Melhor banco para investir em 2018, segundo a FGV

O Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV) junto com a Fractal Consult selecionou o melhor banco para investir em renda fixa, em fundos e em ações em 2018: o Santander foi o campeão.

O prêmio também elegeu o banco com a melhor plataforma digital para o varejo seletivo.

Antes de citar o melhor banco para investir em 2018, porém, vamos falar sobre como escolher o melhor banco para investir, né.

Como escolher o melhor banco para investir

Ao invés de só pensar na instituição financeira, o investidor precisa se atentar a alguns fatos importantes:

  • O valor das taxas cobradas (na aplicação e na retirada) e
  • A remuneração do investimento (que é a rentabilidade).

Separamos esses dois pontos para você entender um pouco melhor!

O melhor banco para investir e suas taxas

A taxa é algo importantíssimo em um investimento financeiro. Se ela for alta, perdemos rentabilidade, ou seja, ganhamos menos do que poderíamos.

Normalmente, a taxa de administração é paga no momento do vencimento da aplicação – ou seja, quando você receberá o dinheiro aplicado.

Elas variam de banco para banco e alguns podem até isentar esse custo (o que é muito raro).

Ao procurar o melhor banco para investir, o primeiro passo que se deve dar é comparar as taxas cobradas em cada um dos investimentos, especialmente os CDBs.

– Isso fará uma grande diferença para você realizar seu objetivo (de ganhar dinheiro).

O melhor banco para investir e suas remunerações

A maior parte dos investimentos privados leva em conta uma taxa chamada CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Ela é um índice praticado entre os bancos.

Dessa forma, quando você opta por um título da renda fixa, como o CDB, você tem que saber que ele vai render algo com base no CDI, que pode ser 85% do CDI ou 90% do CDI, por exemplo.

Quanto maior a porcentagem, maior a remuneração.

Isso é tudo que você precisa saber sobre a remuneração.

O que acontece se o melhor banco para investir falir?

– “Trovó , o que acontece se o banco falir e eu tiver dinheiro na poupança”?, perguntou um leitor!

“Se você tiver na poupança, merece umas palmadas”.

“Você não deveria ter mais dinheiro investido na poupança”.

“Mas, a regra é a seguinte: existe um órgão que se chama FGC (Fundo Garantidor de Crédito), é como se ele fosse um seguro”, explica o especialista.

Para quem não sabe, o Trovó é um dos únicos brasileiros a conquistar faturar 1 milhão de reais na Bolsa de Valores do Brasil antes de completar 30 anos de idade…

Você pode conhecer mais dessa história no vídeo -> Como Pensa quem Alcançou 1 Milhão de Reais!

Pensem… Se você tivesse um milhão de reais na poupança e se por ventura este banco falisse, você receberia somente 250.000,00 por CPF, por instituição financeira.

Este é um seguro, mas não garante seu investimento total, tudo bem? Essa é a regra!

– “Como assim Trovó… Não é muito difícil um banco top falir”?

Será que é difícil?

Em 2008 o Lehman Brothers, um banco três vezes maior que o Bradesco, quebrou!

Era um banco gigante.

Então, acredite: um banco pode quebrar!

Você não pode contar apenas com esta garantia de 250.000,00 do FGC.

Se você tiver um milhão de reais na poupança qual deveria ser a sua regra?

Dividir em quatro fatias de 250.000,00… Uma para cada banco.

A dica é selecionar os melhores bancos para investir e aplicar neles!

Leia Também no decorrer do texto – Selecionados: 5 investimentos em bancos para investir em 2018

Melhor banco para investir em 2018

Ao todo, 9 instituições participaram das seleções, sendo que as premiadas foram:

  1. Banco do Brasil,
  2. Bradesco,
  3. BTG Pactual,
  4. Caixa Econômica Federal,
  5. Credit Suisse,
  6. Itaú,
  7. Banco Safra,
  8. Santander e
  9. XP.

A comissão de estudos avaliou as instituições que ofereceram os melhores serviços nos últimos anos em seis categorias diferentes:

  • Ações,
  • Fundos multimercados,
  • Money Market (fundos de curto prazo),
  • Renda fixa,
  • Varejo e
  • Varejo seletivo.

