Qual o melhor investimento financeiro para 2018? #10 dicas valiosas

ANÚNCIO

Hoje é o último dia do ano… E separamos algumas horas do nosso dia para uma reflexão importante sobre o melhor investimento financeiro. Talvez você não tenha parado para pensar, mas ele existe.

O melhor investimento financeiro para 2018 existe!

ANÚNCIO

Como Ficar Rico em 2018

Seja em 2018 ou qualquer ano…

Para você ganhar dinheiro, ficar rico e milionário você precisa receber juros!

Essa é a regra fundamental. Aliás, vamos dar um passo atrás e falar da diferença entre a pobreza e a riqueza.

ANÚNCIO

Talvez você não se lembre dos nossos primeiros artigos, então, resumidamente, é assim:

A pobreza acontece quando você gasta mais dinheiro do que ganha.

Como resultado, você precisará fazer um empréstimo no banco para quitar as dívidas. Você pode até quitar as dívidas, mas vai ter que pagar juros ao banco. Nesse tempo, você perdeu muito dinheiro e caminhou para a pobreza.

Pior será se você não conseguir quitar as dívidas e ir fazendo empréstimo atrás de empréstimo.

Essa bola de neve pode aumentar tanto, mas tanto, que seu futuro pode ser a falência ou o que podemos chamar também de estado de pobreza.

A riqueza acontece justamente quando você faz o contrário: quando empresta dinheiro!

E para quem empresta? Para o banco, para o governo ou para empresas. Em troca, você recebe juros e aumenta seu patrimônio. Assim, e aos poucos, você caminha para a riqueza.

https://youtu.be/eJOvC0tON8Q

Você já pode concluir, logo de início, que Ganhar Pouco não Significa ser Pobre, certo?

Bem, ao assunto de “Como Ficar Rico em 2018”, vamos lembrar que nós deixamos de lado aquela pequeníssima possibilidade de ganhar na loteria…

Eu sugiro, então, que você fique rico de outra forma: investindo dinheiro, que é quando você recebe juros.

10 dicas valiosas para descobrir o melhor investimento financeiro para 2018

Vamos fazer algumas breves analises para chegarmos ao resultado final… Com a resposta mais objetiva possível para essa pergunta.

1 – A Poupança

Você realmente acha que a poupança pode ser uma boa aplicação para o seu dinheiro?

Desde 2012, ela se transformou… Passou a não ser ideal para ganhar dinheiro, apenas para preservar o seu patrimônio.

Isto acontece porque quando a Selic (que é a taxa básica de juros da economia) está baixa, a caderneta rende apenas 70% desse índice + uma taxa referencial.

Logo, o rendimento dela está bastante baixo.

Seria um erro se aconselhássemos vocês a nunca usar a caderneta da poupança.

Ela pode ser útil se você quer acumular patrimônio para fazer uma aplicação melhor.

Portanto, de forma geral, se você tem já tem um capital maior do que 1.000 reais… saiba que a poupança não vai ser, de longe, o melhor investimento financeiro de 2018.

O lado positivo dela é pode sacar os recursos quando quiser, além de não ter a incidência de impostos.

Só que em termos de rentabilidade (para ganhar dinheiro) ela é péssima opção de aplicação financeira.

Leia Também – 3 Motivos Para Não Investir na Poupança

Dizer que investir dinheiro na poupança não é uma boa atitude financeira é muito fácil – aliás, são várias as pessoas que dizem isso!

Mas, quais os principais motivos para provar tal fato? Confira no vídeo abaixo:

2 – Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma aplicação financeira que foi disponibilizada em 2002 pelo Tesouro Nacional.

A ideia era justamente a democratizar o mercado financeiro e fazer as pessoas investir dinheiro de forma mais inteligente.

Seria, então, o Tesouro Dinheiro o melhor investimento financeiro para 2018?

Se você está com dinheiro “parado” na poupança, o Tesouro é uma alternativa muito melhor.

