Metas para 2018 – 10 dicas para manter o controle financeiro pessoal

ANÚNCIO

Se o assunto é metas para 2018, você já deve ter pensado logo em fórmulas mágicas para emagrecer ou maneiras de ganhar muito dinheiro rapidamente. Mas, aqui não! Nós não vamos falar de fórmulas e sim de realidade: é hora de manter o controle financeiro pessoal.

E, portanto, se o assunto é controle financeiro, saiba que está tudo bem. Qualquer pessoa consegue fazer isso, mesmo que ganhe pouco dinheiro ou que esteja com algumas dívidas atrasadas. A ideia é ter organização e isso é tudo.

ANÚNCIO

Toda e qualquer dívida pode ser quitada, desde que você tenha paciência.

Assim como todo tipo de investimento financeiro pode ser conhecido, isso se você se dedicar a estuda-lo, claramente!

Entenda, antes de qualquer coisa, que entre suas metas para 2018, você deve incluir o assunto do dinheiro na sua vida. Porque ele é, verdadeiramente, importante! E para falar disso, vamos partir de um preceito bastante simples: controle financeiro pessoal.

ANÚNCIO

Com esse controle qualquer pessoa do mundo pode garantir uma série de benefícios para a sua vida. Tudo vai depender da intensidade com que se aplica a vontade de organizar as finanças. Existem pessoas que conseguem ficar ricas fazendo isso, sabia?

Se você deseja alcançar a sua independência financeira e garantir uma vida de fartura, liberdade e poucas preocupações com relação ao dinheiro, você precisa dominar suas finanças pessoais.

Se você não tem esta pretensão e confia na aposentadoria que lhe será fornecida pela previdência social, adivinhe! Você também precisará dominar as finanças pessoais.

Não vou entrar em muitos detalhes sobre o tema “previdência social”. Só que a aposentadoria que você receberá no futuro, pelo INSS, não será o suficiente para cobrir os seus gastos na “melhor idade”.

Então, você deverá dedicar algum tempo e certa dose de trabalho às suas finanças hoje, para que possa viver uma vida mais digna e com mais liberdade no futuro.

Muitas pessoas evitam este tema por conta de sua aparente dificuldade. Outras, simplesmente o negligenciam por não gostar do assunto ou por achar que ele não é tão importante assim.

No dia a dia, muitas pessoas dizem que não cuidam de suas finanças porque não gostam de matemática. O que estas pessoas não sabem é que o processo de organização de finanças pessoais envolve muito mais comportamento do que conhecimento.

Por acaso, você já se sentiu meio perdido ou sem saber o que fazer com o seu salário, assim que você o recebe? Não entende muito o quanto precisa guardar para o futuro, e como investir esta parcela?

Para você que respondeu “sim” às perguntas acima, eu trago boas notícias: existem algumas regras de finanças pessoais que são muito fáceis de aprender e que podem ser aplicadas imediatamente.

Bom, a ideia é a seguinte: se você tem organização financeira, você pode fazer o que quiser com a sua vida: pode quitar as dívidas e, com paciência, chegar a independência financeira (ou seja, ficar rico). Nada mal, não é mesmo?

Então, vamos lá, mãos às obras!

10 dicas para manter o controle financeiro pessoal

Fizemos uma lista simples, mas que tem (obrigatoriamente) que estar anexada na sua lista de metas financeiras para 2018, está bem? São conceitos básicos e que tem a ver com estágios da vida de uma pessoa.

A ideia é a de que você leia cada um dos tópicos e selecione aqueles que têm a ver com a sua vida atual, com a sua realidade financeira.

Começaremos pelo “quitar as dívidas” que é um dos estágios mais negativos onde uma pessoa pode estar… E vamos até “investir dinheiro”.

É fácil e as dicas abaixo podem ser imaginadas como degraus de uma escada que vai te levar ao sucesso financeiro – isso tudo a partir daquele conceito de controle financeiro pessoal, está bem?

1 – Quitar as dívidas

Esse é um mal que assombra a vida de muitas pessoas, obviamente. E tem a ver especificamente com a falta do controle financeiro pessoal – quem não o leva a sério, pode se dar muito mal.

E com você, pode ser que não seja diferente, já que (segundo pesquisas) hoje há mais de 59 milhões de pessoas endividadas no Brasil. É um número que assusta, diga-se de passagem!