A pesquisa considerou também fatores como: desempenho dos fundos, taxa de administração, valor mínimo para investir, número de reclamações registradas pelo Banco Central e o custo dos pacotes bancários.

A Fractal também se responsabilizou por fazer uma pesquisa direta com os clientes de cada banco, avaliando a qualidade do atendimento.

As informações foram divulgadas na revista Exame, confira a lista!

Resultado Geral

  1. Santander – 8,05
  2. Caixa Econômica Federal – 7,64
  3. Bradesco – 7,55

Ações

  1. Caixa Econômica Federal – 9,10
  2. Bradesco – 8,2
  3. Banco do Brasil – 7,92

Multimercado

  1. Bradesco – 9,6
  2. Banco do Brasil – 8,0
  3. Santander – 7,16

Money Market

  1. Santander – 9,7
  2. Caixa – 7,9
  3. Bradesco – 7,8

Renda Fixa

  1. Caixa Econômica Federal – 9,44
  2. Santander – 9,26
  3. Itaú – 7,7

Varejo

  1. Bradesco – 8,8
  2. Santander – 7,7
  3. Caixa Econômica Federal – 7,6

Varejo Seletivo

  1. Banco do Brasil – 8,6
  2. Santander – 7,7
  3. Caixa Econômica Federal – 7,5

E o melhor banco digital, qual é?

Atualmente, como visto, nem todos os bancos têm as contas digitais gratuitas, sendo que os médios e pequenos bancos são os que mais oferecem o produto.

Separamos 7 opções disponíveis no mercado, confira cada uma delas.

Conta Fácil BB (Banco do Brasil)

O Banco do Brasil oferece duas opções: a conta fácil gratuita e a conta fácil bônus.

Em uma não há cobrança de taxas… Só que ela é bastante limitada.

No outro caso, a franquia custa 10 reais por mês e dá direito à alguns serviços menos básicos, sendo 4 saques mensais, por exemplo.

Conta digital do Banco Inter (antigo Intermedium)

É uma conta 100% digital e sem tarifas.

Todo TED é isento e ilimitado, também.

Os saques são gratuitos e ilimitados nos caixas eletrônicos.

O cartão é Mastercard e funciona como débito.

Conta digital do Banco Original

Esse banco também tem pacotes digitais tarifadas, com direito a vários serviços.

Para ter isenção total de taxas você precisará ter, pelo menos, 100 mil reais investidos no banco.

O cartão de débito também é mastercard.

Conta digital do Banco Neon

É preciso instalar o aplicativo do banco no celular e usar os benefícios. O

acesso é liberado… E para começar a usar basta fazer um depósito de 100 reais.

Conta digital do Banco Next

O Next é uma iniciativa do Bradesco voltada para o público jovem.

O aplicativo tem recursos para fazer vaquinhas com os amigos e controlar os gastos.

A abertura da conta inclui a emissão também do cartão de crédito Visa.

A conta, porém, não é gratuita e custa 20 reais por mês.

Conta digital do Nubank

A NuConta foi lançada pelo Nubank e é o famoso cartão de crédito roxinho.

O diferencial é que nenhuma tarifa é cobrada.

O lado ruim é que a lista de espera é grande.

Conta digital do Banco Sofisa Direto

A conta digital é procurada por pessoas que investem dinheiro na renda fixa…

E as taxas são atrativas, mas não gratuitas.

Conheça as rendas fixas dos bancos

Poupança

A caderneta da poupança é a forma de investir dinheiro mais antigo que existe no Brasil.

Ela tem facilidades, como a isenção do imposto e a liquidez diária (liberdade para sacar dinheiro quando quiser).

Outro ponto importante é sobre o valor para investir e a periodicidade que se poder fazer isso: é livre!

Logo, você pode aplicar 2 reais ou 200 mil reais. E pode fazer isso 1 ou 10 vezes ao dia. Para isso, não há restrição.

Essa facilidade é que faz a poupança ser uma forma de ganhar dinheiro com investimentos financeiros nos bancos.

Mas, como ganhar dinheiro?

Ah, sim. A poupança tem um pequeno rendimento mensal, que segue alguma regra especifica.

Desde 2012, ela se transformou… Passou a não ser ideal para ganhar dinheiro, apenas para preservar o seu patrimônio.

Isto acontece porque quando a Selic (que é a taxa básica de juros da economia) está baixa, a caderneta rende apenas 70% desse índice + uma taxa referencial.

