O passo a passo mais simples de todos para montar o planejamento financeiro

ANÚNCIO

Há muitas regras, dicas e comentários sobre o planejamento financeiro. No fim das contas, o que todo mundo quer dizer é que ter esse planejamento é importante para a sua vida pessoal.

Pensando nisso e a fim de facilitar o entendimento de todo mundo, fizemos um passo a passo muito simples. São passos que você deve considerar para ter um orçamento financeiro pessoal bem feito.

ANÚNCIO

Por exemplo, você sabia que existem passos fundamentais para o planejamento financeiro? Aliás, saiba que eles vão fazer com que a sua vida financeira mude para sempre e para melhor?

Vamos direto ao assunto!

Quanto você ganha!

O primeiro dos passos é saber quanto você ganha.

ANÚNCIO

Se estamos falando do orçamento da família, então, some todos os salários.

Existem muitas pessoas que não se lembram qual é o salário que cai na conta bancária.

Por que? Porque o salário mal cai na conta bancária e a pessoa já sai pagando a fatura do cartão de crédito, pagando os boletos, sai distribuindo dinheiro pra todo mundo.

Assim, ele não tem nem noção do quanta ganha!

Agora, no caso daqueles que são autônomos, considere que eles correm o risco muito grande de nem ter ideia da média da sua renda mensal.

Se você não sabe quanto ganha como é que você vai poder fazer um planejamento e estabelecer os limites? Não faz sentido. Justamente por isso esse é o primeiro passo!

Portanto, conheça bem o seu salário!

Aliás, aqui tem uma dica muito boa: não esqueça de conferir o seu holerite para saber se nenhum desconto está errado e se está aparecendo na sua conta sabe exatamente qual é o seu salário líquido.

Já se você é um autônomo, descubra o valor da sua renda média mensal.

Este é o primeiro passo para montar o seu planejamento.

Quanto você gasta!

Outra coisa que você precisa saber é onde está indo o seu dinheiro.

Para cá, para lá ou só pagando contas? Tem pequenas despesas ou grandes despesas?

Você pode, para isso, usar o aplicativo gratuito do seu celular ou mesmo uma caderneta para anotar tudo o que você gasta!

Você não vai precisar fazer isso todos os meses, você pode fazer alguns meses até que você vai conhecer bem o seu padrão de vida.

Agora, é interessantíssimo anotar tudo. Quem faz isso costuma ter um planejamento financeiro muito mais adequado e controlado.

A média dos seus gastos você tem que saber, de uma forma ou de outra.

E você sabendo quanto você ganha, agora você vai saber quanto você gasta.

Assim, você está preparado para construir o seu futuro com segurança e fazer um orçamento equilibrado. Para depois, estabelecer os limites para que você não fique endividado.

Aonde você gasta!

Agora, o próximo ponto é você refletir sobre a qualidade dos seus gastos.

É isto mesmo: você sabe quanto você está gastando com vestuário ou com recreação ou com comidas ou quando vai comer fora de casa ou com esses canais de assinatura ou com na internet?

Agora, a partir do momento que você sabe exatamente o peso que isso está representando na sua renda você vai analisar se isso vale a pena!

Afinal, será que vale a pena gastar com tantas coisas que aparecem por aí?

Portanto, faça uma reflexão!

Quando a gente anota tudo o que a gente gasta, o que acontece é que gente surpreende – sim, isso quase sempre acontece!

E você vai se arrepiar ao ver que está gastando muito dinheiro em áreas que não precisava, portanto, fazer a reflexão é uma etapa importantíssima do seu planejamento financeiro.

Reflita e você pode chegar à conclusão que muita coisa pode ser cortada ou diminuída.

A partir disso, você gastará onde realmente importante na sua vida.

Como usar o dinheiro!

Por fim, você precisa ver um último ponto importante para o seu planejamento financeiro!

Saiba usar o crédito, saiba usar o seu dinheiro, saiba investir o seu patrimônio.

Isso tudo é para fechar o seu ciclo de planejamento. Se não, os passos anteriores não farão sentido.

Imagine que você aprendeu a ver quanto ganha, quanto gasta e onde gasta. Agora, você tem um bom controle. Mas, o que faz com o dinheiro? É preciso aprender a investir e usar o seu dinheiro.

Quando se fala em crédito, as pessoas pensam no cartão de crédito. Mas, o crédito que estamos falando é aquele dinheiro que você guardou, que você economizou, que você poupou.

Você sabia que este juros que você paga lá fora eles podem vir para você?

Se você souber usar com habilidade as suas possibilidades, em vez de você tomar dinheiro emprestado, você vai emprestar – isso é investimento.

E você vai fazer assim com que a sua renda cresça com a mágica dos juros compostos.

Então, é simples entender isso: as pessoas que precisam de dinheiro fazem empréstimos. Aí, elas pagam juros e parece que nunca ganham o suficiente. Agora, outra coisa é você emprestar dinheiro ao banco, isso é investir e você ganha juros.

Há uma enorme diferença entre pagar juros e receber juros. Na verdade, essa é a diferença entre quem está caminhando para a pobreza e quem está indo para a riqueza.

ANÚNCIO