Mas, agora não vamos julgar suas compras exageradas ou muito prolongadas. A ideia é mostrar que é muito importante quitar as dívidas rapidamente.

Se você tem uma dúvida (independente de qual seja), faça tudo que puder para quitá-las. Você pode usar o seu 13º salário, o bônus da empresa, o aumento salarial, a renda extra e todo dinheiro que tiver e que pode ser usado para esse fim.

Para ficar fácil de entender: dívida é tudo aquilo que você deve a alguém e que, normalmente, gera juros altos (ou médios).

Por exemplo, um empréstimo, uma compra parcelada, um financiamento, o cheque especial, o rotativo do cartão de crédito… Tudo isso é dívida.

Não queremos prolongar o tópico, mas você tem que saber que a dívida tem que ser quitada porque ela gera juros, logo, você paga algo a mais para ter o dinheiro ou o produto. Financeiramente, isso não é viável e não é aconselhável por ninguém.

Quitar as dívidas é fundamental para dar continuidade na vida financeira, de forma positiva, de forma crescente, de forma próspera.

7 dicas extraordinárias para quitar dívidas rapidamente e sair do SERASA/SPC

Se você tem dívida, então, pare a leitura por aqui e inclua esse item entre as suas metas para 2018: para este ano, seu ideal tem que ser quitar esses débitos!

2 – Não fazer novas dívidas

Esse é um ponto importante, de verdade verdadeira.

Começar o 1º dia do ano e terminar, até o último dia, sem ficar com nenhuma dívida financeira não é tarefa para qualquer um não. É missão para um super-herói, praticamente.

Afinal, os juros brasileiros são altos e as formas de comprar parcelado grandes – logo, as dívidas aparecem num piscar de olhos. Aliás, quem é que consegue recusar um café quentinho na padaria ou uma ida no supermercado sem gastar mais do que deve?

Portanto, não fazer uma nova dívida é uma meta para 2018 e tem que estar na lista de desejos deste ano. Beleza?

Aqui, a dica é evitar comprar parcelado ou fazer grandes compras, especialmente carros e casas. Entenda que isso não é errado, mas é muito importante que se tenha um grande valor para dar de entrada, sacou?

Outra observação é quanto ao consumismo – porque as empresas têm apostado muito no marketing para “forçar” os consumidores a comprar sem que precisem e isso é péssimo para quem quer colocar o controle financeiro pessoal em ordem!

3 – Ter controle financeiro pessoal

O controle financeiro é o cerne deste artigo.

Faz um tempo que estamos falando nisso, mas o que é o controle financeiro? É uma coisa muito simples e que todo mundo se desfaz achando que não é importante, mas é: é saber exatamente quanto se ganha e quanto se gasta em um mês.

Ah, nem adianta você querer pular esse tópico – você tem que ler ele!

Se você não anota os seus gastos, então, não vá dizer que você sabe quanto gasta. Ninguém, no mundo atual, tem essa capacidade: de lembrar os mínimos detalhes das contas gastas em um único mês.

Depois que sem isso fica totalmente impossível manter um controle financeiro pessoal em ordem. Anotar os gastos é o princípio para controlar as finanças. Portanto, ponha na sua meta para 2018 criar uma forma de fazer esse controle!

Aqui no blog da Trovó Academy, um blog especializado no assunto do dinheiro, gostamos de indicar a técnica dos envelopes. Ela não é nada tecnológica, mas muito fácil de usar. Por isso, optamos por essa indicação… E funciona assim:

Você deve separar os seus gastos em envelopes, sendo alguns como alimentação, carro, férias, investimentos, gastos domésticos e outros. E a partir disso, você consegue ter uma ideia melhor de qual envelope pode ser economizado mais facilmente.

Essa é uma técnica muito bacana e realmente fácil de usar – você nem precisa fazer login. Ela já foi divulgada em vários sites da imprensa, inclusive, na UOL. Portanto, se você acha que vale a pena e quer tentar, saiba que não custa nada. Veja no vídeo abaixo!

4 – Cortar os gastos supérfluos

Faz quanto tempo que você não revisa suas contas de telefone, televisão, internet, luz, água? É revisar é o mesmo que ligar lá e reclamar do valor, dizer que vai cancelar e conseguir valores melhores.

Claro que no caso da água e luz você não vai ter sucesso, mas nos outros, sim.