Logo, o rendimento dela está bastante baixo.

Seria um erro se aconselhássemos vocês a nunca usar a caderneta da poupança.

Ela pode ser útil se você quer acumular patrimônio para fazer uma aplicação melhor.

Portanto, de forma geral, se você tem já tem um capital maior do que 1.000 reais…

Saiba que a poupança não vai ser, de longe, o melhor investimento financeiro de 2018.

O lado positivo dela é pode sacar os recursos quando quiser, além de não ter a incidência de impostos.

Só que em termos de rentabilidade (para ganhar dinheiro) ela é péssima opção de aplicação financeira.

Fundo de Investimento

Os Fundos de Renda Fixa são interessantes de serem estudados.

Bom, o que é um fundo? Imagina que você ainda não saiba, exatamente, onde vai aplicar dinheiro na renda fixa…

  • Seria no Tesouro?
  • LCI/LCA?
  • CDB?

Então, um fundo é uma única carteira que contempla vários ativos, podendo ser, inclusive, esses que citamos – CDB, LCI/LCA, Tesouro e até mesmo poupança.

E quanto ao rendimento, você vai perguntar.

Bem, o rendimento vai depender das porcentagens desses ativos na carteira.

Apenas para você entender: se você está em um fundo que aplica mais de 50% na caderneta da poupança, então tem que saber que ele não vai render muito.

Talvez esse fundo nem exista – nós só estamos exemplificando, tudo bem?

Agora, pense em um que aplica muito mais em CDB e pouquíssimo na poupança… Aí seria melhor né?

Portanto, a rentabilidade vai depender das porcentagens dos ativos.

Um fundo de renda fixa quer dizer que todos os ativos serão da renda fixa, portanto, não haverá aplicações em ações, por exemplo.

Ficou fácil né?

Boa parte das características se mantém: liquidez variável, valores médios, impostos.

Mas tem algo que muda e que pode fazer toda a diferença – é isso que vai fazer o fundo de renda fixa ser o sei melhor investimento financeiro de 2018 ou não:

A taxa de administração!

Essa explicação é muito importante para este artigo e vai ser útil para todos os fundos de investimentos que serão citados a partir de agora!

No mercado financeiro, há um padrão entre os valores dessa taxa – eles vão de 0,5 a 3% ao ano.

É uma taxa cobrada pela instituição para arcar com os custos que ela tem, inclusive, com o do gestor.

Observe que em um fundo, o investidor não tem opinião ativa e é o gestor que vai determinar os ativos que serão alocados na carteira. E isso, obviamente, tem um custo.

E por que essa taxa de administração é tão importante? Porque ela tem o poder de diminuir sua rentabilidade… A questão é com quanta força ela faz isso!

Se você quer entrar em um fundo que tem mais de 1,5% de taxa de administração, saiba que muito dificilmente você estará aplicando no melhor investimento financeiro de 2018.

O que os analistas dizem?

Que todo fundo que tem taxa de administração em 1,5% ou mais não são financeiramente vantajosos. Essa não é uma lei, mas uma verdade para os dias atuais.

Então, para entender os fundos considere que ele poderá ser uma boa opção para ganhar dinheiro, mas só quando tiver taxa de administração abaixo de 1,5%.

Se assim for, faça as contas considerando também a rentabilidade e os outros encargos e veja se esse é o melhor investimento financeiro para você!

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB é um produto bancário que funciona de forma parecida com o Tesouro Direto – mas há diferenças.

As semelhanças têm a ver com o fato de ter um rendimento melhor do que o da caderneta da poupança, só que tem o imposto de renda e pouca liquidez.

Quanto ao rendimento, especificamente, ele está atrelado ao CDI (Certificado de Depósito Bancário), que é uma taxa de juros praticada entre os bancos.

Há CDBs que pagam 80% do CDI e outros que pagam até 110% do CDI…

Claro que quanto maior a porcentagem, maior o lucro do investidor.

Do lado das diferenças entre o Tesouro e os CDBs é que neste último o valor para aplicação inicial é, geralmente, mais alto, partindo (na maior parte das vezes) dos 5 mil reais.

Há ainda outra grande diferença – quanto à segurança desse investimento. Os CDBs não têm a garantia do Tesouro Nacional.