E isto tem algumas explicações bastante convincentes. Vamos lá!

O Tesouro Direto é mais rentável do que a caderneta da poupança e é uma aplicação muito mais segura (ele é garantido pelo Governo Federal).

As pesquisas indicam que cada vez mais os investidores estão optando por esse tipo de investimento e, desde 2002 nunca se viu tanta gente no programa.

Em comparação a poupança, há alguns pontos negativos também.

Um deles é a burocratização. O investidor precisa ter uma conta em uma corretora de valores, tem a incidência do imposto de renda e pouca liquidez.

O que é pouca liquidez?

No Tesouro Direto você não pode (e não deve) ficar colocando dinheiro e tirando quando bem entender. Se você assim fizer pode ter sua rentabilidade diminuída.

Isto acontece porque os vencimentos dos ativos do Tesouro são para o longo prazo. Por exemplo, há o Tesouro IPCA 2045, que é pensado no ano de 2045.

Quem aplica nessa opção tem que saber que o “ideal” é manter a aplicação até esse prazo.

Resta saber se o Tesouro Direto vai ser o melhor investimento financeiro para 2018…

Oras, se você tem baixo valor para aplicar, tem a disponibilidade de esperar o vencimento final e quer ganhar dinheiro a mais do que recebe na poupança…

Então, nesse caso, o Tesouro Direto é o melhor investimento financeiro de 2018.

Leia Também – Os Principais Títulos do Tesouro Direto

Esse também é um tópico bastante resumido, mas é para você ter uma ideia do tanto de opções que há no Tesouro Direto, principalmente se pensado nos prazos de investimentos: curto, médio ou longo.

Tesouro Prefixado (antigo LTN) 

É quando o investidor vai receber o valor acrescido da rentabilidade na data de vencimento. Se resgatar antes, pode ter um preço variado negativamente.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antigo NTN-F) 

É indicada como renda complementar porque a cada 6 meses a categoria faz o pagamento de juros ao investidor, como uma antecipação da rentabilidade final.

Tesouro Selic (antigo LFT) 

É pós-fixados e muito contratado por quem busca realizar lucros com alta taxa de juros e sempre mantendo o poder de compra.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (antigo NTN-B) 

Oferece rentabilidade acima da inflação porque é composta por uma taxa de juros prefixada e pela variação da inflação IPCA. Com isso, há a garantia de uma rentabilidade total do título sempre acima da inflação.

Tesouro IPCA+ (antigo NTN-B) 

Tem vencimento mais longo, por isso, é super indicado para quem está pensando na aposentadoria ou na faculdade dos filhos, por exemplo. Também tem rentabilidade acima da inflação.

Já falamos aqui algumas vezes, mas vale repetir: o ideal é ter uma reserva de emergência, depois que já estiver com um bom valor para investir, vale pensar na diversificação dos investimentos, mesmo dentro do Tesouro Direto.

É aí que o dinheiro começa a trabalhar por você, vias de fato.

Qual o melhor investimento financeiro para 2018? #10 dicas valiosas
Reprodução: Google

3 – CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB é um produto bancário que funciona de forma parecida com o Tesouro Direto – mas há diferenças.

As semelhanças têm a ver com o fato de ter um rendimento melhor do que o da caderneta da poupança, só que tem o imposto de renda e pouca liquidez.

Quanto ao rendimento, especificamente, ele está atrelado ao CDI (Certificado de Depósito Bancário), que é uma taxa de juros praticada entre os bancos.

Há CDBs que pagam 80% do CDI e outros que pagam até 110% do CDI… Claro que quanto maior a porcentagem, maior o lucro do investidor.

Do lado das diferenças entre o Tesouro e os CDBs é que neste último o valor para aplicação inicial é, geralmente, mais alto, partindo (na maior parte das vezes) dos 5 mil reais.

Há ainda outra grande diferença – quanto à segurança desse investimento. Os CDBs não têm a garantia do Tesouro Nacional.

