Onde o investidor moderado pode investir? Veja um exemplo de carteira

ANÚNCIO

Você também quer saber onde o investidor moderado pode investir? Então, saiba que a gente vai responder essa dúvida nessa matéria. Inclusive, trouxemos aqui um exemplo de carteira para esse perfil de investidor. Mas, antes disso, precisamos falar de uma coisa.

Saiba que o investidor moderador, geralmente, é aquele que ainda não tem preparo para ser um investidor arrojado. Porém, ele também não está satisfeito com os ganhos da renda fixa, que é para o mais conservador. Logo, ele fica no meio-termo, esse é o moderado.

ANÚNCIO

Isso quer dizer o quê? Logo, quer dizer que ele quer ter segurança em uma boa parte da sua carteira. Ou seja, sem riscos. Mas, também acaba estando sujeito a correr um pouco mais de risco, mas não muito. Por isso, dá para pensar em multimercados, internacionais, etc.

Afinal, onde o investidor moderado pode investir

A primeira coisa é saber que o investidor moderado pode investir onde ele quiser, ok? Isso porque as corretoras fazem o perfil do investidor para ajudar ele a tomar decisões, com a indicação de ativos. Porém, se esse investidor quiser comprar ações, ele pode, também.

Mas, de fato, ações são mais recomendadas para quem tem mais possibilidades de riscos. Agora, será que um investidor moderado pode comprar ações também? A verdade é que sim, pode sim. O que vai mudar é a proporção com que isso acontece.

ANÚNCIO

Por exemplo, na prática, o investidor conservador é aquele que tem quase a totalidade da sua aplicação em renda fixa. O arrojado tem quase nada (muito pouco) na renda fixa. E o moderado, obviamente, vai ter uma boa parte nessa renda fixa.

Ao mesmo tempo, o conservador tem quase nada na renda variável e em outros mercados. Já o mais arrojado tem muita parte nisso. E o moderado, adivinhe, só, tem metade do patrimônio nessa renda. Ou, pelo menos, parte disso.

O exemplo de carteira para moderados

Se você é essa pessoa que não quer mais ficar apenas dependendo de prazos longos para ter um bom rendimento na renda fixa. Mas, ao mesmo tempo, não quer aplicar a maior parte do que tem em ativos mais arriscados, então, você é moderado.

E, nesse caso, a gente tem um exemplo de carteira para você. Lembre-se que isso não é uma recomendação e sim uma ideia, um estudo, um exemplo, combinado? Veja o que a gente separou para esse perfil e as possíveis divisões dos investimentos.

Afinal, a ideia do artigo é responder sobre onde o investidor moderado pode investir, não é mesmo? Então, já fique sabendo que vamos falar um pouco sobre renda fixa, multimercado, internacionais, FIIs e ações.

A renda fixa (50%)

Para todos os tópicos que temos aqui, saiba que dá para pensar em fundos. Por exemplo, tem fundos de renda fixa (como os que a XP recomendou), tem fundos de ações, fundos multimercados, fundos de imóveis, etc.

O fato é que a gente acha conveniente deixar ao menos metade do patrimônio nessa renda porque se você é iniciante ainda vai precisar aprender mais sobre os outros mercados. Então, use essa parte para deixar a reserva de emergência, por exemplo.

Além dos fundos de renda fixa, pense também em CDBs com liquidez diária, em LCI ou LCA e nos títulos do Tesouro Direto. Se você tiver além da reserva, dá para pensar em prazos melhores, como os Tesouros IPCAs, que pagam melhor, só que para o longo prazo.

O multimercado (10%)

Agora que temos a garantia de que metade do nosso patrimônio está seguro, vamos falar daquele primeiro passo para começar a sair da renda fixa. Geralmente, temos os fundos multimercados, que aplicam em renda fixa e outros mercados.

Então, por exemplo, dá para pensar em um fundo multimercado que tenha rendimentos maiores e melhores do que apenas a renda fixa. No entanto, saiba que eles podem oscilar conforme o mercado. A dica é procurar por fundos com baixa taxa de administração.

Os internacionais (10%)

Do lado dos investimentos internacionais, considere que aqui a ideia é se proteger. Ou melhor, proteger a sua carteira porque logo em seguida vamos falar do mercado da renda variável, que é mais arriscado.

Assim, tanto os ativos internacionais, que podem ser no Tesouro de outros países, como empresas de tecnologia dos Estados Unidos ou até mesmo em índices, acabam sendo uma forma de manter a carteira protegida. Dá para pensar em fundos ou ETFs, nesse caso.

Os FIIs (15%)

Antes de irmos para as ações, considere que temos os Fundos de Investimentos Imobiliários. Eles costumam ser uma boa indicação para quem nunca investiu em ações antes. Isso porque também é negociado na bolsa de valores e também oscila diariamente.

No entanto, há duas vantagens nesses fundos: eles são fundos com gestores por trás, podem ser de vários segmentos e ainda, na maioria das vezes, fazem o pagamento dos dividendos. Assim, mensalmente, o investidor recebe um lucro na conta.

Se você ficou curioso, vale a pena estudar um pouco mais dos FIIs. Aqui no blog temos vários conteúdos falando deles.

As ações (15%)

Por último, para fechar esse texto sobre onde o investidor moderado pode investir, considere que as ações também podem ser bem vistas por eles. Mas, a gente está considerando esse um investimento para o longo prazo e não o day trade, ok?

Logo, você pode pensar em comprar algumas ações que devem se valorizar e pensar no resgate apenas daqui há 10 ou 20 anos, por exemplo. O ideal é estudar muito uma empresa antes de compra-la. Outra opção é estudar os fundos de ações, também.

A carteira ficou diversificada?

Para concluir a ideia, considere pensar se essa carteira ficou diversificada para você. Em caso contrário, dá para alterar as porcentagens também. A nossa ideia foi manter a maior parte na renda fixa, com metade do patrimônio.

Onde o investidor moderado pode investir

Depois, temos 20% para preservar os investimentos, com multimercados e internacionais. E, então, o restante, que dá 30% é o famoso “para ganhar dinheiro”, com investimentos na renda variável, totalmente focados.

ANÚNCIO