Entenda o Mercado Financeiro Assistindo Essas 5 Séries – algumas no NETFLIX

ANÚNCIO

Nos dias atuais a televisão aberta está se tornando cada vez menos assistida. Isso é fato, comprovado. Ainda assim, existem pessoas que optam pelas novelas ou pelo futebol. Por outro lado, a TV Paga oferece uma gama muito maior de opções, principalmente com séries e filmes que vão de acordo com o perfil do telespectador – alguns falam sobre dinheiro.

Aqui no blog já citamos alguns filmes que podem nos ensinar muito sobre dinheiro. Porém, nunca falamos especificamente das séries e esse é o desafio de hoje. As séries podem ser encontradas na TV Paga, como estamos falando ou no Netflix, que armazena uma gama imensa de séries, além, claro de outros sites da internet.

ANÚNCIO

Leia: Sobre Ficar Rico: 15 Filmes sobre o Mercado Financeiro no Netflix

Afinal de contas, entender a economia, as finanças, os investimentos requer estudo e isso pode ser feito de forma simples, com essas séries. É mais ou menos como dizem: “unir o útil ao agradável” porque essas representações são verdadeiros momentos de lazer, mas sem deixar de lado conteúdos importantes para o seu conhecimento sobre o tem.

1 – Billions (2016) / DISPONÍVEL NO NETFLIX

Criada nos Estados Unidos é considerada um Drama.

ANÚNCIO

É uma das favoritas de quem gosta de falar sobre o dinheiro e o mercado financeiro, além, obviamente das disputas jurídicas. O foco é um conflito entre Bobby Axelrod (um bilionário dono de uma empresa de investimentos) e Chuck Rhoades (promotor de Nova York que investiga as movimentações do empresário).

A batalha se traça no meio jurídico, mas fala abertamente sobre fundos de investimentos, informações privilegiadas e o mercado acionário.

Ao todo são 36 episódios (de aproximadamente 42 minutos) distribuídos em 3 temporadas. A série foi criada por Andrew Ross Sorkin, Brian Koppelman, David Levien. E tem atores como Paul Giamatti, Damian Lewis e Maggie Siff.

No site do AdoroCinema, onde retiramos algumas informações, existem várias críticas e comentários. Selecionamos uma delas, confira:

“Gostei bastante, basicamente é uma série com personagens inteligentes e beligerantes em conflito constante. Embora possa parecer algo trivial, um jogo de gato e rato comum, seguramente não é! A série também trabalha os conflitos éticos de quem deve fiscalizar o cumprimento da lei, de forma que, em grande parte do tempo, o expectador se pega torcendo pelo algoz”. – Denilton M.

2 – House Of Cards (2013) / DISPONÍVEL NO NETFLIX

A série também foi criada nos Estados Unidos, mas não tem gênero definido – talvez porque esteja dedicada a falar sobre a política. No entanto, ela também é importante para se entender como decisões de gabinetes podem influenciar a economia como um todo.

Na história, Frank Underwood começa o programa como um deputado com altas ambições.

Aos poucos, por meio de ações ilícitas e criminosas, consegue chegar à Presidência dos Estados Unidos. A série retrata todas as movimentações de bastidores e as maquinações do personagem para conseguir o que almeja.

Ao todo são 65 episódios distribuídos em 5 temporadas. E a série foi criada por Beau Willimon, Frank Pugliese e Melissa James Gibson. Tem como atores Kevin Spacey, Robin Wirght e Michael Kelly.

Essa foi a 1ª série produzida pelo Netflix e que conseguiu receber indicações ao Emmy.

Além disso, na primeira série dirigida por David Fincher, ele atuou como produtor executivo e imaginou que o projeto sairia desde 2008, quando seu agente mostrou a versão original, na Inglaterra.

Entre as críticas, está:

“Fenomenal , explica a mente do politico de acordo com Maquiavel, o senso de ferocidade , denota o mundo politico e acompanha Francis Underwold um Congressista (Deputado Federal) e sua escalada ao poder , após ser preterido ao cargo de Secretário de Defesa , a partir de então ele quer nada mais nada menos que o topo a presidência dos EUA a partir de um plano altamente articulado e inescrupuloso e em destaque sempre a exposição das ideias da consciencia de Francis com o expectador , e destacando a atuação impecável de Kevin Spacey (Francis Underworld)”. – Marco Antônio S.