Portanto, será que o CDB está muito longe de ser o melhor investimento financeiro do ano?

Calma!!

Mesmo sem a garantia do governo, o CDB pode ser considerado uma aplicação segura. Isto porque conta com o FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

O FGC é um órgão que dá alguns benefícios ao investidor, mas tenha atenção… Ele cobre apenas valores que vão até 250 mil reais por pessoa.

Logo, se você 500 mil reais investidos, o que deveria fazer? Aplicar o dinheiro em dois bancos diferentes… dividindo o patrimônio acumulado.

Vamos supor que você tenha 5 mil reais para investir e não tenha pressa para resgatar a aplicação… Neste caso, encontramos uma ótima opção para você.

O CDB, nesse caso, pode ser o seu melhor investimento financeiro em 2018.

Tipos de CDBs

No atual mercado financeiro existem dois tipos de CDBs: os prefixados e os pós-fixados.

Os prefixados

O CDB prefixado é aquele na qual o investidor saberá exatamente a rentabilidade que terá na hora que iniciar o investimento – as taxas se mantêm durante a vigência do título.

A dica para quem vai investir em CDB prefixado é buscar as instituições financeiras menores, que oferecem as melhores taxas fixadas do mercado.

Muitas pessoas tem medo de investir em bancos menores porque desconhecem o fato de que eles também são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Todo banco tem a garantia de até 250 mil reais por pessoa, dependendo do investimento financeiro.

Os pós-fixados

Nesse caso, a rentabilidade é baseada em taxas de referências, ou seja, que podem se alternar durante o período de vigência do título. Normalmente, usa-se o CDI (Certificado de Depósito Bancário), que fica sempre próximo à taxa básica de juros, a Selic.

Quando o investidor opta pelo CDB pós-fixado, ele sabe que terá uma rentabilidade muito próxima à Selic, acompanhando as variações do mercado.

Neste caso, porém, o grande segredo é que o percentual pago sobre o CDI não é fixo e varia de banco para banco, dependendo do valor e do período de investimento.

4 – LCI (Letra de Crédito Imobiliária) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

Esse tipo de aplicação é muito parecida com os CDBs.

É um produto bancário, tem incidência do imposto de renda, tem liquidez baixa, rende mais do que a poupança, a rentabilidade tem a ver com o CDI e tem a garantia do FGC.

Só que há algumas diferenças.

A se começar pelo valor inicial de aplicação – que é bem mais alto do que os CDBs.

No atual mercado financeiro é muito difícil encontrar uma LCI ou LCA que exigem um valor menor do que 20 mil reais para a compra do título.

Outra diferença é a finalidade de uso do dinheiro. Nesse caso, os bancos usam os recursos para financiar imóveis ou a área do agronegócio.

Enquanto no CDB, os usos são mais generalizados.

Ficou fácil: se as letras de crédito rendem conforme o CDI só que exigem um valor inicial mais alto… É óbvio que elas não fazem parte do grupo do melhor investimento financeiro do ano, certo?

Na verdade, essa pode sim ser a melhor aplicação financeira se o seu foco for ganhar dinheiro.

Isso porque ela tem um ponto crucial e que a diferencia das outras opções já citadas aqui (Tesouro Direto e CDB).

As letras de crédito tem a isenção do imposto de renda – logo, a rentabilidade não é diminuída pelo “leão” da Receita Federal.

Para concretizar a teoria de que uma Letra de Crédito pode ser o melhor investimento financeiro de 2018, faça as contas… E compare com os CDBs.

Leia Também – Letra de Crédito é diferente de Letra de Câmbio

“Elas são primas dos CDBs”, afirma a diretora do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF), Marcia Dessen. “Ambos funcionam da mesma forma, com a diferença de que o CDB é emitido por bancos e as LCs por financeiras”, completa.

Então, pessoal, quando alguém dizer “Letra de Câmbio” não se assuste, é apenas um nome bonito para explicar uma coisa que já sabemos.

