É compulsivo por Compras? Veja Qual a Melhor Época para Comprar

ANÚNCIO

Se você já parou para pensar se existe alguma época que é melhor para fazer compras, saiba que sim. Alguns meses são ótimos para quem precisa de eletrônicos e eletrodomésticos, por exemplo, mas que não podem gastar muito dinheiro.

Será que compensa comprar em Black Friday? E em liquidações? Vamos falar sobre tudo isso neste artigo e mais: 7 Dicas para você garantir os preços mais baratos na compra online!

ANÚNCIO

Compras por Impulso

No atual mundo em que vivemos é muito comum sermos compulsivos por compras, afinal, existem muitos textos, vídeos e imagens, além de tweets e propagandas que parecem exibir preços nunca vistos para produtos totalmente inovadores.

Sempre aparece aquela propaganda que você tanto aguardava. Aliás, nem sempre você a aguardava, mas ela está ali, mostrando que o preço está ótimo. E, aí, vale a pena comprar, não vale? Nem sempre!

Grandes descontos não significa que sua necessidade sobre o produto vai aumentar.

ANÚNCIO

Ainda não existe uma fórmula mágica para evitar as compras por impulso, mas existem dicas que podem te ajudar quanto a isso. Uma delas é focar naquilo que é necessário e separar daquilo que está apenas barato demais.

A partir do momento que você sente a necessidade de adquirir algo, aí sim, você tem que começar a buscar o menor preço, pechinchando, analisando as formas de pagamento, os juros, os descontos. E não o contrário.

Os meses mais baratos para Comprar

Antes de saber os meses, você precisa levar em conta que não ter pressa é a melhor recomendação para economizar dinheiro em qualquer setor.

Já observar os pequenos detalhes também pode ser vantajoso, levando em conta os motivos sazonais, datas comemorativas ou eventos específicos.

  • Sobre Comprar em Liquidações, teremos um tópico abaixo, não deixe de ler! Afinal, será que vale a pena ou não?

O grande segredo é, portanto, se atentar aos detalhes.

Janeiro

É considerado um dos melhores períodos para encontrar preços mais baixos em vários setores, principalmente por ser considerado um mês pós-festas (Natal e Réveillon).

Fevereiro

Aparece na tendência de Janeiro, tendo uma proposta mais atraente para compra de eletrônicos, como jogos de vídeo game. Isso porque eles têm lançamentos que acontecem em Outubro, quando os valores são bem altos.

As câmeras digitais seguem a mesma linha.

Março

Por ser final do Verão, as lojas de roupas apresentam descontos consideráveis e liquidações com o objetivo de queimar o estoque para receber a próxima coleção (outono/inverno).

Julho

É um período de frio, o que influencia diretamente nos itens relacionados ao Verão, como a compra de piscinas, ar-condicionado ou churrasqueiras. Perfumes e flores também ficam mais em conta, já que eventos como Dia das Mães e Dia dos Namorados ficaram para trás.

Outubro

É um ótimo mês para comprar carros, já que as montadoras tornam alguns veículos obsoletos e dão espaços à novas atualizações do mercado, o que diminui, inclusive, os custos dos carros.

Novembro

Esse mês é ótimo para comprar itens de tecnologia como Televisão, Computadores, Eletrodomésticos… Já que as fabricantes dão maior exclusividade para eletrônicos com a chegada da Black Friday e da Cyber Monday.

7 Dicas para Garantir os Preços Mais Baratos nas Compras Online

Antes, uma inovação. Agora, uma comodidade. É essa a história das compras online no Brasil. Com um inúmero incontável de informações e novos mecanismos de buscas e de segurança, os internautas estão cada vez mais a vontade para comprar pela internet.

Mas, nem tudo são flores. É só olhar no noticiário e ver que muitos brasileiros continuam cada vez mais endividados. Além disso, está no noticiário casos de golpes feitos via web.

Tem gente que perde milhões de reais com Fraudes… Confira no final do artigo como não cair nesses golpes!

