Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Diálogo e planejamento financeiro são as 2 melhores alternativas para manter o bom relacionamento dentro de casa. Essa é a opinião da maior parte dos psicólogos e consultores financeiros e o tema vale tanto para casais quanto para pais e filhos. Afinal, esse descontrole nas finanças pode resultar em um endividamento e, posteriormente, o estado de falência. Nesse artigo, vamos falar sobre como manter o casamento e como planejar o futuro dos filhos. Leia até o final!

Reinaldo Domingos é presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Ele diz que muitos casais não fazem, antes de tudo, uma anotação dos gastos individuais de cada integrante, tais como alimentação, transporte, vestuário, educação e outros gastos. Para, só depois, saber o que podem cortar, se é que isso será necessário.

Também, segundo ele, é importante que ambos saibam qual a renda mensal de cada um, de forma honesta, para definirem juntos os possíveis projetos, tais como viajar, trocar de carro e criar um filho. Mesmo com salários diferentes, é importante ter em mente que a divisão dos gastos será proporcional á renda familiar líquida de ambos. Ele também avisa sobre a readequação do padrão de vida, que, na maioria dos casos, cai, quando as pessoas saem da casa dos pais.

Leia Também! Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios: 3 passos para ter um Bom Planejamento Financeiro Familiar em 2017

Os investimentos dos valores poupados devem ser feitos em conjunto, unido os valores para obter as melhores rentabilidades e buscando sempre a realização de um objetivo em comum. Afinal, o investimento precisa estar adequado, principalmente, ao tempo. A dica do consultor é listar 3 objetivos: curto prazo (1 ano), médio (entre 1 e 10 anos) e de longo prazo (a partir de 10 anos).

Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Reprodução: Google

Se ter filhos é um desses sonhos, então, o planejamento financeiro é extremamente importante para a preparação da chegada dos pequenos. Afinal, todo o cenário mudará com a chegada dos babies. Isso sem contar que o casal precisa ter uma reserva financeira para imprevistos, além de aplicações pensando na aposentadoria sustentável. “Uma vida de realizações e constante conquista de sonhos é possível, para tanto é preciso diálogo, planejamento e educação financeira”.

No caso de ter filhos, fizemos um tópico muito especial, que você acompanha abaixo!

Como Planejar o nascimento do filho

Domingos conta que entre os principais gastos estão a mobília do quarto, equipamentos, enxoval, consultas médicas, exames, fraldas, remédios e outras despesas, como creche e vestuário. “Ter um filho engloba muitos gastos, então, é preciso garantir a realização de todas as etapas de sua vida com segurança. Para isso, recomendo começar a poupar dinheiro com 2 anos de antecedência. Uma boa porcentagem é de 25% do salário mensal”.

Para quem não se planejou, o melhor caminho é começar a se adequar à um novo padrão de vida, que deve estar dentro dessa nova realidade. “É fundamental ter em mente que sacrifícios devem ser feitos, mas que todos valerão a pena com a presença de mais um membro na família”.

O especialista afirma que, quando a criança nascer, se os pais começarem a poupar 100 reais por mês e pensando em um investimento que renda, ao menos, 0,60% ao mês (com reajuste de 10% da inflação ao ano), em 18 anos, o filho poderá ter 100 mil reais, um valor que dá, por exemplo, para custear boa parte da faculdade ou mesmo uma viagem ao exterior.

Descubra como você pode fazer o seu filho se tornar um empreendedor rico e de sucesso

“Assim, ter um filho é uma dádiva que a grande maioria das pessoas almeja e que, quando precedida por um planejamento financeiro, tende a acontecer com menor preocupação e maior aproveitamento dos momentos de alegria e realização”.

Será que existe um investimento ideal para os filhos que sabem economizar dinheiro?

Daniel Serafini, da Performance Invest, afirma que para um prazo bastante longo, se pensarmos em uma criança de 8 anos, uma opção interessante são os títulos públicos atrelados á inflação (Tesouro IPCA+) de longo prazo. “As taxas estão altas. Mas, esses títulos devem se valorizar mais que os outros quando a economia melhorar e os juros caírem”.

Ele é indicado à longo prazo porque une a proteção contra a alta dos preços com a segurança de uma aplicação garantida pelo Governo Federal. Para um objetivo com prazo de 20 anos, por exemplo, caso o dinheiro seja investido na faculdade que tem valor médio de 200 mil reais, então, seria necessário uma aplicação de 236 reais por mês no título Tesouro IPCA+ 2035 (NTNB Principal).

Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Reprodução: Google

Isso à saber que essa opção de título só tem volatilidade se o investidor sacar o valor antes do prazo de vencimento. Para investir, é simples e não exige muito tempo. O Tesouro disponibiliza reinvestimento automático e compra programada, funcionalidades das quais devem ser usadas pelos investidores de longo prazo.

Ainda pensando no longo prazo, Márcio Lima, da Way Investimentos, afirma que a compra de ações de empresas que pagam bons dividendos também é uma boa opção. “As altas e baixas da Bolsa de Valores [BM&FBovespa] não influenciam este plano”, diz ele.

Já o coordenador do Insper, Michael Viriato, afirma que é preciso pensar antes de fazer os investimentos. Essa reflexão deve se basear, principalmente, em itens como: O Risco que o Investidor está disposto a enfrentar, Deixar sempre um valor separado para pagar as despesas mensais, Verificar os investimentos que são protegidos contra a Inflação, Saber que as aplicações que rendem mais levam mais tempo ou mais risco e evitar entregar a responsabilidade de gerenciar o patrimônio à terceiros, como um gerente de banco.

Quer aprender como investir na Bolsa de Valores com Risco Zero sem sair de casa? Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos!

E já que o assunto é criança: 8 Dicas para identificar hábitos consumistas infantis

Antes, vamos combinar: não está fácil para a criançada ouvir um não dos pais com o tanto de propagandas que estão em todos os lugares. É na televisão, na revista, no tablet, no outdoor, no rádio e em todos os lugares possíveis. Esse estímulo do consumo, de fato, é péssimo para todos nós, ainda mais para as crianças, porque, definitivamente, acarreta hábitos negativos que podem ser prejudiciais no futuro.

As 10 Melhores Maneiras de Ensinar Educação Financeira para os seus filhos

“É normal que os pequenos sintam desejos sobre as coisas que veem, mas é importante que se tenha em mente que a grande parte desses desejos são imediatistas, ou seja, passageiros. A situação começa a ficar complicada quando a criança acredita ter necessidade de possuir tudo aquilo que lhe é sugestivo e, quando não consegue, faz birra”, orienta Domingos.

Com essa frase, o especialista listou 8 pontos importantes para orientar os pais:

  1. Compreenda se os sonhos da criança são imediatistas ou se terão significados importantes na sua vida,
  2. Atentem-se ao fato delas ficarem “hipnotizadas” ao ver propagandas ou se não despertam interesse por isso,
  3. Fiquem espertos quanto à forma como ela lida com os presentes que ganha ou se deixa eles de lado,
  4. Preste atenção na forma como ela fala sobre itens dos seus amigos, já que isso pode criar um desejo de consumo,
  5. Note a reação da criança ao perceber que não poderá ter aquele objeto de desejo naquele momento,
  6. Se você dá mesada, verifique se ele poupa o dinheiro ou se não consegue passar o mês com o que ganha,
  7. Identifique se as pessoas próximas são consumistas,
  8. Conversa com elas e planeje formas de conseguir aquilo que ela deseja.

Investir Dinheiro ainda é “coisa de homem”?

Não mais! Pelo menos é o que mostra uma pesquisa da XP Investimentos, que mostrou que a participação feminina tem trilhado uma evolução constante nos últimos anos, e já representa cerca de 20% do total de contas ativas da corretora. O número é constatado também pelos cargos de empregos formais, que dependente de grande poder de decisão, dos quais as mulheres têm se destacado.

“Por uma questão cultura que carregamos do passado, sempre foi mais comum os homens cuidarem da parte financeira, uma vez que ele era o principal provedor de renda e a mulher ficava mais voltada ao amparo da família”, comenta Suelen Kath, da Manchester Investimentos.

Falar em dinheiro ainda é um tabu para as mulheres? 5 Lições de Educação Financeira para elas

E continua: “O que precisa ficar claro é que a mulher tem uma elevada contribuição na sociedade, e precisa cada vez mais saber se está investindo corretamente, seja de forma independente ou familiar”.

