O que é Tesouro Direto? Os 5 Melhores Motivos para aplicar no Investimento Mais Democrático do Brasil

O que são Títulos Públicos, Tesouro Direto e quais os Tipos de Títulos. Esse serão os temas que vamos detalhar hoje. No blog, já falei várias vezes da possibilidade de investir seu dinheiro ganhando pouco e agora, mais do que nunca, vamos provar como fazer isso. Você pode investir no Tesouro Direto com apenas 30 reais. Leia o texto até o final e saiba como!

No artigo anterior fizemos um texto muito bem explicadinho para quem é empresário ou para aqueles que pretendem ser, algum dia. Acredito que tenha ficado muito bem resolvido a questão do por que é muito mais vantajoso investir no Mercado de Investimentos do que deixar as economias guardadas na poupança, seja por questão de curto, médio ou longo prazo.

Lembre: 3 Motivos Para Não Investir na Poupança

Qualquer empresário, de qualquer ramo, de qualquer porte precisa de um bom planejamento financeiro empresarial. E isso inclui economizar dinheiro para possíveis emergências, tais como o pagamento de férias e 13º salário dos funcionários ou mesmo para a atualização de um software ou a aquisição de um novo equipamento.

Planejamento Financeiro Pessoal Simples e Pessoal: Técnica dos Envelopes.

E lá, citamos quais os melhores títulos do Tesouro Direto para os empresários. O Tesouro Direto já é um investimento seguro e confiável, mas existem opções de títulos que os tornam ainda mais aconselháveis por possuírem menores riscos. Não é a toa que hoje mais de 830 mil pessoas aplicam o dinheiro nesse tipo de investimento.

Para fins de informação, em julho desse ano, a Secretaria do Tesouro Nacional afirmou que em junho foram mais de 66 mil cadastrados, seja por meio eletrônico, banco ou corretora: um novo recorde mensal. No mesmo mês, as vendas do Tesouro Direto atingiram 1,3 bilhão de reais e os resgates foram de 524 milhões.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

No entanto, não deixamos claro no último artigo, o que é o Tesouro Direto, o que São Títulos Públicos e nem mesmo quais os tipos, detalhados, desses títulos. Ah, e naquele artigo, demos uma orientação básica e mínima com foco para os empresários e deixamos um pouco de fora as pessoas físicas, que possuem CPF (Cadastro de Pessoa Física).

Esse novo artigo é para sanar esses déficits. Aqui vamos explicar tim por tim sobre o Tesouro Direto e voltaremos o foco para você, investidor ou futuro investidor. Conheça mais sobre essa que é uma das formas mais democráticas de estar inserido no Mercado Financeiro.

O que é Tesouro Direto

Segundo o site da Fazenda, o Tesouro Direto é a oportunidade que o Tesouro Nacional abre para você ter a rentabilidade de grandes investidores, a partir de 30 reais. Justamente por isso é considerado o ativo com menor risco em uma economia.

Quando você aplica no Tesouro Direto você está emprestando seu dinheiro para o Governo. Em troca, você recebe juros. Portanto, ele é diferente de outros investimentos de Renda Fixa, como o CDB (Certificado de Depósito Bancário), do LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) que são emitidos pelos bancos (Lembrando que você deve Fugir dos Empréstimos dos Bancos).

Quais São os Tipos de Renda Fixa?

O principal objetivo desse programa é justamente democratizar o acesso à títulos públicos e oferecer diversas alternativas de investimentos do mercado, seja com o tipo de rentabilidade (prefixada, ligada à inflação ou a taxa de juros), com o prazo de vencimento ou com o prazo de fluxo.

E, logo no início, já vamos orientar você sobre 5 fatos do Tesouro Direto. Aliás, são 5 dúvidas que muitas pessoas têm e que, por isso, acabam perdendo o interesse por esse tipo de investimento. Então, agora, esqueçam tudo o que lhes disseram sobre o Tesouro Direito e veja como é fácil investir!