Separamos as melhores dicas na hora de comprar online.

1 – Comparar os Preços

Comparar os preços é a regra número 1. Normalmente, as compras pela internet saem mais barato, mas não custa muito pesquisar. Aliás, mesmo entre diferentes sites, há oscilações no preço.

Na internet, porém, há muitas vantagens que não existem nas lojas físicas. Como ferramentas que facilitam o acesso em um ambiente virtual. Esses serviços online reúnem inúmeros sites e produtos, permitindo a verificação de valores e o acesso à oferta original de maneira prática.

Se você não sabe do que estamos falando, confira cada um desses sites: Buscapé, Bondfaro, JáCotei, Zoom, Google Shopping Brasil, Shopbot, Zura!, Preço Mania, Cata Preço, Twenga, CotaCota, TradePar.

2 – Clique Agora

A segunda dica para não gastar dinheiro à toa é jamais comprar algo por impulso. Logo, você precisa tomar cuidado com os anúncios das super, ultra, megas promoções. Inclusive, que tem banners imensos.

Logo, mesmo que os preços estejam bem abaixo da média, é preciso analisar essas promoções relâmpagos.

No fim das contas, para saber se um produto está realmente barato, será necessário estar ligado no preço dele em outros sites e lojas. A regra é pesquisar, sempre.

3 – Cupom

No comércio online há uma modalidade promocional que ganhou muita força nos últimos dias: a de cupons de desconto. As maiores lojas têm apostado em usar o cadastro dos seus clientes para oferecer porcentagens promocionais que reduzem os preços dos produtos.

Isso incentiva os internautas a comprarem mais e se tornarem verdadeiros fiéis do consumo por impulso.

Na real, você nem precisa esperar que os próprios sites enviem tais cupons porque existem sites especializados que fazem isso. Se você ainda não os conhece, clique: Cuponomia, Cuponeria, Busca Descontos, Cupom.com, Meliuz, CupomDesconto, Pega Desconto, PromoClub.

Como juntar dinheiro rápido? 10 aplicativos de celular para fazer isso agora mesmo!

4 – Negociar

Já vamos adiantar que não é habitual, porém, algumas lojas virtuais oferecem ferramentas que permitem uma comunicação direta entre o consumidor e o vendedor. Isso, quando acontece, é em horário comercial.

E se funcionar, pode ser uma ótima forma de você economizar dinheiro.

Use as informações de preços e disponibilidade dos concorrentes para obter sucesso na negociação. Simpatia e persuasão também são importantes.

5 – Forma de Pagamento

Depois que decidiu pela compra do produto, não finalize a compra sem observar com atenção as opções de pagamento disponíveis. E elas podem ser à vista, boletos bancários ou transferências via internet banking.

Isso sem contar também que várias lojas têm serviços de cobranças que dão a chance de fazer parcelamentos sem juros. Perder alguns minutos, nesse caso, pode significar alguns reais a mais no bolso.

Como Começar a Usar o Banco pelo Internet Banking

Antes de qualquer coisa é preciso tomar as devidas medidas de segurança, como rever as instalações do antivírus e do firewall, mantendo-os atualizados.

Depois, se for feito pelo computador, é interessante que não se use o Internet Explorer, que costuma ser menos seguro do que os seus concorrentes.

Por fim, não é indicado fazer essas operações em computadores ou redes públicas, já que os dados podem ficar gravados e ser acessados por outras pessoas.

Visto isso, basta seguir os passos:

  1. Solicitar uma Senha que será utilizada online. Essa não é a mesma senha usual do banco, e sim outra, que é solicitada diretamente com o gerente da sua conta ou um funcionário responsável,
  2. Depois, é preciso acessar o site do seu banco e instalar as medidas de segurança para que as ações sejam realizadas sem risco. Normalmente, são plug-ins,
  3. Agora sim, você está apto à usar o serviço online e para acessar a conta, você tem que digitar a conta, a agência e o usuário e a senha que foram enviadas pelo gerente,
  4. Dentro do site, é possível selecionar quais serviços forem de seu interesse, como pagamentos, transferências ou consultas.
  5. No caso de aplicativos para celulares, é preciso cadastrar, além da senha eletrônica, um Token, que é um dispositivo que permite a troca da senha rapidamente e é utilizada para movimentações maiores, acima de 200 mil reais.

