Renda Fixa, Fundos ou Ações – Qual o Melhor Investimento de Setembro?

ANÚNCIO

Pode parecer impressionante, mas é verdade: a previdência privada e os fundos multimercados foram as aplicações financeiras favoritas dos milionários no mercado financeiro, conforme a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais).

Nos seis primeiros meses do ano, as representações desses investimentos foram de 17% e 13%, respectivamente.

ANÚNCIO

No relatório da Anbima, as carteiras dos gestores ficaram concentradas na renda fixa, onde se destacaram também os FIDCs (Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios), com uma alta significativa de 38,3%.

Os títulos públicos tiveram aumento de 7,6% e as aplicações gerais na renda variável ficaram em 4,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Para o diretor da Anbima, Richard Ziliotto, o novo perfil visto deve-se ao cenário atual da queda de juros, que tem acentuado a busca pela diversificação dos investimentos financeiros, o que reflete, diretamente, na importância dos fundos multimercados e de ações.

ANÚNCIO

Também nos seis primeiros meses do ano, os ativos administrados pelo segmento de Gestão e Patrimônio atingiram 89,3 bilhões de reais, crescimento de 2,3% em relação à 2016.

A composição das carteiras, na média, ficou alocadas na maior parte:

  • em renda fixa (47,4%),
  • fundos multimercados (26,4%),
  • renda variável (16,6%),
  • fundos estruturados (6,8%) e
  • previdência privada (2,1%).

Para finalizar a pesquisa, vale dizer que os estados de São Paulo e Rio de Janeiro foram os líderes na concentração dos recursos financeiros, com 63,7% e 20,7%, respectivamente.

Separamos também algumas opções e buscamos os últimos números deles para você ficar a par de todo mercado financeiro, confira cada um deles!

Fundos de Ações

Os fundos de investimentos em ações superaram o desempenho do Ibovespa no acumulado de janeiro à setembro, conforme a Anbima. A expectativa é a de que a diferença se mantenha nos próximos meses.

Outros destaques foram os fundos Small Caps, que tem carteira de ações de empresas com baixa capitalização – o acúmulo é de 43,40% no período. Se comparado com o Ibovespa, há um saldo positivo, já que esse índice teve alta de 25,78%.

Conforme a Anbima, os fundos de ações tiveram captação líquida de 1 bilhão de reais no acumulado do ano.

Os economistas afirmam que a perspectiva é a de recuperação gradual da economia, o que traz uma tendência de que as oportunidades sejam ampliadas em ganhos reais na gestão ativa, revertendo a trajetória negativa na captação dos fundos.

Rafael Massa é da XP Investimentos e diz que o desempenho superior dos fundos em relação ao Ibovespa é decorrente da qualidade da gestão dos fundos – somado à volatilidade do período pré-eleitoral.

Fundos Imobiliários

Os Fundos Imobiliários foram os melhores investimentos do mês de setembro deste ano.

Isso foi possível comprovar através do IFIX, que é o índice da variação desses ativos. A rentabilidade nominal foi de 6,57%.

Nessa opção de investimento, os recursos são usados em prédios residenciais, edifícios comerciais, shoppings centers e até mesmo em hospitais.

Na renda variável, esses fundos foram os que tiveram maior retorno.

O IDIV (Índice de Dividendos) registrou valorização nominal de 6,13%, ficando em segundo lugar.

Títulos de Renda Fixa

O interesse dos investidores pelos títulos de renda fixa com vencimento para 2019 está cada vez maior no mercado de contratos de curto prazo.

“Temos uma visão construtiva para inflação. É fato que há ruídos nas coletas diárias de preços. Mas, ainda assim, trabalhamos com inflação de 2,7% para este ano”, afirma Marcelo Giufrida.

“Entendemos que a taxa será melhor no médio e longo prazos”, disse Felipe Niemeyer.

“Prevemos, pelo menos, dois anos de crescimento sem que a inflação seja um problema”, disse a Adam Capital.

Confira alguns produtos da renda fixa.

