Saiba o que é um investidor qualificado e como se tornar um

ANÚNCIO

Ao tentar comprar um investimento pelo aplicativo da corretora de valores, você já se deparou com a mensagem que diz: “somente para investidores qualificados”? Ou mesmo que isso não tenha acontecido, você sabe o que é um investidor qualificado? A gente explica.

A ideia é muito simples e o termo é muito usado também entre os órgãos que regulam o mercado. Nesse conteúdo vamos falar sobre essa profissão, essa função e quem são as pessoas que se enquadram em tal termo.

ANÚNCIO

Curiosamente, antes de qualquer coisa, saiba que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é uma das instituições que atestam a participação de tais investidores. Mas, eles são pessoas físicas, jurídicas, quem são? Descubra.

O que é um investidor qualificado

De modo geral, é um perfil de investidor. Então, não é como ser um conservador, moderado ou agressivo. Também não é como ser um investidor pessoa física e nem mesmo jurídica. Porém, de fato, é alguém que possui investimentos em valores altos.

Sendo assim, para se tornar um investidor qualificado é preciso ter valores altos de recursos investidos em quaisquer tipos de aplicações. Mas, além disso, também é preciso ter um conhecimento técnico alto. E tudo isso dá acesso à ativos mais complexos e avançados.

ANÚNCIO

Para a CVM, o investidor qualificado teve ter mais de R$ 1 milhão aplicado e tem que dizer isso por escrito. Mas, por que a CVM faz isso? Para separar o grupo de pessoas dos outros investidores, que são mais comuns e com menos de R$ 1 milhão.

Só que não é só isso. Também entra na lista de “qualificado” aquele investidor que tem certificado de qualificação técnica, os agentes autônomos ou gestores de carteiras com certificações da CVM e também quem faz a gestão dos clubes de investimentos.

E o investidor profissional?

Agora você sabe o que é um investidor qualificado. No entanto, antes de continuar, a gente tem que considerar que temos outro grupo de profissional, que é o investidor profissional mesmo. Nesse caso, as exigências são ainda maiores.

Logo, para ser um investidor profissional é preciso ter aplicações que ultrapassem os R$ 10 milhões. E esse patrimônio todo tem que estar na categoria de “investimentos financeiros” e não em imóveis ou carros, por exemplo.

E, assim como para os qualificados, as regras também têm a ver com certificações. Logo, também entram na lista de investidores profissionais as instituições financeiras autorizadas pelo Bacen, seguradoras, sociedades de capitais, entidades de previdência, analistas, etc.

Assim sendo, esse tipo de investidor é considerado o que fica no topo mais alto e possuem acesos a quaisquer investimentos que estão disponíveis no mercado financeiro.

Por que ser um investidor qualificado?

Só que além de saber o que é um investidor qualificado, você pode querer saber também quais as vantagens disso. Afinal, será que vale a pena, será que é uma boa, será que…? Uma coisa é saber que esse título mostra, por si só, que esse investidor tem mais conhecimento na área.

Outra coisa é avaliar que ele pode acessar a mais tipos de aplicações e com melhores condições também – podendo ser de rentabilidade, de liquidez e de classificação de crédito.

Por outro lado, junto com a vantagem vem também os cuidados. Afinal, ele também pode correr mais risco ao acessar produtos mais agressivos.

Assim, os emissores acabam não se importando tanto com a explicação dos riscos porque já se acredita que esses profissionais tenham tal conhecimento. O mesmo vale para as taxas que são cobradas.

Quem pode ser um investidor qualificado?

Se você ficou interessado no assunto, continue lendo. A gente vai mostrar quais são as chances e como você pode fazer para se tornar um investidor qualificado – mesmo que ainda não tenha R$ 1 milhão aplicado em investimentos.

Sendo assim, um dos jeitos é somar esse patrimônio e assinar o termo de investidor qualificado – isso vai dizer que você tem conhecimento do mercado. Logo, tudo que acontecer a partir daí é por sua conta e risco.

o que é um investidor qualificado

Mas, quem não tem esse valor ainda, deve considerar os cursos para provar o conhecimento técnico em números, economia, investimentos. De modo geral, nesse caso há provas e exames, que podem garantir a qualificação do investidor.

Atualmente, existem 3 provas que você pode fazer para se tornar um investidor qualificado no Brasil. São elas:

  1. Agente autônomo de investimentos (Associação das Corretoras e Distribuidoras de Títulos de Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias)
  2. Analista de valores mobiliários CNPI (Programa de Certificação Nacional)
  3. Módulos I e II do programa de CGA (Certificação de Gestores da Anbima)

Lembrando que você não tem que ser aprovado em todas para se tornar esse tipo de investidor no mercado nacional. Se for aprovado em uma delas, já receberá o título.

Inclusive, saiba que nessas provas os temas mais exigidos são de legislação de finanças, de investimentos, de classificação de fundos, de formas de proteção de capital (hedge), de derivativos, de noções de economia e de regulamentações.

Bônus – investidor institucional

Para terminar o conteúdo, também podemos trazer aqui outra curiosidade de nomenclaturas e de profissionais do mercado financeiro. O investidor institucional é aquele que investe em nome de outras pessoas e de outras organizações.

Enquanto isso, o investidor individual investe para si mesmo. Essa classificação é dada pela B3, a bolsa de valores do Brasil.

ANÚNCIO