Com os devidos cuidados tomados, é possível utilizar as tecnologias como uma solução eficiente para a realização das movimentações bancárias.

6 – Interação Social

Interação Social hoje em dia quer dizer Rede Social. Assim sendo, quase todas as lojas usam perfis em sites de relacionamento, principalmente se pensarmos em Twitter e no Facebook.

Nessas redes é possível acatar códigos que dão direito aos seus seguidores para adquirir produtos por preços mais baixos. Essa venda online é o que os especialistas chamam de e-commerce.

É possível ganhar dinheiro com o e-commerce? 6 motivos para provar que SIM

É possível ganhar dinheiro com o e-commerce? 6 motivos para provar que SIM

7 – Google Shopping

Essa parte é bem interessante e funciona assim: quando você faz buscas por produtos na internet, elas ficam armazenadas nos cookies mantidos pelo seu navegador.

Por um lado, isso é bom para as lojas, que sabe exatamente o que você procura. No entanto, você também pode usar a seu favor, usando o Google Shopping, que é um quadro de ofertas patrocinado mostrado pelo buscador.

Comprar em Liquidações: Vale a Pena?

Se você se identificou com a frase “compra por impulsivo” também deve ter afeição por “Liquidações”, não é verdade? Aliás, quem aí resiste à uma boa promoção, com produtos a metade do preço?

Neste tópico, você vai aprender como ter muito cuidado com essas ofertas, levando em conta que seu dinheiro precisa ser domado por você e não o contrário.

O 1º passo tem acontecer dentro de casa, antes mesmo de sair às compras. E essa dica é para observar os objetos que costumam ficar esquecidos no fundo do guarda-roupa ou do armário. Se você já o tem, não precisa comprar outro, não havendo tal necessidade.

O desperdício, inclusive, é um dos maiores males do nosso século.

O segredo é anotar o que você quer comprar e conferir se você precisa mesmo daquilo. Para isso, use a tecnologia, onde as lojas online costumam apresentar os melhores preços. Por outro lado, pense em objetos que não precisam ser trocados, como livros.

Outra dica é pesquisa o preço do produto, que, como visto acima, pode estar em preços promocionais, dependendo da época do ano. Saia de casa com o preço anotado e pechinche na loja física.

Quando chegar no local, vá direto ao ponto que você precisa sem ficar rodeando outros setores. A regra de ouro é entender que “não é porque está barato que você precisa comprar”.

Bom, para terminar esse tópico, vamos à resposta da pergunta: comprar em liquidações vale a pena? Vale se o preço estiver realmente barato e MAIS IMPORTANTE DO QUE ISSO se você estiver precisando de tal produto.

Não gaste seu dinheiro a toa. Se realmente for importante, aproveite o preço bom e compre. Fora disso, a compra não valerá a pena.

E a Black Friday, compensa?

A Black Friday é apenas um nome estrangeiro para dizer o mesmo que promoção. A grande questão é que nos Estados Unidos as empresas se unem para baratear seus produtos de uma única vez. No Brasil, a ideia tem o mesmo princípio, mas nem sempre acontece da mesma forma.

Juracy Parente é professor de varejo da FGV e diz que a Black Friday visa concentrar as promoções em um único dia.

Para valer a pena, o consumidor não tem que se basear apenas na data. Logo, não é porque existe uma Black Friday que ele deve comprar. Somente se já estiver precisando do produto e ele realmente estiver mais barato do que o pesquisado anteriormente.

Ah, por sinal, não acredite que o vendedor dizer que antes estava custando 100 reais e agora está 50. Na hora de vender, esses profissionais usam de todos os artifícios.