3 – Suits (2011) / DISPONÍVEL NO NETFLIX

Foi feita nos Estados Unidos e tem um gênero mais voltado para a comédia, ainda que tenha um intuito de mostrar o crime, já que fala de advogados.

Obviamente que fala também do Mercado Finacneiro.

Harvey Specter é um sócio de uma das principais empresas de Nova York e carrega a fama de nunca perder um único processo. No enredo, ele contrata um jovem gênio, Mike Ross, que não cursou a faculdade de Direito.

Os dois, juntos, formam uma dupla que resolve todos os problemas dos clientes por meio da artimanha jurídica.

A questão financeira aparece no escritório de Specter, já que ele trabalha apenas com clientes corporativos: grandes empresas, bancos, investidores e startups.

Os advogados cuidam desses interesses econômicos e dos investimentos, portanto, não é raro um episódio que não se revela uma aula de finanças.

Ao todo são 108 episódios distribuídos em 6 temporadas. Foi dirigida por Aaron Korsh e tem atores como Patrick J. Adams, Gabriel Macht e Meghan Markle.

O Canal BuddyTV elegeou essa como a 2ª melhor série de TV de 2011, perdendo apenas para Game of Thrones.

Confira uma das críticas:

“Uma das melhores séries da atualidade, sem dúvidas Suits não deixa a desejar, explorando aspectos interessantes como o emocional dos personagens e como eles lidam com as situações ao passar do tempo, é impressionante a evolução de Mike Ross (Patrick J. Abrams) e o quanto ele ajudou Harvey Specter (Gabriel Macht) a se tornar uma pessoa melhor em 5 temporadas, independente dos ataques à firma, eles sempre superam os obstáculos, recomendo bastante a serie”. – Luiz Eduardo B.

4 – O Sócio

É um programa comandado por Marcus Lemonis, um empresário bem-sucedido que ajuda empreendimentos com dificuldades a se recuperarem.

Em busca de oportunidades de investimento, ele empresta sua experiência e conhecimento de mercado para resolver os problemas de cada empresa.

Lemonis coloca seu dinheiro nesses negócios à beira da falência e reorganiza os processo para obter lucro. A série, na verdade, é um reality show exibido pelo History Chanel.

5 – Silicon Valley (2014)

É uma série americana de comédia e foi criada por Mike Judge, John Altschuler, Dave Krinsky e Alec Berg. Tem protagonismos de Thomas Middleditch, T. J. Miller e Josh Brener. A série é exibida pela HBO e mostra um grupo de jovens programadores que moram no Vale do Silício, uma região de grandes empresas de tecnologia.

O moto do show é a busca pelo sucesso – criar um aplicativo perfeito e mais baixado.

Nesse momento, fala-se muito em finanças, que é importante para entender como tudo funciona, inclusive, o mercado de startups. Entre os pedidos de aportes e as negociações de venda em um negocio promissor, o seriado mostra a economia e como ela dita os rumos do mercado com marca e rapidez.

A série é composta de 238 episódios distribuídos em 5 temporadas. O que poucos sabem é que a história é inspirada na vida de Mike Judge, o próprio criador da série, que foi um engenheiro do Vale do Silício no final da década de 80.

Confira a crítica:

“Uma série sobre caras de TI, mas que pode ser visto por qualquer pessoa, mesmo com alguns termos técnicos sendo usado durante a série. Agora(escrevo após 3° temporada) é uma série que não está entre as grandes do gênero, mas que é divertida e com temas reais e bem trabalhados. Mesmo ela tendo ritmo lento em algumas ocasiões, nos leva a algumas risadas e momentos divertidos”. – Carlos P.

Entenda o Mercado Financeiro Assistindo Essas 5 Séries - algumas no NETFLIX
Reprodução: Google

Parece Mágica: Como Ficar Rico e Lucrar mais de 300 mil reais assistindo Netflix?

