As 10 melhores small caps para investir em 2018

ANÚNCIO

Recentemente, o Santander confirmou a aposta em duas “grandes” Small Caps para investir em 2018.

“Acreditamos que as varejistas em geral, como é o caso da Hering, serão as primeiras beneficiadas pelo cenário de baixa inflação, afrouxamento monetário em curso e recuperação da renda disponível dos trabalhadores”, disse em relatório.

ANÚNCIO

“Diferentemente do que imaginávamos no início do ano, o consumo da população terá um papel preponderante na tão aguardada retomada econômica brasileira”, afirmou o Santander (SANB11).

Além da Hering (HGTX3), outro papel citado pela corretora é o da Iochpe-Maxion (MYPK3), uma fabricante de autopeças que continua a arrancar suspiros dos analistas.

A Upside Investor afirmou que a recomendação de compra dos papéis após a queda recente da Bolsa de Valores seguindo a mudança de humor dos investidores.

ANÚNCIO

Uma eventual alta do dólar beneficia a companhia, considerando que 80% das vendas são realizadas no exterior. Isso a torna uma escolha segura para aproveitar a economia do país – ou pode dar uma azedada no mercado.

O que essas 2 empresas têm em comum? São consideradas uma das melhores small caps para investir em 2018!

Mas, o que são Small Caps? São empresas com baixo capital (ou seja, pequenos empreendimentos) que tem grande potencial de ganho no mercado acionário.

Para o próximo ano, essas ações são candidatas a ter resultados brilhantes.

E nessa ideia de considerar as empresas menores, também podemos citar a PBG (PTBL3), a antiga Portobello, que saltou quase 10% nos últimos meses. A Senior Solution (SNSL3) também fechou bons pregões nas semanas que passaram.

“A empresa aproveitou o momento de estresse para se reinventar. Prevemos números de crescimento bem importantes na transição do segundo para o terceiro trimestre. Ou seja, ainda tem muito espaço para melhorar”, disse Adeodato Volpi Netto, da Eleven Financial sobre a PBG.

Referente à Senior Solution, os analistas afirmaram que “é uma companhia que consegue ser boa em todas as verticais das suas atividades afins. Tem uma gestão excelente. Comprar essa ação é ser sócio desse time, que certamente vale a pena”.

E quer saber do que mais? No meio deste ano, vários analistas afirmaram que “as small caps estão mais atrativas do que as large caps”.

Na ocasião, os analistas do Bradesco BBI citaram 5 “empresas de pequeno porte” que estavam muito atrativas na bolsa de valores do Brasil – “melhores expectativas para os lucros de 2018, aposta na queda de juros e surpresas positivas para o crescimento”.

“Nesse sentido, o MSCI small cap pode subir 37% apenas para precificar a expectativa do consenso do mercado sobre o crescimento de lucro em 2018”, comentaram os especialistas.

Nas situações da época, eles citaram algumas empresas.

Por exemplo, a Cesp (CESP6). “Preferimos a Cesp dado o valuation mais atrativo e potencial de valorização, relacionado à potencial privatização, que podem implicar em um ganho de 70%, dependendo do cenário de extensão de concessão”.

Para eles, a TIR (Taxa Interna de Retorno) da Cesp é de 19%.

A TIR é muito importante especialmente para o setor elétrico porque torna-se um indicador para mensurar a atratividade dos papéis (calcula-se o valor presente líquido do fluxo de caixa e o retorno atual do investimento).

Outro nome citado pelo banco é o da Energisa (ENGI11) – “preferimos Energisa também pelo valuation e porque pode se beneficiar pela retomada do PIB [Produto Interno Bruto], com oportunidades de fusões e aquisições”.

“Atualmente, a Energisa está negociando com uma TIR real implícita de 8%”.

O Iguatemi (IGTA3) também está na lista das melhores small caps para investir em 2018.

“Preferimos o Iguatemi que deve se beneficiar mais do atual ciclo monetário e a recuperação do PIB, além de já estar apresentando números operacionais melhores e mais consistentes”.

A Iochpe-Maxion, que já foi citada, também está no gosto do banco. “Dado que deve se beneficiar mais rápido do crescimento doméstico, além de ter valuation mais barato e se beneficiar do processo de desalavancagem”.

Outro nome que aparece com muita frequência é o da Magazine Luiza (MGLU3).

“Preferimos uma vez que ela tem maior exposição a duráveis e maior alavancagem operacional, que deve ser um driver importante para melhor performance relativa em um cenário de recuperação domésticas”.

Para eles, a Magazine Luiza pode ter uma operação mais forte e melhor executada com o Pão de Açúcar (PCAR4), que estão negociando múltiplos similares.

Outra matéria, que foi publicada logo após os escândalos da delação da JBS, mostrou que a Fleury (FLRY3) havia ganhado mais de 50% nos primeiros 6 meses do ano .