A grande dica é pesquisar sobre o preço de um produto bem antes de compra-lo, só assim será possível saber se ele realmente está valendo a metade do preço.

Ainda sobre a Black Friday, no Brasil, normalmente, acontece na última semana de Novembro, bem próximo ao Natal, portanto, se você quer aproveitar essas liquidações, comece pesquisando os preços desce setembro. Essa é uma dica valiosa.

Agora, quanto ao fato de estar com produtos a preços mais acessíveis, a resposta é sim. Conforme uma pesquisa feita pelo Zoom, um comparador de preços, muitas vezes comprar na Black Friday pode te fazer economizar um bom dinheiro.

É compulsivo por Compras? Veja Qual a Melhor Época para Comprar
Reprodução: Google

Para comprovar tal informação, o site trouxe itens comprados em 2015 com eletrodomésticos. O resultado foi que eles ficaram 40% mais em conta nessa data promocional.

Os tablets, por exemplo, tiveram descontos de 34% e as TVs 4K caíram mais de 20% em comparação ao evento do ano anterior.

Claro, porém, que isso não quer dizer que todo e qualquer produto vai trazer o mesmo desconto. Porém, se você considerar e pesquisar o produto poderá economizar.

3 Passos para Economizar Dinheiro na hora de comprar um Celular

Se você quer economizar dinheiro com a compra do celular, então, o 1º pensamento que precisa ter é: saber escolher o melhor celular. Essa questão é importante porque não existe um celular ideal para todo mundo, mas sim, para você.

Tudo vai depender da sua necessidade, do seu dinheiro disponível, do seu gosto e de muitos outros fatores.

Escolher um smartphone, acredite, não é uma tarefa tão simples quanto parece.

preço é, sem dúvidas, um dos maiores limitantes. Vamos falar um pouco disso: como vocês já devem ter notado, pagamos, diariamente, muito caro pela exclusividade. O que isso quer dizer?

Que se você quer ter um aparelho que é novidade e que acabou de ser lançado, então, prepare o bolso porque você vai pagar um alto valor por ele. Esse preço não é considerado pelo valor justo dele e sim pelo “status”.

O “status” é uma das melhores formas de você perder dinheiro. Porque ele só serve para você aparecer para alguém, para mostrar algo, para provar algo… E isso, sinceramente, não é importante. O Status não traduz, por exemplo, a funcionalidade ou utilidade, mas apenas o reconhecimento de ter uma marca ou produto que cause uma boa impressão. Nada mais.

É claro que os novos aparelhos tendem a ter melhores tecnologias e vantagens produtivas, mas, como dissemos, na maior parte das vezes, você está pagando um alto valor pela exclusividade de ter um aparelho que pouca gente tem.

Essa decisão é bastante complicada de ser feita, então, separamos alguns itens para você levar em consideração na hora de adquirir o smartphone.

  1. Necessidade: Você realmente precisa daquele aparelho Top de Linha ou quer comprar apenas para ter status?
  2. Futuro: A cada dia novos aparelhos são lançados, então, mesmo que você tenha o último aparelho lançado hoje, amanhã ele já não pode ser o único e, com certeza, assim que comprar, você vai perder alguns reais devido à depreciação do mercado,
  3. Razão: Tente pensar sempre com a cabeça e não com o coração. Faça constantes comparações entre o modelo atual e o antigo, veja quais as diferenças produtivas e de valores.

A Hora Certa para Comprar

Agora vem uma informação que é o Grande X da Questão. A pesquisa observou também que existe uma hora ideal para comprar tais produtos, entre as 0 horas e 6 horas. Esse período é o que os especialistas chama de picos de acessos na Black Friday.

A pesquisa também entrevistou consumidores sobre esse tema e mais de 30% deles afirmaram que esse é o melhor horário para as compras. Já 41% deles afirmavam não ter a menor ideia quanto a isso.

“É importante ficar ligado durante o dia todo, pois os preços oscilam durante as 24 horas e perto do final do evento as varejistas podem baixar ainda mais os valores de produtos que precisam liquidar”, diz Thiago Flores, o diretor executivo do Zoom.