“As LCs eram bastante usadas nas décadas atrás, quando as financeiras emitiam os papéis em troca de dívidas das pessoas para pagar fogão e geladeira, que eram caros”, conta William Eid, da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Tal motivo explica por que o nome leva a palavra Câmbio, já que representa a troca de uma coisa por outra.

Ah, outra diferença com o CDB é que a LC não precisa de lastro, ou seja, só é possível emitir letras caso exista um volume de empréstimo correspondente que possa servir como garantia.

O que é

São títulos oferecidos pelas financeiras. É uma Renda Fixa procurada pela alta rentabilidade.

Saiba quanto você vai receber em uma Renda Fixa!

Prazo

Existem vários prazos de vencimento, sendo de curto ou longo prazo, sem a necessidade de existir um prazo mínimo.

Aplicação Mínima

A aplicação mínima é alta, comparada à outros investimentos, sendo que é preciso 30 mil para começar a investir nessa opção. Vale lembrar que as melhores taxas são pagas a com valores acima de 50 mil reais.

Tipos

Existem 3 tipos de LC.

A prefixada é aquela que você já conhece a rentabilidade exata logo na contratação.

A pós-fixada você só conhecerá a rentabilidade ao final do prazo.

Ea híbrida é aquela que está atrelada aos juros e também há um indexador, dessa forma, o rendimento também será variável.

5 – Imóveis para alugar

Comprar um imóvel para alugar é um tema polêmico, mas uma das formas mais antigas para ganhar dinheiro.

Seriam, portanto, os imóveis a melhor forma de aumentar de patrimônio no próximo ano?

Bem, devemos considerar o aluguel de imóveis como um investimento financeiro. Isso porque o aluguel gera uma renda, um lucro, uma rentabilidade.

Por outro lado, essa opção pega em alguns pontos importantes que poderiam ser considerados.

Um deles é a garantia do lucro.

Quem garante que um dono de imóvel vai conseguir alugar o seu bem por um valor justo? Não é o Tesouro Nacional e nem o FGC.

Além disso, por se tratar de um produto físico, ele gera a necessidade de cuidados especiais, como a manutenção, reformas, troca de peças… Além dos impostos.

Aí você pode até cogitar que existem imóveis que podem ser comprados em leilões (que custam bem menos)…

Ou que os imóveis comerciais são mais fáceis de serem alugados…

Está tudo bem! Nós não queremos mudar a sua visão, apenas alertar.

Racionalmente, os mercado imobiliário tem sofrido com a atual crise – o que pode tornar o aluguel difícil. Além disso, o dono não tem garantias de rentabilidade.

Se comparado com as opções cotadas até agora (especialmente o CDB, a LCI, a LCA e o Tesouro Direto), alugar um imóvel não é o melhor investimento financeiro de 2018.

Ele pode te fazer ganhar dinheiro… Mas não é o mais prático, mais didático, mais garantido, mais seguro… O imóvel não é a sua melhor opção para 2018.

No tópico 9 falaremos sobre os fundos imobiliários, que são alternativas aos aluguel dos imóveis.

Leia Também – Letras Imobiliárias Garantidas (LIG)

O Banco Central lançou a Resolução 4598 que permite a emissão da LIG (Letras Imobiliárias Garantidas) por instituições financeiras.

A medida já era esperada pelo mercado e nada mais é do que um título de crédito que incorpora os chamados covered bonds (instrumentos de financiamento de longo prazo).

Os covered bonds são usados na Europa e funciona como um sistema de crédito sujeita a supervisão pública e com regulamentação especifica. Os investidores podem ter uma carteira de créditos (cover pool).

Do lado das instituições, elas precisam manter os ativos suficientes para satisfazer os interesses dos investidores a qualquer momento.

6 – Fundo de Renda Fixa

Os Fundos de Renda Fixa são interessantes de serem estudados.