Como Investir no Tesouro Direto:

  1. É só fazer o cadastro no site do Tesouro Direto e abrir uma conta em uma corretora de valores.
  2. Depois, analisar o prazo do título que você vai comprar.
  3. Acompanhar o seu desempenho é muito simples e pode ser feito pela internet.
  4. O Tesouro disponibiliza reinvestimento automático e compras programadas.
  5. É possível fazer resgates diários também.

Aprenda a poupar 10% do seu salário e receba juros!

Vale lembrar também que é possível investir no Tesouro Direto em 3 canais diferentes:

  1. Site do Tesouro Direto
  2. Site da Sua Instituição Financeira
  3. Quando você autoriza a Sua Instituição Financeira

Mas, o Que São Títulos Públicos?

São ativos de renda fixa, ou seja, o seu rendimento pode ser dimensionado no momento do investimento, por isso, é considerado um investimento conservador, de menor risco.

Quanto Vou Receber de Juros na Renda Fixa?

Ao comprar um título público, você empresta dinheiro para o governo brasileiro em troca do direito de receber no futuro uma remuneração por este empréstimo, ou seja, você recebe o que emprestou e mais os juros sobre esse valor. Além disso, você atua como coadjuvante social, investimento na saúde, educação, entre outros.

Veja, no vídeo abaixo, os 7 Passos para Viver Juros!

Observação: Os títulos públicos são negociados escrituralmente, isto é, não existe um documento físico que representa o título. Você terá a garantia da aplicação por meio do protocolo gerado em cada operação e o título adquirido ficará registrado no seu CPF ou com a sua Corretora, no caso de empresas.

Mas, não se preocupem, eles são seguros! Os títulos emitidos pelo governo são considerados os ativos mais seguros do mercado porque é muito mais fácil um banco ou uma instituição privada quebrar do que um país inteiro. Vamos falar mais disso no decorrer do texto.

Aliás, se você tem dinheiro guardado na poupança, pode perder seu dinheiro se o banco falir, sabia? Então, leia: E Se o Meu Banco Falir?

Investimento Tradicional ou Investimento Programado

Os investimentos tradicionais acontecem durante qualquer momento do dia, dentro do período de funcionamento do programa.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

Já no Investimento Programado você precisa seguir um agendamento, com reaplicação automática dos juros semestrais e do valor a ser resgatado. Esse caso é muito usado para programações antecipadas de reinvestimentos.

Glossário para Entender o Tesouro Direto

Antes de continuarmos, vamos fazer uma pequena explanação e definir algumas palavras que serão usadas no decorrer de todo o texto.

  • Tesouro Selic

Dá juros ao investidor baseado na taxa básica de juros da economia (Taxa Selic), fixada pelo Banco Central. Quando a Selic sobe, a rentabilidade sobe e vice-versa. O Tesouro tem a menor rentabilidade dos títulos, mas também, em mesma proporção, o menos risco.

  • Tesouro Prefixado

É quando o investidor compra um papel e sabe exatamente quanto vai receber no momento do vencimento. A desvantagem é que pode render menos que a inflação.

  • Tesouro IPCA

Nesse quesito, o investidor paga a variação da inflação e mais uma taxa básica de juros. A vantagem é que garante o poder de compra do dinheiro.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

  • Vencimento

É o dia que o investidor recebe o seu investimento ajustado.

  • Juros Semanais

Quando o investidor opta pelo Tesouro Prefixado ou Tesouro IPCA que antecipam o rendimento, os pagamentos são feitos a cada seis meses, com desconto do Imposto de Renda.

Tipos de Títulos do Tesouro Nacional

Os títulos públicos do Tesouro Nacional são divididos em 2 categorias:

  • Prefixados: É quando o investidor sabe exatamente a rentabilidade que irá receber e o tempo final da aplicação.
  • Pós fixado: O investidor receberá uma remuneração de acordo com um indexador (índices como o IPCA).

Vamos, então, aos 5 títulos!

1 – LFT (Letras Financeiras do Tesouro)

É um título pós fixado, que tem o valor corrigido pela variação da taxa básica de juros, a Taxa Selic. É muito interessante à curto prazo.