“Quanto menor a demanda dos consumidores, maiores os descontos. Como o mercado está mais desaquecido do que ano passado, boas promoções devem ser anunciadas na data”, diz Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar).

Perfil da Black Friday no Brasil

“Gradativamente, as empresas passaram a oferecer descontos reais porque verificaram que o consumidor estava monitorando e comparando os preços”, disse Felisoni.

A cautela é um dos comportamentos mais frequentes conforme o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), que mostrou que 44% dos brasileiros costumam realizar compras durante o evento.

Um dos motivos é a antecipação dos presentes de fim de ano. “A logística do varejo costuma ficar sobrecarregada no final do ano. Antecipar as compras pode ser uma forma de driblar esse problema”, afirma o professor da FGV.

No entanto, se for para se endividar, melhor deixar qualquer compra para depois.

“É preferível esperar o pagamento das duas parcelas do 13º salário. Não há necessidade de correr. Como não há expectativa de que a economia deva melhorar no curto prazo, ainda será possível encontrar bons descontos nos próximos meses”, diz o presidente do Ibevar.

Felisoni concorda sobre o fato de que o endividamento (compras financiadas e no crédito, inclusive, boletos da casa e do carro) nunca devem passar 30% da renda mensal da família. “Seguir esse conselho é uma forma eficiente de evitar o descontrole dos gastos e a inadimplência”.

Existe uma fórmula secreta para financiar a casa própria sem risco de perder dinheiro?

Sonho da Casa Própria tem se tornado o Pesado da Casa Própria. É, meus amigos, seria cômico se não fosse trágico!

E estão falando de números: 8 em cada 10 mutuários entram em estado de endividamento pela falta de planejamento financeiro em decorrência, entre outras instancias, do financiamento da Casa Própria. A pesquisa foi feita pelo Banco Mundial, no último mês (janeiro) e revelou que APENAS 4% dos brasileiros pensam no futuro!

Aqui no Blog já falamos muito disso. Mas, como a notícia é nova, vamos voltar e frisar: Antes de fazer uma grande loucura e financiar um imóvel é preciso fazer um monte de continhas básicas, que vão, posteriormente, resultar em um cronograma financeiro e, só então, você terá uma previsão do seu desembolso real em dinheiro necessário para, aí sim, assinar o contrato!

COMO TER UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL POSITIVO EM 2017?

Colchão financeiro, já ouviu falar? É aquele conhecidíssimo VALOR DE ENTRADA. Você sempre vai precisar dar uma boa entrada em dinheiro, afinal, nenhuma construtora ou banco vai te financiar 100% do valor do imóvel. E, vale o alerta: quando disserem que você não precisar dar entrada, fique esperto, que, muito provavelmente, é golpe! Entendam que NINGUÉM vai financiar 100% do imóvel, tudo bem?

Mas, se é tão simples, por que, então, tantas pessoas, cerca de 80%, compram imóveis e depois entram em dívidas? Também queremos saber, amigos! Mas, segundo especialistas e profissionais da saúde, isso acontece porque essas pessoas agem com a emoção, e não com a razão, como deveria ser.

Ah! Uma dica mega importante! Quando tiver pensando em financiar um imóvel (assim como um carro) pegue a caneta e o papel e faça você mesmo as contas, ok?

Os gerentes dos bancos, os corretores de imóveis, os vendedores de automóveis, a construtora e nem ninguém vai fazer tudo exatamente certo por você, afinal, eles querem vender.

Já falamos muito disso quando colocamos na Sabatina um Gerente de Banco! Vocês lembram? O Gerente não é amigo e mesmo que fosse, “negócios à parte”, como está no ditado popular! Leia a matéria sobre isso: Serviços, Taxas, Pacotes, Contas Grátis, Gerentes… Veja um Guia Completo de como se comportar com o seu banco!