Portanto, será que o CDB está muito longe de ser o melhor investimento financeiro do ano?

Calma!!

Mesmo sem a garantia do governo, o CDB pode ser considerado uma aplicação segura. Isto porque conta com o FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

O FGC é um órgão que dá alguns benefícios ao investidor, mas tenha atenção… Ele cobre apenas valores que vão até 250 mil reais por pessoa.

Logo, se você 500 mil reais investidos, o que deveria fazer? Aplicar o dinheiro em dois bancos diferentes… dividindo o patrimônio acumulado.

Vamos supor que você tenha 5 mil reais para investir e não tenha pressa para resgatar a aplicação… Neste caso, encontramos uma ótima opção para você.

O CDB, nesse caso, pode ser o seu melhor investimento financeiro em 2018.

Tipos de CDBs

No atual mercado financeiro existem dois tipos de CDBs: os prefixados e os pós-fixados.

Os prefixados

O CDB prefixado é aquele na qual o investidor saberá exatamente a rentabilidade que terá na hora que iniciar o investimento – as taxas se mantêm durante a vigência do título.

A dica para quem vai investir em CDB prefixado é buscar as instituições financeiras menores, que oferecem as melhores taxas fixadas do mercado.

Muitas pessoas tem medo de investir em bancos menores porque desconhecem o fato de que eles também são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Todo banco tem a garantia de até 250 mil reais por pessoa, dependendo do investimento financeiro.

Os pós-fixados

Nesse caso, a rentabilidade é baseada em taxas de referências, ou seja, que podem se alternar durante o período de vigência do título.

Normalmente, usa-se o CDI (Certificado de Depósito Bancário), que fica sempre próximo à taxa básica de juros, a Selic.

Quando o investidor opta pelo CDB pós-fixado, ele sabe que terá uma rentabilidade muito próxima à Selic, acompanhando as variações do mercado.

Neste caso, porém, o grande segredo é que o percentual pago sobre o CDI não é fixo e varia de banco para banco, dependendo do valor e do período de investimento.

LCI/LCA (Letra de Crédito Imobiliário / Letra de Crédito do Agronegócio)

Esse tipo de aplicação é muito parecida com os CDBs.

É um produto bancário, tem incidência do imposto de renda, tem liquidez baixa, rende mais do que a poupança, a rentabilidade tem a ver com o CDI e tem a garantia do FGC.

Só que há algumas diferenças.

A se começar pelo valor inicial de aplicação – que é bem mais alto do que os CDBs.

No atual mercado financeiro é muito difícil encontrar uma LCI ou LCA que exigem um valor menor do que 20 mil reais para a compra do título.

Outra diferença é a finalidade de uso do dinheiro. Nesse caso, os bancos usam os recursos para financiar imóveis ou a área do agronegócio.

Enquanto no CDB, os usos são mais generalizados.

Ficou fácil: se as letras de crédito rendem conforme o CDI só que exigem um valor inicial mais alto… É óbvio que elas não fazem parte do grupo do melhor investimento financeiro do ano, certo?

Na verdade, essa pode sim ser a melhor aplicação financeira se o seu foco for ganhar dinheiro.

Isso porque ela tem um ponto crucial e que a diferencia das outras opções já citadas aqui (Tesouro Direto e CDB).

As letras de crédito tem a isenção do imposto de renda – logo, a rentabilidade não é diminuída pelo “leão” da Receita Federal.

Para concretizar a teoria de que uma Letra de Crédito pode ser o melhor investimento financeiro de 2018, faça as contas… E compare com os CDBs.

Fundo Multimercado

O fundo multimercado é para você que achou que o fundo de renda fixa é conservador demais, mas que o de ações é muito agressivo.

O multimercado é um meio termo, ele une alguns ativos da renda fixa e outros da variável, podendo mesclar CDBs e ações, Tesouro e debêntures, LCI e dólar, ouro… Assim por diante.

Nos dias atuais, com a queda da Selic, alguns investidores têm encontrado no fundo multimercado uma forma de aumentar os ganhos com investimentos.

Ele tem um perfil moderado porque tem a garantia dos ativos conservadores com a agressividade da Bolsa de Valores.

Mas, novamente, é preciso cuidado com a taxa de administração para que ela não minimize muito a sua rentabilidade.