No caso dos gastos e impostos pagos ao governo, o jeito é reduzir mesmo. Existem várias formas de economizar luz e água hoje em dia. E a maioria deles não exigem muito investimento inicial e nem muito conhecimento.

Tirar os eletrônicos da tomada enquanto não usa é uma delas. Simples, não? Nesse tópico fica muito visível que manter o controle financeiro pessoal não é difícil – lembrando que você precisa ser organizado.

Ah, e voltando ao assunto dos gastos supérfluos, não vale a pena apenas para gastos domésticos, mas para todos.

Temos outro exemplo bastante didático para entender: ó, um cafezinho tomado na padaria pode te custar uns 10 reais, não é? Vamos somar 4 da xícara de café e 6 do pão com mortadela, está bem?

Ah, o que são 10 reais, não é? Mas aí você tem que somar isso vezes 20 dias, por exemplo. Que são os dias úteis de um mês. Então, a soma daria 200 reais. Ainda te parece pouco? No ano, dá 2,4 mil reais. Aí sim, você assustou, não é?

Então, já sabe qual é uma das metas para 2018? Corte esses gastos.

Então, isso tem a ver com o gasto supérfluo – você gasta 2,4 mil reais ao ano com cafezinho na padaria, sendo que poderia reduzir isso se tomasse em casa, entendeu? E, aliás, você não precisa fazer isso todos os dias…

Cortar isso um dia ou outro já é suficiente para mudar de vida. E sabe como chama isso? Controle financeiro pessoal! Fácil, né? Mel na chupeta, como dizem por aí.

5 – Entender como o dinheiro influencia na vida pessoal

Tá. Vamos falar algo importante agora: o dinheiro! Como você acha que ele influencia na vida de uma pessoa? Acha que é imprescindível ou tem a velha opinião de que “dinheiro não traz felicidade”?

Bom, não vamos levar em conta a sua opinião, o seu perfil, a sua história, sua educação. Mas, você tem que aceitar que dinheiro é muito importante nos dias de hoje porque ninguém vive sem dinheiro, sem alimentos, sem itens de saúde, higiene, etc.

Para você manter em equilíbrio o seu controle financeiro pessoal, entenda a importância do dinheiro. Saiba que você precisa dele, mas que ele não deve tomar conta da sua vida e sim o contrário. Dê valor ao seu dinheiro!

Novamente, estamos falando em organização financeira e não em deixar de viver, está bem?

Por exemplo, você não tem que deixar de comprar coisas gostosas para comer (como pizzas). Mas, tem que ver que isso não é saudável (nem para o bolso e nem para a saúde) se o fizer todos os dias, entendeu? O ideal é ter equilíbrio!

Além de tudo, tem outras pessoas que pensam que dinheiro é um pecado capital. É só ouvir a expressão “dinheiro”, que dá a impressão de que algo ruim está para acontecer ou que ele é um feitiço. Mas, isso não é verdade.

O dinheiro é um instrumento usado para organizar as pessoas em sociedade. Logo, quem tem mais dinheiro tem mais poder de decisão porque pode comprar mais coisas ou simplesmente escolher melhor o que deseja – seja para morar, andar, se locomover, se vestir, etc.

O problema é que no Brasil grande parte do dinheiro é sujo – especialmente no caso dos políticos e ladrões. Mas, não vamos entrar nesse mérito. Mas, atente-se: estamos falando de dinheiro limpo, justo, trabalhado, etc. beleza?

Bom, resumindo o tópico: dinheiro é importante. E há muitas formas de ganhar dinheiro de forma justa partindo do pressuposto de que a organização financeira tem a ver com o controle financeiro pessoal feito da forma certa.

Se você mantém a velha e errada ideia de que o dinheiro é um pecado, então, bora estudar mais sobre esse mercado? Anota aí essa meta para 2018, larga de preguiça!

6 – Aprender a poupar dinheiro

Se você conhecer um pouco mais sobre o dinheiro e a importância das finanças na vida de uma pessoa, resta agora começar a praticar o 1º passo para ter prosperidade na vida: poupar dinheiro. Quem poupa dinheiro hoje, tem dinheiro amanhã.

Poupar dinheiro é um hábito, que se cria com o tempo. Por exemplo, todos os dias quando você acorda, o que faz? Escova os dentes, não é mesmo? Isso é um hábito. Que foi criado tão fortemente que você nem pensa mais para fazer.

O mesmo deve acontece com a vida financeira. Se você cria o hábito de poupar, então, isso se torna automático.