“O otimismo com os papéis da empresa está relacionado com a capacidade que a empresa tem de captar o crescimento de longo prazo no segmento de diagnósticos no Brasil”.

Com base em todas as citações citadas até agora, conseguimos selecionar as 10 melhores ações small caps para investir em 2018, confira quais são elas!

  1. Hering (HGTX3)
  2. Iochpe-Maxion (MYPK3)
  3. Senior Solution (SNSL3)
  4. PBG (PTBL3)
  5. Cesp (CESP6)
  6. Energisa (ENGI11)
  7. Iguatemi (IGTA3)
  8. Magazine Luiza (MGLU3)
  9. Pão de Açúcar (PCAR4)
  10. Fleury (FLRY3)
As 10 melhores small caps para investir em 2018
Reprodução: Google

Curiosidade – No ano passado o Santander listou 7 small caps para apostar neste ano…

Relembre quais eram essas ações!

O banco Santander publicou um relatório apontando 7 small capscom forte potencial de crescimento de lucro a longo prazo.

Essas são ações de empresas de pequeno e médio porte com baixa liquidez na Bolsa de Valores, mas que nem por isso deixam de ser interessantes ao investidor.

Entre as ações recomendadas pelo banco estão AES Tietê, Comgás, Mahle Metal Leve, Rumo Logística, São Martinho, Ser Educacional e Sul América. Leia também: 4 passos para ganhar dinheiro na Bolsa de Valores mesmo em época de crise.

1 – AES Tietê (TIET11)

O relatório destaca os contratos firmados pela AES Tietê durante o segundo semestre de 2016.

De acordo com o banco, a dinâmica de venda antecipada de energia gera estabilidade e previsibilidade na geração de caixa futura. O potencial de valorização da ação é de 21,62% e a recomendação é de compra.

2 – Comgás (CGAS5)

O Santander acredita que os papéis da Comgás tenham um potencial de valorização de 52,51%.

O otimismo com as ações da empresa se deve principalmente ao reajuste tarifário, de 9,81%, que foi concedido em maio deste ano.

Além disso, o banco ressalta que 100% da receita da Comgás é indexada a inflação, por isso a empresa tem menor dificuldade em repassar aumento dos custos quando comparada com empresas de outros setores.

3 – Mahle Metal Leve (LEVE3)

Para a Mahle Metal Leve, o potencial de valorização da ação é de 30,69%.

O banco destaca que a companhia é uma das poucas alternativas de empresas exportadoras que oferecem um bom histórico de distribuição de dividendos.

4 – Rumo Logística (RUMO3)

O relatório aponta que a Rumo Logística tem potencial de valorização de 39,75% e destaca que “o aumento de capital finalizado em abril deu folga de caixa para a empresa lidar com suas obrigações de curto prazo”.

O banco indica ainda que a geração de caixa da empresa é inelástica, com 80% de todo volume transportado é para o escoamento de commodities agrícolas do centro-oeste para o Porto de Santos (SP).

Além disso, 80% do volume transportado é indexado pela inflação, o que garante maior estabilidade e previsibilidade no volume transportado e nas margens operacionais.

5 – São Martinho (SMTO3)

A São Martinho tem potencial de valorização de 39,20%. O banco aponta o aumento recente do preço do açúcar (+30% em 2016) e destaca que um possível aumento da CIDE (para fins de arrecadação fiscal e redução do endividamento público) deve impactar positivamente o preço do etanol.

6 – Ser Educacional (SEER3)

O Santander acredita que a empresa do setor de educação deve ser a próxima grande consolidadora do setor.

O banco calcula que a companhia pode aumentar em 24% a sua base de alunos por meio de Fusão & Aquisição “sem ultrapassar um nível de alavancagem de 2,5x dívida líquida”.

7 – Sul América (SULA11)

O Santander aponta uma possível valorização de 6,21% nas ações da Sul América.

O relatório destaca que os planos corporativos com coparticipação que já alcançam quase 100% das novas apólices, o que tem reduzido a frequência dos atendimentos e mitigado qualquer pressão advinda do aumento do desemprego.

Para quem quer saber mais sobre small caps…

O que são Small Caps?

São ações de empresas de baixa capitalização, ou, de maneira informal, também chamadas de ações de segunda ou terceira linha.

Mas, não vá pensando que são empresas que devem ser deixadas de lado.

As Small Caps podem ser ações que não possuem a mesma liquidez das grandes empresas da Bolsa de Valores. Tudo é uma questão de comparação.

O que deve ser observado na hora de apostar em Small Caps?

O primeiro passo é notar a liquidez da empresa – isso se você quer considerar as melhores small caps para investir em 2018.