Bom, o que é um fundo? Imagina que você ainda não saiba, exatamente, onde vai aplicar dinheiro na renda fixa…

  • Seria no Tesouro?
  • LCI/LCA?
  • CDB?

Então, um fundo é uma única carteira que contempla vários ativos, podendo ser, inclusive, esses que citamos – CDB, LCI/LCA, Tesouro e até mesmo poupança.

E quanto ao rendimento, você vai perguntar.

Bem, o rendimento vai depender das porcentagens desses ativos na carteira.

Apenas para você entender: se você está em um fundo que aplica mais de 50% na caderneta da poupança, então tem que saber que ele não vai render muito.

Talvez esse fundo nem exista – nós só estamos exemplificando, tudo bem?

Agora, pense em um que aplica muito mais em CDB e pouquíssimo na poupança… Aí seria melhor né?

Portanto, a rentabilidade vai depender das porcentagens dos ativos.

Um fundo de renda fixa quer dizer que todos os ativos serão da renda fixa, portanto, não haverá aplicações em ações, por exemplo.

Ficou fácil né?

Boa parte das características se mantém: liquidez variável, valores médios, impostos.

Mas tem algo que muda e que pode fazer toda a diferença – é isso que vai fazer o fundo de renda fixa ser o sei melhor investimento financeiro de 2018 ou não:

A taxa de administração!

Essa explicação é muito importante para este artigo e vai ser útil para todos os fundos de investimentos que serão citados a partir de agora!

No mercado financeiro, há um padrão entre os valores dessa taxa – eles vão de 0,5 a 3% ao ano.

É uma taxa cobrada pela instituição para arcar com os custos que ela tem, inclusive, com o do gestor.

Observe que em um fundo, o investidor não tem opinião ativa e é o gestor que vai determinar os ativos que serão alocados na carteira. E isso, obviamente, tem um custo.

E por que essa taxa de administração é tão importante? Porque ela tem o poder de diminuir sua rentabilidade… A questão é com quanta força ela faz isso!

Se você quer entrar em um fundo que tem mais de 1,5% de taxa de administração, saiba que muito dificilmente você estará aplicando no melhor investimento financeiro de 2018.

O que os analistas dizem? Que todo fundo que tem taxa de administração em 1,5% ou mais não são financeiramente vantajosos. Essa não é uma lei, mas uma verdade para os dias atuais.

Então, para entender os fundos considere que ele poderá ser uma boa opção para ganhar dinheiro, mas só quando tiver taxa de administração abaixo de 1,5%.

Se assim for, faça as contas considerando também a rentabilidade e os outros encargos e veja se esse é o melhor investimento financeiro para você!

7 – Fundo de Ações

Se você leu o tópico acima, já está sabendo quase tudo dos fundos.

No caso dos fundos de ações, a diferença é que os ativos que compõe a carteira serão de ações e não da renda fixa.

Você também tem que se atentar a taxa de administração, impostos, rentabilidades… Mas as ações serão escolhidas pelo gestor.

Aqui vale uma dica: existem instituições que criam fundos de ações baseados em índices. Por exemplo, Fundo de Ações Ibovespa, Fundo de Ações Small Caps, Fundo de Ações Elétricas e assim por diante.

Isso pode definir as ações que estarão na carteira – no caso do fundo elétricas, imagina-se que sejam ações de empresas do setor elétrico.

A grande diferença é o mercado – os fundos de ações são opções mais agressivas, para investidores que fogem das opções conservadoras.

Leia Também – Como Investir em Fundos

Desmitificando o mercado que muita gente julga conhecer, investir dinheiro não é nada complicado. Para exemplificar isso e falando diretamente dos Fundos DI, fizemos 3 passos para você investir seu dinheiro em Fundos DI.

Opte por um fundo que seja coerente com seus objetivos

Se você vai fazer uma viagem daqui um ano ou quer comprar um carro mais novo… Não importa qual seja o seu objetivo, mas você precisa ter um em mente.

O investimento, nesse caso, pode ser considerado um veículo muito rápido para te levar até o seu objetivo.