Já sobre a importância disso, não vamos falar muito porque você já deve reconhecer. Ou, se não conseguiu ainda, leia novamente o tópico 5.

7 – Conseguir economizar 10% da renda mensal

Essa porcentagem é uma meta para 2018 mínimo e especial para quem ainda não criou o hábito de economizar dinheiro.

Aqui, a ideia é mostrar que não importa quanto você ganha, desde que você tenha controle financeiro pessoal para poder prosperar. Se você ganha 1.000 reais por mês e poupa 100, isso quer dizer que está na faixa dos 10%.

Mas, se ganha 3.000 reais e poupa apenas 50 reais, então, isso é bem menos do que os 10% que estamos falando, está bem?

É possível mudar de vida mesmo ganhando pouco, aliás, já até falamos sobre isso em um artigo recente, relembre.

https://youtu.be/tXfddhCV5mA

Aqui também não há segredos: anota aí mais uma meta para 2018: poupar 10% do salário PELO MENOS durante os próximos 12 meses. E se poupar mais do que isso, melhor ainda.

8 – Criar uma reserva financeira

O próximo degrau para quem começou a poupar é juntar uma reserva de emergência – meta para 2018 número 9, anota aí. Isso quer dizer que você não vai juntar dinheiro por juntar, mas sim com um objetivo central e fiel para sua vida financeira.

Uma reserva emergencial é aquela que vai dar tranquilidade nos momentos difíceis da vida, como quando o carro quebra e o valor fica alto, quando aparece uma doença muito grave ou quando há a perca do emprego, por exemplo.

Se você não tem esse dinheiro guardado para esse fim, acaba tendo que fazer empréstimo, ou seja, fazendo dívidas e isso você não deve fazer, lembra-se dos primeiros tópicos deste artigo, não é?

Reserva financeira, reserva de emergência, colchão financeiro… Tudo isso tem a ver com ter um dinheiro guardado em algum investimento financeiro para te salvar de futuras dívidas. Isso é controle financeiro pessoal, pessoal.

No final deste artigo teremos um bônus: Reserva de Emergência – Qual o melhor investimento para 2018… NÃO DEIXE DE LER!

9 – Conhecer os investimentos financeiros

Imagina que você sabe tudo sobre o dinheiro, nem tem mais dívidas e está criando uma reserva de emergência (tudo isso está na sua lista de metas para 2018, não é?), mas aí resta uma dúvida: em qual aplicação financeira deixar o dinheiro?

Se você pensou em poupança, a boa e velha caderneta da poupança, saiba que você está sofrendo com um mal que chama “falta de educação financeira”. Sim, caros amigos, a poupança está longe de ser uma boa opção para o seu suado dinheiro.

Conhecer mais sobre os investimentos financeiros, inclusive a poupança, faz parte do controle financeiro pessoal das pessoas que investem bem.

Bom, vamos falar rapidamente sobre ela para não estender muito o texto: ela é fácil de usar, pode ser aberta sem custo em qualquer banco e não tem cobrança para aplicação e nem para resgate. Também não incide sobre o imposto de renda. Isso tudo é ótimo.

Por outro lado, ela não rende bons números. Isso quer dizer que se você depositar, ao todo, 1.000 reais durante o ano, nos próximos 12 meses vai ter pouco mais do que isso. Agora, se optar por um investimento financeiro mais rentável, terá bem mais do que isso.

Entende que esse rendimento é super importante para fazer o seu patrimônio acumular?

Uma das suas metas para 2018, portanto, tem que ser conhecer mais sobre essas opções de aplicações financeiras e acredite: há um número imenso. Se você prefere investimentos conservadores, tem a renda fixa. Se é mais arrojado, vá para a renda variável.

E há nomes dos mais variados também: Certificado de Depósito Bancário, Letras de Crédito, Letras de Câmbio, Ações, Fundos de Investimentos, Letra Interbancária Garantida, Dólar, Ouro, entre outros.

Nesse tópico, nossa dica é começar lendo um e-book gratuito sobre a renda fixa, que nós disponibilizamos aqui no site, da Trovó Academy. Nele, a leitura é dinâmica e você aprende rapidinho sobre essas opções, confira.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

10 – Aplicar dinheiro para vários prazos

Ah, não vá achando que é porque é o último tópico que é o menos importante. Ao contrário, pode ser considerado o mais importante de todos. Aplicar dinheiro tem que ser uma das suas metas para 2018 sem falhas!