Aí vem a dúvida (cruel): Comprar ou Alugar um imóvel? Do ponto de vista racional e financeiro, o ideal é alugar, sabe por quê? Descubra no vídeo abaixo:

4 Passos Importantes para Acertar na Compra no Black Friday

Para descobrir se toda promoção vale a pena, confira os passos…

1 – Avaliação das Mercadorias

Teoricamente, comprar produtos pelos preços menores do que eles estavam é muito vantajoso financeiramente. No entanto, em muitos casos, a promoção serve apenas como maquiagem para esconder a eficiência do produto e forçar o consumidor a comprar.

Essas promoções tem grande apelo comercial para despertar o desejo de compra e a exposição do produto.

Do lado do consumidor, resta observar se os produtos não apresentam falhas ou defeitos de fabricação, justamente o que explicaria os preços mais baixos. Se houver algum desses casos, o produto já não vale a promoção.

Por outro lado, se o vendedor explicar isso durante a venda, então, trata-se uma ação justa e não uma promoção.

2 – Gato por Lebre

Para não trocar gato por lebre, observe também a data de validade nas embalagens, inclusive, se for presentear alguém com o produto. Para tais fatos, existem leis que asseguram o direito do consumidor, leia mais sobre isso abaixo.

Atente-se também á aquisições como passagens promocionais e cupons de compras coletiva, que têm regras mais rígidas que incluem, por exemplo, o período de uso e a possibilidade de cancelamento.

3 – Comparar os Preços

Como já visto, é fundamental e importante. Só assim será possível saber, de forma real, se a compra valerá a pena.

Alguns cálculos podem ser enganosos. Por exemplo, de forma geral, a compra por atacado já é uma regra em muitas lojas em toda época do ano. Portanto, usá-la na Black Friday é como chover no molhado,

A ideia do Leve Três e Pague Dois segue a mesma linha.

A regra é fazer uma avaliação da diferença entre a relação quantidade e o preço, desvendando se a oferta é positiva.

4 – Uso do Produto

Essa, na verdade, deveria ser a regra número 1. Logo, é muito simples: Se você não precisa, não compre! Mesmo que o valor esteja muito abaixo do praticado no mercado. Se você cogitar a possibilidade de não usar aquele produto tão cedo, saiba que tudo indica que a compra é impulsiva.

Um desconto na pizzaria parece não ser tão bom para quem está fazendo uma dieta nutricional, por exemplo.

5 Diretos que Todo Consumidor Tem durante uma Compra de Mostruário

A lista abaixo foi selecionada pelo Procon-SP e serve para quem vai comprar qualquer produto que esteja em mostruário, confira!

1 – Preparação

Sempre fique preparado para as compras, ou seja, saiba quais são os seus direitos. Só assim será possível se defender e fazer as melhores escolhas. Mesmo em épocas de promoções e Black Friday.

2 – Problemas Detalhados

Sempre que comprar um produto, peça ao fornecedor que descreva todos os possíveis problemas da maneira mais detalhada possível. É seu direito.

3 – Garantia

Mesmo essas peças de mostruário têm garantias legais que estão descritas no Código de Defesa do Consumidor.

4 – Vícios Reparados

O fornecedor é responsável por reparar o vício de qualquer produto, exceto quando é informado, de forma clara, no momento da compra. Logo, mesmo que o produto comprado seja de mostruário, o fabricante ou lojista não pode se negar a solucionar eventuais problemas ou recusar a troca.

5 – Problemas

Se houver problemas no contato com o lojista, procure o órgão de defesa do consumidor mais próximo. Existem pessoas preparadas para solucionar todo tipo de questão sobre o consumo.

Você pode estar perdendo dinheiro sem saber: Descubra 10 situações que conferem à Venda Casada!

1 – Consumação Mínima: É ilegal que estabelecimentos cobrem um valor mínimo pelo ingresso no local. Caso isso aconteça, o indicado é procurar um advogado para ser orientado sobre tais medidas jurídicas que deverão ser tomadas. O Procon também deve ser contatado.

