O que é mais importante: a falsa garantia do emprego ou o risco de pedir um aumento salarial?

ANÚNCIO

É mais importante manter o Trabalho com Carteira Assinada ou correr o risco e pedir um aumento salarial? A questão é bem complexa e não pode ser respondida em apenas alguns segundos. Por isso, nesse artigo, vamos listar algumas dicas que devem ser aproveitadas no trabalho, assim como o pedido de um aumento salarial. Então, se você está preocupado com a crise, mas mesmo assim sabe que seu dinheiro pode render mais, leia!

7 comportamentos que podem destruir suas relações de trabalho

Reinaldo Passadori é especialista em educação corporativa e diz que existem alguns hábitos que devem ser evitados para, justamente, evitar os desgastes da convivência com os colegas de trabalho. Aliás, as boas relações são fundamentais para prosperar profissionalmente. Com informações do especialista, listamos os 7 comportamentos que podem destruir suas relações de trabalho.

ANÚNCIO

1 – Fofoca: É um hábito nocivo, mas que mancha a sua imagem corporativa. “Isso deixa o ambiente muito ruim e faz com que pequenas questões se tornem grandes problemas. Uma dica é evitar a prática e sempre se colocar no lugar do outro”.

Observação importante! Não é apenas no trabalho que fofocar é “feio”. Aqui no blog, nós já falamos sobre os hábitos comuns aos milionários e um deles é justamente esse: Os milionários não ficam fazendo fofoca sobre outras pessoas, ao contrário, eles passam conhecimento e trocam experiências. Aliás, veja os hábitos comuns entre os ricos:

Quer Ficar Rico? Descobrimos o que os Milionários fazem em comum para ganhar dinheiro

2 – Exposição Excessiva: “É preciso cuidar da exposição nas Redes Sociais”. É, isso está mais claro do que nunca, não é? Várias pesquisas já mostraram que, inclusive na hora de contratar o funcionário, as empresas “vasculham” os perfis públicos dos candidatos. Se o seu Facebook é um livro aberto, tome cuidado, pode ser que lá existem motivos que podem te fazer ser mal visto ou, por que não, demitido.

ANÚNCIO

3 – Mau Humor: Ah, está certo que todo mundo tem dias ruins, aqueles dias que levantamos com o pé esquerdo, batemos a cabeça na porta e deixamos os óculos cair no chão. Porém, o mau humor não pode se tornar um hábito no trabalho, já que isso tem um efeito terrível sobre as relações profissionais.

“Uma pessoa que está sempre de cara feia contagia negativamente o ambiente. É importante conversar, pedir ajuda, mas é preciso ter consciência de que o mau humor não irá ajudar a solucionar o problema”.

4 – Agressividade: “Comunicação não é o que falamos, mas como isso é percebido pelos outros. Muitas vezes, a pessoa fala algo pertinente, mas, pela forma como fala, soa negativo, agressivo”. Então, além de prestar a atenção nas palavras que são usadas, também é sumamente importante atentar-se à maneira como se fala, e que seja com clareza, mas em toma educado.

O que é mais importante: a falsa garantia do emprego ou o risco de pedir um aumento salarial?
Reprodução: PixaBay

5 –Ouvir Críticas: “Algumas pessoas se ofendem com muita facilidade e isso pode indicar falta de maturidade. É preciso saber que você será cobrada no ambiente de trabalho”. Além de ser importante saber dizer é importante saber ouvir, na mesma proporção, se possível.

6 – Comprometimento: Atrasos e faltas são péssimos hábitos! É claro que imprevistos vão acontecer, afinal, um dia ou outro o pneu do carro vai furar e acidentes gerais na rodovia vão acontecer, mas se você tiver um bom planejamento e ser organizado, esses imprevistos serão minimizados. Se tornar diárias, os atrasos vão se tornar problemas pessoais. “Esses fatores levam à perda de confiança da equipe”.

Ter iniciativa para desenvolver as atividades é outra coisa importante e que mostra comprometimento. “Dar a entender que não está comprometido ou disposto a colaborar com a equipe é muito ruim”.