Uma curiosidade, analisada por Suelen, é que a maior parte das mulheres são conservadoras e buscam conhecer a aplicação em detalhes antes de investir, o que evita os riscos e minimiza as perdas, ao mesmo tempo em que olham no longo prazo. “Quando ela consegue encontrar alguém que confia para falar sobre investimentos, então começa a se sentir confortável com o assunto e entende que esse não é um bicho de sete cabeças”, compartilha da mesma informação, Roberta Príncipe, da Messem Investimentos.

Mesmo que a maioria seja conservadora, Príncipe comenta que algumas escolhem ser mais arrojadas. “Algumas estão dispostas ao risco, então entram em clube de ações, conversamos e montamos operações estruturadas em ativos como Dólar e Ambev, e elas conseguem obter ganhos extras além da Renda Fixa”.

Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Reprodução: Google

Aliás, “a questão não é de gênero, cada um tem objetivos diferentes, então é importante conhecer o perfil de cada um, os investimentos variam muito entre cada pessoa”, finaliza.

Para ambas as especialistas, a dica final, então, é: Conhecer o Próprio Perfil Investidor! Como mostrado nesse vídeo abaixo – “Nesse momento, ela vai conseguir perceber quanto dinheiro está deixando na mesa, a diferença é muito grande. Mas, assim ela consegue fugir da poupança ou de produtos com custos elevados e baixa rentabilidade e aprende a aplicar melhor”:

Como, Além de pagar todas as Contas, conseguir atingir a independência financeira familiar em 3 passos?

Enquanto uns querem apenas gastar o dinheiro, outros (provavelmente como você), vê nele a possibilidade de se tornar verdadeiramente livre. Então, talvez você conclua que ser rico, de fato, é ter tempo para ser você mesmo, sem culpa de abdicar por uma realidade que se apresenta diariamente. As palavras ficaram bonitas, mas não é nada demais, nada além da seguinte reflexão: “O que você faria se recebesse 500 mil reais”?

Aí que está: o padrão de vida vai pesar sobre essa resposta e, inclusive, diz muito sobre suas atitudes financeiras. Então, vale definir uma coisa: A Independência Financeira não tem a ver com o que você pode ou não comprar, mas sim com o fato de poder viver em um padrão de vida sustentável hoje e amanhã.

Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Reprodução: Google

Agora, convenhamos, mesmo que você esteja nesse tópico, já sabe a resposta! Para atingir a independência financeira é preciso de Disciplina, Organização e Controle Financeiro. E funciona mais ou menos assim:

  1. Disciplina para respeitar o próprio padrão de vida, vendo as possiblidades de consumo da família e as necessidades de investimentos com foco em objetivos bem traçados. É preciso ter disciplina também para abrir mão dos gastos que não são necessários e redirecionar a energia para os verdadeiros momentos de felicidade. Você também precisa ter disciplina para tomar as melhores decisões.
  2. Organização para manter-se em dia com seus compromissos sem se culpar pela falta de tempo ou pelo dia nublado. Você precisa se organizar para ter tempo de fazer tudo o que quer, coisas que realmente importam para você.
  3. Controle para medir e avaliar a sua evolução, além de poder comemorar os seus passos rumo ao sucesso. Controle financeiro, físico e emocional para saber desviar dos percalços e enfrentar os problemas.

7 Passos Para Atingir Sua Independência Financeira

“Liberdade é construir um patrimônio com o objetivo de ser feliz. Liberdade é estar preparado para fracassar, se levantar, fracassar de novo e continuar insistindo apesar de si mesmo, da opinião dos outros e dos obstáculos. Tudo isso porque a vida é uma sucessão de eventos aleatórios e muita coisa está fora dos nossos planos. Portanto, o negócio é procurar ser feliz durante os processos, já que isso costuma facilitar bastante as coisas”, afirma o Educador Conrado Navarro, articulista do MSN.

Ficou com medo do futuro? Então aprenda a fazer uma reserva financeira!

“Se, a partir de hoje, você não mais recebesse o seu ganho mensal, por quanto tempo você conseguiria manter o seu atual padrão de vida? Essa é uma pergunta que vai fazer qualquer pessoa perceber a importância de ter uma reserva financeira”, indaga Reinaldo Domingos. E, Conrado Navarro continua: “As pessoas reconhecem a importância da reserva quando vivem um momento de crise, mas o momento ideal da construção dessa reserva é quando tudo está bem”.