Tesouro Direto

É um investimento com juros pós-fixados que segue o juro básico da economia. É considerado um dos mais seguros porque tem o menor risco de crédito.

CDB, RDB e Letra de Câmbio

Certificados de Depósitos Bancários, por exemplo, são títulos de instituições financeiras que usam o dinheiro para empréstimos e remunera o investidor por isso. Normalmente, instituições menores dão melhores rentabilidades.

LCI e LCA

As Letras de Crédito usam recursos para fins imobiliários e do agronegócio. Esses títulos são isentos do imposto de renda.

Letra Financeira

É usada para a captação de recursos por meio das instituições financeiras. Em troca, os investidores recebem juros, após seguir um prazo mínimo.

As Debêntures

Nesse tipo de investimento financeiro, o investidor empresa dinheiro para as empresas que emitem tais títulos. Em troca do empréstimo, as companhias pagam remunerações durante o prazo estabelecido.

Existem as debêntures incentivadas também, que são ligadas à captação de recursos para investimentos em projetos de infraestrutura, como saneamento básico, geração de energia, logística, portos, etc.

Para este segmento, foram somados investimentos na casa dos 110 bilhões de reais no ano passado, ou seja, quase 2% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro.

Para Alberto Zoffmann, que é da XP Investimentos, com a queda da Selic, a possibilidade de investimentos nessa opção deve aumentar.

“Qualquer governo que entrar vai investir em infraestrutura. Pode ser um movimento mais acelerado ou menos, mas vai acontecer. Todos reconhecem que o investimento em infraestrutura é necessário”, diz.

Renda Fixa, Fundos ou Ações – Qual o Melhor Investimento de Setembro?
Reprodução: Google

O Tesouro Direto em 2017

O programa do Governo Federal foi criado em 2002 e em 2017, exatamente no mês de julho, alcançou a marca inédita de 1,5 milhão de pessoas cadastradas, conforme o Tesouro Nacional.

No 7º mês do ano, a adesão foi de mais de 54 mil novos investidores, o que significa um crescimento na modalidade de mais de 73% no último ano. Agora, o número de ativos somou 520 mil no mesmo mês, o que dá um parâmetro de 62%.

Quanto aos tipos de títulos, aqueles que estão vinculados à taxa básica de juros da economia, Selic, foram os mais investidos, representando 43% do volume total do Tesouro.

Depois, ficam os títulos indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), assim como o Tesouro IPCA+ e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais. Eles somaram 37% do total de títulos negociados no período.

Já os títulos prefixados foram responsáveis por 19,7% do total.

Esse aumento significativo do interesse pelo título público tem a ver com a perda de rentabilidade da poupança e obviamente dos juros básicos da economia, que chegou ao menor nível nos últimos 4 anos.

Melhor que a Poupança

Assim, para quem busca melhor rentabilidade do que é oferecida pela poupança, o Tesouro Direto é uma boa alternativa financeira, levando em conta que o programa é interessante para objetivos no longo prazo.

O exemplo disso está a educação dos filhos pequenos ou com a ideia de ter uma previdência complementar.

O que há de se considerar é que muitas pessoas ainda tem dúvidas e medo de “enfrentar” esse novo investimento brasileiro, mesmo que ele é considerado tão democrático e seguro.

O receio e a falta de conhecimento são os principais causadores dessa falsa impressão.

Entenda que ao aplicar dinheiro em títulos públicos, o Governo Federal se torna credor em troca do pagamento do valor investido acrescido de juros.

E mesmo que o país enfrente uma gigante crise financeira, o medo de o governo não honrar com os compromissos é muito grande.

Para os especialistas, os investidores não têm com que se preocupar – a explicação está no fato de que o Tesouro Direto soma um percentual mínimo da dívida pública e, logo, não tem alto risco de calote.

A Rentabilidade da Renda Fixa

Outro ponto importante do Tesouro está na rentabilidade que é oferecida em cada título.