Pode ser que você esteja confuso. E aí, tudo bem, vamos explicar! Como é possível ganhar dinheiro com o Netflix se você está pagando uma mensalidade… Algo parece errado, não é? Não, não é! Veja, o nosso ponto de vista aqui será o seguinte: suponhamos que você “invista” na versão padrão do aplicativo, então, gaste 23 reais por mês.

Tranquilo com essa visão né? Você assinou o Netflix e todos os meses tem que desembolsar 30 reais.

Agora, vamos imaginar que você tenha um acervo de filmes e séries e não “precise” ir ao cinema com tanta frequência!

Bem, para isso, vamos imaginar que você tinha o costume de ir ao cinema todo final de semana. E, para não dizer que somos extremistas, vamos supor que você vá, mas apenas uma única vez. É só você escolher o seu lançamento favorito do mês e ir.

Afinal, você não precisa acompanhar todo o lançamento e estar sempre na primeira fileira, não é? (A não ser que você seja um crítico de cinema).

Considere também que Assistir Filmes em Casa pode ser melhor do que ir ao Cinema

É claro que tudo vai depender da sua paixão pelos atores, atrizes, diretores, personagens. Há, inclusive, quem não troque nada por uma saidinha ao cinema. E aí, está tudo bem.

O que estamos propondo aqui é apenas uma mudança de hábito. E não precisa ser tão brusca assim. Se você vai muito ao cinema, basta diminuir as idas e para isso nem precisa ficar sem ver filmes, para isso o Netflix está aí.

Se você é daqueles que ainda não se convenceu de que ver filme em casa pode ser tão gostoso quanto ir ao cinema, selecionamos alguns pontos a serem observados. Curte aí.

1 – Filas: Em casa não tem fila. No máximo, você vai precisar esperar os 5 minutos até a pipoca ficar pronta ou até a discussão com a sua esposa terminar, na hora de escolher o filme. Se você é uma pessoa impaciente, já se convenceu, não é?

2 – Conforto: Se você costuma ir ver filme em salas especiais, tudo bem, até existe certo conforto. Se não vai nessas salas, então já deve ter passado por momentos de desconfortos. Como uma sala suja, uma cadeira dura, frio ou uma sensação horrível de não poder esticar as pernas.

3 – Pipoca: Gosta de pipoca? Então, com certeza, já notou o quão caro é uma pipoca de cinema, não é? Em casa dá para fazer aquele brigadeiro ainda ou selecionar os melhores ingredientes para a sua pipoca, tem quem goste de manteiga, sal, temperos, molhos, pimenta, entre outros.

4 – Cobertor: No cinema ninguém vai te levar um cobertor e por mais que você esteja bem acompanhado, o frio pode ser um fator de “irritabilidade”.

5 – Stream Demand: Para quem não sabe é o tipo de serviço que o Netflix oferece, que tem uma gama de opções, categorias, gostos, atores, diretores. É uma realidade nova, mas que vem mudando o conceito de ver filmes.

6 – Pause: No cinema, uma piscada que você der e você poderá perder toda a história. Em casa, basta pausar e voltar alguns segundos.

7 – Banheiro: Comeu muita pipoca ou bebeu muito refrigerante? Pause o filme e vá ao banheiro. No cinema, não é incomum encontrarmos pessoas saindo e entrando da sala para ir ao banheiro e como dissemos, qualquer cena perdida pode por tudo a perder, literalmente.

8 – Arrependimento: No cinema, você cria a expectativa pelo filme e logo nos primeiros minutos se arrepende de ter pagado tão caro porque aquela “porcaria”. Isso pode acontecer. Se você está em casa, você simplesmente escolhe outra opção.

9 – Sossego: Em casa você dificilmente terá o problema com o sossego. Já no cinema, pode ser que você esteja em uma sala com crianças chorando, casais cochichando ou adolescentes rindo escandalosamente.

10 – Dinheiro: Em casa você gasta bem menos, não tenha dúvidas. E isso nos vamos provar no decorrer do texto, acompanhe!

Mas, como é possível ganhar dinheiro com o Netflix?

Leia e Descubra!

Com informações do FinancasForever e AdoroCinema

ANÚNCIO