Nós não sabemos se é o seu caso, mas para muitos analistas, o fundo multimercado é o melhor investimento financeiro de 2018 – que começou a ir bem após os constantes cortes da Selic.

Melhor banco para investir em 2018

Selecionados: 5 investimentos em bancos para investir em 2018

Aliás, se você conhecer outro ativo que é comum na vida dos brasileiros ou discordar de alguma informação aqui citada, fique a vontade para nos deixar comentários e sugestões.

1 – LCI do Itaú

Se você ainda não sabe, a LCI é um investimento em renda fixa na qual o banco tem a finalidade de captar recursos para investir em linhas de financiamento imobiliárias para os clientes.

É irmã da LCA, que funciona da mesma forma, só que é destinada ao setor do agronegócio brasileiro.

Ela, de modo geral, é considerada uma alternativa de investimentos em bancos porque tem a isenção do imposto de renda.

O lado ruim é que a aplicação normalmente é alta, acima de 20 mil reais.

No caso do Itaú, pode ultrapassar os 100 mil reais.

Quanto ao prazo, ele tende a ser de, no mínimo, 6 meses.

Porém, o resgate é contratado durante o acordo.

Dessa forma, o Itaú (que é um dos bancos para investir em 2018), separa os investidores da seguinte forma:

  • Personnalité– se você é cliente do banco e tem bons recursos financeiros,
  • Uniclass – se você tem menos dinheiro (CDB ou Fundos DI).

No caso das LCIs, as rentabilidades são feitas em pós-fixada e atrelada ao CDI.

Porém, o banco Itaú não informa exatamente qual o percentual de CDI usado.

Assim, impossível saber se esse é um bom investimento ou não.

Então, a LCI do Itaú não vale a pena?

Se você for até o seu gerente, com certeza ele vai te falar essa porcentagem.

Então, para ter (ao menos uma ideia) se a LCI do Itaú vale a pena ou não, compare com a de outros bancos para investir em 2018.

O Itaú está entre os melhores bancos para investir, mas nem todo ativo será rentável para você.

Na Caixa Econômica Federal, por exemplo, o valor mínimo para investimentos é de 30 mil nessa opção.

Sendo que o prazo é de 3 meses e a rentabilidade é de 80% do CDI.

Já no Banco do Brasil, o prazo também é de 3 meses, só que a aplicação mínimo é de 1 mil reais, o pagamento também é menor 70% do CDI.

Portanto, como o investimento e o prazo são maiores, estima-se que a rentabilidade seja acima dos 85% do CDI, no Itaú.

Se não for, melhor procurar outras opções de investimentos.

  • E aí, você tem uma LCI do Itaú?
  • Gosta dessa aplicação financeira?
  • Arrependeu de ter feito?

Conte-nos a sua história!

2 – LCI do Banco Inter

Outra opção da nossa lista de investimentos em bancos para investir em 2018 é a LCI do banco Inter (antigo Intermedium).

Esse investimento vale a pena se for comparado com a poupança e quem fez esse cálculo foi o próprio banco.

Temos aqui para te mostrar:

Na poupança, uma aplicação de 10 mil reais em 360 dias e taxa de 0,68% ao mês vai dar um retorno de 10.847,22 reais.

Já na LCI Intermedium, a mesma aplicação terá uma taxa de 98% do CDI, então, o resgate será de 11.349,60.

É claro que acabamos fazendo uma propaganda gratuita do banco intermedium aqui, mas no fim das contas, note que a poupança nunca será vantajosa (ou pelo menos, quase nunca)!

Em qualquer banco se comparado à outros produtos bancários, eles serão melhores do que a velha caderneta.

“O grande atrativo de alguns produtos de renda fixa é a isenção do imposto de renda, o que garante rentabilidade superior”, afirma o banco.

Portanto, para saber se vale a pena, comparando com outras aplicações de outros investimentos em bancos, será necessário contas e mais contas.

“Quando escolho aplicar em um fundo de investimentos de qualquer banco, por exemplo, terei segurança, liquidez, mas não rentabilidade”.

“Ou posso querer mais segurança e rentabilidade, como acontece com a LCI, mas meu dinheiro terá de ficar preso por algum tempo [1 ano], perdendo a liquidez”, diz Sérgio Bessa.