Busque informações sobre os procedimentos que a instituição determinou para realizar as aplicações

É aqui que entra o planejamento financeiro já que você precisa estar atento ao seu objetivo, se é para longo prazo ou curto, por exemplo. É preciso lembrar que o fundo é apenas um meio para você alcançar o seu objetivo.

Envie os documentos pessoais e o cadastro para a abertura da conta corrente

É preciso criar uma conta em algum banco para transferir o dinheiro. Caso você ainda não tenha, faça isso. E saiba que também existem fundos de investimentos em corretoras e não apenas nos bancos.

8 – Fundo Multimercado

O fundo multimercado é para você que achou que o fundo de renda fixa é conservador demais, mas que o de ações é muito agressivo.

O multimercado é um meio termo, ele une alguns ativos da renda fixa e outros da variável, podendo mesclar CDBs e ações, Tesouro e debêntures, LCI e dólar, ouro… Assim por diante.

Nos dias atuais, com a queda da Selic, alguns investidores têm encontrado no fundo multimercado uma forma de aumentar os ganhos com investimentos.

Ele tem um perfil moderado porque tem a garantia dos ativos conservadores com a agressividade da Bolsa de Valores.

Mas, novamente, é preciso cuidado com a taxa de administração para que ela não minimize muito a sua rentabilidade.

Nós não sabemos se é o seu caso, mas para muitos analistas, o fundo multimercado é o melhor investimento financeiro de 2018 – que começou a ir bem após os constantes cortes da Selic.

9 – Fundo Imobiliário

Essa é uma das melhores alternativas para quem gosta muito de aplicar dinheiro em imóveis, mas notou que o mercado imobiliário tem alguns entraves, como a vacância.

O fundo imobiliário funciona como um fundo normal – vários investidores investem dinheiro em vários ativos que formam uma carteira.

O fato é que essa carteira pode ser composta por tudo que há no mercado imobiliário e não em uma única casa ou apartamento.

Entre os ativos estão: a construção de empreendimentos, terrenos, shoppings centers, imóveis comerciais, residências, conjuntos… Entre outros.

Essa é uma das vantagens – a diversificação de tipos de imóveis.

Além disso, ao investir dinheiro em um fundo imobiliário você não precisa ficar preocupado com a manutenção do bem, com a vacância, IPTU e nem nada disso.

Nos dias atuais, os FIIs (Fundos de Investimento Imobiliários) estão com rendimentos acima da média da Bolsa de Valores, em muitos casos.

Para não errar, pesquise!

O FII pode até não ser o melhor investimento financeiro do mundo, mas, com certeza, é mais prático e rentável do que comprar imóveis para alugar.

Leia Também – Como Investir em Fundos Imobiliários

Normalmente, o investimento inicial é muito menor do que um imóvel físico, claramente. Isso porque toda compra é feita através de cotas.

Para investir, o investidor precisa contratar o serviço de um banco ou de uma corretora, que fará a intermediação.

André Luzbel é sócio da Bahia Partners e diz que existem fundos imobiliários com cotas a partir de 100 reais.

O mercado dispõe de uma variedade de fundos, por isso, torna imprescindível estudar e conhecer bem os fundos antes de comprar as cotas.

“É preciso saber que perfil de fundo imobiliário lhe agrada mais. Se quiser maior segurança, são indicados fundos que investem em aluguel de agências bancárias, por exemplo. Se quer arriscar mais, pode buscar loteamentos e shoppings centers, mais arriscados porque têm um mix de varejo”, orienta.

Quanto aos riscos, eles são muito parecidos com os de qualquer imóvel – vacância, inadimplência e a própria depreciação dos bens.

Se comparado os aluguéis e imóveis físicos, dá para imaginar como se o proprietário precisasse negociar todos os dias o valor do aluguel com o inquilino. Porém, nesse caso de fundos, os riscos são diluídos pelo número de imóveis diferentes que são negociados.