Com os vários cortes da Selic, algumas aplicações em renda fixa perderam atratividade financeira e, além disso, as previsões ainda continuam sendo de queda para os próximos meses e até o próximo ano.

Portanto, os brasileiros ainda têm a chance de olhar outras opções da renda fixa, como os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs), Letras de Câmbio e as Letras de Crédito (LCI e LCA).

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

Todas essas opções de ativos financeiros oferecem bons retornos e mesmo que não tenham a segurança do governo federal, estão expostas ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que banca até 250 mil reais de cada investimento caso o banco quebre.

Outra opção, mais ousada, para ganhar mais dinheiro com o rendimento de investimentos é a bolsa de valores, que pode ser feita com a negociação de ações ou contratos futuros, vamos falar disso no próximo tópico.

Nunca se esqueça, porém, que a estratégia é importante na hora de investir dinheiro – seja na renda fixa ou na variável, os objetivos precisam ser bem traçados. Só assim será possível chegar ao ápice, que é viver de juros.

Sobre Investir Dinheiro em Ações na Bolsa de Valores

Antes de terminarmos o artigo, levamos em consideração alguns pontos importantes que você precisa saber sobre esse tipo de investimento da renda varável.

Conforme uma pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), em 2016, apenas 0,4% dos entrevistados afirmaram investir dinheiro em ações.

Isso mostra que os brasileiros ainda têm dúvidas sobre como fazer isso!

Separamos alguns tópicos breves para você ter essas respostas e tirar algumas dúvidas. Confira!

Valorização da Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores tem batido recordes nos últimos dias. O principal índice de ação, o Ibovespa, acumulou ganho de 27% no ano até setembro, com uma alta de quase 30%.

Aplicar Dinheiro na Bolsa de Valores

Aplicar em ações é fácil, teoricamente. Para isso, basta ter conta em uma corretora de valores. O grande diferencial para ter sucesso é buscar conhecimento para gerir os recursos da melhor forma.

“Quando compro uma ação, eu compro o risco de uma empresa, que pode tanto crescer como diminuir. Você aposta no crescimento dela, mas pode acontecer algo no meio do caminho e a companhia perder mercado”, avalia Renato Roizenblit, da Planejar.

A Importância da Corretora de Valores

“Ela pode te indicar várias coisas, como o percentual da sua carteira e quanto de ações você pode ter. Vai identificar o seu perfil de investidor”, conta Cássio Guimarães, do Banco Fator.

A Queda de Juros e a Bolsa de Valores

“A Selic caiu e deve continuar caindo nos próximos meses. Esse cenário traz a possibilidade de investidores buscarem investimentos na área produtiva. As empresas terão mais capital para investir e se desenvolver. Pequenos investidores devem migrar para a Bolsa”, diz Guimarães.

Bolsa de Valores – O que é?

É um balcão de negócios online que torna possível a negociação de empresas de capital aberto e contratos financeiros. No Brasil, a principal é a B3 (que une a Bovespa e a Cetip).

O que são Ações negociadas na Bolsa de Valores?

São pequenas partes do capital de uma empresa.

“Quando o investidor compra uma ação, ele se torna sócio dessa companhia e vai participar dos resultados da empresa. A distribuição da verba é proporcional à quantidade de ações que o investidor tem”, afirma Roizenblit.

Quais os investimentos da Bolsa de Valores?

Geralmente, há quatro tipos de investimentos na B3.

A compra de ações é a mais conhecida. Tem também os fundos de investimentos, clubes de investimentos e as ETFs.

Existe Risco de Investir Dinheiro em Ações?

“É uma situação de muita vulnerabilidade”, diz Reinaldo Domingos, especialista no assunto.

“O risco maior é o que chamamos de volatilidade. Você pode comprar uma ação na alta e vender na baixa. Tem chance de ganhar muito dinheiro, mas também de perder muito. É o mercado que vai ditar os preços”, afirma Guimarães.

Qual o Valor Mínimo para Investir na Bolsa de Valores?