Se os volumes de negociação estão muito baixos ou se a empresa é muito nova, por exemplo. Se isso acontecer, vai existir um risco de você comprar e depois não conseguir vender.

E, isso pode ser acentuada pela dificuldade de análise mercadológica, já que, na maior parte das vezes, as ações são novas na Bolsa de Valores, o que não torna possível estabelecer dados confiáveis.

Outra questão que precisa de atenção é a precificação das ações, que, como regra, deve estar compatível com as operações da marca. Se não, ela pode oscilar fortemente, de maneira negativa.

Por fim, note sempre se o capital está sendo bem investido ou se há questões sobre falência e recuperação judicial, isso pode ser muito importante na sua tomada de decisão.

Índice SMLL

O índice SMLL é sempre destaque da bolsa de valores. Bom, como todos sabem, a BM&FBovespa tem o Ibovespa como principal índice, que lista as empresas mais negociadas.

Já o Índice Small Caps é uma carteira de ações composto pelas empresas de menor capitalização. Ele é muito usado, pelos investidores, como indicador de desempenho médio das ações.

Atualmente, o Índice Small Cap da BM&FBovespa é formado por 60 companhias e, entre elas, podemos destacar a Bradespar, que tem participação de 3,7%, a Fleury com 4,8%, a Qualicorp com 3,1%, a Sanepar com 3,5% e a Sulamerica com 3,4%.

Fundos de ações Small Caps

Os fundos de small caps também podem selecionar as melhores small caps para investir em 2018!

“Os fundos de ações Small Caps mitigam o risco da diversificação. O investidor deve avaliar a taxa de administração, taxa de performance, características do gestor e o desempenho histórico do fundo para avaliar a consistência da gestão”, diz Bolivar Godinho, que é professor de Finanças da Unifesp.

Ele também cita o ETF Small 11, um fundo que replica o Índice Small Caps e é negociado na BM&FBovespa, que pode ser uma alternativa aos investidores que preferem os fundos do que investir diretamente em ações.

Porém, ele aconselha: “Recomendo a aplicação direta apenas para investidores com domínio dos conceitos de avaliação de empresas e horizonte de investimentos de longo prazo”.

Small Cap, como toda ação, é feita de boas histórias e más histórias, não há regra nem receita de bolo para investir nelas. O que existe é trabalho, pesquisa, coragem para acreditar em uma história que pode ou não dar certo e muita expertise envolvida”, diz Adriano D’ercole, adviser de renda variável do private banking do Banco Fator.

“É importante você ter paciência, pois as vezes o papel vai ficar muito tempo sem andar, podendo até oscilar para baixo até que o negócio mature”, diz o especialista.

Qual o Valor de Mercado das Small Caps

As categorias mudam com o tempo, assim como os índices. Para se ter uma ideia, no anos 80 uma ação Big Cap tinha um limite de US$ 1 bilhão, hoje, o esse tamanho representa apenas uma Small Cap.

Mas, como estamos falando de 2017, fizemos uma pequena lista com os valores de mercado, seguindo a divisão por ordem:

  • Mega Cap – US$ 200 bilhões ou mais
  • Big Cap – US$ 10 bilhões ou mais
  • Mid Cap – US$ US$ 2 bilhões à US$ 10 bilhões
  • Small Cap – US$ 300 milhões à US$ 2 bilhões
  • Cap Micro – US$ 50 milhões à US$ 300 milhões
  • Cap Nano – Abaixo de US$ 50 milhões

É importante saber também que as ações das maiores empresas captam mais atenção da Bolsa por serem mais lucrativas, no entanto, elas representam a minoria das ações.

Para você entender melhor: a Mega Cap representa apenas 0,1%, enquanto que a Micro Cap fica com 18,8% e a Small Cap 17,6%.

Dica para iniciantes sobre as Small Caps

Normalmente, essas empresas têm ações de valores baixos. Assim, um investidor iniciante pode pensar na seguinte situação:

“Se eu comprar 10 mil reais em ações que vale 50 centavos, terei 20 mil ações”. Isso é verdade, de fato. Porém, se essas ações caem 10 centavos, então, mesmo com as mesmas 20 mil ações, o investidor terá apenas 8 mil reais.

Ou seja, nem tudo que parece bom, é, de fato, bom. Esses truques e muitos outros mais, são ensinados no Curso do Trovó, que é indicado para iniciantes assim como para quem já conhece um pouco do Mercado Financeiro. Faça-o e aproveite, porque ele é gratuito.

As 10 melhores small caps para investir em 2018
Reprodução: Google

Como Escolher a Melhor Small Cap

Para você que não entende muito bem do Mercado de Ações, precisa buscar conhecimento. Sabe por quê? Para não fazer bobagem.

Por exemplo, mesmo os profissionais podem errar na hora de escolher as melhores companhias small caps ainda mais se estivermos falando nas melhores small caps para investir em 2018.