As principais diferenças entre os Ricos e os Pobres e os 10 hábitos fundamentais para prosperar na vida

7 – Celular: Agora o bichou pegou: quem não larga o celular por nada, levanta a mão? É claro que, dada as proporções, existem trabalhos que permitem o uso do celular e, em outros, ele é mesmo necessário. No entanto, é preciso saber dividir o que é trabalho com o que é pessoal para que isso não se torne um problemão. “É importante assumir uma postura profissional, que não cause prejuízo lá na frente”.

Então, agora, se você tem bons comportamentos e segue todos esses “padrões” citados acima, com certeza, já está querendo uma reavaliação e, possivelmente, um reajuste no salário, não é? Saiba como fazer isso no tópico abaixo.

Direitos do Trabalhador e Empreendedorismo… Tudo em uma notícia só!

Vamos mesclar várias notícias, que são de assuntos interessantíssimos à maior parte dos nossos leitores! Por exemplo, você, que está abrindo o próprio negócio, sabe o que fazer para aumentar a renda mensal através do Facebook? E você, empreendedor, sabe como não cair nas artimanhas de pessoas má intencionadas? Continue Lendo…

7 Motivos para Pedir Aumento de Salário sem Medo

Os motivos foram listados pela Escola de Direito de Harvard e podem ajudar você a criar coragem para ter uma negociação bem-sucedida. Mesmo em crise, é possível controlar o nervosismo e lidar com o risco de receber um “não”.

1 – O Salário: Entenda que os números são importantes, no entanto, é importante compreender o todo e não se prender apenas às valores. O seu valor está acima do salário e vai de encontro com benefícios, carga horária e possibilidades de crescimento.

O que é mais importante: a falsa garantia do emprego ou o risco de pedir um aumento salarial?
Reprodução: PixaBay

2 – Felicidade: Por isso, é importante saber que um acréscimo de salário é satisfatório por um momento e não tem validade duradoura. O que isso quer dizer? Que se não houver funções estimulantes, a animação com o aumento passará rapidamente. A dica da Escola é trabalhar com metas e pontuação, além de levar em conta critérios como plano de saúde, localização do trabalho e plano de carreira.

3 – Longo-Prazo: É preciso ter um plano bem traçado para pedir o aumento salarial, então, se responda: “O que você quer do seu futuro”? Negocie não apenas pelo presente, mas por artimanhas que vão te ajudar a crescer profissionalmente.

4 – Valor: Querer aumento, todo mundo quer, no entanto, poucos sabem o verdadeiro valor que quer receber a mais. Assegure-se de que aquele acréscimo é plausível. Ele está baseado em algum dissídio? Faz parte de alguma taxa? Está dentro do seu cargo, da sua função e da sua profissão? Conversa com outras pessoas da área e busque informação na concorrência. E, por fim, mas antes de chegar junto com o seu chefe, leve uma proposta sólida.

5 – Estratégia: Não basta querer, é preciso saber o que está em jogo na empresa, então, apresente a proposta considerando fatores como o tamanho da empresa, o negocio, mercado e as possibilidades financeiras.

6 – Autossabotagem: Quando for discutir o reajuste, não fique inseguro, mesmo porque se você planejou fazer isso, sabe muito bem os propósitos de estar ali.

7 – Poder: Descubra qual o seu poder, aliás, por que você acha que o seu pedido poderá ser aceito? Faça valer suas competências e seu esforço. Mostre o tamanho da sua fluência e o poder do seu comportamento, indique fatores, liste experiências e demonstre conhecimento sobre a empresa.

5 Passos para separar as finanças pessoais do controle financeiro da sua empresa

Que o número de microempreendedores é crescente, quase todo mundo já sabe. No entanto, sendo o Brasil um país deficitário da Educação Financeira, qual a saída para manter as contas da empresa em dia e separá-las das finanças pessoais? É sobre isso que vamos falar hoje! Se você é empreendedor ou tem duas ou mais contas para administrar, continue lendo porque esse texto é para você. Leia Mais!

Com informações do FinançasFemininas

ANÚNCIO