Onde investir com a Selic em 2% ao ano – Ações, FIIs e minicontratos

ANÚNCIO

A Selic caiu para 2% em agosto de 2020 e o governo (através do Banco Central) tem uma estimativa para que ela fique em 2,50% para o próximo ano. Para os investidores, a dúvida que fica é sobre onde investir com a Selic em 2% ao ano. E nós vamos estudar um pouco disso.

Assim, como está no título desse conteúdo, nós vamos trazer aqui um pouco mais de 3 investimentos, que são da renda variável, e podem permitir algum ganho mais considerável do que os da renda fixa. E a gente também vai explicar porque a renda fixa está ruim.

ANÚNCIO

Assim, temos alguns pontos importantes aqui. E, mais do que tudo, o importante é você saber que não se trata de uma indicação de investimento, mas sim de um estudo sobre algumas alternativas de investimento. Continue lendo para entender tudo isso de forma simples.

A renda fixa

Como a gente sabe, a renda fixa não é mais tão boa como era antes porque a taxa básica de juros da economia, a Selic, tem caído cada vez mais. Então, quase toda aplicação em renda fixa é baseada nessa taxa. E quando ela cai, os rendimentos da renda fixa caem também.

Vamos supor que um CDB renda 100% do CDI ao ano. Isso seria ótimo se a Selic estivesse acima dos 10% como era antes. Mas, com a Selic em 2%, saiba que um CDB 100% do CDI não é algo tão atrativo assim.

ANÚNCIO

O motivo? Selic e CDI andam juntos. E 100% do CDI vai dar parecido com 2% ao ano. E sim, 2% ao ano é pouco para um investimento. Tanto é que hoje em dia há ativos da renda fixa, que são para mais do longo prazo, pagando 160% do CDI. Mesmo assim, nem sempre vale a pena.

Bom, sabendo que a renda fixa não é tão boa como antes, o que nos resta é estudar a renda variável. Mas, atenção: se você tem um perfil muito conservador, com certeza, ela não vale para você. Isso porque a renda variável permite a oscilação de preços, diferente da renda fixa.

Por que a renda variável

Somente falar que a renda fixa está ruim não deixa o artigo completo. Entoa, se você quer saber onde investir com a Selic em 2% ao ano, continue lendo porque agora vamos falar das vantagens da renda variável e dos ativos que existem nela.

A primeira coisa é saber da possibilidade de ganhos acima da renda fixa. Claro que há riscos. Logicamente, os riscos são muito maiores. No entanto, dá para investir em ações e em bolsa de valores de forma menos arriscada. Como? Um dos jeitos é diversificando a carteira.

Mas, esse artigo não é para falar sobre como fazer isso. De qualquer modo, você tem que saber dessas duas informações: é preciso ter um perfil, pelo menos, moderado para investir na renda variável. Além disso, é preciso saber o que se está fazendo.

Com isso em mente, saiba que, quase sempre, vai dar para ter ganhos acima da renda fixa. Até mesmo porque há várias alternativas para se investir nesse tipo de aplicação e não somente em ações, como muita gente pensa. Vamos citar 3 opções agora mesmo.

Os ativos da renda variável

Vimos que a renda fixa não está pagando muito e que, mesmo com riscos, dá para investir na renda variável de forma consciente e evitando as maiores perdas. Agora, é hora de falarmos daquelas 3 alternativas para fazer isso, começando pelas ações.

1 – Ações

Se a sua pergunta é sobre onde investir com a Selic em 2% ao ano, a primeira resposta pode ser as ações das empresas. Esse é o tipo de investimento mais conhecido da bolsa de valores. Basicamente, você compra uma ação de uma companhia e se torna dono dela.

Há várias empresas listadas na B3, a Bolsa de Valores do Brasil. Assim, há vários preços e vários estudos que podem ser feitos para saber as melhores compras para você. Uma boa dica é pensar na valorização do ativo ao longo do tempo.

Será que existem as melhores ações para day trade? Conheça 5 candidatas

Uma segunda dica é pensar que tem corretoras que não cobram taxa de corretagem. Inclusive, a Rico Corretora anunciou isso recentemente. Além dela tem outras.

2 – Minicontratos

Além das ações, nós temos os minicontratos também. Eles também configuram a ideia de “arriscar mais para conseguir mais rentabilidade”. De forma geral, eles são negociados em forma de índices e moedas para uma data futura.

Assim, acontece a compra e venda de contratos, que só serão efetivados no futuro. É uma forma de as empresas se protegerem da volatilidade do mercado.

Aqui dentro também dá para falar sobre as opções, que são como contratos em lotes de ações por preços fixados e períodos determinados. A ideia é ganhar o prêmio. Assim, você não se torna dono da empresa. Porém, fica protegido se precisar pagar um valor maior no futuro pelo preço da ação da empresa.

3 – FIIs

Agora, para quem nunca investiu em ações ou no mercado da renda variável, com certeza, os FIIs (Fundos de Investimentos Imobiliários) são ótimas formas de começar. Inclusive, é o mais indicado para quem está começando.

Ele permite que o investidor se torne dono do imóvel ou de vários imóveis sem precisar comprar um imóvel, propriamente dito. É fácil: são fundos que investem em imóveis, podendo ser comerciais, casas, hospitais, shoppings ou até mesmo ativos de papéis, como CRI e LCI.

Quem não conhece o Kinea Renda Imobiliária (KNRI11)? Saiba tudo desse FII

Uma das vantagens é que dá para comprar com menos de R$ 100. Além disso, o investidor pode ganhar com a valorização da cota e receber dividendos, que são pagamentos mensais que os fundos fazem com base na distribuição do lucro do fundo.

Onde investir?

Onde investir com a Selic em 2% ao ano

Essas foram informações preliminares sobre esses ativos. Assim, a gente teve o foco de mostrar que há alternativas para quem não está sendo agradado pelo rendimento da renda fixa. Se você se interessou por uma delas, estude até considerar que está preparado para investir na renda variável.

Onde investir com a Selic em 2% ao ano? Estude o seu perfil e lembre-se que os FIIs são interessantes para quem ainda não tem experiência nesse mercado variável.

ANÚNCIO