Guia Simples: Antecipar Parcelas do Financiamento para Quitar as Dívidas?

ANÚNCIO

Na hora de financiar a casa ou o carro, o vendedor sempre diz: “Depois você vai antecipando parcelas, junta dinheiro com 13º salário, as férias, o trabalho extra e acaba por pagar tudo antes do prazo final”. Mas, será que tudo funciona tão fácil assim?

Aliás, qual o jeito certo de juntar dinheiro para antecipar as parcelas dos financiamentos?

ANÚNCIO

A se considerar, neste artigo vamos falar em financiamentos (que pode ser qualquer um), mas as mesmas dicas valem também para os empréstimos financeiros, que muitas vezes são altos e longos, tendo, portanto, os mesmos processos e juros dos financiamentos.

Vamos à primeira e grandiosa resposta deste artigo:

“Sim! Antecipar parcelas dos financiamentos financeiros é uma ótima forma de evitar o pagamento de juros aos bancos – isso é bom para manter as finanças em dia, obviamente, é uma medida sensata a se tomar quando o assunto é educação financeira”.

ANÚNCIO

Mas, como isso se torna viável?

Entenda que quando emprestamos dinheiro de alguma instituição financeira, os juros estão inclusos em todas as parcelas do empréstimo – em todas as parcelas, entendeu? Assim, quando optamos por antecipá-las, o Código de Defesa do Consumidor (CDC), garante o direito sobre os juros inclusos.

Ou seja, você não paga o juros dessas parcelas – ou paga menos, em alguns casos!

Conforme o artigo 52 do CDC:

É assegurado ao consumidor a liquidação antecipada do débito, total ou parcialmente, mediante redução proporcional dos juros e demais acréscimos”.

No Final do Artigo teremos um Bônus: 5 Formas de Pagar as Dívidas de Empréstimo Rapidamente!

No entanto, mesmo sabendo disso, há uma questão muito importante a se levar em conta: amortizar a dívida é muito importante e talvez mais importante do que deixar o dinheiro guardado na poupança.

Por quê?

  • Os juros de rendimento da poupança são baixos,
  • Os juros das dívidas são altos, com certeza, maiores do que a poupança.

Se você quer aprender como fazer essas contas e saber quando vale a pena antecipar as parcelas do financiamento, confira alguns breves números.

Quando Antecipar as Parcelas do Financiamento vale a pena?

Existe uma forma global para calcular o desconto na antecipação do pagamento do empréstimo ou do financiamento – que é regulamentada pelo BACEN, sob 3.516/07.

A fórmula é feita considerando algumas taxas (TMS – Taxa Média Selic) no ato da contratação e também no ato da liquidação. Confira:

  • + Taxa Contratada
  • TMS na data da Contratação
  • + TMS na data da Liquidação
  • = Taxa de Desconto!

Vamos aos números!

Vamos supor que você tenha feito um financiamento com uma taxa de 20% ao ano. E, para isso, vamos usar dados que vão de 2014 e 2016, onde os dados já foram consolidados.

Assim, a descrição das taxas seria a seguinte:

  • Taxa do Empréstimo = 20% ao ano,
  • Selic em Setembro de 2014 = 10,90% ao ano,
  • Selic em Setembro de 2016 = 14,25% ao ano.

Assim sendo: 20 – 10,90 + 14,25 = 23,35% ao ano!

23,35% ao ano é a sua Taxa de Desconto dos Juros que será usada no cálculo!

Tem uma observação importante: no período analisado, a taxa Selic está maior do que a contratada, assim, o desconto de amortização ou quitação das dívidas serão maiores também.

Porém, todo cuidado é pouco!

Se você liquidar o seu financiamento com a alta da Selic, pode ser que você precise de um novo empréstimo para isso, aí, os juros também serão proporcionalmente maiores – o que não tornaria vantajoso.

Portanto, a dica é: antecipe as parcelas apenas quando tiver certeza que não precisará fazer novos empréstimos nos meses seguintes porque isso seria dolorido para o seu bolso.

Outra Simulação da Antecipação do Financiamento em 2014

Imagine, também falando friamente e sem ser exatamente calculista, que uma pessoa tenha 72 prestações no valor de 717,38 reais no financiamento.

Aí, a pessoa consegue juntar dinheiro para quitar algumas parcelas – 6,6 mil reais.