A comparação é feita entre uma LCI e um fundo de investimentos.

Agora, você já conhece algumas LCIs e logo mais falaremos dos fundos.

Investir em imóveis no banco Inter

O banco também comenta sobre um novo produto, a LCI IGP-M, que é um título de renda fixa que teve rentabilidade melhor do que a renda de um aluguel de imóvel.

Daí, você tem que levar em conta que, conforme pesquisa do FipeZap, os imóveis desvalorizaram 5% nos últimos tempos.

Bom, isso é assunto para outro artigo!

3 – CDB do Banco do Brasil

O Banco do Brasil também não informou sobre a rentabilidade do CDB, mas se comparado com a poupança também vale a pena.

Citamos o Banco do Brasil porque ele não cobra a taxa de administração, o que pode ajudar na rentabilidade final deste tipo de aplicação financeira.

Os CDBs são os Certificados de Depósitos Bancários e funcionam em uma variação entre a poupança e as letras de crédito.

Sendo que há o IR. Geralmente, ele rende algo parecido com a LCI, só que mais do que a poupança.

Em todo CDB há a incidência dos impostos. São eles:

Essa tabela é fixa para todas as aplicações financeiras, confira:

  • Até 180 dias a alíquota é de 22,5%
  • Entre 181 e 360 dias a alíquota é de 20%
  • Entre 361 e 720 dias a alíquota é de 17,5%
  • Acima de 720 dias a alíquota é de 5%

Esses impostos incidem sobre o lucro do investimento e são recolhidos na fonte.

Logo, não é sobre o valor total que você tem na aplicação, ok?

É uma aplicação da renda fixa na qual o investidor empresta dinheiro ao banco.

No final da aplicação, o cliente recebe o valor investido no total e mais a taxa de juros paga no período, que é contratada no momento da aplicação.

No Brasil, costuma ser o 1º passo para quem quer sair da poupança e começar a ganhar dinheiro de verdade.

No Banco do Brasil, a aplicação mínima é de 500 reais.

4 – CDB do Itaú

Entre os investimentos em bancos para investir em 2018, os CDBs são queridinhos. Por isso, escolhemos outro banco que também disponibiliza esse investimento.

E no Itaú, há dois tipos de CDBs.

I – CDB Pré

Que é um investimento pré-fixado e tem a rentabilidade definida no momento da aplicação sem que haja possibilidade de variar no tempo.

Nessa modalidade de investimentos do Itaú, o valor para aplicação inicial é de 1 mil reais.

II – Itauvest

É uma remuneração pós-fixada e feita sob um percentual do CDI.

Aqui, a rentabilidade é progressiva e quanto maior o tempo de aplicação, maior é a remuneração paga ao investidor.

Nesse caso, para começar a investir é preciso ter algo entre 500 (na internet) e 2 mil reais (quando o cliente vai direto à agência).

O investimento no Itauvest varia de 2 dias a 5 anos.

Qual é o conselho da Trovó Academy?

As rentabilidades dos investimentos do Itaú, especificamente o Itauvest, são pífias.

Só vai valer a pena quando o investidor tiver absoluta certeza de que vai manter a aplicação por mais de 2 anos. Fora isso, nada feito!

E por que estamos dizendo isso?

Nós tínhamos um arquivo do meio do ano passado, então, vamos usar esses números para te mostrar alguns resultados.

Saiba Mais – Qual é o melhor banco para investir em renda fixa

Observação: provavelmente alguns dados mudaram, então, aqui a ideia é apenas demonstrar o que aconteceu no ano passado, está bem?

Confira essa comparação:

  • Itauvestteve rentabilidade liquida anual de 6% ao ano
  • Poupança teve rentabilidade liquida anual de 8,1% ao ano
  • CDB Prédo Itaúteve rentabilidade liquida anual de 5,7% ao ano
  • Caixa Progressivo teve rentabilidade liquida anual de 8,8% ao ano
  • Tesouro Selic teve rentabilidade liquida anual de 9% ao ano

Apenas para você não falar que estamos chutando valores, saiba que consideramos um CDI de 11,13% ao ano.

E a taxa da Bovespa em 0,30% ao ano.