E, para esse tópico, assim como para todos os próximos, vale lembrar que toda possível prova é válida. Então, sempre que acontecerem casos assim, anote o nome do atendente, o local, o horário, o dia e, se possível, tire fotografias e grave vídeos, que, posteriormente, poderão ser usados à seu favor.

É compulsivo por Compras? Veja Qual a Melhor Época para Comprar
Reprodução: Google

2 – Entrar com Alimentos no Cinema: Se o funcionário não permitir a entrada, a orientação é anotar o nome da pessoa com quem conversou, data e horário do ocorrido. Depois, denunciar a empresa ao órgão de defesa do consumidor. Fotografar avisos e filmar o ocorrido também vale como prova.

O mesmo vale para a aquisição de pipoca no cinema. Obrigar o consumidor a comprar pipoca da revenda autorizada pelo cinema é crime e foi considerada ilegal pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

3 – Adquirir serviços de internet, TV ou telefone separadamente: Se não conseguir contratar o serviço individual, anote o nome da pessoa, data e horário, além do número de protocolo e depois reclame ao SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da empresa. Se não resolver, denuncie à Anatel e ao órgão de defesa do consumidor.

4 – Aumento do limite do cheque especial: É claro que isso não é indicado à fazer, mas se você fizer, saiba que você não é obrigado à contratar outro serviço além desse. A orientação é procurar outro banco, mas não sem antes informar o Procon, que vai denunciar e fazer a intermediação dentro da lei. Também é possível fazer a reclamação ao Banco Central.

Tudo o que você precisa saber sobre o Cheque Especial: Cheque Especial, que de especial não tem nada, é a 2ª linha de crédito mais cara do Brasil!”Atualmente, os juros desse cheque estão em torno de 328% ao ano, é um valor muito alto, antes que você invente alguma desculpa para poder usar. Os juros nessa altura é um verdadeiro absurdo, mas, o fato é que as pessoas ainda o utilizam como se fosse algo natural. O que, de fato, não é”. Leia Mais!

5 – Cartão de Crédito: Esse é bem comum e acontece quando outros serviços vem junto com a aquisição do Cartão de Crédito. Os serviços indesejados devem ser reclamados ao SAC, depois ao Procon e por fim ao Banco Central, como no item anterior.

É compulsivo por Compras? Veja Qual a Melhor Época para Comprar
Reprodução: Google

“O valor é exorbitante e, em dezembro de 2016, chegou à uma taxa de 484,6% ao ano, segundo dados do Banco Central. Para ter uma medida comparativa, os juros do cartão de crédito consignado foram de 29,3% ao ano, no mesmo mês”. Leia Mais. 

6 – Alugar salão de festas: Você não é obrigado à fechar pacotes com decoração e filmagens, por exemplo. E nem mesmo contratar as empresas indicadas pelo local.

O primeiro conselho é procurar outras empresas para fazer os serviços, mas caso o local insista nessa abordagem, peça o pedido por escrito, o qual você vai usar como prova no órgão de defesa do consumidor.

7 – Seguro de perda ou roubo: Faça a reclamação, primeiramente, no SAC da empresa, junto com o número de protocolo. Depois, denuncie ao órgão de defesa do consumidor. O seguro vale tanto para faturas de cartão de crédito quanto para a venda de produtos eletrônicos, como celulares.

8 – Garantia Estendida: A cobrança, muitas vezes, é automática. Mas, você, como consumidor, não é obrigado a aceitar. Se a cobrança foi feita sem você notar, entre em contato com o SAC e, se não resolver, reclame no Procon.

9 – Seguro: Vale para carros ou imóveis! A orientação é não aceitar a imposição e procurar outra empresa. E, se a denúncia for feita antes do fechamento do negócio, o Procon poderá fazer a intermediação para que o caso seja resolvido dentro da lei.

Veja, abaixo, um vídeo super descontraído, mas muito verdadeiro, sobre os gastos com o veículo, incluindo o seguro!

10 – Lanches Infantis: Algumas redes costumam comercializar produtos que tem como publico as crianças, e atrela essa venda ao recebimento de um brinquedo.