2 – LTN (Letras do Tesouro Nacional)

É um título prefixado e, no geral, paga um valor um pouco maior que a taxa de juros. Dica: É indicado quando os juros estão em alta.

3 – NTN-F (Notas do Tesouro Nacional Série F)

É semelhante ao LTN, com a diferença de que paga juros periodicamente.

4 – NTN-B (Notas do Tesouro Nacional Série B)

É um título pós fixado indexado à inflação. Ou seja, o valor é atualizado pelo IPCA (Índice de inflação utilizado pelo governo). Nessa opção você recebe juros semestralmente e paga 4% ao ano + a inflação ao ano. Dica: muito usado para poupar para a aposentadoria.

5 – NTN-B Principal (Notas do Tesouro Nacional Série B – Principal)

Semelhante à NTN-B, mas não paga juros semestralmente.

Tesouro Direto Taxas

Sendo que a finalidade é a democratização, os custos do Tesouro Direto costumam ser menores do que os Fundos De Investimentos e as Rendas Fixas. Veja os 2 principais custos:

1 – Taxa de Custódia

É aquela taxa cobrada pela BM&FBovespa sobre o valor dos títulos. Ela refere-se ao serviços feitos pela empresa, tais como o fato de guardar os títulos e designar as informações e movimentações dos saldos.

A taxa é cobrada a cada 6 meses e equivale à 0,3% ao ano.

2 – Taxa dos Agentes de Custódia

O Tesouro Nacional disponibiliza uma tabela com o valor cobrado por cada corretora, mas elas são livremente acordadas com os investidores. Como nas outras aplicações, também são cobrados impostos:

  • O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é cobrado quando o prazo de aplicação for inferior á 30 dias.
  • O Imposto de Renda (IR) é sempre obrigatório e tem alíquota de 22,5% do lucro para investimentos de até 180 dias; 20% para 181 á 360 dias, 17,5% para 361 a 720 dias e 15% para investimentos de 721 dias ou mais.

O que fica claro, então, é que quanto mais tempo você deixa seu dinheiro investido, menos você tem que pagar de imposto. O Imposto de Renda no Tesouro Direto é cobrado de acordo com o tempo que você deixa seu dinheiro investido.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

Lembrete: Os títulos públicos também possuem volatilidade e o preço do título pode oscilar durante o período da sua validade. Isso acontece quando o investidor resgata o seu investimento antes do vencimento.

Calculadora do Tesouro Direto e Rentabilidade

O Tesouro Nacional pode ser comprado em frações de 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, desde que respeitado o valor mínimo de 30 reais. E, para isso, o site da fazenda disponibiliza uma tabela de preços e taxas disponíveis. Veja no link .

Na mesma página, é possível fazer uma simulação básica de investimento. Na calculadora online, você pode estimar a rentabilidade dos títulos de acordo com o valor que vai investir. É muito fácil utilizar a Calculadora do Tesouro Nacional, seguem os passos. Basta preencher os seguintes itens:

  1. Opção de título
  2. Data da Compra
  3. Data do Vencimento
  4. Valor do Investimento
  5. Taxa do papel na Compra
  6. Taxa de Administração da Corretora

E dessa forma que você pode calcular a rentabilidade do seu investimento no Tesouro Direto.

Recebimento do Dinheiro

Na aplicação do Tesouro Direto não existe mercado secundário, como no Mercado de Ações. Portanto, é possível receber o dinheiro apenas de 2 formas diferentes:

  • No Vencimento

Quando você compra um título do Tesouro Direto, você já sabe a data de vencimento, ou seja, quando vai receber de volta o dinheiro inicial mais os juros do governo. Nesse caso, é só esperar a data de vencimento e retirar o dinheiro investido.

  • Antes do Vencimento

Essa é uma questão que causa muitas dúvidas nas pessoas que ainda têm medo de investir (Veja 5 Dicas para Perder o Medo de Investir). No Tesouro Direto é possível sacar o dinheiro antes da data de vencimento. No entanto, é preciso saber que ele só receberá o preço do papel, ou seja, sem os juros proporcionais.

