Entenda o que é o IFIX – índice de Fundos Imobiliários

ANÚNCIO

Aqui no blog, por diversas vezes, a gente mencionou as vantagens de se investir em fundos de investimentos imobiliários (FIIs). Também falamos sobre alguns deles de forma detalhada. No entanto, nunca criamos um artigo para explicar o que é o IFIX.

Afinal, o Índice de Fundos Imobiliários serve para que? Basicamente, nós temos uma carteira teórica que tem um objetivo parecido com o da Ibovespa, que é o Índice da Bolsa de Valores do Brasil. Logo, o IFIX pode ser uma ideia para quem quer investir em fundos imobiliários.

ANÚNCIO

O problema é que mesmo que possa ser uma boa alternativa para muita gente, poucos investidores conhecem a importância ou a funcionalidade do índice. Por isso, criamos essa matéria com o intuito de apresentar e explicar melhor sobre o IFIX. Vamos nessa?

Ah, antes de tudo, já podemos adiantar uma informação importante: o IFIX representa o desempenho médio dos principais fundos de investimentos imobiliários da bolsa brasileira. Assim, temos um ativo mais conservador dentro dos ativos da renda variável.

O que é o IFIX

A gente já deu uma boa explicada sobre o que é o IFIX nesse começo de texto. No entanto, a gente optou por detalhar um pouco mais sobre ele. Assim, nos próximos tópicos vamos ver informações sobre a composição do IFIX, o cálculo, o funcionamento e as vantagens.

ANÚNCIO

A composição do IFIX

O IFIX é um índice de retorno total. Logo, isso quer dizer que acompanha as variações dos preços dos ativos que compõe o índice todo. Mas, qual é essa composição? Curiosamente, sabia que o IFIX não é composto apenas por FIIs.

Sim, é isso mesmo: além dos FIIs, o índice também leva em conta a Letra de Crédito Imobiliária (LCI), o Certificado de Recebíveis Imobiliário (CRI) e até mesmo algumas ações de empresas do setor de imóveis. Mas, há regras para fazer parte do índice, veja:

  • Estar presente em 60% dos pregões nas últimas 3 carteiras do índice,
  • Não ter sido resgatado em sua integralidade nas últimas 3 carteiras,
  • Estar entre os ativos elegíveis mais negociados do último ano,
  • Não ter a classificação de penny stock (valor médio inferior a R$ 1).

Cumprindo esses requisitos, possivelmente, nós podemos ter um ativo presente no IFIX? Não é bem assim que funciona. Abaixo, vamos falar mais sobre isso.

O cálculo do IFIX

Outro ponto importante para entender o que é o IFIX é sore o cálculo que é feito. De modo geral, considere que as regras acima são consideradas bem leves se comparada com as regras de outros índices da bolsa de valores.

No entanto, há um cálculo para dizer quais os ativos que vão compor a carteira teórica do IFIX. De forma resumida, temos uma soma de 99% dos ativos de maior índice de negociabilidade. Logo, apenas 1% é excluído da lista feita em forma decrescente.

Resumidamente, a gente tem um índice que referencia o desempenho dos melhores ativos do setor. É como o S&P 500 do mercado americano ou até mesmo o Ibovespa da nossa B3. Por isso, muita gente usa o IFIX para estabelecer metas ou tomar decisões. Entenda mais isso.

O impacto do IFIX

Um pouco legal de saber sobre o índice é que não existe outro que é tão fiel ao mercado imobiliário como o IFIX. Por isso, é comum usar ele como forma de medir um resultado ou fazer uma análise de performance.

Logo, a maioria dos investidores usa o IFIX para análise de outros ativos da mesma classe.

Segundo ponto importante aqui é saber que não dá para investir no IFIX de forma direta. Mas, ainda assim, se você quiser fazer isso, saiba que vai precisar pensar em uma ETF (Exchange Traded Funds). Logo, elas replicam a composição do índice de forma (quase) integral.

As vantagens do IFIX

O último tópico que trouxemos que ajuda a entender o que é o IFIX é sobre as vantagens dele. A primeira delas é a atualização. Como assim? O IFIX atua como principal índice do setor imobiliário. E acaba sendo recomendado porque é revisado a cada 4 meses.

Outro ponto positivo é que ele serve como um referencial de todo mercado. Assim, também acaba por permitir que se invista em “imóveis” através de uma ETF, sem que tenha que comprar uma CRI ou um FII de forma individual.

Na contramão, também devemos falar sobre uma desvantagem. Nesse caso, é sobre o fato de que por ter critérios mais leves para a sua composição, o índice não exclui ativos que são bastante inferiores ao demais. Logo, a lista de melhores ativos acaba sendo “ofuscada”.

o que é o IFIX

Bônus – saiba algumas curiosidades sobre os fundos imobiliários

Agora sim para fechar a matéria, considere que nós temos uma indicação de leitura. Há alguns dias, a gente criou um material contando curiosidades sobre os FIIs que pouca gente sabe. Aliás, não são bem curiosidades e sim uma espécie de jogo entre “mito ou verdade”.

Por exemplo, você saberia dizer se é mito que os FIIs não exigem a declaração do imposto de renda? E sobre o fato de que todos FIIs têm gestão ativa? Será que ao vender uma cota de FII tem que pagar o DARF? Sobre os pagamentos dos dividendos, todos são mensais?

Se você tem dúvidas sobre uma ou mais questões como essa, então, leia essa matéria agora mesmo: Veja 7 informações dos fundos imobiliários que pouca gente sabe. Nela a gente explica mais dos FIIs em um jogo de mito ou verdade. Divirta-se!

ANÚNCIO