Com esse valor, seria possível pagar 23 parcelas de trás para frente e o resultado seria:

  • Uma antecipação do tempo do empréstimo de 72 para 49 meses,
  • Uma Economia de Dinheiro de 9,8 mil reais.

Este cálculo foi feito no caso de empréstimo no sistema Price ou Amortização Francês, onde as prestações são iguais e os juros diferentes em cada mês.

Em 2011, a vantagem era mínima

Criamos esse tópico a mais para vocês entenderem a diferença entre os anos.

Entre 2014 e 2016, havia muita vantagem para quem antecipou as parcelas do financiamento, como visto acima – um bom desconto de 23,35% ao ano nos juros.

Já em 2011, a situação não era bem assim.

Conforme notícia da época do Estadão, “o desconto da antecipação é muito baixo”.

E isso teve um motivo bastante óbvio – com a explosão do crédito no Brasil e dos subsídios do governo, as taxas de juros do empréstimo se estabilizaram entre 1,5 e 2,2% ao mês no setor de automóveis.

“Tudo depende do que foi negociado com o banco. É preciso analisar as situações isoladamente”, afirmou José Carlos Polidoro, que era professor de finanças pessoais da Universidade Anhembi Morumbi na ocasião.

Ricardo Rocha, do Insper, que também participou da matéria, disse: “Se eu quitar antecipado, quanto vou pagar? Essa é a questão que deve ser feita ao banco”.

Para todos os especialistas citados na reportagem, o “percentual oferecido de desconto pode ser obtido em um investimento financeiro como as ações ou outras modalidades da renda fixa, tal qual o Tesouro Direto”.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

É o que concorda André Massara: “O alívio [de antecipar as parcelas] é tremendo. Mas essa é uma questão matemática”, garantiu.

Mais Informações sobre Antecipar as Parcelas do Financiamento

Para calcular o valor exato do desconto na hora de antecipar as parcelas do financiamento ou do empréstimo, o Ministério Público de Santa Catarina criou uma calculadora online onde basta você ter acesso aos dados do contrato e incluir na fórmula.

Clique Aqui e Veja.

– A calculadora ficou fora do ar por algum tempo, mas voltou a funcionar. O Ministério disse que está atualizando-a constantemente, por isso, o sistema fica fora do ar!

Os cálculos são feitos automaticamente e você pode verificar se vale a pena usar o dinheiro extra (como do 13º salário) para antecipar as parcelas ou quitar o empréstimo precocemente.

Se a resposta for positiva, basta entrar em contato com a instituição que concedeu o empréstimo e informar a intenção de tal negociação, discutindo os números. O cálculo será feito por eles, mas você pode rebater e negociar!

Com 10 Reais por Dia Dá para Financiar um Carro Novo

O FGTS no Financiamento

Muitas pessoas usam o dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para abater as parcelas do financiamento. Isso, verdadeiramente, é inteligente de se fazer.

Primeiro porque o rendimento do FGTS é bastante baixo e não pode ser visto como uma aplicação financeira. Depois, que quitando ou diminuindo as parcelas do financiamento, o consumidor está deixando de pagar juros.

Cabe, porém, uma atenção especial – para muitas pessoas o FGTS é um fundo de garantia, o que os especialistas do dinheiro gostam de chamar de Reserva Financeira. Ele pode ser usado para casos mais graves e acentuados, como a perca do emprego.

Financiamento de Imóvel – 19 Dicas Rápidas para Comprar um Apartamento

Assim, se você usar todo FGTS para pagar parcelas do financiamento, pode ficar sem essa reserva. No entanto, se você já tem uma reserva de emergência, então, usar o FGTS no financiamento é uma boa alternativa para abater as parcelas e antecipar o fim do contrato.

Grosso modo, a equipe da Empiricus Research, há dois anos, fez um levantamento com números reais. Confira a situação da época e veja porque usar o FGTS pode ser vantajoso.

Segundo a consultoria, o FGTS na época rendia uma TR + 3% ao ano enquanto que um financiamento médio teria um custo equivalente à uma TR + 8,6% ao ano. Assim, o ganho seria de 5,6% ao ano sobre o saldo médio do FGTS usado.

Em termos de números também, a simulação mostra que um abatimento mensal de 1 mil reais, vindo do FGTS, resultaria em uma melhora econômica de 364 reais no bolso do consumidor, o que daria uma alavancagem de 1.264 reais anuais.

