Veja como lidar com as parcelas em atraso do cartão com o Nubank

ANÚNCIO

Você também tem parcelas em atraso do cartão de crédito? Saiba que a maioria das pessoas endividadas no nosso país estão nessa situação por conta desse produto. Por isso, você não está sozinho. E foi pensando nisso que o Nubank criou um conteúdo especial.

Nesse conteúdo, a fintech explica como lidar com as parcelas em atraso do cartão em alguns passos. E a gente reproduziu essa espécie de passo a passo nas linhas abaixo. Continue lendo para entender o que se deve fazer para negociar a dívida.

ANÚNCIO

Veja como lidar com as parcelas em atraso do cartão com o Nubank

1 – ANALISE DAS CONTAS

A primeira dica do Nubank é fazer uma análise das contas para descobrir qual é a causa da dívida. Isso deve ser feito antes mesmo de negociar as parcelas em atraso. Afinal de contas, como o Nubank diz “inadimplência é ruim para todo mundo”.

Portanto, se você se endividou, o ideal é manter a calma e descobrir os motivos disso. “Encarar a dívida é o primeiro passo para se livrar dela”. Portanto, a recomendação é que quem está com esse problema tem que buscar a negociação com a operadora do cartão.

ANÚNCIO

Dessa forma, os passos são: fazer um pente-fino na fatura, ver onde estão os descuidos, analisar o saldo devedor, separar o valor das compras e analisar taxas de juros e encargos.

Inclusive, entender de onde vem a causa dívida vai ser importante até mesmo para escolher a melhor forma de negociação. “Além de ser uma ótima forma de evitar que os mesmos erros aconteçam novamente”.

2 – PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO

Para quem está com problemas nas parcelas em atraso do cartão, a Nubank diz que outro passo importante é ver como funciona a negociação da dívida.

“É hora de procurar a instituição financeira para encontrar uma solução para o seu problema”. Assim sendo, a recomendação é que se estude exatamente tudo sobre isso. A se começar pelas taxas de juros.

Basicamente, quando se trata de dívidas no cartão existem duas taxas de juros que são altas. Uma delas é a de juros por atraso, que é uma das mais altas do mercado. Outra é a taxa do rotativo, que é quando o cliente paga apenas uma parte da fatura.

E na hora de negociar a dívida do cartão, quase sempre, o cliente vai ter duas opções. Sendo que uma delas é a amortização, que é um parcelamento da dívida. Outra é o empréstimo pessoal, que pode ter taxas melhores.

Além disso, é preciso analisar outros pontos importantes também. Como as taxas incidentes, o tipo de parcelamento, os impostos, os tipos de parcelas, etc.

3 – CONTRATAÇÃO DA SOLUÇÃO

Um terceiro passo é fazer a contratação dessa solução que existe. Mas, isso não é tão simples como parece, viu. Isso porque as instituições devem oferecer canais diretos para negociação, que deve acontecer de forma extrajudicial, antes de tudo. Ou seja, sem ir à justiça.

Os bancos, por exemplo, costumam ter opções de parcelamentos prontos. Assim, em boa parte das vezes, basta ligar na central de atendimento da sua operadora do cartão para ver as opções e aceitar, se for do seu interesse.

Agora, o que o Nubank recomenda é que o cliente análise as situações pessoais e financeiras dele. Especialmente para o fato de “não assumir dívidas maior do que podem ser pagas. Isso inclui o valor da parcela e as taxas”.

O lado bom de entrar em um acordo para quitar as parcelas em atraso do cartão é que o nome sai da lista de negativados desde a primeira parcela paga.

4 – OPERADORAS SÃO PROIBIDAS

Outra etapa é saber que as operadoras são proibidas a fazer algumas coisas. E isso está no Código de Defesa do Consumidor. Por isso, é bom ficar atento ao que é de direito de todo consumidor e cliente de cartões.

A instituição não pode, por exemplo, cobrar mais do que 30% do que ganha mensalmente para quitar a dívida. Outra coisa é que não dá para assumir mais do que 35% da renda para os empréstimos menos comuns, como os consignados.

Ainda tem outra regra: ninguém é obrigado a contratar serviços extras, como de seguros. Nesse caso, o cliente pode ir até o Procon para reaver o que é de seu direito. Afinal, isso sugere uma venda casada, que não é permitido por lei.

5 – REVISÃO DO CONTRATO

Para terminar as dicas sobre como negociar a dívida com cartão de crédito, saiba que também dá para pedir a revisão do contrato feito. Isso vale, inclusive, para quando o contrato não é aceito.

Se a situação for considerada grave, com taxas abusivas por exemplo, o cliente pode buscar ajuda jurídica de especialistas. Aí, vocês podem entrar com ações e novos pedidos de revisão. Lembrando que algumas empresas dão assistência gratuita, dependendo de cada cidade.

Dessa forma, a gente conclui o texto vendo que existem várias maneiras para resolver o problema das parcelas em atraso do cartão. Além disso, é preciso ter planejamento e depois ir até a operadora buscar a negociação. Por último, saiba que você tem direitos a serem respeitados.

Sobre o Nubank

Para quem não sabe, a Nubank é uma fintech que é focada na educação financeira. Ela foi pioneira no lançamento de um cartão de crédito sem anuidade. Depois, permitiu a conta digital, que tem rendimentos diários. E hoje é uma das instituições mais faladas no país. Para ver a matéria integral publicada pela empresa, clique aqui.

ANÚNCIO