Não existe valores mínimos. “Como se trata de um investimento de risco, é importante que o investidor não concentre mais do que 20% do seu patrimônio líquido. Se tem 10 mil reais, invista apenas 1 mil em ações”, diz Domingos.

Home Broker – O que é?

“No home broker você é seu próprio corretor. E tem gente que se dá muito mal. É preciso saber operar e acompanhar o mercado”, disse Domingos.

O Home Broker é um sistema online criado para o investidor comprar e vender ações, além de fazer transferências digitais financeiras pela internet.

Investir em Ações é muito caro?

No geral, existem 3 taxas: a de corretagem (acesso ao mercado), custódia (guarda das ações) e os impostos (do governo federal, através do Imposto de Renda).

Renda Fixa, Fundos ou Ações – Qual o Melhor Investimento de Setembro?
Reprodução: Google

A Bolsa de Valores em 2017

O Brasil vive aquele momento que todo economista gosta de falar como sendo “turbulência”.

No final de agosto, por exemplo, o índice da Bolsa de Valores (Ibovespa) atingiu 71 mil pontos, ficando próximo à máxima histórica – o que surpreendeu os analistas financeiros.

Assim, algumas equipes de analistas, como a do XP Investimentos, revisou as estimativas do Ibovespa para 85 mil pontos para os próximos meses, isso seria uma alta de 20%.

Os analistas fizeram exposições sobre o pensamento e essa visão positiva do cenário, confira em tópicos porque as perspectivas são tão boas.

A Selic

A história da Selic média leva à uma redução do custo da dívida das empresas, ou seja, ela deve continuar em queda. Além disso, a retomada da atividade econômica vai continuar dando sinais de que “o pior” já passou e as empresas terão resultados positivos.

Fundos de Previdência

Neste cenário também há de considerar a alocação dos fundos de previdência, que ainda está em sua maior parte na Renda Fixa (74% do patrimônio).

“Se somarmos os investimentos em ações e os outros dos fundos de renda variável, a alocação é de 18%, um montante que era de 32% em 2010”, compararam os analistas.

“Se considerarmos uma migração para a renda variável para os níveis de 2010 poderíamos ter um incremento de 100 bilhões de reais no volume de ações”, garantem.

Cenário Eleitoral em 2018

Os analistas dizem que para 2018 é cotado um presidente reformista para vencer as eleições, conforme informado em pesquisas feitas e analisadas pelos economistas da XP Investimentos.

Os nomes mais cotados são de João Doria e Geraldo Alckmin. E se isso se concretizar a expectativa é a alta do Ibovespa.

Cenário Internacional

Após 2016 e a eleição de Donald Trump neste ano, os analistas teme as eleições na Holanda e na França, que podem ter desfecho favorável à zona do euro.

Aí, há de se considerar ainda os parceiros comerciais do Brasil, como China, que é da zona do euro e os Estados Unidos e a Argentina, que apresentam boas expectativas.

Privatizações no Brasil

Nos últimos dias, o governo brasileiro tem falado em privatizações para reforçar o caixa, o que contribui para o ajuste fiscal. Isso é bom para a infraestrutura do país e também para gerar empregos e consumo.

Isso resulta em queda da percepção e a expansão da atividade econômica.

Catalisadores e Riscos

Os analistas também falam de catalisadores e riscos. A se começar, podemos dizer das reformas econômicas, que mesmo com pouco conteúdo original, representam pontos importantes no avanço do risco de insolvência.

Agências de Rating

A aprovação de reformas e o cumprimento da meta podem fazer com que as agências melhorem a perspectiva da nota do Brasil.

Isso pode impactar os juros para vencimentos mais longos.

Por outro lado, o cenário atual é de revisão para baixo dos juros, o que tem consequências nas despesas financeiras e levar à revisão do lucro líquido das empresas.

Investir Dinheiro é a Melhor Opção para Vencer a Crise Financeira

Mesmo para as pessoas que tem aversão ao risco da renda variável, o mercado financeiro oferece as rendas fixas, que são opções mais conservadoras de investimentos.