“A recomendação é que você deve usar qualquer oportunidade para usar o FGTS tanto para abater prestações quanto para abater o principal, ou mesmo para completar uma entrada”, disseram os analistas da plataforma.

“Os baixos rendimentos na conta do FGTS nos permitem afirmar que você nunca sairá perdendo nessa transação”, finalizaram.

Guia Simples para Antecipar as Parcelas do Financiamento

Fizemos esse Guia Simples – que é simples mesmo – para ajudar você e todas as outras pessoas que estão pensando – seriamente – em antecipar as parcelas do financiamento.

Confira cada um dos tópicos e, ao final, responda a si mesmo: será que vale a pena?

Antes de pensar em quitar o financiamento, todo consumidor precisa saber que ter uma reserva financeira é importante para evitar que imprevistos tornem-se casos de endividamento, o que é muito comum no Brasil.

Uma reserva financeira, ainda que não se tenha números exatos, quer dizer algo entre 6 e 12 meses da renda mensal atual – essa é praticamente uma obrigação para quem quer ter uma vida financeira estável e livre de dívidas.

Os 4 erros que as pessoas mais cometem ao pegar um empréstimo financeiro

Além disso, é preciso analisar outras dívidas, que muitas pessoas não as consideram como tal, como o cartão de crédito e o cheque especial – essas duas modalidades de crédito com juros muito altos são os maiores vilões dos brasileiros.

Sempre certifique esses débitos sejam pagos.

Como Quitar o Financiamento

Antes de tudo, observe que você precisará entrar em contato com a sua financeira ou banco, que são donos do seu financiamento. Aí, você tem que se informar sobre o valor a ser pago e quanto desconto terá.

Após isso, verifique no seu contrato se os valores batem e está de acordo – com prazos e taxas.

Se os valores forem compatíveis, fale novamente com a financeira e solicite um boleto de antecipação de quitação de dívidas. Depois de pago, o banco tem que providenciar uma baixa da alienação do sistema (do Detran, em caso de carros, por exemplo).

Se a antecipação for parcial, então o pagamento segue normalmente com as demais parcelas. Lembrando que a antecipação é feita sempre da última parcela para trás – no mês seguinte você vai ter as parcelas da mesma forma, se for parcial.

Tarifas para a Antecipação das Parcelas

Todo contrato firma após dezembro de 2007 não pode ter cobranças de taxas referentes ao pagamento antecipado das parcelas dos financiamentos, conforme normas do Banco Central.

Saiba as Taxas do Seu Financiamento Financeiro

Normalmente, as pessoas que compram veículos ou financiam imóveis não prestam a atenção na taxa de juros que é cobrada em cada parcela do financiamento.

Esse comportamento, porém, não é o mais aconselhável.

O certo é saber todos os custos envolvidos no negócio e comprar com outros bancos – além, claro, de fazer a comparação para a compra à vista.

Se você não tem essas informações, solicite ao banco imediatamente.

Sempre Negocie um Abatimento Maior

O desconto dado pelo banco no caso da antecipação das matérias nem sempre será proporcional ao tempo que for antecipado ou à taxa de juros que foi contratada.

Assim sendo, nada impede a financeira de conceder juros menores, se quiser mesmo captar os recursos ou diminuir o volume do dinheiro emprestado no mercado.

Portanto, negociar nunca é demais. Busque descontos maiores.

Cogite a Possibilidade de Investir Dinheiro ao invés de Quitar o Financiamento

Com o valor que você está sujeito à antecipar, pode ser que represente uma boa entrada em uma aplicação financeira – pense sobre isso e faça as contas.

Compare as taxas de juros, de retorno, de lucro, de rentabilidade, de impostos, do tempo. De tudo! Selecionamos algumas situações:

  • Os investimentos sempre têm rendimentos maiores do que as taxas de juros pagas,
  • Caso isso não aconteça, aí sim é melhor quitar a dívida do financiamento.

O importante é sempre fazer as comparações e buscar o melhor retorno para você. O que se sabe, no entanto, é que é muito difícil encontrar taxas de investimentos financeiros menores do que as do financiamento.

A Melhor Decisão na Hora de Antecipar Financiamento

A Melhor decisão é aquela que condiz com a sua atual necessidade.

