O que é o mercado secundário de ações? Saiba essa resposta de forma descomplicada

ANÚNCIO

O assunto parece simples de se explicar. Porém, é preciso atenção para entender. E você até pode achar que nunca vai precisar usar isso na sua vida. No entanto, quando se entende o que é o mercado secundário de ações fica mais fácil entender a bolsa de valores, também.

Desse modo, se a gente pudesse resumir a pergunta e uma única resposta, ela seria mais ou menos assim: “o mercado secundário é destinado a compra e venda de papéis de um investidor para os investidores”. Oras, é o mercado “comum” da bolsa, é?

ANÚNCIO

Calma, que a gente vai explicar isso mesmo. Porque esse até pode ser considerado o “mercado comum”. Só que a gente precisa olhar um pouco mais para trás e se perguntar: e quando é a empresa que vende os papéis? Então, nesse caso, temos o mercado primário.

Sendo assim, você já tem a sua resposta para “o que é o mercado secundário de ações”. No entanto, se quiser aprender mais sobre isso, como sobre o funcionamento dele e as principais dúvidas, continue lendo.

O mercado secundário na prática

A gente viu o que é o mercado secundário de ações. Lembrando: é quando os investidores negociam entre si os papéis. Nessa situação, a empresa emissora do ativo não participa da negociação.

ANÚNCIO

Porém, vale lembrar que essa mesma empresa pode lançar novos papéis também. Nesse caso, elas serão comercializadas entre terceiros.

O fato é que sendo os primeiros papéis da empresa ou não, quando o investidor compra o papel da empresa diretamente, ele está no mercado primário. Se comprar de outros investidores, temos o mercado secundário. Simples assim.

O funcionamento do mercado

Visto isso, o que a gente pode tirar de conclusão é que esse mercado secundário não traz novos rendimentos para a empresa que emitiu os papéis. Afinal, ela não participa da negociação entre os investidores no mercado secundário. Vamos à um exemplo.

A empresa X abre o capital na B3. A ideia é usar os recursos para alavancar os negócios. João é o investidor interessado nessas ações. Assim, ele compra as ações diretamente da empresa. Logo, ele passa a fazer parte do quadro de sócios dela.

No entanto, mesmo que esteja recebendo dividendos, João quer vender os seus papéis da empresa X para investir em outras companhias. Logo, ele pode vender a ação da empresa X para outro investidor. Geralmente, ele visa vender por um preço maior do que comprou.

Assim, o investidor comprador vai transferir o dinheiro para o investidor vendedor e não para a empresa. É o João que vai receber o dinheiro dos papéis vendidos.

Em resumo, a operação entre João e o novo comprador é no mercado secundário. Já entre o João e a empresa X foi no mercado primário.

Investindo no mercado secundário

Atualmente, na bolsa de valores dá para negociar vários ativos no mercado secundário, entre investidores. Isso vale para os papéis das empresas, para os fundos imobiliários, para os fundos de índices, os minicontratos, etc.

A movimentação do mercado secundário impacta o mercado primário também. Já para os investidores, há a vantagem de ter um mercado com maior liquidez, aumentando a segurança. Ainda mais se comparado com o mercado primário, que é quando há o IPO.

E como é que faz para investir no mercado secundário na bolsa de valores? Para isso, o passo a passo é muito simples. É preciso ter uma conta aberta em uma alguma corretora ou banco de investimentos. Depois, traçar o perfil de risco e estudar os papéis a serem comprados.

Atualmente, todas as corretoras possuem home broker, que são como aplicativos de celulares que permitem a compra ou venda de ações rapidamente.

Qual mercado tem o melhor rendimento?

Muito novo investidor, que ainda não entende muito sobre o que é o mercado secundário de ações, acaba achando que o mercado primário é mais rentável. No entanto, essa não é uma verdade porque ambos mercados são variáveis.

Assim, não existe uma resposta certa para isso. Geralmente, o que se deve fazer é buscar uma análise de objetivos para o curto, médio e longo prazo. Assim, dá para ter uma ideia melhor de qual mercado pode ser o melhor para você.

Será que os preços das ações estão mesmo corretos ou são expectativas?

No entanto, também é preciso saber que quando uma empresa abre o seu capital na bolsa, o investidor tem que estudar muito sobre ela e seus valores. Pode ser que ela apresente bons rendimentos aos acionistas ou não.

Até mesmo porque a visibilidade de um investidor quando se trata de um IPO (entrada da empresa na bolsa) é muito menor. Ou seja, é difícil estudar ela. Afinal, ela não tem um histórico de preço de ações ou de performance. Logo, acaba sendo algo arriscado.

Saiba também sobre o CDB no mercado secundário

O que é o mercado secundário de ações

Acima, nós falamos muito sobre o mercado secundário na B3, que é a nossa bolsa de valores. No entanto, também é legal que você saiba que esse mercado também existe na renda fixa. Inclusive, a ideia é a mesma.

O que vai mudar é que quase sempre deverá existir um assessor de investimentos ou um banco para intermediar a transação de compra e venda do ativo.

A diferença é na renda fixa há prazos. Então, se um investidor desistir de levar o seu ativo até o fim, ele poderá negociar com o próprio assessor a venda antecipada. Isso acaba sendo bom porque garante liquidez. No entanto, o investidor pode deixar de ganhar bons rendimentos.

ANÚNCIO