Aplicar dinheiro é investir dinheiro. É saber escolher os investimentos financeiros certos para o seu tipo de desejo.

Bom, você viu que acima falamos sobre a reserva de emergência, não é? Ela é uma opção que tem que estar disponível 24 horas por dia porque nunca sabemos quando vamos precisar, afinal, imprevistos não marcam data para acontecer.

Então, a melhor opção, nesse caso, seria alguma aplicação que tivesse a liquidez diária, ainda que o rendimento fosse menor.

Por outro lado, se você fosse aplicar dinheiro pensando na sua aposentadoria, então, aí não precisaria pensar na liquidez e sim na rentabilidade do longo prazo.

Entende que são efeitos diferentes que são vistos a partir dos vários investimentos que existem no mercado?

Por que estabelecer metas para 2018 é importante?

Os objetivos são a base para uma vida próspera porque são eles que vão te manter motivado durante todo caminho que liga os sonhos até a realidade. Se você quer uma viagem a Cancún, então, esse é o objetivo e com controle financeiro pessoal, o sonho pode se realizar.

Bem, para deixar tudo mais fácil, vamos imaginar uma meta para 2018 que seja a compra de um imóvel, por exemplo. Nesse caso, o ideal seria pensar que a realização do sonho traria segurança e conforto para a família.

Mas, como conseguir isso? Com o controle financeiro porque a partir dele você vai saber quanto é preciso economizar, poupar, investir, na onde, de que forma… Entre outras informações importantes.

E isso porque estamos falando apenas do dinheiro. Fora ele, você precisa se atentar a localização, forma de pagamento, tipo do imóvel, entre outros.

Independente do seu sonho, o mais importante é notar que é preciso começar. E 2018 pode ser o seu ano – comece! Durante o período, se sofrer com a inconstância do mercado, adapte-se. E siga o plano.

No fim dessa corrida, vence quem melhor se adapta e se ajusta ao mercado financeiro. Lembre-se que nem sempre quem tem maior renda mensal é o mais rico. Tudo vai depender de como você lida com ele.

E sobre anotar todas as metas para 2018, faça isso da melhor forma possível – use um caderninho, um bloco de notas ou qualquer aplicativo que te faça lembrar dos seus objetivos. Eles são importantes para te manter motivado.

Bônus – Reserva de Emergência: Qual o melhor investimento para 2018

O que você sabe sobre a reserva de emergência? Para que serve? Onde investir sua reserva? Afinal, o que é essa tal de reserva de emergência? Óbvio que é para emergências… Entenda muito mais além essa explicação simples.

reserva de emergência é para emergência, portanto, nada de tirar o dinheiro que você destinou para esse fim – mesmo que seja algo que você esteja querendo muito…

Nada de boicotar a reservinha, combinados?

E quais são esses tipos de emergência?

Por exemplo, o seu carro quebrou, o cano da sua casa estourou e você precisa dar manutenções, algum familiar ficou doente ou até mesmo se você perdeu o emprego.

  • Nesses casso, o que você vai fazer?
  • Onde é que você vai tirar o dinheiro para estas urgências?

A finalidade dessa reserva de emergência é que se você passa por estes momentos difíceis, você tem tranquilamente, ou seja, você não precisa recorrer a empréstimos.

Porque empréstimos te faz entrar em dívidas! E dívidas são causadas pela alta taxa de juros que são cobrados mensalmente (ou diariamente).

“Quanto que eu devo voltar a investir por mim para formar a minha reserva”?

O interessante é que a sua reserva de emergência seja de 6 a 12 vezes ou seu custo mensal, ou seja, o valor necessário para você manter o padrão de vida que você tem hoje, mas durante esse tempo!

Como calcular o meu custo mensal? O que eu faço da minha vida? Calma.

Nem tudo está perdido!

Para tudo nessa vida existe uma solução.

Ou você anota em um caderninho, usa uma planilha de Excel ou um aplicativo financeiro. Pode escolher… A nossa dica é usar a técnica dos envelopes!

Como investir dinheiro pensando na Reserva de Emergência

O importante é entender que emergência não tem hora para acontecer, então a sua reserva precisa estar em um investimento com liquidez diária, para que você consiga ir lá à hora e resgatar o valor que será usado.

E quais são os tipos de investimento para esse caso?

