Conheça os 3 melhores fundos internacionais para diversificar a carteira

ANÚNCIO

Os fundos internacionais, também chamados de fundos de investimentos no exterior, são opções recomendadas para quem quer ter uma carteira de ativos mais dinâmica e protegida. Porém, quais são os melhores fundos internacionais para você? Vamos falar de 3 opções.

Até mesmo porque na teoria todos funcionam de forma igual: com ativos de empresas ou títulos que são emitidos lá fora. Mas, na prática, eles são bem diferentes: uns são da renda fixa e outros sofrem variações conforme o câmbio, por exemplo.

ANÚNCIO

Ficou curioso para saber? Então, vamos fazer o seguinte. Primeiro, você lê o próximo tópico e entende um pouco mais dessas categorias de fundos. Depois, você relaciona isso com o seu perfil de investidor. E no final do artigo ainda tem uma boa dica para comprar o fundo certo.

Os melhores fundos internacionais

Antes de começarmos com a nossa pequena lista de fundos internacionais, saiba de uma coisa: escolher um deles não é fácil. Mas, há perfis que são recomendados para um ou para outro, obviamente.

Por exemplo, que é investidor novo ou mais conservador, pense em priorizar os ativos de baixo risco, como os fundos de renda fixa, que vamos citar logo no primeiro tópico. Eles podem garantir bons rendimentos no longo prazo.

ANÚNCIO

Mas, se você tem mais experiência no mercado e sabe muito bem como correr o risco entre o que é arriscado demais e o que pode gerar rendimentos, então, tudo bem você se expor um pouco mais, se assim quiser, como é o caso dos fundos cambiais, no tópico 3.

1 – O fundo internacional de renda fixa

Se a conversa é sobre os melhores fundos internacionais, a gente não pode deixar de começar com um dos mais seguros também, que é o de renda fixa. Obviamente, eles são aqueles que aplicam em ativos da renda fixa de outros países.

Assim, o investidor está em um fundo que compra e vende títulos públicos. Geralmente, são fundos focados em países mais ricos do que o Brasil ou que são emergentes. E entre os papeis preferidos pelos gestores, nós temos as debêntures de empresas multinacionais.

Esse tipo de fundo acaba sendo uma boa ideia para quem quer se proteger da variação do câmbio. Até mesmo porque, quase sempre, é uma aplicação que está atrelada ao CDI, visando superior esse benchmark durante o tempo.

Por ser da renda fixa, ainda que seja investimento feito no exterior, esse fundo é ótimo para investidores brasileiros mais conservadores.

2 – O fundo internacional de renda variável

Na contraposição do que falamos acima, agora temos um fundo para quem tem perfil mais agressivo. Isto é, para os mais arrojados, que gostam da renda variável, das ações, da bolsa de valores. Obviamente, esse é um fundo assim, só que focado no exterior.

A gestão da carteira tem em sua maioria as ações das bolsas internacionais. No entanto, saiba que a composição da carteira tem que estar descrita na lâmina do fundo. Portanto, ela tem um limite a ser respeitado.

Geralmente, nesse tipo de fundo se negocia muito com os títulos dos ETFs (Exchange Traded Funds), além da compra de cotas de outros fundos ou mesmo de ações, diretamente falando. Logo, um bom começo para investir nesses fundos é analisar o histórico de desempenho.

XP permite investimento em fundos de ações por R$ 100 – veja 5 deles

Nesse caso, a ideia é acompanhar os movimentos da economia global. Mas, nunca é demais lembrar que estamos falando de uma aplicação que pode oscilar para mais ou para menos.

3 – O fundo cambial

E para terminar, a nossa última opção de melhores fundos internacionais é o câmbio, que também tem nome sugestivo. Assim, ele tem um patrimônio dedicado à transação de papéis que focam na moeda estrangeira. Geralmente, no dólar americano.

Logo, os analistas os veem como “movimento sistêmico”. Isso porque ele une a economia nacional e do país que emite a moeda. Então, a variação do dólar vai impactar muito esse tipo de fundo. E, inclusive, é um dos fundos mais difíceis de ser projetado.

Por isso mesmo, acaba sendo recomendado apenas para quem tem estômago forte. Ou seja, para perfis moderados ou arrojados. Ainda que seja visto como boa opção para proteção da carteira, saiba que se você não pode ver o rendimento oscilar, melhor evitar esse fundo.

melhores fundos internacionais

Os riscos dos investimentos internacionais

Parece que ficou fácil entender esses melhores fundos internacionais, não é mesmo? Afinal, a gente dividiu aqui todos eles em 3 grandes categorias e isso vai permitir que você faça escolhas mais assertivas no futuro, conforme o seu perfil.

O fato é que, ainda assim, pode ser que você tenha dúvidas sobre o risco de se investir nesses fundos do exterior. Saiba que como qualquer ativo há riscos mesmo. Entre eles, o de mercado, de crédito e de liquidez. Ainda mais quando expostos a outra economia, de outro país.

Assim, o que se recomenda para diminuir esse risco é montar uma carteira que tenha apenas uma parte de ativos nesses fundos. Isso mitiga o risco geral. Além do mais, saiba escolher fundos focados em economias que você acredita que vão valorizar.

Por último, tenha sempre em mente a importância de ter uma corretora confiável, com uma gestão que é pensada no investidor, de fato. Essa gestora é que vai intermediar e escolher os ativos que serão compostos na carteira ou seja no fundo internacional.

ANÚNCIO