Outro ponto importante é que a gestão do negócio é feita por profissionais (que devem ser qualificados para tal função). Assim, você não precisa lidar diretamente com os assuntos, apenas gerenciar os lucros – pagos mensalmente.

Joel Gomes é um investidor de fundos imobiliários há mais de 1 década.

Ele diz que optou pelos fundos como alternativa às ações de empresas e, principalmente, pela possibilidade de gerar uma renda mensal como valor investido.

“O fundo imobiliário sofreu muito pouco na crise, como a maioria dos fundos. Como são feitos de uma cesta de imóveis, tem vários prédios diferentes, o impacto da vacância não acontece como nos prédios fixos. Como tem uma grande quantidade de imóveis no fundo, a perda de um ou dois não impacta o seu caixa”, diz Gomes.

Sobre escolher o melhor fundo imobiliário, Joel diz que existem muitos sites que dão informações relevantes, como em fóruns de discussão, entre outros.

“Não precisamos ser engenheiros para avaliar um imóvel para comprar, não precisamos ser economistas para avaliar um fundo imobiliário. Precisamos entender os riscos e assumir os riscos, assim como para comprar um imóvel físico”, diz Fabrício Tota.

10 – Mercado de Ações

Enfim, o mercado acionário, da temida Bolsa de Valores. O que dizer desse mercado que você ainda não tenha ouvido falar?

É a famosa renda variável, um investimento agressivo, que proporciona grandes ganhos, é mais arriscada… Tudo isso é verdade.

Por ser uma das aplicações que mais podem dar ganhos, será que é o melhor investimento financeiro para 2018?

Ao que tudo indica, pode ser… Desde que você tenha conhecimento para atuar nesse mercado, que é complexo e cheio de detalhes.

Uma das maneiras que os grandes investidores fazem para ganhar dinheiro com as ações é minimizar os riscos do mercado acionário.

Isso é possível com algumas técnicas simples… E nós temos um curso intensivo que ensina exatamente como conseguir fazer isso.

Quer saber? Clique aqui.

Leia Também – Como Investir na Bolsa de Valores?

As pessoas têm muitas dúvidas em como fazer para investir na BM&FBovespa. Acham que é um mercado de difícil acesso, mas não é!

E mesmo que você não tenha tempo para acessar as ações a cada minuto, você também pode comprar e vender ações de forma regular.

Justamente por isso, para desmitificar o fato de que investir na Bolsa é complicado, criamos um artigo no blog com o título “Como Investir em Ações em 3 Passos“.

Ação Direta

Você escolhe as ações que quer comprar e transmite uma ordem para a sua corretora. Quando outro acionista tem o interesse contrário ao seu, a transação ocorre.

Clubes de Investimentos

Funciona como os Fundos de Investimentos, mas com a vantagem de diluir seus custos.

Fundos de Investimentos

Você compra cotas de uma carteira de investimentos. É considerado de baixo valor de capital e um profissional cuida de tudo para você. Por isso, no mercado de ações, é o queridinho.

Fundos de Índices (ETFs)

Também com cotas da bolsa, você trabalha com índices de mercado. São vários índices.

Se você gostou das Ações, pode tirar todas as dúvidas aqui.

Lembre-se que esse é apenas um resumo, as explicações mais detalhadas você encontra nos links aqui inseridos e na página inicial do Blog.

Descobriu qual o melhor investimento financeiro de 2018 para você?

Após a leitura deste artigo dá para notar que para cada tipo de pessoa uma opção vai ser a melhor.

E isso pode variar por muitos motivos: pela rentabilidade, pelo prazo de resgate, pelo valor de aplicação, pela comodidade, pelas taxas, pelos impostos…

Para o mercado financeiro, não existe o melhor investimento financeiro do ano, mas para você sim!

A grande questão é fazer acontecer! Na busca incessante por ganhar dinheiro, as pessoas não dão atenção suficiente para o hábito de investir dinheiro, mesmo que isso seja extremamente importante!