Poupança! Sabemos que tem opçõe que rendem mais sim do que a poupança, não é mesmo?

O Fundo de renda fixa… Temos eu tomar o cuidado com estes fundos.

Temos o lindo e querido Tesouro Selic!

E o CDB liquidez diário.

Um CDB 100% do CDI de liquidez diária é interessante? Sim é muito interessante!

O Tesouro Selic é interessante? É sim. É muito interessante.

Então, qual que eu pego?

O Tesouro Selic!

O Tesouro Selic para a Reserva de Emergência – e por que não os fundos de investimentos?

Ele é um investimento financeiro seguro porque é coberto pelo Tesouro Nacional.

Mas o Tesouro Selic rende um pouquinho menos do que o CDB 100% do CDI porque a gente tem que pagar aquela taxinha para o BM&FBovespa (0,3% ao ano).

Então, em média o Tesouro Selic rende em torno de 98 % do CDI.

Já os fundos de investimento, os fundos de Renda Fixa no caso, têm fundos de aplicação inicial de apenas 50 reais…

São valores baixos, mas você tem que tomar cuidado porque a parte de administração ela é alta e isso vai incidir sobre a sua rentabilidade!

Então, vai impactar muito.

Além de seu querido come-cotas…

O que é esse negócio de come-cotas?

Quando você participa de um fundo, você está se tornando correntista, você está adquirindo cotas destes fundos. E o que é o come-cotas?

É um recolhimento semestral do imposto de renda que incide sobre esses fundos, estão no último dia útil de maio e de novembro terá o recolhimento deste imposto de 15% sobre o seu rendimento.

Agora quando o gerente do seu banco for te oferecer um fundo de investimento você vai analisar com muita cautela.

Um fundo com uma aplicação inicial de 50 reais que cobra uma taxa de administração de 2% ao ano de um grande banco… – que nós não vamos dizer qual é, mas vamos levar em consideração para fazer algumas análises.

A rentabilidade acumulada anual, em 2014, rendeu 8,67%.

O benchmark dele é de 10,80.

E o que é esse Benchmark? É o CDI é o que ele pretende atingir.

Quantos por centos do CDI que este fundo rendeu 81,18%.

Não está entendendo nada? Vou te explicar!

Se você tem a possibilidade de aplicar um CDB que te pague a 100% do CDI por que você vai aplicar em um fundo que te pague 81,18% de CDI?

Em 2015, você acha que melhorou? Pouco. Sabe quanto rendeu? 83,20% do CDI.

Em 2016, 82,46% do CDI.

Em 2017 – até o momento – rendeu 82,07% do CDI.

Também temos a rentabilidade acumulada nos últimos 12 meses – rendeu 87,77%!

Quando foi que rendeu o CDI?

13,26%!

Então, quantos por cento do CDI rendeu esse fundo?

81,97%.

Qual é o objetivo de mostrar esses cálculos?

Primeiro é mostrar que existem e estão disponíveis para que você possa olhar e pesquisar muitos títulos para investimentos.

A dica é você não entrar em um fundo às cegas porque foi gerente que aconselhou ou porque o fulano tal disse que é bom.

Olhe as rentabilidades acumuladas ao longo dos anos, veja no que esse fundo está aplicando, veja qual é a taxa de administração cobrada, isso tudo você pode encontrar facilmente essas informações… Não seja enganado!

O CDB 100% de liquidez diária rende um pouquinho a mais que o Tesouro Selic!

Porém o Tesouro Selic é mais seguro.

Já o CDB é liquidez diária, então em caso de emergência o que eu faço?

Eu deixo uma parte no Tesouro Selic e outra parte no CDB 100% de CDI de liquidez diária!

É isso que eu faço.

Mas, é obvio que só você sabe o melhor para você, onde você sente mais confortável, onde você acha melhor para aplicar.

Dicas para Criar uma Reserva Financeira

Considerando que os gastos do fim e do início do ano costumam apertar o orçamento financeiro dos brasileiros, nós separamos uma lista com 7 dicas para conseguir economizar dinheiro e manter a reserva financeira. Considere!

Descubra onde é possível economizar dinheiro

Tenha um diagnóstico financeiro para manter seus investimentos na renda fixa.

Durante o processo de anotação, note como você está gastando seu dinheiro e você vai saber quais as despesas pode reduzir ou eliminar para criar a reserva financeira para o final do ano.