Não adianta antecipar algumas parcelas do financiamento agora, se for para fazer outro empréstimo amanhã. Isso não teria cabimento nenhum.

Ao mesmo tempo, não vale a pena investir em um título que rende 0,8% sendo que sua dívida tem juros de 1%. Isso também não valeria a pena.

Essa análise toda tem a ver com o seu perfil financeiro – se está endividado, se está apenas com o empréstimo, se ele está pesado demais, se você tem outras contas, se tem um emprego garantido com um bom salário, se é empreendedor.

Você tem que analisar tudo isso!

Como Economizar Dinheiro na Hora de Financiar um Carro? 4 Dicas Rápidas

Guia Simples: Antecipar Parcelas do Financiamento para Quitar as Dívidas?
Reprodução: Google

Bônus: 5 Formas de Pagar as Dívidas de Empréstimo Rapidamente!

Como foi mostrado neste artigo, é possível quitar as dívidas do financiamento e dos empréstimos rapidamente – o que diminui os juros pagos e isso quer dizer economizar dinheiro.

Aí, citamos algumas opções de quando isso pode acontecer: 13º salário, dinheiro extra, etc.

Esse último tópico é apenas para fazer um apanhado das 5 melhores formas de antecipar suas dívidas, conforme a realidade da maior parte dos brasileiros – tudo baseado na educação financeira e você não vai precisar fazer nenhum esforço sobre-humano para isso!

Confira as melhores dicas para pagar dívidas de empréstimo!

Como Economizar Dinheiro na Hora de Financiar um Carro? 4 Dicas Rápidas

1 – Pagamentos Antecipados

Se você conseguiu melhorar a situação financeira nesse mês, pague duas parcelas ao invés de uma só – isso é totalmente possível e você terá a certeza de que sua bonificação foi um “dinheiro bem gasto”.

Se o dinheiro a mais não for suficiente para pagar uma parcela integral, crie uma poupança para juntar dinheiro para que isso seja possível… Quem sabe no próximo mês você consegue!

2 – Refinancie o Saldo Devedor

Esse caso é mais especifico para quem fez empréstimos e não financiamentos.

A ideia é solicitar ao credor a diminuição das parcelas, aumentando o valor delas. Por exemplo, se o pagamento mensal é de 300 reais e agora você tem condições de pagar 400 reais por mês, diga isso ao seu credor.

Com certeza, a situação vai melhorar: o tempo de quitação será menor e o juros pagos também.

3 – Ganhar Dinheiro Extra

Encontre formas de Ganhar Dinheiro Extra – você pode fazer freelancers, os famosos “bicos”, de varias formas: produzindo e vendendo artesanatos ou comidas, por exemplo.

Além disso, desapegue de produtos e roupas que não usa mais. Seja criativo para ganhar um dinheiro extra.

4 – 13º Salário e Férias

É um dinheiro que, normalmente, aparece como forma de bônus – afinal, está aquém do salário e da renda mensal.

Assim, ele pode ser considerado um dinheiro extra e ao invés de você gastar com “bobagens”, pode ser bem usado para antecipar parcelas do financiamento.

5 – Restituição do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física)

A restituição do IR pode acontecer para muitas pessoas – depois da declaração anual que é feita por toda pessoa. Essa pode ser uma boa opção para antecipar as parcelas do empréstimo.

Comprar um Carro sem Fazer um Financiamento – Como é Possível

A partir de agora, nossas simulações vão valer para as pessoas que não optaram por comprar um carro financiado, que perceberam que é muito melhor receber juros do que pagar juros.

Suponhamos então que você tenha os 14.999,79. Porque, em qualquer opção, você terá que ter esse valor… É o valor de entrada obrigatório do exemplo acima, lembra? É com esse valor que você iniciará o seu investimento financeiro.

Aí, vale saber também que você fará aportes mensais de 299,00 que é o valor das parcelas do financiamento – exatamente como se você tivesse pagando as prestações.

Até aqui nada de novidade, né? Está tudo como você teria feito no financiamento veicular.

Após 60 meses, que é o prazo do seu financiamento, com seu dinheiro aplicado em um título que tivesse uma taxa de rentabilidade de 0,5% ao mês (que estamos chutando por baixo, já que normalmente as taxas são maiores), a sua rentabilidade seria 8.452,92.