Porém, os Tribunais Superiores já emitiram decisões condenando tal prática, afirmando que a venda do lanche atrelado ao brinque fere o Direito do Consumidor, e caracteriza uma venda casa. O embate ainda persiste nos Tribunais, mas, de qualquer  forma, se houver alguma situação mais crítica, vale procurar o órgão de defesa do consumidor.

Tem gente que perde milhões de reais com Fraudes… #7 Passos para não cair nesses golpes!

Antes de começar os tópicos, fique sabendo que assim como você, muitas outras pessoas também tiram a Sorte Grande. Mas, quase todos nós estamos vivendo apenas um sonho, mais do que isso, um golpe. Mais do que nunca, com a ousadia dos golpistas, precisamos ser realistas e racionais, por isso, desconfie quando alguém dizer que “Você foi Escolhido”.

1 – Correspondência – Alguns ladrões se passarão por você e mudarão seu endereço para conseguir acesso às suas contas. Logo, eles terão todos os tipos de informações confidenciais que poderão ser usadas para roubar a sua identidade.

Então, a dica, nesse caso é: se você deixou de receber alguma correspondência, entre em contato com o remetente imediatamente e verifique o motivo.

2 – Lixo – Vá até o seu lixinho que está cheio de papeis e note quanta informação útil nós deixamos lá. As empresas, normalmente, tomam medidas de segurança para que o lixo ou o material de reciclagem não seja roubado.

E eles começaram a fazer isso depois que oportunistas perceberam que ali haviam várias informações importantes e valiosas. Então, o mesmo vale para você: certifique se não há nada que possa ser útil para terceiros no seu lixo.

3 – Telefone – Talvez seja um dos golpes mais comuns. Acontece quando alguém liga pedindo informações pessoais. Então, eles fingem ser do seu banco ou de algum órgão do governo.

Aí, as ligações exploram o fato de que você possivelmente estará cansado do trabalho do dia a dia e ficará mais fácil de passar as informações mesmo que sem intenção. O segredo aqui é sempre retornar ao banco, você ligando diretamente para lá e perguntando sobre o assunto.

É compulsivo por Compras? Veja Qual a Melhor Época para Comprar
Reprodução: Google

4 – E-mail – É comum de acontecer e para piorar vem de e-mails que você conhece, inclusive, em muitos casos de amigos seu. No entanto, é preciso ficar atento porque esses e-mails podem ter sido hackeados.

Há relatos de várias histórias como de pessoas que foram viajar e ficaram sem dinheiro no exterior ou algumas até que falam de dinheiro para tratamentos médicos. Não há dúvidas que a melhor saída é confirmar a situação pessoalmente ou por uma ligação.

5 – E-mail da Sorte – Ou Golpe Virtual! É quando chegam e-mails de “falsos” bancos pedindo informações. OU também algumas associações dizendo que você ganhou dinheiro na loteria virtual, mas, para isso, é preciso fornecer algumas informações importantes e pessoais.

Aliás, todas essas histórias que “parecem boas demais para ser verdade”, precisam ser verificadas com muita (muita mesmo) cautela.

6 – Investimento – Se alguém prometeu a você uma fortuna em poucos meses que você pode conseguir através de um investimento fantástico, então, saiba que esse investimento ainda não existe. Ainda mais se a pessoa dizer que ele não tem risco.

Esse caso é um dos mais atuais e está sendo chamado de Esquema Ponzi que é uma contradição ao mundo das finanças, onde os rendimentos aumentam junto com os riscos.

7 – Ações – Alguém já tentou te vender algumas ações sem nenhum prospecto ou qualquer documentação endossada pelas autoridades dos mercados financeiros? Acredite, mesmo nas comercializações onlines, existem comprovações feitas com papel…

É aquela papelada toda. Então, só assine folhas quando ler o contrato e entender o que está escrito lá. Isso também vale para ações.

Com informações do hintigo, tecmundo e exame

ANÚNCIO