O que acontece quando a bolsa de valores cai? Veja 5 atitudes inteligentes

ANÚNCIO

Nesse ano, muita gente perdeu dinheiro na bolsa. Ao mesmo tempo, tantos outros investidores tiveram coragem para comprar mais ações. Então, como explicar isso? Abaixo, você vai ver o que acontece quando a bolsa de valores cai.

Para isso, nós buscamos 5 situações reais que podem ter acontecido com as pessoas. Assim, vai ficar mais fácil entender como a bolsa funciona e como você pode ganhar dinheiro com ela sem ter que sair por aí comprando um monte de papéis.

ANÚNCIO

Lembrando ainda que esse texto não é uma indicação de compra ou venda. Mas, sim, uma forma de mostrar que para todo investimento é preciso de objetivo e planejamento. Assim, com certeza, fica mais fácil conseguir “surfar nas ondas” da bolsa de valores.

As 5 atitudes inteligentes para tomar

A gente colheu diversos relatos de analistas e especialistas para mostrar como as pessoas poderiam sair dessas situações durante a crise da bolsa de valores. Assim, temos informações para quem estava dentro da bolsa ou para quem ainda não entrou nela.

1 – Investiu no curto prazo

Se você já está na bolsa e investiu para um prazo de até 1 ano, considere que isso significa um risco não recomendado pelos analistas. O motivo é bem simples: a necessidade de resgatar o investimento pode trazer prejuízos.

ANÚNCIO

Assim, supondo um caso de baixa do mercado, que é o que acontece quando a bolsa de valores cai, o investidor terá problemas porque não terá tempo de deixar o ativo valorizar novamente.

Agora, é o seguinte: se o mercado está caindo muito e a pessoa sabe que vai precisar dos recursos em pouco tempo, talvez possa ser interessante fazer o resgate para minimizar a perda. Mas, essa não é uma indicação e sim uma possibilidade, ok?

Inclusive, analistas dizem que é bom avaliar o rendimento da carteira. Se foi positivo ao longo do tempo, mesmo com a baixa da bolsa nos últimos meses, então, dá para pensar no resgate. Por exemplo, 10% na bolsa é algo baixo, mas melhor do que a perda, concorda?

2 – Investiu no médio prazo

A próxima opção é para quem investiu no médio prazo. Nesse caso, o que os analistas dizem é sobre “buscar momentos de saída da bolsa”. Assim, o que temos é uma ideia de limite de perda: 5%, por exemplo.

Na internet, encontramos o exemplo da Petrobras, que teve uma grande negativa do mercado. Para quem estava com esse papel há bastante tempo, com certeza, teve uma ótima valorização até então. Logo, mesmo com a última queda, a venda poderia ser boa ideia.

Porém, se ele optar por ficar com o ativo lá, então, vale a pena esperar uma nova retomada.

Uma curiosidade é que enquanto o curto prazo vale para um período de até 1 ano, no caso do médio prazo estamos falando de algo em torno de 5 anos, ok? Ah, e o longo prazo é acima dos 5 anos, obviamente.

3 – Investiu no longo prazo

Aqui, a gente tem 2 alternativas para quem investiu no longo prazo: a pessoa pode estar longe de sacar os recursos ou perto disso. Vamos analisar as duas hipóteses.

I – Para quem está longe de sacar

Nesse caso, o mais recomendado é deixar o dinheiro lá mesmo. Afinal, se você comprou a ação é porque acredita nela. Então, mesmo com a queda repentina ou grande, você terá tempo para ver a valorização do papel.

Assim, o que acontece quando a bolsa de valores cai nesse caso? Se a pessoa decidir vender, então, ela estaria fazendo uma espécie de “registro da perda”. Mais do que isso, a dica é aproveitar o momento para comprar mais ações para ver a valorização depois, né.

II – Para quem está perto de sacar

Nesse caso, talvez a venda seja boa ideia. Afinal, a pessoa deve ter tido alguma valorização ao longo do tempo. Claro que a perda dessa queda acentuada é representativa. Mas, avaliando o quadro geral, a gente um bom retorno. Além do mais, a perda pode ser maior até que a pessoa faça o saque do dinheiro.

4 – Investir em outros índices

A partir daqui nós vamos pensar em quem ainda não investiu em ações. A primeira ideia é pensar em investir em outros índices além do Ibovespa. Isso porque dá para ter um fundo, por exemplo, que tenha o Ibovespa e outro que tenha a parte mais segura do fundo.

Veja as 10 ações da carteira de Lírio Parisotto, um bilionário da bolsa de valores

Assim, mesmo com a queda do Ibovespa, o fundo mantém alguns ganhos. Aqui, dá para considerar a ideia de índices de setores mais perenes, como o de energia.

5 – Investir em ações

E para fechar o tema, se você quer saber mesmo o que acontece quando a bolsa de valores cai, considere que surgem ótimas oportunidades. Assim, esse pode ser o momento ideal para comprar papéis pensando na valorização deles.

Um bom exemplo é considerar a seguinte história, que realmente aconteceu aqui no Brasil. Uma pessoa que investiu em janeiro e sacou em abril, com certeza, perdeu dinheiro. Mas, quem manteve as ações ou comprou novas conseguiu recuperar boa parte até o fim do ano.

Resultado: a bolsa é boa, especialmente, no longo prazo

O que acontece quando a bolsa de valores cai? Veja 5 atitudes inteligentes

Com isso, a gente pode concluir, também conforme a opinião dos analistas, que a bolsa é muito boa para o longo prazo. Logo, se o investidor seguir essa ideia, pensando no prazo superior aos 5 anos, ele tem chances melhores de “surfar nas ondas”.

E essa ideia evita que ele tenha que sacar o dinheiro pensando no curto prazo, que pode ser em um momento de queda da bolsa.

ANÚNCIO