Na Crise

“Grandes investidores fazem transações no momento de crise, quando o cenário da economia não está normal”, disse o professor do Fipecafi (Fundação Instituto de Pesquisas Contáveis, Atuariais e Financeiras), Silvio Paixão.

Proteger o Dinheiro

“Para quem tem objetivo de proteger o dinheiro, o ideal são os investimentos em renda fixa como os Títulos do Tesouro Direto. Já aquele que quer lucro adicional, optar pela renda variável seria mais sensato”, diz.

Ganhar Mais

“Não podemos usar as mesmas bases de comparação entre uma melancia e um morango. Se uma pedra cai na melancia, machuca a casca, porém a fruta permanece intacta. Já se cai no morango, ele é esmagado. É preciso definir se, no mercado financeiro, você é melancia ou morango”, ele avalia.

Tributações

“É essencial avaliar as questões tributárias, as taxas administrativas e de carregamento, no caso da previdência privada, pois às vezes elas fazem com que o rendimento seja menor”, diz Edward Cláudio Júnior, da DOSP educação financeira.

Diversificar Investimentos

“Se a pessoa tem 5 mil reais e tem o perfil moderado, ou seja, com disposição para correr alguns riscos, ela pode usar 30% para aplicar na Bolsa de Valores e 70% em rendimentos fixos”, diz Edward.

Estudar Empresas

“Aquelas de setores de primeira necessidade, como do ramo alimentício ou de bancos, dificilmente vão quebrar. Por esse motivo, são mais seguras”, diz Edward.

Planejamento Financeiro

O planejamento financeiro, por sinal, é o primeiro passo para se chegar onde quer que seja – independência financeira, aposentadoria milionária, comprar um carro, comprar uma casa, viajar para a Disney, Las Vegas, Caribe.

Tudo o que você quer conquistar terá que ter um planejamento – até mesmo cursar a faculdade, ter um filho ou trocar de celular, por exemplo.

E o que é ter um planejamento financeiro concreto? É muita coisa! De verdade, o planejamento está em quase tudo na sua vida – desde a hora em que acorda.

Você faz caminhadas pela manhã? Lê o noticiário? Busca informações do mercado financeiro? Tem uma boa rede de contatos? Tudo isso faz parte de um bom planejamento.

Mas, como estamos falando em dinheiro, vamos focar!

Planejamento Financeiro, no seu âmago, é entender quanto dinheiro você recebe mensalmente e quanto dinheiro você gasta no mesmo período. É um saldo do que entra e do que sai. E é a partir disso que você saberá que conseguirá viver de juros ou não.

Bem, perguntinha básica: você gasta mais dinheiro do que ganha no mês?

Se a resposta for positiva, esqueça! Você está voando na contramão do sucesso financeiro. É inevitável, você não vai ficar rico nunca. Ninguém no mundo fica rico se gasta mais dinheiro do que ganha, ninguém.

A ideia é muito simples – se você ganha 10 reais, deve gastar, no máximo 9! E ponto final.

Tem muitas contas para pagar? Empréstimos? Cartão de Crédito? Juros do Cheque Especial? Dê um jeito de quitar isso logo ou se não você só vai se afundar no poço das lamentações.

Gastar menos do que se ganha é a regra de ouro deste artigo. É o primeiro passo, o ponto principal, o fermento que vai fazer o bolo crescer. Se você ainda não consegue fazer isso, nem precisa ler o restante do artigo.

Agora, se você não consegue, mas gostaria de mudar de vida – então, temos algumas matérias que foram publicadas recentemente e pode te ajudar a equilibrar os gastos, mantém um padrão de vida e ainda fazer sobrar dinheiro no fim do mês. Leia:

Ah, também é interessante que você disponha no seu planejamento financeiro os seus objetivos financeiros! Você quer viver de juros, tudo bem, mas quanto dinheiro acumulado precisa ter para isso? Em quanto tempo? Pense nisso.

Os valores são importantes na hora de transformar pequenas quantias em grandes resultados financeiros.

Com informações do Infomoney e Abril

ANÚNCIO