Saiba tudo o que gasta separando os tipos de despesas, inclua nisso os cafezinhos também.

A realidade sempre é muito diferente do que imaginamos. E, pesquisas comprovam que 20% dos nossos gastos mensais são supérfluos e poderiam ser desnecessários?

Reveja todas as Despesas Fixas

Aproveite que a época é de fazer uma revisão de todos os meses que passou e reveja suas despesas fixas – você realmente precisa ter pacotes de TV a cabo, internet e planos de celular com valores tão alto?

Eles podem ser reconsiderados e no mercado sempre aparecem pacotes melhores e mais baratos.

Reveja o consumo de água e o de energia elétrica, isso pode te ajudar a economizar dinheiro. Abaixo, como bônus, vamos ter um tópico mostrando alguns aplicativos que podem te ajudar com a economia de energia elétrica.

Tenha um Planejamento Financeiro

Para quem quer viajar, tem que ter planejamento. Já quem quer trocar de carro, há de se pensar em um planejamento também. Se quer comprar a casa própria também. Tudo, na vida, precisará de um planejamento financeiro adequado.

Portanto, se você sabe onde é possível economizar e vai começar a rever todas as despesas, resta agora ter um cronograma financeiro exato e ideal.

Considere ter todos os gastos anotados em uma planilha, transporte, hospedagem, alimentação, passeios. Você tem que saber que o que você ganha tem que estar acima do que você gasta. Se isso não acontece, reveja sua programação.

Nunca deixe de Investir Dinheiro para a Reserva Financeira

Todos os sonhos e os objetivos precisam ter um planejamento financeiro.

Mas, se estamos falando em reserva de emergência, o consumidor precisa guardar dinheiro todos os meses para esse fim.

É interessante ter uma caderneta de poupança, por exemplo. Só que os rendimentos são baixos. O ideal é escolher um produto financeiro que tenha melhores taxas de retorno.

O jeito é pesquisar as melhores opções do mercado, onde vão estar os títulos púbicos do Tesouro Direto.

Estabeleça os seus sonhos

Nunca deixe de sonhar! Isso é importante porque te guia para alcançar seus objetivos financeiros. Se você não tem sonho, não há motivos para economizar dinheiro e criar a reserva financeira, obviamente.

Foque nos seus projetos, que tem que ser de curto, médio e longo prazo.

Lembre-se que todo seu desejo tem que ser considerado um sonho: a troca do carro, a compra da casa, a viagem de fim de ano, a faculdade do filho, a aposentadoria tranquila… Tudo mesmo.

Leve em conta os Gastos com a Moradia

Os gastos com a habitação também podem representar uma boa parcela do seu orçamento financeiro – isso porque normalmente se paga um aluguel ou um financiamento imobiliário.

Não fique limitada aos anúncios dos classificados ou das propagandas de agências imobiliárias. Conte com a opinião de um morador local, para ajudar nessa busca.

A recomendação é reduzir os gastos: faça as contas, pesquise os preços e considere alugar uma casa menor. Lembre-se que na hora de financiar, quanto maior for o valor de entrada, mais benefício você terá na compra.

Aluguel e Condomínio

Não há regras, mas especialistas afirmam que o correto é nunca usar mais do que 30% do salário para gastos com moradia. Isso inclui o valor do aluguel, do condomínio e da prestação do bem, em casos de financiamento.

Quando o valor passa disso, as contas ficarão bastante apertadas e o seu caminho, infelizmente, é o endividamento – portanto, atente-se!

Para esse caso, o ideal é saber fazer as contas antes de comprar ou alugar o imóvel. Ter um fundo de emergências torna-se imprescindível para todos os casos.

Em casos de alugueis, dá para considerar um pagamento anual, que gerará descontos, por exemplo. Mas tudo vai depender da sua situação financeira atual.

No caso de condomínios, normalmente, o valor é fechado e é difícil alterar. A dica, nesse caso, é evitar serviços adicionais, que serão taxados, como coberturas de estacionamentos e outros.

Os pequenos gastos são importantes

Se você realmente está precisando de algum produto, considere os descontos.

Mas, se você pode adiar a compra, faça isso.

Entenda que cozinhar em casa, levar a marmita para o trabalho pode te render uma boa economia. Além disso, apagar as luzes e tirar os eletrônicos da tomada enquanto não usa, te faz economizar dinheiro.

Da Redação com informações de várias corretoras de valores

ANÚNCIO