Calma, esses 8 mil é o que você ganhou. Simplesmente, ganhou. Sem ter feito nada, apenas investido. Veja agora, nos tópicos que seguem, qual é o seu valor acumulado!

  • INVESTIMENTO INICIAL – 14.999,79
  • APORTES MENSAIS – 299,00
  • PRAZO – 60 MESES
  • TAXA DE JUROS – 0,5% AO MÊS
  • TOTAL INVESTIDO – 32.939,79
  • TOTAL GANHO EM JUROS – 8.452,92
  • TOTAL NA CONTA – 41.093,71

Precisa falar mais alguma coisa?

Você conseguiu acumular mais de 41 mil reais em 5 anos. Esse valor é mais do que suficiente para comprar o seu carro. E ainda vai sobrar dinheiro.

Ah, tem um detalhe super importante, se você tivesse feito isso de verdade, nem precisaria esperar os 5 anos… Em 3 anos já teria conseguido comprar o seu carro na mesma concessionária citada no exemplo.

Uma redução de tempo de 2 anos é algo significante, não é?

Na real, nem temos muito que complementar… Os números dizem tudo: no primeiro caso, quando você paga juros, você perde 5 mil reais. No outro, que você cria o hábito de investir dinheiro, você recebe um lucro de 8 mil reais. É um saldo positivo de mais de 13 mil reais.

Isso sem contar todas aquelas tarifas que estávamos falando, lembra?

Mas e a Inflação?

Você pode se perguntar isso e você será inteligente se o fizer. Daqui há 5 anos, a inflação terá subido e seu carro, obviamente, estará custando mais.

Conforme uma pesquisa, considerando a inflação medida pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), que calcula o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), vários carros entre os mais vendidos no Brasil ficaram mais baratos nos últimos 10 anos, entre os anos de 2006 e 2016, porque tiveram reajustes menores do que a inflação.

Na prática, é mais ou menos assim ó: em 2006, você precisaria de 69 salários mínimos para comprar um Gol da Volkswagem, que valia 24.080,00.

Em 2016, era preciso 40 salários mínimos para comprar o mesmo carro, que era vendido à 34.890,00. E não é só o Gol, todos os carros tiveram essa queda de preço.

Selecionamos alguns, confira.

Modelo        Preço 2006 / Salário Mínimos           Preço 2016 / Salários Mínimos

  • Classic         25.115,00            72                          34.490,00            39
  • Prisma         29.990,00            83                          45.690,00            52
  • Palio Fire      24.310,00            69                          28.790,00            32
  • Siena           27.680,00            79                          36.260,00            41
  • Strada          29.790,00            83                          43.150,00            49
  • Ka                22.920,00            65                          41,590,00            47
  • Fox              28.131,00            80                          45.590,00            52
  • Gol              24.080,00            69                          34.890,00            40
  • Saveiro        30.821,00            88                          42.390,00            48

Portanto, se podemos dar um conselho é para nunca acreditar que um carro financiado (ou uma casa) vá valorizar tanto que fique acima da inflação ou acima da rentabilidade dos seus investimentos financeiros porque não vai.

PELO MENOS VOCÊ ESTÁ PAGANDO UM BEM QUE VAI VALORIZAR”.

Se alguém disser isso e realmente tem um monte de gente vai falar… Não se acomode.Nós nunca teremos como prever a inflação futura, porém podemos interferir em quanto poupamos nossos esforços e dinheiro, sabendo o desempenho das nossas aplicações financeiras.

Sem a intenção de sermos insensíveis com você, mas se você financiou algo, confira o que aconteceu, de forma bastante breve e levando em conta a situação citada neste artigo:

  • Deixou de Ganhar Juros durante 5 anos,
  • Pagou Juros e Taxas que Tornaram o Carro ainda Mais Caro,
  • Não aproveitou o fato de os preços dos carros terem subido menos do que a Inflação,
  • Possui um Carro já Velho e que vale menos do que a metade do preço à vista.

Leandro Ávila é administrador de empresas e educador financeiro, ele resume essa história da seguinte forma:

“É muito importante que você aprenda a cuidar do seu dinheiro com inteligência. Isso é urgente. Esse mesmo mau hábito de comprar tudo financiado pode se repetir no consumo de outros bens de valor mais elevado. Cuidado para não passar a vida inteira trabalhando para pagar juros, taxas e impostos”.

Com informações do Organizze, Estadão e MaisCredit

ANÚNCIO