Pensando nisso e como único e exclusivo objetivo de orientar os leitores, listamos os 5 riscos que as ações Small Caps tem. Leia com atenção e fique atento ao mercado de ações.

Baixa Liquidez 

Quando não há pessoas interessadas em comprar o que você está ofertando, você pode ser forçado a vender o produto por um valor menor do que ele realmente vale, isso sem contar que você tem o risco de não conseguir vender.

Isso é a baixa liquidez e é exatamente assim que funciona também com as Small Caps.

Para não correr riscos, basta que você fique atento ao volume diário de negociações da empresa em destaque antes de investir nela. Isso pode ser feito através da plataforma gráfica, no indicador volume disponível na internet.

Precificação Incorreta 

Quando as companhias são novatas e possuem poucas operações (normalmente estão em expansão), fica difícil precificar corretamente o real valor delas.

E para não correr esse risco, a melhor forma de evitar problemas futuros é exigir um maior retorno sobre os papéis destas companhias estabelecendo, por exemplo, quanto você precisaria ter de retorno para estar confortável em correr os riscos.

Para fazer isso, você também pode comparar os diferentes indicadores fundamentalistas das empresas com outras listadas na bolsa de valores, seja do mesmo setor ou do mesmo porte. O preço, se estiver compatível, indicará um bom indício.

Observações dos Analistas 

Existem muitas empresas listadas na bolsa de valores e o número de Small Caps na Bolsa de Valores também não é tão pequeno assim.

Com isso, não há analistas suficientes para cobrir toda a demanda de todas as companhias. E, em ordem de importância, muitas vezes, eles optam pelas Large Caps.

Se você tiver algum problema com a sua empresa Small Cap pode buscar alternativas com a própria companhia que, muitas vezes, tem uma excelente área de Relações com Investidores em seus próprios sítios. Por isso, antes de investir, busque essas informações.

Mico 

É uma expressão usada para empresas que estão na pior e, normalmente, em liquidação judicial. Se a empresa tiver nessa situação é comum que os investidores não queiram vender suas ações porque já perderam muito dinheiro.

É uma situação triste e que é muito complicada de ser identificada. O ideal é que se evite ações que não valem quase nada ou que tiveram perda de valor muito grande nos últimos meses.

É claro que essas empresas podem se recuperar, mas para apostar nisso você precisará ter muito e muito e muito conhecimento.

Incertezas Operacionais 

Acontece não apenas com as Small Caps, mas com todas. É saber se as operações da empresa estão em possíveis crescentes.

Isso faz parte de todo processo. E para evitar prejuízos nessas partes é preciso uma análise geral, identificando, por exemplo, o tamanho do mercado, os competidores, a administração, geração de caixa, entre outros.

O que não pode acontecer, nunca, é o investidor achar que se comprar 10 mil reais em ações que valem 50 centavos (terá 20 mil ações) vai continuar tendo o mesmo patrimônio quando as ações caírem para 40 centavos, por exemplo.

Porque, ainda que você tenha 20 mil ações, você passou a ter 8 mil reais.

É possível ganhar dinheiro investindo em Ações Small Caps?

Por que pode ser vantajoso investir em Small Caps? Basta pensar no contrário: por que a maior parte das pessoas prefere investir em ações de grandes empresas? Porque elas têm grande capitalização, logo, dão a impressão de baixo risco.

Isso é verdade se pensarmos na falência da empresa, no entanto, assim como essa empresa terá a fase de crescimento, as pequenas também vão ter.

Na teoria, se continuarmos a pensar assim, a ação de uma pequena empresa, uma small cap, ter mais capacidade de se valorizar muito em pouco tempo do que uma ação de uma grande empresa que já está estabelecida no mercado há anos.

Alguns especialistas dizem que essa é uma boa lógica para se usar no mercado de ações. Mas nunca se esqueçam de que esse é um mercado volátil.

Então, se você quer mesmo começar a investir dinheiro no mercado de ações e não quer correr nenhum risco de perder tudo, vai ter que fazer um mini curso.

É muito rápido e GRATUITO. O Trovó gravou e você vai ter toda a segurança para começar a investir em ações sem correr risco. Faça o cadastro gratuito:

WORKSHOP ONLINE E GRATUITO: RISCO ZERO NOS INVESTIMENTOS

Ah, tem outro detalhe. Muitas carteiras de investimentos sempre indicam empresas pequenas que estão em “fase de crescimento”. Por isso, pensar em Small Caps é importante!

Aí, quando você quiser analisar os desempenho das ações small caps poderá usar o indicador índice SMLL, que agrupa diferentes empresas que pertence à classe das Small Caps e avalia o desempenho delas.

Com informações do Infomoney e abril

ANÚNCIO