Como estamos falando do planejamento familiar, vamos entender que a Reserva Financeira não pode ser considerada um investimento porque ela não será usada para a aposentadoria, nem para trocar de carro, nem para a compra da casa própria ou viagens. Ela é apenas uma forma de se proteger. No entanto, ela pode ser feito como um investimento, já que esse é o lugar mais seguro e rentável para você acumular o seu patrimônio.

Os especialistas indicam os títulos indexados à Selic, pelo Tesouro Direto. E não recomendam, de maneira algo, a poupança, que agora esta perdendo para a inflação. Abaixo, veja como investir no Tesouro Selic e em outras opções do Tesouro Direto:

O que muda, resumidamente, é a finalidade. Você pode e deve fazê-la como em um investimento, tal qual a Renda Fixa, no entanto, o uso dela será apenas para fins emergenciais. Sacou? Aliás, todas as pessoas devem fazer essa reserva e tudo vai depender, apenas, do tamanho do investimento e do risco.

Vamos colocar os pingos nos “is”. Uma reserva ideal, segundo os especialistas, é aquela que suporta as despesas da família por, pelo menos, 6 meses. Ou seja, para fazer a conta, pegue o salário mensal da família e multiplique por 6, assim, terá o valor que deve estar reservado. Como fazer isso? Apertando o cinto, cortando gastos e vender o que dá para vender, afirma Navarro.

Bem, são inúmeras as formas de poupar dinheiro. Vamos citar apenas uma para você ver como não é tão complicado assim fazer isso, o quanto antes!

Stand-by: Aparelhos ligados e sem uso podem representar 12% da conta de luz em uma casa

O desperdício é feito de várias formas, uma delas é quando a televisão está ligada por várias horas, com apenas aquele barulhinho no fundo. Esse gasto pode se equivaler à 4 quartos iluminados por uma lâmpada fluorescente durante 5 horas.

Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Reprodução: Google

Mas, saibam que o “Modo Espera” é um dos ladrões mais silenciosos de energia. A comprovação foi feita pelo Instituto Akatu, que afirmou que um DVD, por exemplo, pode ter um gasto maior com ele em stand-by do que com ele ligado, propriamente. A dica, para esses casos, é: tirar da tomada todos os equipamentos que são poucos utilizados e que ficam em modo de espera.

Pensando nisso, a AES Eletropaulo, Eletrobras e o Instituto Akatu fizeram uma lista de como economizar com alguns itens domésticos:

Ar-Condicionado: representa 1/3 do consumo de energia residencial no verão. Ao adquirir, é preciso notar o Selo Procel, que pode dar uma economia de 200 reais por ano. O aparelho tem que ser comprado de acordo com o tamanho do ambiente e, obviamente, é preciso desligar o aparelho quando ele não estiver em uso.

Chuveiro Elétrico: Reduzir o tempo de banho é a dica mais valiosa, sendo que 15 minutos diários é suficiente para uma família de 4 pessoas. Usar ele na opção “verão/frio” pode representar economia de 30% no final do mês. Resistência queimada deve ir para o lixo, imediatamente e os furos da saída de água devem ser limpos periodicamente.

Computador: Desligar sempre que puder faz muito bem, obrigado, principalmente se for ficar mais de 2 horas sem uso. O monitor, inclusive, pode ser desligado quando o computador ficar mais de 15 minutos sem uso.

Orçamento Financeiro Familiar: Como não deixar faltar dinheiro em casa e Prosperar em 3 passos

Reprodução: Google

Geladeira: Usar a parte de trás para secar tênis e roupas não é indicado. O degelo precisa ser feito periodicamente e a porta só deve ser aberta quando for ser usada. As borrachas de vedação, por fim, são as principais vilãs.

Ferro Elétrico: Acumule as roupas e passe de uma só vez, essa é a dica principal dos especialistas. E roupas leves, como lingeries, devem ser passadas com o ferro desligado.

Lâmpadas: Use e abuse da luz natural e apague as luzes sempre que o local estiver desocupado. Escolha lâmpadas mais econômicas, como as de LED, que gastam cerca de 80% menos energia.

Lavadora de Roupas: Lave o máximo de roupa possível e limpe o filtro da máquina periodicamente.

Veja outras notícias sobre ECONOMIZAR DINHEIRO:

Com informações do IG, MSN e Infomoney