É imprescindível saber que, nesse caso, se o papel estiver desvalorizado no momento da venda, o investidor poderá perder dinheiro. E, como queremos o seu bem, fizemos uma lista com 2 tópicos para você não perder dinheiro no Tesouro. Confira:

1 – Mantenha seu título e não perca dinheiro

A sua assinatura da compra de títulos garante o que será pago desde que você mantenha seu título. É o que falamos acima. Mas, o que ocorre, é que, quando você entra na sua área do cliente, aparece lá o valor que pagariam pelo seu título se ele fosse vendido hoje, mas você não precisa vender, certo? Então, não tem que se preocupar também!

2 – Entenda o Tesouro Selic

Quando investimos em Tesouro Selic sabemos que aquele dinheiro vai valorizar de acordo com a Taxa Selic. Se a Selic aumenta, ele valoriza mais; se diminui, ele valoriza menos.

É preciso também ficar atento ao ágio e deságio da Selic, que nada mais é do que aquele 0,01 que aparece de vez em quando na tabela. Sendo que:

  • – 0.01 é negativo e se você comprar, vai receber a Selic menos 0,01
  • 0,01 é neutro e se você comprar, vai receber a Selic sem acréscimo e sem desconto
  • + 0,01 é positivo e se você comprar, vai receber a Selic mais 0,01

Corretoras Tesouro Direto

Muito falamos sobre a aplicação no Tesouro Direto, mas pouco sobre a importância de contratar uma boa corretora. Essas instituições são conhecidas também como agentes de custódia que tem como função, entre outras coisas, intermediar a transferência dos recursos financeiros.

Corretora de Investimentos: Como Escolher a Melhor para Você.

Existem instituições, por exemplo, que possuem sistemas integrados ao sistema do Tesouro Direto, o que facilita, ainda mais, as compras dos títulos. Mas, saibam que os seus títulos ficam guardados em uma conta de custódia, na BMF&Bovespa, e não na sua instituição financeira.

Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos

Separamos aqui uma lista da função de 4 participantes durante a aplicação no Tesouro Direto. Definimos, rapidamente, a participação de cada um. Leia:

  • Tesouro Nacional: Emite os Títulos Públicos
  • BM&FBovespa: Guarda os títulos, mantém o sistema do Tesouro Direto e envia os extratos mensais aos investidores
  • Instituição Financeira: Transfere os valores e títulos, recolhe o Imposto de Renda (IR) e abre o cadastro do investidor
  • Você: É o investidor.

Deu para notar o quão importante é a participação da corretora, não é?

Justamente por isso o site da Fazenda mantém uma lista das instituições habilitadas para fazer essa transferência de valores. Todas as instituições listadas são autorizadas pelo Banco Central do Brasil e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), além de serem monitoradas pela BM&FBovespa.

Confira a listagem nesse link.

Vantagens do Tesouro Direto

Comparado à outros investimentos de Renda Fixa, o Tesouro Direto tem algumas vantagens. Listamos algumas delas:

  • Baixa Taxa de Administração
  • Tem autonomia para o investidor Decidir
  • Acessível para todos investidores
  • De fácil controle e monitoramento
  • Possui liquidez
  • É uma aplicação conservadora

Curiosidade: O Tesouro Direto do Brasil é muito parecido com o dos Estados Unidos, conhecido por ser o mais seguro do mundo. Lá, a taxa de juros chega à 0% muitas vezes.

Por que o Tesouro Nacional pode ser interrompido?

O sistema é parecido com a Bolsa de Valores, na qual os negócios são interrompidos para proteger os investidores das oscilações muito intensas das taxas de juros. O Tesouro Direto monitora constantemente os preços dos títulos públicos e calcula os preços considerados justos 3 vezes por dia.

Quando as cotações do mercado estão se afastando muito da precificação, ele é interrompido. No entanto, e para fins estratégicos, o Tesouro não divulga os parâmetros utilizados para tais fins.

