.

E o combustível, pesa muito no orçamento?

Com certeza pesa sim! Nós não encontramos nenhuma tabela que fale dos gastos exatos do combustível de cada veículo, justamente porque depende do motor do veículo, da marca e também da velocidade e do nível do trânsito urbano no qual ele vai rodar. De qualquer forma, encontramos uma pesquisa bacana, que mostra os países que tem a gasolina mais barata e mais cara do mundo. Leia.

Países com a gasolina mais cara do mundo, seguidos de preço por litro:

  1. Hong Kong – US$ 1,93
  2. Noruega – US$ 1,88
  3. Islândia – US$ 1,79
  4. Países Baixos – US$ 1,68
  5. Grécia – US$ 1,67
  6. Israel – US$ 1,67
  7. Mônaco – US$ 1,67
  8. Dinamarca – US$ 1,65
  9. Itália – US$ 1,64
  10. Suécia – US$ 1,61

Países com a gasolina mais barata do mundo (nota-se que a maioria são produtores de petróleo):

  1. Venezuela – US$ 0,01
  2. Arábia Saudita – US$ 0,24
  3. Turquemenistão – US$ 0,29
  4. Argélia – US$ 0,32
  5. Egito – US$ 0,35
  6. Kuwait – US$ 0,35
  7. Equador – US$ 0,39
  8. Irã – US$ 0,41
  9. Barém – US$ 0,43
  10. Catar – US$ 0,43

“Seguro Auto Popular”, o que é isso?

Criado em abril do ano passado, é uma opção mais barata para carros mais velhos, porém ainda são poucas as seguradoras que aderiram à ideia. Segundo uma das corretoras, o seguro tradicional de um VW Gol ficaria em 1,8 mil reais para determinado perfil, e com o seguro popular, o valor cai em 30%, ficando em 1,2 mil reais, pelo menos, era essa a previsão da Susep (Superintendência de Seguros Privados).

No entanto, o que deve ser comum é que o plano se adeque apenas à alguns veículos e não sem restrições, isso porque é determinante a idade mínima do carro e a franquia do veículo. No caso, é permitido apenas carros com 5 anos ou mais, com valor máximo de 60 mil reais e que esteja dentro de uma lista de 40 modelos mais vendidos, dos quais estão o Palio, Gol e Uno, por exemplo.

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

“Escolhemos esses veículos por serem mais bem atendidos pelo chamado mercado de peças alternativas nesse momento”, afirmou Marcelo Goldman, diretor da Tokio Marine. Segundo uma notícia do G1, é preciso se atentar à esse tipo de seguro já que o popular, como terá um franquia mais alta, pode perder toda a vantagem caso aconteça um acidente.

Em pesquisa feita com uma das seguradoras, a Azul, a diferença entre ambas seria:

  • Ambas cobrem colisão, incêndio e furto.
  • Uma tem indenização de 110% da Tabela Fipe, enquanto a mais popular apenas 80%.
  • Danos à terceiros é feito até 500 mil reais em uma, enquanto que na popular, o valor é de apenas 25 mil reais.
  • Já a franquia é a que tem maior diferencial: na tradicional, pode ser 50% se for reduzida, enquanto que na popular é 50% mais cara que a normal, na média.
  • A assistência também muda, já que para a popular a distancia é de até 100 quilômetros, sendo que na tradicional, pode ser de até 400 quilômetros.

Atualmente, o Brasil dispõe de mais de 60 milhões de veículos, dos quais 17,5 milhões estão assegurados, ou seja, 30% da frota. Conforme a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), em 5 anos, estimasse que o seguro popular seja responsável por expandir essa frota em 10%.

“Um dos fatores que mais eleva os preços dos seguros tradicionais é a obrigatoriedade de utilização de pelas novas nos consertos, itens caros quando se fala em modelos mais antigos”, afirmou Goldman. Já nos seguros populares, é permitido o uso de pesas usado e recondicionado, vindas de empresas de desmontagens credenciadas, conforme a lei 12.977.

Pare de perder dinheiro com carros: veja os mais caros, os mais vendidos e as opções de seguros

Reprodução: Google

A média do seguro popular deve ser de 1,5 mil reais. “É como quando lançam um modelo novo de carro. As seguradoras acabam precificando o produto por aproximação, mas, com o tempo, conseguem definir melhor o preço. Vai acontecer parecido com o auto popular. Vão ver como o mercado responde e fazer as alterações necessárias”, disse Marcella Ewerton, da corretora Bidu.

Qual o valor do seguro dos 10 carros mais vendidos no Brasil

De acordo com a Fenabrave, em 2016 mais de 2 milhões de carros foram emplacados, sendo o Ônix o campeão, seguindo pelo HB20, Ford Ka e outros. Com essas informações, a Bidu Corretora fez um levantamento com o preço do seguro na capital paulista para os carros preferidos pelos brasileiros. Confira:

  1. Chevrolet Ônix – 3,1 mil reais
  2. Hyundai HB20 – 6,5 mil reais
  3. Ford Ka – 4,5 mil reais
  4. Chevrolet Prisma – 4,2 mil reais
  5. Toyota Corolla – 6,1 mil reais
  6. Fiat Palio – 4,3 mil reais
  7. Renault Sandero – 4 mil reais
  8. Fiat Strada – 9,2 mil reais
  9. VW Gol – 4,5 mil reais
  10. Honda HRV – 5,2 mil reais

A pesquisa também avaliou quais foram os carros mais roubados em São Paulo, em 2016. Confirma a listagem!

  1. Fiat Palio
  2. VW Gol
  3. Fiat Uno
  4. Ford Fiesta
  5. VW Fox
  6. Chevrolet Celta
  7. VW Voyage
  8. Fiat Siena
  9. Chevrolet Corsa
  10. Fiat Strada

O HB20 é uma novidade, apesar de não estar no ranking, já que tem escalado altos números entre os carros mais roubados. O mesmo vale para o Ônix. É visto saber que ambos são considerados novos no mercado e, justamente por isso, ainda não foram listados, mas, infelizmente, a previsão é a de que logo estarão nas primeiras posições.

Com informações do Clube dos Poupadores, Exame, Estadão, iCarros, G1 e Infomoney