Para facilitar ainda mais a sua compreensão, imagine um investimento de 30 mil reais em 12 meses. Agora, veja os resultados conforme os dados acima:

  • O CDB Pré do Itaú renderia 1.708 reais,
  • O Itauvestrenderia 1.791 reais,
  • A poupança renderia 2.418 reais,
  • O CDB da Caixa renderia 2.644 reais,
  • E o Tesouro Selic renderia 2.694 reais.

Caros, não há muito mais o que falar sobre os investimentos do Itaú em termos de CDB, não é?

Se eles não estão ganhando nem da poupança… Possivelmente não recomendados.

O Itaú está entre os melhores bancos para investir em 2018, mas nem sempre vale a pena. Lembra que falamos isso, não é? Portanto, a pesquisa é fundamental, sempre!

Uma dica é analisar as rentabilidades dos CDBs de bancos menores ou os títulos públicos.

5 – Fundos de Investimento do Itaú

Se nós estamos falando em renda fixa, os fundos de investimentos do Itaú estão entre as opções mais conhecidas do Brasil, perdendo claro para a poupança.

Esse é outro dos investimentos em bancos para investir em 2018.

Os motivos são vários, mas especialmente a facilidade de se aplicar nessas opções.

E até aí não haveria problema se a rentabilidade desses investimentos do Itaú fossem rentáveis, mas será que são?

Não separamos todas porque são muitas, mas escolhemos uma aplicação em especial: o Itaú Renda Fixa Simples, que possibilita aportes de 50 reais.

Itaú Renda Fixa Simples

Esse fundo tem uma taxa de administração assustadora: 2,2% ao ano.

Sim, acredite: isso é um baita de um exagero!

E já dá para imaginar que a opção não será nada boa para você aumentar de patrimônio.

O fundo investe 95% do todo em títulos públicos ou outros que sejam de baixo risco.

Bem, nem vamos estender o assunto porque sua cabeça já deve estar cheia com tantos números.

Mas, é quase que uma regra no mercado financeiro: taxas acima de 1% ao ano em fundos de investimentos não compensam para o investidor.

E as corretoras de valores?

Antes de falarmos das aplicações financeiras do banco, vamos conhecer (brevemente) as corretoras de valores.

Bom, como você sabe, os bancos têm uma variedade (quase infinita) de produtos bancários – desde as contas-correntes até as aplicações financeiras.

Essa gama pode ser uma vantagem, afinal, você encontra “tudo ali”. Por outro lado, fica difícil afirmar que o banco é especialista em investimentos financeiros.

Alguns gerentes importam-se apenas em vender as aplicações que mais rendem dinheiro.

É nessa hora que entram as corretoras de valores. Elas nada mais são do que “assessorias” especializadas nos investimentos financeiros.

O que isso quer dizer?

Que as corretoras não estão preocupadas em vender produtos como cartões de crédito ou planos previdenciários…

E sim em ganhar dinheiro com investimentos financeiros.

Na prática, a corretora também ganha comissões, exatamente igual aos gerentes dos bancos.

Só que com um diferencial: ela ganha para fazer uma venda especifica, de um produto que vai trazer benefícios ao investidor.

Ela não vai te fazer pagar juros (como acontece nos empréstimos e financiamentos).

Ao contrário, vai te fazer receber juros, através das aplicações financeiras.

Aliás, há outra diferença aqui: sabe aquela ideia de um banco ser uma loja?

Então, a corretora é como se fosse o shopping porque ela pode vender títulos de quais lugares, de quaisquer bancos.

Isso é ótimo… Considere a suposição.

Você está no Bradesco porque sua empresa exigiu, mas descobre que há um CDB do Banco Itaú que rende bem.

O que você tem que fazer? Abrir uma conta no Itaú para comprar o CDB.

Isso é um pouco trabalhoso demais.

Além disso, você dificilmente ficará sabendo das oportunidades dos bancos menores – justamente porque a divulgação deles é menor.

Em uma corretora de valores, você fica sabendo de tudo que há no mercado, em qualquer banco.

E o melhor: você pode comprar os ativos que quiser sem precisar ficar abrindo conta em todo banco.

Isso te ajuda a reduzir gastos!

Para este tópico, considere entender que investir dinheiro em investimentos financeiros dos bancos pode te trazer o lucro, mas para ter uma visão global dessas instituições, o ideal é estar em uma corretora de valores.

Com informações da Exame, Infomoney