Um exemplo disso aconteceu no dia 9 de setembro, durante a crise política e a perda do grau de investimento, que por si só, levou a uma ininterrupção dos negócios. A incerta pressão da alta do dólar sobre os índices de inflação também pesaram.

o-que-e-tesouro-direto-6

Reprodução: Google

Contraposto à isso, os títulos do Tesouro Direto continuam sendo uma boa – se não a melhor – alternativa para preservar o seu patrimônio no longo prazo. Alguns indexadores, como o IPCA pagam juros e tem variação de até 35 anos.

Mas, os especialistas dão outra dica: investir nos papéis pós-fixados, como já visto, porque eles são indexados à Taxa Selic, o que os tornam neutros em relação à oscilação da taxa de juros.

Aonde Investir: Tesouro Direto ou Poupança?

Se você me acompanha, você já sabe que o Tesouro Direto é muito mais vantajoso do que a poupança, não é? Com a nova lei, em 2002, a poupança começou a perder para a taxa de inflação e, assim sendo, normalmente você descapitaliza quando deixa seu dinheiro guardado lá.

Poupança? Tô fora!

Mas, o que pouco sabem é que o Tesouro Direto é muito mais seguro do que a poupança. E o motivo disso nós já falamos, acima: é muito mais fácil uma instituição financeira quebrar do que o governo.

Quando você investe no Tesouro Nacional, você está aplicando no investimento de menor risco da economia, já que os símbolos são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional. Ou seja, diferente do FCG (Fundo Garantidor de Crédito), que só paga 250 mil reais por CPF e por banco quando existe a falência, o Tesouro garante todo o seu dinheiro.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

Sem falar ainda que o Brasil tem autonomia sobre a sua moeda e pode imprimir mais dinheiro quando achar necessário. Falamos isso sem entrar no mérito político, tudo bem? É apenas uma informação que demonstra a segurança do Tesouro Direto.

Em números: o Tesouro Direto rende o dobro da poupança no ano. E, mesmo que você pague a maior taxa de Imposto de Renda, você ainda terá uma lucratividade maior. Por isso, acostumem-se quando ouvir dizer que o Tesouro Direto é a nova poupança!

Qual o melhor título do Tesouro Direto para o Meu Perfil?

Dividimos todos os títulos em 4 tópicos que vão de acordo com o perfil de cada investidor, assim, ficará muito mais fácil de você escolher o seu investimento no Tesouro. Veja cada um, análise e saia logo da poupança!

1 – Reserva de Emergência

Para quem está pensando em ter uma reserva emergencial, o título que melhor ajusta é o Tesouro Selic, isso porque, mesmo em caso de resgate antecipado, o valor tende a ser superior ao inicialmente investido. O lado ruim é que o rendimento pode ser menor do que os outros títulos.

2 – Aposentadoria

Para aqueles que já estão pensando na aposentadoria, o IPCA de longo vencimento é o mais indicado porque mantém o poder de compra do dinheiro ao longo do tempo. E, além disso, o prazo de resgate da aplicação coincide com a idade que deseja parar de trabalhar.

3 – Dinheiro para Viagens e Férias

Para quem quer juntar grana para curtir as férias, o melhor título e o IPCA ou prefixado de médio prazo, já que ele garante o pagamento de juros semestrais, o que pode ser uma receita extra para as viagens.

4 – Dinheiro para dar entrada na casa própria ou em um carro

Se você quer comprar a casa própria ou um carro e não quer ficar a vida inteira pagando os juros do financiamento, a melhor opção é o IPCA de vencimento mais curto ou o prefixado. Isso porque eles garantem que a poupança não vai ficar abaixo da inflação ou garantir que o valor guardado será exatamente o planejado para pagar o bem.

Ah, e se você é empresário não deixe de ler esse artigo: 3 Motivos que os Empreendedores Precisam Saber Sobre o Mercado de Investimentos e o Passo-a-Passo do Tesouro Direto