E não podemos culpa-las… A falta de educação financeira no Brasil é muito grande.

Portanto, nessa virada de ano, temos um pedido muito importante para fazer para você, de coração:

Compartilhe esse conteúdo com quem você gosta muito e dê a ele a chance de mudar de vida, de ganhar dinheiro.

2018 promete ser um ano de renovações e de melhora na economia. Essa é a chance que muitas pessoas vão ter para sair das dívidas e entrar no mercado financeiro.

E você já sabe como fazer isso, não é? Escolhendo o melhor investimento financeiro para você!

Investir dinheiro do jeito fácil?

O assunto de finanças ainda é tabu para muita gente. Quando falamos em investir dinheiro, a questão torna-se ainda mais desconhecida. Desse tema, as pessoas costumam ser perguntar: “como investir dinheiro ganhando pouco”.

Dessa interrogação é possível observar que as pessoas tem a falsa crença de que só quem tem muito dinheiro pode investir. Mas isso não é verdade. O investimento financeiro é essencial para todo mundo que quer ter uma vida financeira mais equilibrada e correta.

Antes de conhecer algumas opções de aplicações, considere os fatos!

Tenha objetivos definidos

Esse é um passo importante porque você deve se perguntar: “para que quero ganhar dinheiro”? Se você não tem motivos, então, nunca vai conseguir chegar ao sucesso.

Leve em conta algumas questões importantes:

  • Quanto você vai investir,
  • Em quanto tempo quer ter retorno,
  • Como vai dedicar seu tempo ao mercado financeiro?

Se você está pensando na aposentadoria, considere que precisará ter um investimento no longo prazo, sem a necessidade da liquidez… Mas se você quer ganhar dinheiro rápido, em um curto prazo de tempo, é melhor pensar no mercado de ações.

Tudo vai depender dos seus objetivos, por isso, defina-os.

Segurança Financeira

No Mercado Financeiro, o período de curto prazo é visto como algo que varia entre 3 meses e 2 anos, aproximadamente. Não há regras, mas, provavelmente, quem usa esse tipo de investimento tem motivos para “sacar” o dinheiro rapidamente, logo após a aplicação.

Assim, o melhor investimento financeiro no período curto tem que ser seguro, a fim de proteger o capital aplicado.

A conclusão você já deve ter imaginado – Se o assunto é Segurança, falamos em Renda Fixa porque preservam o dinheiro aplicado, mesmo que a rentabilidade não seja tão alta.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

Crie hábitos saudáveis para o seu bolso

Você precisa entender que investir dinheiro realmente não é uma tarefa das mais fáceis – você vai precisar de tempo, paciência, dedicação.

Por isso, o melhor jeito de conseguir chegar ao objetivo é criando hábitos.

Quer ver só? Sabemos que os tempos são de crise, obviamente, para manter as contas em dia você tem que economizar dinheiro e isso pode ser um hábito. Se você evita comprar alimentos a mais, deixa de desperdício e gastar dinheiro sem necessidade.

Mas esse é só um exemplo.

O cafezinho que você toma na padaria todos os dias pode resultar em gastos superiores a 500 reais por ano. Já pensou em tomar só aos sábados e o restante do dia beber em casa? Isso poderia te dar uma economia gigante e é um hábito positivo.

Portanto, para deixar o caminho menos tempestuoso, crie bons hábitos financeiros.

Investir dinheiro do jeito fácil

Você não tem que entrar de cabeça no mercado financeiro e já sair comprando todas as ações da Petrobras ou da Eletrobras ou da Vale. Nada disso! O mercado financeiro não é para amadores, você tem que criar experiência sobre ele.

Entenda que todo investidor precisa ter estratégia… Onde você vai aplicar dinheiro?

Se você acha que ainda não tem conhecido sobre o mercado, considere algumas opções mais simples, como os fundos de investimentos, vamos falar deles abaixo.

Da Redação

ANÚNCIO